Acesso Rápido

    Como Luiz Alves Paes de Barros se tornou um dos maiores investidores do país?

    Como Luiz Alves Paes de Barros se tornou um dos maiores investidores do país?

    Um dos maiores investidores do Brasil, Luiz Alves Paes de Barros conquistou fortuna no mercado financeiro. Com um patrimônio próximo de 1.5 bilhões de dólares, ele construiu tal fortuna, colocando em prática algumas teses fundamentalistas, além de acertar em seus investimentos, como é o caso do Magazine Luiza.

    A trajetória de Luiz de Barros no mercado financeiro é de muito sucesso e de bastante foco. Ganhar dinheiro na renda variável não é uma tarefa fácil, mas é possível se inspirar nos grandes investidores e seguir algumas estratégias vencedoras no longo prazo.

    Como Luiz Alves Paes de Barros se tornou um dos maiores investidores do país?

    Tudo começou quando Luiz Alves Paes de Barros deu os primeiros passos na bolsa de valores, comprando um lote de ações do banco Comind aos 16 anos.

    Depois disso, o investidor se formou em economia na Universidade de São Paulo (USP). Com a experiência no mercado financeiro mais a graduação, Luiz conseguiu alinhar experiência com conhecimento.

    Anos a frente, Barros, junto de Luis Stuhlberger criaram a corretora Griffo. A corretora foi vendida anos depois para o Credit Suisse.

    Com os investimentos e a criação de negócios, o patrimônio de Barros foi ganhando corpo. Vale destacar que em paralelo a corretora Griffo, Barros criou um fundo chamado Poland. O fundo foi criado para a manutenção do seu patrimônio, da esposa e do filho.  

    Alaska Black

    Além de ser um grande investidor, Luiz Alves Paes de Barros também é conhecido como um excelente gestor. A fama como gestor vem do fundo Alaska Black e da própria Alaska Asset.

    Dentro do mercado financeiro nacional, a Alaska Asset é uma das melhores gestoras de fundo, tanto pela questão de performance quanto pela estratégia.

    Seguindo a cartilha do Value Investing, ele compra “barato” e vende “caro”, ou seja, ao identificar ações a um preço abaixo do seu valor, Barros compra. Quando o preço está saindo do seu “verdadeiro” valor e se tornando cada vez mais “caro”, ele vende.

    Ao colocar tal estratégia em prática, o fundo Alaska Black Institucional Fia, que foi fundado em 2017, vem conseguindo um retorno anualizado de aproximadamente 23%.

    Outra estratégia que Luiz Alves Paes de Barros coloca em prática em seus investimentos é a concentração. Tecnicamente, ao diversificar uma carteira, o investidor está abrindo mão de conseguir um retorno, visto que haverá diversos ativos em carteira.

    Quando Barros concentra os recursos em algumas opções de investimentos, uma eventual valorização de algum dos ativos é potencializada pela concentração.

    Se a estratégia de concentração, Luiz Alves Paes de Barros talvez não teria conseguido o retorno que conseguiu com Magazine Luiza (MGLU3).

    A grande sacada: Magazine Luiza (MGLU3)

    Dentre todos os investimentos que a gestora Alaska Asset fez ao longo dos anos, comprar ações da Magazine Luiza, foi aquela que mais rendeu frutos.

    Dentro da carteira Alaska Black, MGLU3 registrou ganhos acima de 500% somente em 2017. Devido à concentração que a carteira possui, os 500% de MGLU3 conseguiram influenciar muito no desempenho total da carteira.

    A análise de Luiz Alves Paes de Barros sobre as ações adquiridas pela Alaska Black consideram fundamentos, como:

    • Receita Líquida da empresa;
    • Endividamento;
    • Área de atuação da empresa.

    Ao avaliar tais pontos, a compra da ação se torna mais fácil e segura. Por isso, Barros abre mão da diversificação e concentra os recursos em poucas ações.

    Depois do sucesso de MGLU3, Barros realizou investimentos em empresas ligadas às commodities, como é o caso de Klabin (KLBN11), Suzano (SUZB3), Vale (VALE3) e Petrobras (PETR4).

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *