Fundos de Lajes Corporativas: saiba o que são e como funcionam

Os fundos de lajes corporativas podem ser boas opções para quem quer gerar renda passiva através de proventos e dividendos.

Por isso, para os entusiastas de FIIs (Fundos de Investimento Imobiliário) vale muito a pena conhecer os fundos de lajes corporativas.

O que são lajes corporativas?

As lajes corporativas são imóveis amplos que necessitam de uma grande infraestrutura para suas atividades. Em geral, são alugados para empresas de maior porte que precisam de um local para manterem suas operações. Também podem ser usadas por repartições públicas, por exemplo.

Quando as lajes corporativas são muito bem avaliadas, a taxa de vacância (área não ocupada) tende a ser muito baixa, o que é um ótimo indicador para os proprietários do imóvel.

De forma geral, existem agências de rating especializadas que avaliam a qualidade de uma laje corporativa, utilizando diversos padrões usados no mercado.

Assim, a laje comercial pode ter a classificação mais alta, o triple A (ou AAA). Por outro lado, se a qualidade da laje corporativa for baixa, pode chegar à classificação C.

Diversos fatores são importantes para a avaliação, como a localização do imóvel, sua segurança, área útil, vagas na garagem e mais.

Essas lajes são importantes para grandes empresas, logo, conhecer o significado de lajes corporativas é tão fundamental para todo investidor que quer alocar seu capital em imóveis.

ANIVERSARIO SUNO 7 ANOS

O que são fundos de lajes corporativas?

Os fundos imobiliários de lajes corporativas são uma categoria de fundos imobiliários formados por cotistas que investem dinheiro na aquisição desse tipo de imóvel.

Dessa forma, cada cotista será o possuidor de uma fração desses imóveis. É possível negociar essas frações como cotas na B3, a bolsa de valores do Brasil.

Sendo assim, o dinheiro proveniente do aluguel desses imóveis é distribuído para os cotistas nas formas de dividendos, que costumam ser pagos mensalmente. A legislação do Brasil define que pelo menos 95% dos resultados devem ser distribuídos.

Além disso, vale notar haver um gestor do fundo, que recebe sua renda proveniente de uma taxa de administração. Esse dinheiro serve para remunerar a equipe de gestão para que o fundo se mantenha ativo.

O cotista pode comprar e vender essa categoria de FII quando quiser, podendo escolher ganhar também com a valorização desses fundos.

EBOOK INVESTINDO EM FIIS

Como funcionam os fundos de lajes corporativas?

Os fundos de lajes corporativas, também conhecidos como fundos de tijolo, são compostos por investimentos em imóveis com finalidade empresarial e corporativa.

Portanto, ao investir em um fundo desse tipo, o investidor estará aplicando seus recursos em um portfólio diversificado de imóveis que aluga seu espaço para grandes corporações.

Na perspectiva do investidor, isso pode ser considerado uma segurança. Afinal, os locatários são empresas, no geral, consistentes e com baixo risco de inadimplência.

Além disso, nesse tipo de imóvel é inesperado uma queda de receita bruta, porque as empresas não costumam mudar com frequência seu endereço fiscal e operacional.

Quais as características das lajes corporativas?

As lajes corporativas são alvo de procura de empresas que buscam alugar um espaço para as suas operações.

Portanto, existe uma série de características que as lajes corporativas devem apresentar para atender a demanda das empresas:

  • Boa localização, normalmente com proximidade à outros centros corporativos e residências dos trabalhadores;
  • Vagas de estacionamento e acessibilidade de transporte;
  • Espaços de boa qualidade;
  • Serviços de limpeza e copa;
  • Entre outros.

Quais as vantagens do investimento de fundos de lajes corporativas?

Como todos os estilos de fundos, é possível listar algumas vantagens relacionadas aos fundos imobiliários corporativos.

Entre as principais vantagens de investir em lajes corporativas é:

  • Isenção do IR sobre rendimento;
  • Fácil reposição de locatários;
  • Diversificação.

Isenção de IR sobre rendimento

Assim como os demais fundos imobiliários, os FIIs de lajes corporativas são isentos de IR sobre o proventos recebidos.

Essa pode ser uma ótima vantagem para o investidor, sobretudo se o fundo escolhido apresenta um bom resultado.

Fácil reposição de locatários

A vacância nesse tipo de FII não costuma ser grande por dois motivos: as empresas não mudam com frequência seus estabelecimentos e, se mudarem, há uma fácil reposição de locatários.

Afinal, a laje corporativa é adaptada para qualquer tipo de grupo empresarial, independente do ramo. Só não comporta os tipos de negócios que demandam equipamentos muito específicos, como grupos hospitalares, por exemplo.

Diversificação

Adquirir esse fundo também é uma forma de diversificar seus investimentos, existem diferentes fundos de tijolo interessantes para a diversificação da sua carteira.

Também, os espaços são alugados por empresas muito distintas de diferentes setores econômicos.

Esse fato não coloca o fundo em risco caso apenas um setor esteja frágil economicamente.

Além disso, os fundos tendem a ser compostos por vários edifícios corporativos, de localizações e características distintas.

PLANILHA DA VIDA FINANCEIRA

Quais os riscos de investir em lajes corporativas

De fato, nenhum investimento é livre de riscos. E com os FIIs de lajes corporativas não difere, pois, existem fatores que o investidor deve considerar antes de alocar seu capital.

O primeiro ponto é que como se trata de um investimento em imóveis, a qualidade da região onde está a laje corporativa influencia muito na rentabilidade final.

Ou seja: se a localização onde estão os imóveis desse fundo sofrer algum problema por falta de segurança ou por mudança de cenário econômico, até os melhores fundos de lajes corporativas podem perder valor e a rentabilidade do investidor diminuirá.

Entretanto, um investidor pode buscar FIIs de lajes que invistam em diferentes cidades para mitigar esse risco — ou investir em diversos fundos de lajes corporativas.

Outro ponto importante, além disso, é a existência de limitações de mobilidade, como foi o caso em 2020, com todo o distanciamento social ocorrido. Apesar de o estilo de vida estar voltando ao normal, muitos estão preferindo trabalhar em casa.

No entanto, não parece que haverá uma extinção do trabalho presencial, então esse é um risco que não parece ser definitivo.

Como investir em Fundos de Lajes Corporativas

Para investir em um fundo de laje corporativa, é relativamente simples. Primeiramente, o investidor deve criar uma conta em uma corretora de valores.

De fato, hoje existem diversas corretoras taxa zero, para que o investidor não gaste dinheiro desnecessariamente com taxas. Assim, ele poderá investir em FIIs de lajes corporativas e outros ativos negociados em bolsa.

Nesse sentido, ele deverá fazer um trabalho para selecionar o fundo em que deseja investir, seja através do estudo próprio ou por meio da contratação de uma casa de análises.

Ele, portanto, deve comprar as cotas negociadas em bolsa e, com isso, terá direito a receber seus dividendos mensalmente e a se beneficiar da valorização dos ativos no longo prazo.

Vale notar que o investidor deve reavaliar seus investimentos periodicamente para verificar se eles continuam sendo boas formas para se alocar capital. Além disso, é preciso fazer a declaração de imposto de renda de todas as categorias de fundos imobiliários.

Esse artigo te ajudou a entender o que são Fundos de Lajes Corporativas? Deixe dúvidas e comentários no espaço abaixo.

PLANILHA CONTROLE GASTOS

Perguntas frequentes sobre Fundos de Lajes Corporativas
O que são fundos de Lajes Corporativas?

Fundos imobiliários de lajes corporativas são uma categoria de Fundo Imobiliário que investem seu capital na aquisição de imóveis conhecidos como lajes corporativas, alugadas por empresas de grande porte para elas manterem suas operações.

Como investir em Fundos de Lajes Corporativas?

Primeiramente, é preciso criar um cadastro em uma corretora e comprar a cotas do Fundo Imobiliário que você escolher na bolsa de valores. É possível então ganhar dividendos mensais e se beneficiar com sua valorização.

ACESSO RÁPIDO
    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    1 comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Sidimar Ortiz Tavares 6 de dezembro de 2021
      Marcos: Tenho um FOF, através do MGFF11 1000 cotas, um lojístico VILG11 300 cotas, e o IRDM11 568 cotas. trago esses papéis há dois anos. Essa é uma diversificação razoável pra começar?Responder