Acesso Rápido

    Gestão financeira: o que é? Como aplicar em uma empresa?

    Gestão financeira: o que é? Como aplicar em uma empresa?

    de administrar os recursos de suas empresas. No entanto, erros muito comuns costumam ser cometidos por falta de conhecimento nessa área.

    Além disso, a falta de planejamento e controle dos recursos de uma empresa pode comprometer todos os setores da organização.Logo, ter uma gestão financeira alinhada para a maximização dos resultados é extremamente importante para a saúde financeira de uma empresa.

    O que é gestão financeira?

    A gestão financeira corresponde a um conjunto de processos administrativos que servem de instrumento para a análise, o planejamento e o controle das atividades financeiras de uma empresa.

    Dessa forma, a gestão financeira está sempre voltada para maximizar os resultados de uma organização, como retornar o máximo de valor aos acionistas no longo prazo, por exemplo.

    Em outras palavras, o conjunto de medidas e procedimentos estudados por essa área está visando sempre potencializar os ganhos de uma empresa.

    Diante disso, toda empresa precisa aplicar a gestão financeira para ter sucesso em sua organização.

    Isso porque, ao fazer uma gestão financeira eficaz, a empresa consegue mensurar receitas, despesas e o equilíbrio entre os ativos e os passivos.

    Vale destacar, no entanto, que não há uma fórmula pronta para a aplicação de uma gestão financeira.

    Isso porque cada empresa possui características únicas, sendo assim, é comum que a gestão financeira seja diferente até mesmo na gestão de pequenas empresas, ainda que de segmentos iguais.

    Para que serve a gestão financeira?

    A gestão financeira serve para guiar as melhores decisões de investimentos, como o uso de capital adequado e a tecnologia que melhor atende às demandas de uma instituição.

    Quando uma empresa faz uso da gestão financeira ela está em busca de melhor equacionar elementos importantes no intuito de obter os melhores resultados.

    Dentre esses elementos podemos incluir:

    • Despesas;
    • Receitas;
    • Contas a receber e a pagar;
    • Lucratividade.

    Com isso em mãos, ela consegue traçar cenários e definir qual é a direção que a empresa deve tomar.

    Por exemplo, se um gestor busca reduzir o custo operacional de uma empresa, ele pode promover uma transformação digital, em um setor ou na empresa como um todo.

    No longo prazo, o custo benefício da transformação pode alavancar os ganhos da empresa.

    Mas, independentemente do elemento a ser escolhido, uma boa estratégia nesse âmbito necessita de ajustes contínuos, a fim de manter a empresa centrada em metas de longo prazo com foco na maximização da rentabilidade e valor da companhia.

    Portanto, para uma aplicação eficaz é preciso envolver sacrifícios e reajustes de metas de curto prazo a fim de atingir objetivos de longo prazo com eficiência.

    Por exemplo, se uma empresa sofreu prejuízo líquido no ano anterior, ela pode optar por reduzir sua base de ativos por meio de fechamento de instalações ou redução de pessoal, diminuindo assim suas despesas operacionais.

    Essas compensações de curto prazo versus longo prazo normalmente devem ser feitas de forma bastante consciente dentro da empresa.

    Um exemplo disso é quando vemos algumas empresas de capital aberto tomando decisões que afetam negativamente o preço de suas ações no curto prazo. Porém, no longo prazo, elas acabam sendo as decisões mais acertadas para a companhia.

    Como funciona a gestão financeira de uma empresa?

    gestão financeira

    A gestão das finanças de uma empresa tem como objetivo principal maximizar os resultados, ou seja, os lucros. 

    Para isso, o gestor faz uso de processos, metodologias, ferramentas e padronização para atingir os melhores resultados financeiros. Em outras palavras, para ter sucesso, o gestor financeiro tem que ter ao seu alcance tudo sobre gestão financeira.

    Gestão de caixa

    Um dos pontos mais importantes da gestão financeira, sem dúvidas, é o controle de caixa.

    Sem a observância desse aspecto, não é possível saber quais são as contas a receber e a pagar, ou se existe inadimplência dos pagamentos, além de se tornar impossível a realização de projeções.

    Desse modo, estando o fluxo de caixa de uma companhia sob controle, é provável que o negócio não passe por situações financeiras delicadas.

