Acesso Rápido

    Gestão de Caixa: tudo o que você precisa saber e como aplicar no negócio

    Gestão de Caixa: tudo o que você precisa saber e como aplicar no negócio

    Um dos primeiros passos para qualquer empresa que deseja organizar aspectos contábeis e fazer seu controle financeiro é cuidar da gestão de caixa.

    Lucro bruto, lucro líquido e tributos dependem da execução adequada da gestão de caixa do negócio. Inclusive o planejamento financeiro da empresa.

    O que é gestão de caixa?

    Gestão de caixa é o processo de administração das entradas e saídas de recursos (dinheiro e cheque, por exemplo) de uma empresa, que também pode ser aplicada em pessoas físicas.

    A ideia é saber se os ganhos foram maiores que os gastos, se algum deles é recorrente e, com isso, possibilitar uma análise e estimativa futura de curto prazo.

    Esse controle de caixa pode gerar análises diárias, semanais ou mensais, a depender da necessidade do negócio.

    Minicurso: Contabilidade para Investidores

    Inscreva-se no nosso minicurso gratuito e aprenda os principais conceitos de contabilidade para quem quer investir em empresas na Bolsa de Valores!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Como funciona a gestão de caixa nas empresas?

    Antigamente, o fluxo de caixa de um negócio costumava ser feito no papel, baseado nos cadernos com anotações de compras e vendas.

    Hoje, em um ambiente digitalizado, este controle pode ser feito em uma planilha com fórmulas que a tornem quase automatizada, calculando os resultados a partir da inserção de dados. Ou ainda em sistemas próprios para este fim, como os ERPs.

    Como fazer a gestão de caixa?

    Basicamente, a gestão de fluxo de caixa começa pela análise do fluxo de caixa. Nele, os gastos são subtraídos dos ganhos, chegando então ao saldo operacional. Este pode ser positivo ou negativo, a depender do resultado do negócio.

    É importante deixar claro no fluxo de caixa de uma empresa quais vendas são a vista e quais vendas são a prazo. Isso para que o gestor tenha um controle sobre quando cada recurso vai entrar na conta e ser de fato utilizado.

    O mesmo vale para os gastos e custos, afinal estes também podem ser a prazo e demandarão um pagamento no futuro.

    Porém, a gestão de caixa considera, além dos ganhos e gastos, o capital inicial (ou acumulado) da empresa. Isso porque é desta reserva financeira que sairá o valor necessário para cobrir eventuais saldos negativos.

    O valor que sobrar deste capital financeiro após cobrir o que faltar é chamado de valor a transportar. Porque este saldo será “transportado” como reserva para o mês seguinte.

    Então consideremos que uma empresa tenha:

    • R$ 1000 de capital inicial/acumulado,
    • R$ 500 de despesas do mês, e
    • R$ 400 de entradas.

    Neste caso, o saldo operacional será de -R$ 100. Com isso, o saldo a transportar para o caixa da empresa será de R$ 900.

    Quais as vantagens da gestão de caixa nas empresas?

    A principal vantagem da gestão de caixa é mostrar em qual momento financeiro o negócio está. E, a partir destes dados, traçar estratégias de alavancagem.

    Estas informações devem ser analisados mesmo antes de definir uma promoção para queima do estoque, por exemplo. Se o desconto for muito grande, mesmo com o aumento das vendas as contas podem fechar com déficit.

    Este controle de caixa pode evitar que a empresa feche no vermelho, sendo fundamental para processos de decisão de curto e médio prazo.

    Para saber mais sobre o tema, participe do minicurso gratuito da Suno Research sobre Contabilidade para Investidores.

    Se você tem alguma dúvida ou dica importante sobre gestão de caixa, deixe nos comentários.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *