Acesso Rápido

    CNPI: saiba como se tornar um analisa de investimentos

    CNPI: saiba como se tornar um analisa de investimentos

    Trabalhar com investimentos pode render excelentes ganhos, sobretudo para o profissional qualificado. Por conta disso, existem diversas certificações que credenciam os profissionais que desejam atuar com finanças, entre elas o CNPI.

    Sendo assim, se você quer trabalhar com mercado de capitais, o primeiro aspecto importante é descobrir em quais áreas pode atuar e o que se encaixa melhor em seus objetivos profissionais. Desse modo, quem deseja trabalhar com análise e recomendação de ativos, como ações, precisa conhecer a certificação CNPI para saber como obtê-la.

    O que é CNPI?

    O CNPI (Certificação Nacional do Profissional de Investimento) é uma certificação voltada para os profissionais que trabalham com análise de investimento no Brasil.

    Essa certificação foi implementada pela Apimec (Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais) com o objetivo de elevar os padrões dos profissionais do mercado financeiro. Desse modo, ela é obrigatória para todos que atuam como analistas de valores mobiliários.

    A implementação desta certificação decorre da importância que os profissionais dessa área têm nos processos de decisão de investimentos. 

    Diante disso, a Apimec atesta a capacidade técnica do profissional. Ao mesmo tempo, assegura que os analistas CNPI estão submetidos a um código de conduta profissional que ofereça proteção aos investidores de que as recomendações estão sendo feitas de forma isenta.

    Com a certificação de analista de valores mobiliários, os profissionais podem recomendar ativos na Bolsa, como ações, fundos imobiliários, ETFs, entre outros. 

    Para isso, o analista usa como base de apoio as oscilações do mercado e os fundamentos das companhias, além de considerar aspectos da conjuntura econômica dentro e fora do país.

    Como funciona o CNPI?

    A certificação CNPI foi criada pela Apimec em parceria com a ACIIA (Association of Certified International Investment Analyst).  Assim, é um modelo de qualificação dos profissionais que atuam com análise de valores mobiliários.

    Dessa forma, como visto anteriormente, esse título possibilita que o analista possa recomendar ativos financeiros, como ações, opções, etfs, entre outros. 

    Entretanto, para atuar na área é necessário ser aprovado no exame do CNPI, realizado pela FGV (Fundação Getúlio Vargas).

    Cabe ressaltar que o profissional deve seguir diversas diretrizes conforme descrito no Código de Conduta da Apimec.

    Ou seja, a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) fiscaliza, normatiza e disciplina o mercado de valores mobiliários brasileiro, porém em caso de descumprimento das normas e código de conduta, o analista será penalizado pela Apimec.

    Assim, a certificação CNPI é necessária para quem deseja atuar no mercado financeiro como um analista de investimento.

    Quais são as áreas de atuação do Analista de Investimento?

    Um profissional com certificação CNPI pode atuar em diversas atividades como recomendação de valores mobiliários, análise de investimento e elaboração de relatórios.

    Entretanto, os analistas de investimento certificados também podem se desenvolver em áreas como:

    Como visto, a versatilidade é um ponto levado em consideração na hora de escolher essa carreira, visto que o analista pode desempenhar uma série de atividades

    Além disso, existem oportunidades em diversas instituições que vão desde corretoras de valores, gestoras e bancos de investimentos até consultoria autônoma.

    Quais são as categorias do analista de investimento?

    O analista de investimentos pode atuar em três categorias diferentes, sendo elas:

    CNPI

    A primeira é a necessária para se trabalhar como analista fundamentalista, fazendo análises de ativos por meio de dados financeiros das companhias listadas na B3.

    Sendo assim, o analista fundamentalista usa os fundamentos da empresa como base de comparação com a média do setor para chegar à conclusão de que uma ação está cara ou barata, por exemplo.

    Para ser qualificado como analista fundamentalista é preciso ser aprovado nos testes de Conteúdo Brasileiro 1 e Conteúdo Global 1.

    CNPI-T

    A CNPI-T, por sua vez, permite ao profissional atuar como analista técnico. Desta forma, sua atuação vai envolver a observação de padrões e comportamento de mercado a partir da análise gráfica.

    Neste caso, é preciso ser aprovado nos testes Conteúdo Brasileiro 1 e Conteúdo Técnico 1 para ser qualificado com esta certificação.

    Em geral, a análise técnica tem foco no curto prazo, com recomendações durando dias ou até mesmo algumas horas. 

    Por outro lado, a análise fundamentalista é mais direcionada para o longo prazo, durando semanas, meses ou até mesmo anos.

    CNPI-P

    Já o título de CNPI-P credencia o profissional a trabalhar como analista pleno. Isso significa que ele poderá fazer análises tanto fundamentalistas quanto técnicas, ou seja, engloba as duas categorias.

    Para ser qualificado com esta certificação é preciso ser aprovado em todos os testes aplicados, ou seja, Conteúdo Brasileiro, Conteúdo Global 1 e Conteúdo Técnico 1.

    Como se tornar analista CNPI?

    O primeiro aspecto importante para se tornar analista CNPI é ter nível superior completo em qualquer área. Inclusive, pode ser tecnólogo, desde que em curso devidamente reconhecido pelo Mec. 

    Vale lembrar que o comprovante de ensino superior completo será solicitado somente no momento do credenciamento.

    Sendo assim, o candidato pode começar a estudar ou mesmo fazer as provas sem que tenha o diploma em mãos, desde que complete a graduação em um prazo de até 24 meses.

    Isso porque o candidato tem 12 meses para concluir os exames, após aprovado no primeiro exame e outros 12 meses para requerer o seu certificado CNPI.

    De acordo com a Apimec, não existe ordem obrigatória para realizar as provas.

    Cumprido esse pré-requisito, o interessado em se tornar uma analista CNPI deve realizar a inscrição para os exames conforme a categoria de certificação que pretende obter.

    As três provas – Conteúdo Brasileiro, Conteúdo Global 1 e Conteúdo Técnico 1 –  possuem 60 questões e 2 horas de duração cada. 

    Para ser aprovado no exame de Conteúdo Brasileiro, o candidato deve responder corretamente 40 questões.

    Já para o exame de Conteúdo Global 1, o candidato será habilitado se responder corretamente 40 questões. Sendo que em cada módulo há uma exigência de acerto de pelo menos 50%, sendo afastada a hipótese de aprovação parcial nesta ou naquela matéria.

    Por fim, serão aprovados no exame de Conteúdo Técnico 1 os candidatos que responderem corretamente 40 questões.

    A Apimec divulga o resultado do exame em duas etapas:

    • Resultado provisório: é disponibilizado ao final do exame e pode ser alterado até a data da divulgação do resultado definitivo.
    • Resultado definitivo: é publicado no site da FGV em até cinco dias úteis após a realização das provas juntamente com o índice de aproveitamento do candidato.

    Taxas e custos da prova

    A taxa para realizar a inscrição na prova do CNPI varia em uma faixa que vai de R$ 457,00 a R$ 762,00. Os valores diferem entre associados e não associados. Lembrando que esses são os valores para realizar cada etapa da certificação.

    Além disso, os profissionais precisam realizar exames de reciclagem que podem custar entre R$ 375,00 a R$ 510,00.

    Isso acontece porque as certificações têm validade de cinco anos contados da data da solicitação.

    Desse modo, antes do vencimento da certificação o profissional escolher qual das duas modalidades de educação continuada ele seguirá:

    • Aprovação em Exame de Reciclagem
    • Ou a manutenção da certificação através de créditos com atividades válidas, como reuniões presenciais de trabalho, por exemplo.

    Além das referidas taxas, o profissional deve arcar com os custos da manutenção da certificação através do pagamento trimestral à Apimec de uma taxa no montante de R$ 239,00. 

    Os profissionais certificados mas não credenciados (ou seja, que não exercem a atividade de analista de valores mobiliários) devem atualizar anualmente os dados cadastrais e recolher a devida taxa. 

    Caso o processo de renovação não seja realizado no prazo, a situação do profissional fica como pendente e o mesmo fica impedido de usar a identificação de CNPI até regularizar sua situação. 

    Já os analistas licenciados, que passam por um processo  solicitando o licenciamento, podem ficar isentos dos pagamentos de taxas e outros requisitos de manutenção do CNPI.

    O licenciamento nesses casos é válido por um período de até três anos. Mas cabe destacar que o licenciado não pode exercer algumas atividades, permitidas somente aos analistas credenciados.

    Qual é o conteúdo da certificação CNPI?

    Você sabe quais são as principais certificações do mercado financeiro?

    Passar na prova do CNPI é um grande desafio pois os conteúdos cobrados são extensos e demandam muito tempo de estudo do candidato.

    Assim, para obter a certificação CNPI é necessário ser aprovado nos seguintes exames:

    Conteúdo Brasileiro 

    Esse exame é fase obrigatória para todos os candidatos, ou seja para analista fundamentalista, técnico e analista de investimentos pleno.

    A prova possui duas horas de duração e consiste em 60 questões de múltipla escolha sobre os seguintes assuntos:

    O valor desta prova é de R$ 457,00 para associados Apimec e de R$ 610,00 para não associados.

    Conteúdo Global

    O exame de conteúdo global é obrigatório apenas para analista fundamentalista e pleno.

    A prova também é realizada em duas horas, com 60 questões de múltipla escolha que versam sobre as seguintes matérias: 

    Sendo que cada disciplina apresenta 30 questões de cada para serem resolvidas.

    O custo desse exame é de R$ 571,00 para associados Apimec e de R$ 762,00 para não associados.

    Conteúdo Técnico

    Essa etapa é obrigatória para o analista técnico, bem como para o analista pleno.

    Sendo assim, para cada exame são cobradas matérias distintas com 60 questões de múltipla escolha que precisam ser respondidas também em duas horas.

    Na prova do conteúdo técnico é cobrado às seguintes questões que englobam temas relacionados a análise técnica:

    • Fundamentos da Análise Técnica; 
    • Teoria de Dow;
    • Conceito de Tendência;
    • Figuras Gráficas;
    • Teoria das Ondas de Elliott; 
    • Padrões Candlestick; 
    • Indicadores;
    • Gerenciamento de Risco; 
    • Estratégias Operacionais;
    • Trading Systems.

    O custo da prova de conteúdo técnico é de R$ 571 para associados Apimec e de R$ 762,00 para não associados.

    Qual a diferença entre a certificação CNPI e Ancord?

    Além da certificação nacional do profissional de investimento existem ainda outras certificações para profissionais que desejam atuar no mercado financeiro. 

    A Ancord, por exemplo, é a instituição responsável pela realização do exame direcionado para quem deseja trabalhar como Agentes Autônomos de Investimentos (AAI).

    Diferentemente do analista de investimento, o agente autônomo é o responsável por intermediar a relação entre os investidores e o mercado de produtos financeiros.

    Sendo assim, o agente autônomo tem entre suas funções a captação de clientes e o recebimento e registro de ordens.

    Cabe a esse profissional ainda a atribuição de informar sobre os produtos e os serviços da corretora para a qual trabalha.

    Vale destacar que esse profissional também pode atuar de forma independente, ou seja, com sua própria carteira de clientes e sem influência de nenhuma corretora de valores.

    Logo, como o nome sugere, trata-se de um profissional autônomo, sem vínculo trabalhista e cuja remuneração é baseada no seu desempenho.

    Uma das principais diferenças entre as certificações é que somente o analista CNPI é autorizado a passar recomendação de ativos financeiros.

    Por outro lado, o AAI auxilia as pessoas em seus investimentos, bem como na educação financeira, tirando dúvidas e explicando as características de cada produto financeiro.

    Para isso, ele deve considerar o perfil e os objetivos do cliente, utilizando, inclusive, as recomendações sugeridas pelos analistas de investimentos com a certificação CNPI.

    Como tirar o CNPI?

    Para tirar a certificação do CNPI é necessário cumprir alguns requisitos obrigatórios como ter formação superior em qualquer área. Ressaltamos mais uma vez que não necessariamente precisa ser ligado a Economia e Finanças.

    Além disso, é preciso passar na prova da Apimec, sendo que o exame Conteúdo Brasileiro é obrigatório tanto para quem deseja atuar como analista fundamentalista ou técnico.

    Desse modo, o profissional deve se cadastrar no site da Apimec, pagar o boleto e agendar a prova. Feito isso, é possível fazer todos os exames no mesmo dia ou de forma individual.

    Após a realização do primeiro exame, o interessado terá 12 meses para ser aprovado na segunda prova. Ou seja, quem perder o prazo terá que passar por todo o processo novamente.

    É importante destacar ainda que, caso o candidato seja reprovado no primeiro exame realizado não haverá contagem de prazo. Então, uma nova inscrição poderá ser realizada imediatamente após a publicação do resultado. 

    Os exames são distribuídos em praticamente todo território nacional, nos Centros de Testes da FGV, em geral em tempo contínuo.

    Outro aspecto importante diz respeito à emissão do certificado. O candidato habilitado no exame deverá acessar o Portal Apimec para solicitar a Certificação/Credenciamento.

    Para isso deve preencher o cadastro, imprimir e assinar o formulário e o termo de adesão e anexar fotocópia autenticada do diploma, em nível de graduação, expedidos por Instituição de Ensino reconhecida por órgão oficial competente.

    Em seguida, deve enviar os documentos para a Apimec Brasil e aguardar e-mail para recolhimento da taxa de emissão de certificado e taxa de credenciamento.

    Após a publicação na relação de profissionais/analistas do Portal Apimec, o Certificado CNPI estará à disposição para download no site.

    Importante destacar ainda que após a aprovação nos exames, o aprovado tem um prazo de um ano para requerer o seu certificado CNPI junto à Apimec. Dessa forma, a perda deste prazo implicará em uma nova inscrição e aprovação nos exames.

    Perguntas Frequentes sobre CNPI
    Quem pode tirar CNPI?

    Pode tirar CNPI todos aqueles que desejam se tornar analistas de investimentos. Para isso, é prerrogativa básica que o candidato interessado possua curso de nível superior em instituição de ensino reconhecida pelo Mec.

    Quanto ganha um CNPI?

    Conforme estimativa do mercado de trabalho, o salário médio nacional de um analista de investimentos gira em torno de R$ 6.085.

    O que é preciso para ser um analista de investimentos?

    O primeiro aspecto importante para se tornar analista CNPI é ter nível superior completo em qualquer área. Inclusive, pode ser tecnólogo, desde que em curso devidamente reconhecido pelo Mec. 
    Cumprido esse pré-requisito, o interessado em se tornar uma analista CNPI deve realizar a inscrição para os exames conforme a categoria de certificação que pretende obter. As três provas – Conteúdo Brasileiro, Conteúdo Global 1 e Conteúdo Técnico 1 –  possuem 60 questões e 2 horas de duração cada. 

    O que faz um analista CNPI?

    O analista CNPI pode realizar uma diversidade de atribuições, que inclui, por exemplo, a recomendação para os ativos na Bolsa de Valores, como ações, fundos imobiliários, ETFs, entre outros.
    Ele pode ainda elaborar relatórios de análise destinados à publicação, divulgação ou distribuição a terceiros, ainda que restrito a clientes.

    Quantos analistas CNPI existem?

    Em junho de 2021, a Apimec divulgou em seu site que constam como certificados 1.142 profissionais, sendo 981 analistas credenciados e 161 analistas licenciados.

    Bibliografia

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    5 comentários

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Angelo 16 de agosto de 2021

      Posso ter cnpi e ancord ao mesmo tempo?

      Responder
      • Alex C. G. 20 de novembro de 2021

        Não pode, CNPI ou ANCORD. Isso pode gerar conflito de interesse.

        Responder
    • Tayson 18 de agosto de 2021

      Graduação superior, seria somente bacharelado ou quem tem tecnólogo também pode fazer a prova para tirar essa certificação ?

      Responder
      • Alex C. G. 20 de novembro de 2021

        O tecnólogo também é válido.

        Responder
    • Ana Paula Arroio 13 de novembro de 2021

      Maravilha de curso.

      Responder