Acesso Rápido

    Análise Técnica: o que é? Entenda se vale a pena utilizar

    Análise Técnica: o que é? Entenda se vale a pena utilizar
    análise técnica

    Você alguma vez já ouviu o termo análise técnica? Esta é uma prática defendida por aqueles que gostam de especular com Day Trade.

    Apesar disso, a análise gráfica requer muito mais do que simplesmente passar os olhos em um gráfico. É necessário, antes de tudo, ter consciência de todos os riscos envolvidos no processo.

    O que é análise Técnica?

    A  análise técnica, também chamada análise gráfica, consiste em um método de análise de ações baseado na tentativa de identificar padrões e comportamentos de mercado, sobretudo através dos registros de movimentação do ativo em questão.

    Dessa forma, por meio do desempenho gráfico de determinado papel, o investidor toma suas decisões de investimentos.

    Seu princípio básico é determinar preços futuros de um ativo através da análise do histórico e comportamento gráfico dos preços desses ativos no passado. Fundado na ideia de que existem padrões que se repetem no mercado.

    O objetivo principal desse tipo de análise é detectar o comportamento da maioria dos investidores no momento atual, ou seja, se eles estão mais propensos a comprar ou a vender.

    Com isso, o investidor busca obter lucro observando as tendências dos preços, e comprando e vendendo ativos rapidamente.

    Como funciona a análise Técnica?

    As pessoas que buscam especular com a análise técnica acreditam que os preços seguem tendências bem definidas. Isto é, eles podem apresentam uma tendência forte à valorização ou à desvalorização.

    Os especuladores buscam, portanto, identificar essas tendências e segui-las de forma a lucrar tanto na compra quanto na venda.

    O grande problema com essa premissa é que muitas vezes os ativos se movem de forma irracional no curto prazo. É comum, em um mesmo dia, um ativo abrir em alta, virar para baixa, e no fim do dia fechar em alta novamente.

    Isto pode, muitas vezes, frustrar quem busca identificar um padrão de curto prazo nas negociações e dificultar a vida do especulador.

    Por exemplo: há tantas estratégias possíveis de serem utilizadas por meio da análise técnica, que é difícil identificar aquela que melhor se encaixa em um gráfico.

    E mesmo que haja uma boa estratégia, é comum ver as operações sendo encerradas com prejuízo. Aliás, é comum ver especuladores errando mais do que acertando em suas operações.

    Por isso, na análise técnica, quando o investidor acerta, ele precisa acertar o suficiente para cobrir suas perdas e para gerar o lucro.

    Existem dezenas de indicadores gráficos que os praticantes utilizam com bastante frequência, como por exemplo:

    Irrelevância do ativo

    Um dos pressupostos básicos da análise gráfica é de que as qualidades intrínsecas do ativo não são consideradas relevantes.

    Por exemplo: para um analista técnico, não importa se a empresa é endividada, pré-operacional, em recuperação judicial, ou extremamente lucrativa.

    O grande objetivo é lucrar com as variações de preços no curto prazo. Geralmente alguns dias, semanas ou meses. A análise gráfica pode ser utilizada para qualquer tipo de ativo, desde que tenha suficiente liquidez.

    Isto é, se este determinado ativo possuir um histórico longo de preços de mercado, então a análise técnica também poderá ser aplicada. Exemplos:

    Como surgiu a análise técnica?

    A análise técnica foi formada a partir de conceitos básicos obtidos da Dow Theory, uma teoria sobre os movimentos do mercado que surgiram mediante um estudo preconizado por Charles Dow.

    Dois pressupostos básicos podem ser destacados no que diz respeito a teoria Dow Theory, sendo:

    • O mercado considera todos os fatores que podem influenciar o preço de um ativo.
    • Os movimentos de preços de mercado não são puramente aleatórios, mas se movem em padrões e tendências identificáveis que se repetem ao longo do tempo.

    Apesar de bastante difundidos no mercado, é preciso que se fique bem claro que acreditar cegamente nesses argumentos podem significar um alto grau de risco no âmbito de um investimento em ações.

    Teoria do mercado eficiente

    Isto ocorre, pois, essas hipóteses se baseiam na ideia de que os preços estabelecidos sempre refletem a soma do conhecimento total de todos os participantes do mercado.

    O outro pressuposto que diz respeito à análise técnica, que relata a noção de que as mudanças de preços não são aleatórias, leva à crença de que as tendências do mercado, tanto de curto quanto de longo prazo, podem ser identificadas, permitindo que os operadores desse tipo de operação, em teoria, lucrem com o investimento de acordo com essa crença.

