Acesso Rápido

    Aporte: o que é? Como funciona o aporte financeiro, mensal e de capital?

    Aporte: o que é? Como funciona o aporte financeiro, mensal e de capital?

    Tanto um investidor quando um empreendedor, costuma fazer aportes visando, principalmente, a rentabilidade. Isto é, um aporte financeiro ou de capital, pode ser feito para alavancar um negócio. Já um mensal, costuma ser realizado para alocar recursos nos investimentos, como comprar ações na bolsa ou ativos de renda fixa.

    Por isso, é fundamental saber como funciona cada tipo de aporte e suas características, além de compreender qual deve ser usado para cada tipo de situação.

    O que é aporte?

    Aporte é uma contribuição para um determinado objetivo, podendo ser social, financeiro, científico, entre outros.

    Ou seja, nos negócios e investimentos, aporte é a contribuição, com recursos financeiros, realizada por um investidor. Portanto, é uma atividade que faz parte do mercado financeiro, pois os investidores fazem aportes para aumentar o capital da carteira de investimentos e/ou aproveitar oportunidades na bolsa de valores.

    Isto é, disponibilizam seus recursos no presente em um ativo ou negócio, com o objetivo de receber, no futuro, uma remuneração por isto.

    Como funciona um aporte?

    Um aporte nos investimentos pode ser realizado para aumentar o capital alocado em um determinado ativo ou com o objetivo de maximizar a rentabilidade da carteira.

    Isto é, os investidores da bolsa de valores realizam aportes em empresas com capital aberto para se tornarem sócios de um negócio que já existe e obter rentabilidade, com o crescimento da empresa.

    Por outro lado, um aporte também pode ser realizado por empreendedores com a finalidade de investir e se tornar sócio de um negócio.

    Por exemplo, um empreendedor que faz um aporte financeiro em um negócio, está promovendo o crescimento e desenvolvimento da empresa, e assim poderá ter retornos financeiros quando tiver lucro.

    Quando a necessidade de um recurso extra surge, empreendedores buscam por quais são os tipos de aporte disponíveis no mercado. Afinal de contas, procuram quais as opções para levantar determinado dinheiro e conseguir, consequentemente, alavancar os negócios.

    Assim, destaca-se que o aporte pode ser conquistado de duas maneiras:

    • Aporte financeiro;
    • Aporte de capital.

    Quais são as características do aporte financeiro?

    aporte

    O aporte financeiro é uma alternativa de financiamento na qual o empreendedor busca uma instituição financeira habilitada para conceder crédito no mercado. Assim, procura um banco, por exemplo, em busca de recursos para seu negócio.

    Então, obviamente, existem contrapartidas imediatas para o empreendedor, que são os juros e as garantias. Nesse sentido, há, em primeiro lugar, a compactuação de um percentual de juros sobre o montante financeiro concedido e, segundamente, o estabelecimento de garantias.

    Isso porque, ao contrário de um investidor, a instituição financeira não participa da sociedade e do empreendimento do empreendedor. Com isso, ela não assume, em primeira instância, o risco do projeto, mas sim o risco do crédito concedido.

    E para reduzir esse risco de crédito, existem as garantias e os prazos de vencimento. Assim, quanto maiores as garantias, como imóveis da empresa, e menores os prazos, menos o risco da instituição credora. Neste caso, as taxas de juro são mais baixas.

    Já para os negócios pequenos, principiantes, que não possuem garantias para dar e que precisam de prazos maiores de financiamento, as taxas serão maiores. Afinal, os riscos da instituição que concede o crédito também são maiores; e, quanto maior o risco, maior o retorno exigido.

    Como obter um aporte financeiro?

    Para aqueles que desejam saber como obter um aporte financeiro, uma das alternativas é buscar informação com as instituições financeiras que podem conceder crédito no mercado, como os bancos de varejo.

    Neste caso, para conseguir mais informações e para conseguir comparar as ofertas das credoras, recomenda-se que o investidor já tenha alguns pontos definidos, como:

    Com essas informações, o empreendedor poderá conseguir mais informações dos credores sobre o custo do crédito a ser concedido. Assim, recomenda-se a comparação entre as taxas de cada instituição para determinar, por fim, onde obter o aporte financeiro.

    Investidor que realiza o aporte financeiro

    O investidor que realiza o aporte financeiro pode alocar o capital em um empreendimento ou nos investimentos, seja para buscar rentabilidade ou apenas aumentar a quantidade de recursos na carteira de investimentos.

    Dessa forma, os investidores podem alocar os recursos, por exemplo, em ativos atrelados na Taxa Selic (taxa básica de juros da economia), para formar uma reserva de oportunidade ou, até mesmo, reserva de emergência.

    No entanto, essa taxa, na maior parte das vezes, não é tão atrativa, para quem busca rentabilidades expressivas. Então, alguns os investidores preferem optar por oportunidades de negócios que possuam possibilidade de retornos mais atrativos.

    Nesse caso, os empreendedores podem olhar para diversos indicadores, como a TMA (Taxa Mínima de Atratividade), a fim de encontrar boas oportunidade.

    Neste sentido, a remuneração pelo aporte pode ser obtida de duas formas:

    • Pela participação societária e nos lucros futuros do empreendimento;
    • Pelo recebimento de juros pelo empréstimo de recurso ao empreendimento. 

    No primeiro caso, o investidor realiza determinado aporte e obtém em contrapartida apenas um percentual de participação no negócio que recebeu a contribuição. Nesta situação, espera-se que os lucros futuros do empreendimento sejam capazes de retornar o valor inicialmente investido e uma quantia de lucro.

    Já no segundo caso, o investidor realiza o aporte sem receber, em contrapartida, um percentual de participação societária. Na verdade, o seu ato é realizado com o objetivo de receber, em determinada data futura, o capital investido acrescido de um juros predeterminado por uma taxa prefixada ou pós-fixada.

    Empreendedor que recebe o aporte financeiro

    No outro ponto de vista, além daquele que realiza a contribuição, há também o empreendedor que recebe o aporte financeiro.

    Isto porque maximizar os lucros costuma ser o objetivo de grande parte das empresas. Por isso, em algum momento da sua trajetória, muitas delas buscam aporte financeiro de empreendedores, para crescerem e alavancarem seus negócios.

    Neste caso, na maior parte das vezes, a contribuição é realizada diretamente para uma empresa, onde o recurso pode ser utilizado para o empreendimento. Nesse sentido, destaca-se que o aporte financeiro pode ser obtido com diferentes objetivos, como:

    • Expandir o maquinário de produção;
    • Quitar dívidas realizadas no passado;
    • Aumentar o posicionamento geográfico;
    • Desenvolver um novo produto, serviço ou tecnologia.

    Com o recurso e conquistando, no futuro, o objetivo proposto ao procurar e receber o aporte, o empreendedor provavelmente será capaz de aumentar seus lucros. Com isso, poderá remunerar o seu investidor que realizou a contribuição de capital através de dividendos (parte do lucro) ou por meio de juros.

    Quais são os tipos de aporte de capital?

    Além do aporte financeiro, existe também a opção de conseguir no mercado um aporte de capital. Sendo que esse tipo de levantamento de recurso é, na maior parte das vezes, mais recomendado para empresas de pequeno e médio porte.

    Isso porque essas empresas, diferente das maiores, não são capazes, na maioria das vezes, de obter aportes financeiros através de empréstimos e financiamentos em bancos. Afinal, a falta de garantia e o maior risco do negócio fazem com que as taxas de juros oferecidas pelas instituições sejam muito altas, inviabilizando a operação.

    Com isso, outra alternativa é buscar pelo aporte de capital de investidores. Isso porque, diferente dos bancos, eles não irão cobrar taxas de juros, garantias e prazos de pagamento.

    Na verdade, a contrapartida para esses investidores é o recebimento de um percentual societário no empreendimento.

    Assim, ele injeta capital no projeto do empreendedor, viabilizando a alavancagem do negócio, e garante para si uma participação nos resultados e nos lucros futuros. Dessa forma, o empresário recebe o aporte e, do outro lado, o investidor consegue alocar e rentabilizar seu capital.

    Além disso, vale destacar que esse aporte pode ser realizado de algumas formas diferentes, dependendo da situação, que são:

    • Investidor anjo;
    • Venture capital;
    • Private equity.

    Investidor anjo

    A primeira, e talvez mais famosa, forma de obter um aporte de capital acontece através de um investidor anjo. Esses chamados investidores anjos geralmente são profissionais que têm ou que tiveram empresas de sucesso e que agora usam parte do seu patrimônio para alavancar negócios pequenos.

    Por isso, além do aporte de capital, esta figura credora oferece também ajuda com ajustes na gestão do negócio. Neste sentido, fornece conhecimento de mercado, e uma rede de relacionamentos ao empresário auxiliado.

    Além disso, vale destacar que os investidores anjos, de maneira geral, não costumam atuar sozinhos nos negócios.

    Na verdade, eles costumam formar grupos de até cinco investidores que irão aplicar no mesmo negócio, com o objetivo de mitigar riscos e de facilitar o auxílio ao empreendimento.

    Venture capital

    O venture capital é outra forma de obter um aporte de capital no mercado. No caso, esse tipo de recurso é realizado, na maior parte das vezes, por fundos de investimento e é destinado para empresas também de médio porte e com boas perspectivas de crescimento, principalmente startups.

    E assim como em um investimento anjo, aquele que realiza o aporte por meio de um venture capital se torna sócio e atua diretamente no negócio, oferecendo troca de experiências, rede de relacionamentos e profissionais qualificados. Além disso, o objetivo normalmente é de alavancar um produto ou serviço já existente para novos mercados

    Private equity

    Outra forma de aporte de capital é o private equity. Neste caso, diferente das outras formas previamente elencadas, o investimento é realizado em companhias já consolidadas e líderes de mercado.

    No caso, os fundos de investimento realizam essa alocação de capital através de private equity também se tornando sócio das empresas.

    Além disso, também é oferecido o know-how e as redes de relacionamento daquele que realiza o aporte, como forma de tentar alavancar os negócios e de aumentar os lucros.

    Como conseguir um aporte de capital? 

    Ao se tratar sobre o financiamento de empresas, a dúvida sobre como conseguir um aporte de capital acaba surgindo. Nesse sentido, é preciso ficar atento a alguns postos-chave que serão determinantes para o empreendedor receber, ou não, a injeção de capital. 

    Nesse sentido, alguns fatores que devem receber atenção e que são fundamentais para conseguir um aporte de capital são:

    • Potencial de retorno;
    • Organização da contabilidade;
    • Compliance;
    • Plano de negócios;
    • Rentabilidade.

    Isto é, os investidores costumam visar empresas com grande potencial de crescimento, entre elas as startups, mas também companhias de médio e grande porte. Assim, é essencial avaliar se os documentos contábeis estejam em dia, inclusive com o parecer de uma auditoria independente, que comprove a idoneidade das informações apresentadas.

    Já para empresas de médio e grande porte, sugere-se que estas tenham setores de compliance, os quais garantem mais segurança para os investidores em relação à ética e ao cumprimento dos deveres pela empresa.

    Esses pontos são fundamentais de estarem bem amparados ao buscar por um aporte financeiro. E neste sentido, destaca-se a relevância do aspecto contábil e fiscal da empresa. Este deve estar muito claro, apresentando regime de tributação, obrigações acessórias e uma série de informações que podem ser solicitadas pelos candidatos a investidores.

    Como fazer um aporte mensal nos investimentos?

    aporte

    O aporte nos investimentos é um assunto pesquisado com frequência, sobretudo pelos investidores iniciantes, os quais se sentem inseguros e sem experiência suficiente para realizar determinado aporte. Afinal, são diversas as opções de investimento no mercado.

    Dessa forma, as opções para fazer um aporte mensal nos investimentos são:

    • Ações de empresas da bolsa;
    • Cotas de fundos de investimentos;
    • Títulos públicos de renda fixa;
    • Títulos de renda fixa de crédito privado;
    • Criptomoedas.

    Com tantas opções disponíveis, investidores novatos costumam ter dúvida sobre onde fazer o aporte ou qual o melhor momento de fazê-lo. Mas para entender melhor sobre essas questões, é fundamental compreender quais são os tipos de aporte nos investimentos.