    No entanto, para que isso aconteça é essencial a atenção constante dos gestores para captar e identificar períodos futuros em que seja mais necessária a atenção aos recursos financeiros.

    Uma ferramenta bastante útil nesse sentido é a utilização de sistemas informatizados, os quais funcionam integrando as finanças da companhia.

    De maneira geral, esses são softwares intuitivos, bastante seguros e precisos quanto aos dados fornecidos. Eles também fornecem cálculos e relatórios prontos para a análise posterior dos gestores.

    Controle de contas a pagar

    É muito comum ver por aí empresas que, na ânsia por aumentar suas receitas e seus lucros, acabam esquecendo da importância de manter o controle de contas a pagar em dia.

    Uma empresa não é feita só de receitas, então, tão importante quanto saber o que a empresa recebe por mês é conhecer os custos para ela se manter em dia com fornecedores e parceiros.

    O controle de contas a pagar, conhecido também como controle de obrigações,  permite a identificação de elementos como:

    • Identificação de todas as obrigações a pagar;
    • Prioridade de pagamentos;
    • Controle de prazo de vencimento, de forma a conseguir descontos e/ou não pagar juros;
    • Conciliação dos saldos contábeis.

    Dessa forma, é possível perceber que o controle de contas a pagar é um dos principais processos da gestão financeira, pois ao mesmo tempo em que controla as obrigações, evita o pagamento de juros e estima a lucratividade da empresa.

    Planejamento financeiro

    O planejamento financeiro é uma das etapas mais importantes porque vai ajudar no desenvolvimento do negócio, de modo a preparar a empresa para dar passos maiores rumo ao seu crescimento.

    A verdade é que toda empresa de sucesso possui em seu plano de negócios um planejamento financeiro bem traçado.

    Isso porque será ele que apontará as diretrizes para que um projeto se torne rentável, selecionando as ferramentas que irão garantir a saúde do caixa e o cumprimento das metas da empresa.

    Atualmente, existe uma infinidade de metodologias usadas para fazer um planejamento financeiro eficiente.

    Entre as mais conhecidas estão a 5W2H, com suas sete perguntas orientadoras, e a Análise SWOT, muito útil para definir pontos fortes e fracos de uma empresa frente à concorrência.

    Outra ferramenta muito usada ainda é o Ciclo PDCA (Planejar, fazer, verificar e agir), processo que consiste em quatro etapas que se repetem em uma mesma ordem. Com isso, ele padroniza tarefas e aumenta sua confiabilidade e segurança de execução a cada repetição. 

    Gestão tributária

    A gestão tributária consiste em gerenciar os processos administrativos que estão relacionados aos tributos de uma empresa.

    Vale destacar que a gestão tributária vai além da escolha do melhor regime tributário, já que é importante também entender a tributação dos fornecedores, os benefícios fiscais dos produtos vendidos, entre outros fatores.

    Isso é necessário porque o Brasil ainda é um país com uma carga tributária muito pesada e arcaica. São dezenas de tributos obrigatórios, entre contribuições, taxas e impostos. 

    Sem falar no grande volume de normas que compõem o sistema tributário, sendo que muitas delas nem se aplicam mais à realidade atual.

    Diante disso, gestão tributária eficiente é capaz de minimizar os riscos de irregularidades perante os órgãos fiscais, além de oferecer maior segurança na quitação das obrigações.

    Controle do estoque

    Ter o controle do estoque é essencial para evitar prejuízos já que mercadoria parada significa dinheiro parado.

    Sendo assim, um controle de estoque bem executado garante liquidez constante ao fazer o estoque girar no tempo e na forma correta.

    Para isso, é essencial ter equilíbrio entre oferta e demanda, caso contrário a empresa terá mercadorias ociosas ou clientes insatisfeitos.

    Qual a função de um gestor financeiro?

    O gestor financeiro é o profissional responsável por coletar uma série de dados para, no fim, tomar as melhores decisões financeiras.

    Além disso, ele é o responsável por garantir que a empresa fique sempre dentro do seu orçamento planejado, de modo a garantir a otimização dos recursos investidos pela companhia.

    Ninguém melhor do que o gestor para saber onde alocar melhor os recursos, aplicar receitas e reduzir custos desnecessários.