    Diante disso, não fica difícil perceber que esse tipo de análise apresenta muitos riscos, haja vista que as movimentações passadas dos preços dos ativos representam pouca relevância quando comparadas com os seus mais variados atributos fundamentalistas que fazem as empresas se destacarem em seus segmentos de atuação.

    Quais as diferenças entre análise fundamentalista e Técnica?

    Pelo estudo fundamentalista, os mercados não são eficientes já que os investidores têm acesso a diferentes informações. Por isso, são comuns situações onde o preço de determinada ação não reflita seu preço justo.

    Com base nisso, a análise fundamentalista busca determinar o valor intrínseco de uma ação, utilizando critérios como demonstrativos da empresa, análise do setor e a análise macroeconômica.

    Então, só após encontrar o preço justo de um determinado ativo é que o analista toma a decisão de compra ou de venda do papel.

    A análise gráfica, por sua vez, prioriza a relação estabelecida no gráfico de preços x tempo do ativo.

    O foco principal nessa análise é observar o comportamento do investidor no momento atual, ou seja, se a propensão é de compra ou de venda.

    Apoiado em uma análise da variação histórica de preços, o analista é capaz de determinar uma tendência provável para a ação no futuro.

    Dessa forma, baseado nessas informações, o investidor toma uma decisão de compra ou de venda do papel.

    Então, é possível observar claramente que a interpretação dos dados é bem diferente nessas duas metodologias de análises.

    Cuidados e riscos da análise técnica

    Apesar de muitas pessoas acreditarem no poder preditivo da análise gráfica, não existem muitos exemplos de pessoas que adquiriram fortuna desta forma e preservaram esta fortuna.

    No mercado financeiro, a análise gráfica costuma ser vista por muitas pessoas com certa desconfiança.

    Então, antes de adotar essa ferramenta como recurso para guiar sua tomada de decisão, é preciso conhecer os riscos envolvidos nesse tipo de operação.

    Por outro lado, é muito mais fácil encontrar adeptos do Value Investing que obtiveram sucesso investindo através da análise fundamentalista.

    Enriquecer no longo prazo é um jogo de soma zero?

    Pense em um aplicador do mercado de ações que tenha um horizonte longo de investimentos. Neste caso, este investidor se beneficiará dos dividendos originados a partir dos lucros da empresa.

    Note que estes lucros são criados no mundo fora da bolsa de valores, no mundo real. Assim, estes lucros não guardam nenhuma relação com as cotações de mercado.

    • A companhia está ganhando Market Share dos seus concorrentes?
    • Consegue aumentar os seus preços acima da inflação?
    • O endividamento está diminuindo?

    Estes três fatores ajudam a aumentar a lucratividade e geração de caixa ao acionista, permitindo assim distribuições de dividendos mais elevadas.

    E é claro que na proporção em que estes lucros cresçam, assim também crescerá o preço da ação. Se isto não fosse verdade, então os múltiplos de valuation (DY,P/L) ficariam cada vez menores.

    Assim, é natural que estes investidores que pensam como sócios estejam dispostos a adquirir as ações por preços cada vez maiores.

    A análise técnica, como diversos outros temas bastante controversos no mundo, sempre foi e sempre será defendida por seus praticantes, porém isso não desbanca que essa é uma modalidade que envolve muitos riscos e reais possibilidades de perda de capital em pequenos espaços de tempo.

    Você compreendeu como funciona a análise técnica? Ainda tem dúvidas, então deixe uma pergunta.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    3 comentários

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Leonardo 24 de maio de 2019

      Se a análise técnica é tão ruim e inferior ao exercício de futurologia utilizado pelos magos da valuation, não deveria ter certificação para esse profissional. Onde está a CVM para coibir essa prática tão danosa?

      Responder
      • Suno Research 5 de junho de 2019

        A análise técnica não é uma prática danosa. A existência de traders é algo essencial para o bom funcionamento do mercado. Sem eles o mercado não teria nenhuma liquidez. Uma pesquisa da FGV apontou que apenas 9% dos traders ganham dinheiro, os outros 91% são quem financia os preços baixos que possibilitam boa parte dos altos lucros dos magos do valuation.

        Responder
        • Marcus 15 de junho de 2020

          Esse estudo é específico de daytrade e não análise técnica.
          Esse artigo é bastante tendencioso e encontra conflitos em algumas argumentações.

          Na minha opinião as escolas são complementares. No que comprar e quando comprar. No que vender e quando vender.

          Responder