    Exemplos de aportes mensal nos investimentos

    Para tirar as dúvidas sobre o melhor momento de realizar a alocação de capital, recomenda-se que os investidores conheçam bem os exemplos de aportes nos investimentos. Assim, poderão tomar atitudes mais adequadas, levando em conta:

    • O objetivo do aporte;
    • O risco que se pretende assumir com o aporte;
    • A garantia desejada sobre o recurso que foi aportado;
    • O prazo desejado para recuperação do valor aportado.

    Destaca-se que esses pontos elencados não são tão simples e variam consideravelmente considerando o tipo de aporte. Por exemplo, se o aporte é em um investimento de renda fixa ou em renda variável.

    Aporte mensal em renda fixa

    O aporte na renda fixa é aquele que o investidor mais conservador procura priorizar. Isso porque, como o próprio nome diz, essa alocação de capital tende a garantir uma remuneração fixa, contratada no momento da aplicação.

    Esses aportes de renda fixa podem ser realizados em duas principais categorias:

    No caso dos públicos, o investidor empresta seu recurso para o governo; enquanto, nos privados, a contribuição é realizada em favor de entes privados (empresas).

    Apesar da simplicidade e segurança de possuírem uma remuneração predeterminada e conhecida pelo investidor, essa previsibilidade e menor risco possuem um custo. No caso, a rentabilidade oferecida nos aportes nesses investimentos são reduzidas. 

    Afinal de contas, quanto menor o risco, menor o retorno; e, quanto maior o risco, maior o retorno. Então, para aqueles que procuram por aportes com remuneração superior, uma sugestão é analisar as oportunidades de alocação de capital na renda variável.

    Aporte mensal em renda variável

    Para aqueles que procuram mais rentabilidade dos aportes em seus investimentos, uma opção é realizar esse aporte na renda variável. Isto é, nos investimentos listados em bolsa  e que possuem retorno, como o próprio nome diz, que varia de acordo com as cotações.

    Entre esses ativos estão, por exemplo:

    Assim, o investidor pode realizar aportes mensais na bolsa de valores alocando parte do capital em ativos apresentam rentabilidade variada. Porém, é fundamental avaliar o perfil de risco e objetivos antes de investir.

    Ou seja, existem investidores que fazem esse tipo de aporte em busca de maximizar a rentabilidade da

    No entanto, para aqueles que realizam aportes diversificados em diversos ativos do mercado de capitais, no longo prazo, os ventos sopram a favor. Afinal, como o risco é maior, a precificação e o resultado dos ativos, ao longo do tempo e de forma geral, é positivo.

    Não é à toa que, no mercado, escuta-se que a direção da bolsa de valores e dos ativos de renda variável no longo prazo possui apenas uma direção: para cima. Abaixo, é possível verificar a evolução, por exemplo, das ações no mercado norte-americano ao longo de 200 anos, sendo que o resultado, no Brasil, não seria diferente:

    Qual a importância dos aportes nos investimentos?

    aporte

    Depois de conhecer mais sobre as formas e sobre como funcionam as alocações de capital, muitos indivíduos podem se questionar, por fim, qual a importância dos aportes nos investimentos disponíveis no mercado.

    Neste sentido, podemos dividir a importância em duas frentes: de um lado, a importância para o mercado e para a economia como um todo; e, de outro, a sua necessidade para os indivíduos que investem

    Importância dos aportes para a economia

    A importância dos aportes para a economia como um todo é, por muitas vezes, subestimada pelos indivíduos. Isso porque, ao observar uma injeção de capital de fora, muitas pessoas podem pensar que ela só beneficia o empreendedor que recebe o recurso.

    No entanto, o impacto dos aportes financeiros vão muito além disso, sendo um ato que beneficia toda a humanidade. Em outras palavras, é uma contribuição que não apenas auxilia empreendedores em seus projetos, mas também corrobora com a evolução da sociedade. 

    Isso porque os aportes nas empresas são realizados para o desenvolvimento de projetos que, no final, serão oferecidos no mercado para as pessoas através de produtos e serviços. Por isso, é possível afirmar que só temos a disponibilidade de tantos bens no mercado devido a aportes financeiros realizados por investidores no passado.