    Dessa forma, contratar um gestor financeiro com formação e experiência voltadas para a gestão das finanças pode fazer toda a diferença para o sucesso do negócio.

    Na gestão financeira para pequenas empresas, muitas organizações sofrem com a falta de estrutura adequada para a contratação de um bom gestor. 

    Uma forma de contornar esse problema pode ser contratar uma consultoria especializada que aplique as técnicas de um determinado sistema de gestão.

    Vale destacar ainda que muitos empreendedores são bons em vender, mas nem sempre isso se reflete na gestão financeira. 

    Para esses casos, contratar um gestor financeiro para colocar em ordem as finanças do negócio pode levar a empresa para outro patamar de lucratividade.

    Qual a importância da gestão financeira empresarial?

    gestão financeira empresarial

    A gestão financeira empresarial é um dos pilares na construção e desenvolvimento de uma empresa de sucesso.

    Entre as questões mais relevantes para as quais uma gestão eficiente deve se atentar, podemos destacar o acompanhamento dos resultados, fluxo de caixa e orçamento da empresa.

    Dominar o controle de contas a pagar e a receber, e acompanhar o balanceamento dos recursos financeiros, também são ações decisivas para uma boa gestão.

    Consequentemente, uma gestão financeira bem-feita reduz gastos desnecessários e destina os recursos para demandas mais adequadas, o que impacta fortemente nos resultados financeiros.

    Desse modo, quanto mais eficiente e ativa for a gestão financeira de uma empresa, melhores serão sua saúde financeira e os resultados alcançados.

    Diante disso, é possível concluir que sem uma boa gestão sobre as finanças não é viável seguir adiante com o desenvolvimento da empresa.

    Isso porque, uma má gestão pode trazer resultados ruins que podem até mesmo culminar na extinção do negócio.

    Desse modo, situações como desequilíbrio financeiro, endividamento, empréstimos, contas atrasadas, entre outros, sempre são prejudiciais a qualquer negócio.

    Então, para uma empresa alcançar bons resultados é necessário traçar rotinas e processos administrativos, para que ela tenha uma estrutura eficiente e alinhada aos propósitos e objetivos do negócio.

    Como fazer uma boa gestão financeira?

    Em primeiro lugar precisamos reforçar que cada negócio possui características próprias que precisam ser consideradas para uma gestão financeira de sucesso.

    Levando isso em conta, alguns procedimentos podem ser aplicados a qualquer tipo de organização, independentemente do tamanho e do ramo de atuação.

    Planejamento

    O planejamento é o ponto de partida de qualquer boa gestão. Ele vai traçar as diretrizes e o caminho que o negócio deve seguir, rumo a um objetivo específico.

    Com uma meta ao alcance da empresa, o próximo passo é relacionar as estratégias que serão colocadas em prática.

    Ainda dentro do planejamento, é importante definir as métricas que serão usadas para acompanhar as ações e os resultados do planejamento.

    Orçamento

    No processo de gerir bem uma empresa é necessário ainda que se elabore um planejamento orçamentário acerca dos recursos disponíveis para o negócio.

    Com isso,  o gestor terá uma visão ampla e clara de quais setores e atividades são realmente essenciais para a empresa.

    Um orçamento bem estruturado foca na necessidade mais urgente da organização e cria condições para que novas tarefas sejam executadas.

    Controle de receitas e despesas

    O fluxo de caixa desempenha um papel fundamental para uma gestão de recursos financeiros eficaz.

    Através dele é possível analisar e controlar todas as receitas e despesas em um determinado período e assim, emitir relatórios com informações precisas, que serão relevantes na tomada de decisões do gestor.

    Por esse motivo, a atualização do fluxo de caixa de uma empresa precisa ser contínua, já que as informações nele contidas são fundamentais para o bom desenvolvimento do negócio.

    Despesas dentro de uma empresa sempre vão existir, entretanto, o que não pode acontecer é que essas dívidas ultrapassam as suas receitas.

    Além disso, os gastos improdutivos, aqueles que não revertem em ganho para a empresa, precisam ser suprimidos.

    Nesse contexto, os desperdícios, por exemplo, precisam ser eliminados, pois só geram despesas desnecessárias ao seu negócio.

    Assim sendo, é preciso uma análise minuciosa de todas as despesas da organização no intuito de descobrir onde estão os excessos.

    Instrumentos auxiliares e automação de processos

    A utilização de recursos auxiliares também é fundamental para uma gestão financeira mais assertiva.

    Desse modo, o uso de tecnologias pode ser um aliado para reduzir gastos desnecessários, simplificar processos e alavancar as receitas de uma empresa.

    Softwares como ERP, por exemplo, podem fazer muito sentido para as operações de venda de uma empresa.

    Já a implementação de plataforma de controle dos clientes, além de organizar o cadastro da empresa, pode servir de instrumento para reduzir a inadimplência, já que esse tipo de programa automatiza tarefas, como geração de cobranças e comunicação com clientes.

    A automação de processos administrativos, como pagamentos e emissão de notas fiscais, também são ferramentas que contribuem para uma gestão mais eficiente.

    Isso porque, quando o gestor automatiza processos, não há mais a necessidade de se preocupar com as atividades repetitivas, fazendo sobrar tempo e recursos para investir em partes mais estratégicas da empresa.

    Mensurar resultados

    Analisar constantemente os resultados obtidos pela empresa e mensurar os seus impactos é um elemento valioso na análise de uma boa gestão financeira.

    Sistemas que oferecem relatórios completos de cada setor da organização também dão mais subsídios para decidir e adaptar as estratégias quando isso for necessário.

    Mais uma vez, a tecnologia pode ser uma aliada na otimização e mensuração dos resultados.

    De modo que o uso de softwares de gestão permitem a emissão quase que instantânea de relatórios e controle de dados da empresa.

    Com essas informações em mãos, o gestor pode utilizá-las para o planejamento e tomada de decisões do negócio.

    Por fim, a partir de agora sabemos que a gestão financeira é um tema vital para as companhias que pretendem sobreviver num ambiente cada vez mais competitivo. Desse modo, é preciso uma atenção especial a esse tema para que melhores decisões sejam tomadas no âmbito corporativo.

    Perguntas Frequentes sobre Gestão Financeira
    Qual é a função da gestão financeira?

    A gestão financeira possui uma das funções administrativas mais importantes em uma organização. Isso porque ela é responsável por planejar, analisar e controlar o uso dos recursos financeiros da empresa. Sendo assim, a gestão financeira influencia em todos os setores do empreendimento, já que o bom desempenho de cada um deles depende do orçamento.

    O que é necessário para manter uma boa gestão financeira?

    Para manter uma boa gestão financeira é necessário que uma série de medidas sejam executadas em conjunto. Entre elas podemos citar: fazer um bom planejamento financeiro, monitorar o fluxo de caixa e as dívidas da organização, reduzir gastos desnecessários, estabelecer prioridades, automatizar processos, entre outros.

    O que fazer para melhorar a situação financeira de uma empresa?

    Em primeiro lugar, para melhorar a situação financeira de uma empresa é preciso definir um planejamento estratégico alinhado com as necessidades da organização. Além disso, o gestor precisa organizar o fluxo de caixa, despesas e receitas. Do mesmo modo, é importante ainda avaliar e controlar os custos de estoque e estabelecer a precificação correta.

    O que faz o gestor da qualidade?

    O gestor da qualidade faz o acompanhamento das etapas de produção e o resultado final dos produtos da empresa onde atua, visando garantir que os produtos estejam de acordo com o que é previsto pelas normas e diretrizes gerais.

    Quais são as consequências de uma boa gestão dos recursos financeiros?

    Uma boa gestão dos recursos financeiros permite ao empreendedor avaliar a possibilidade de realizar novos investimentos em produtos ou na capacidade de produção, por exemplo. Em outras palavras, uma boa gestão pode fornecer informação para definir os rumos que a empresa deve tomar.

    Bibliografia

    https://scielo.org/

    http://www.anpad.org.br/periodicos/arq_pdf/a_1653.pdf

    http://www.abepro.org.br/biblioteca/enegep2009_tn_stp_093_628_14670.pdf


    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    1 comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Raone 5 de julho de 2020

      Ótimo texto!
      Seria de grande ajuda que a Suno criasse um mini curso de gestão financeira de micro empresas.

      Responder