    Sem essas injeções de capital, não teríamos hoje os meios de transporte disponíveis (carros, aviões), as tecnologias digitais (buscadores online gratuitos), as alternativas energéticas limpas (energia solar e eólica) e os meios de comunicação (celular, aplicativos de mensagem). Em outras palavras, não teríamos tantas facilidades do dia a dia disponíveis.

    Além disso, essas facilidades também não seriam tão acessíveis como são na atualidade. Afinal, existem aportes financeiros que são realizados com o objetivo de desenvolver tecnologias de produção mais eficazes, que reduzem os custos de produção e, consequentemente, os preços.

    Importância dos aportes para os investidores

    Depois de conhecer a necessidade da alocação de capital em empreendimentos na ótica dos ganhos para a economia e para a humanidade como um todo, alguns poderiam inferir que este é o principal objetivo e a maior importância dos aportes para os investidores. No entanto, isto não é correto.

    Na verdade, os ganhos de eficiência e de tecnologia que geram bem-estar para a economia e que são gerados pelos aportes são consequências, mas não o fim de uma alocação de capital. Isso porque, do lado daqueles que investem, o objetivo do aporte é o lucro.

    Então, caso tenha excelentes perspectivas de ganho de bem-estar para a sociedade, mas não tenha projeção de lucro, o aporte não será realizado. Afinal, por definição, os aportes financeiros em empresas não são considerados atos de caridade, mas de investimento.

    Isso significa que o investidor que realiza uma contribuição de seu recurso para um empreendimento deve observar, de alguma maneira, uma possibilidade de ganho financeiro futuro. E se engana quem pensa que esses investidores são, necessariamente, indivíduos que possuem muito dinheiro.

    Na verdade, praticamente qualquer pessoa com acesso à internet pode, na atualidade, ser um investidor e realizar um aporte financeiro. Afinal, com a democratização da bolsa de valores, os investimentos em ações têm se tornado cada vez mais acessíveis, podendo ser realizados a partir de poucos reais.

    Qual o melhor ativo para realizar o aporte?

    De um lado da moeda temos a empresa que busca aporte financeiro para fortalecer o seu negócio. Do outro temos o investidor que busca um meio de valorizar o seu dinheiro em médio ou longo prazo e que possui dúvida sobre qual o melhor ativo para realizar o aporte.

    Nesse sentido, é importante lembrar que o objetivo do aporte é obter, no futuro, mais capital do que o investido. Então, para evitar a perda permanente do capital inicialmente aportado é importante conhecer bem a empresa antes de decidir investir nela.

    Por isso, recomenda-se realizar uma análise fundamentalista da empresa onde será realizado o aporte. Alguns passos são:

    • Analisar as demonstrações contábeis;
    • Avaliar o preço que se paga pela participação societária;
    • Conversar com os stakeholders do negócio;
    • Entender o histórico da organização e conhecer o time de gestão.

    Mais um detalhe a se atentar: diferente de quando se investe para viver de rendimento através de renda passiva, ao fornecer aporte a um negócio, seja como investidor anjo ou não, a função de acompanhar a empresa é fundamental, de forma a garantir que o dinheiro aportado está sendo bem empregado ou não.

    Além disso, do lado daquele que recebe o aporte de capital, há uma pressão e responsabilidade muito grande. Afinal, o investidor que realiza a contribuição o faz com confiança no empreendedor e na sua capacidade de gerar resultados.

    Por isso, é fundamental que tanto o investidor quanto o empreendedor conheçam os tipos de aporte e utilizar cada um.

    Perguntas frequentes sobre aporte
    O que é um aporte financeiro?

    Por definição, o aporte financeiro significa subsídio ou contribuição. O termo é mais utilizado como uma contribuição financeira ou uma ajuda para um determinado fim, sendo bastante difundido no meio empresarial.

    Onde realizar o aporte?

    O investimento no qual realizar o aporte e a alocação de capital dependerá muito do objetivo, do prazo e do risco que o investidor procura. Algumas opções são realizar o aporte em uma startup, em uma ação da bolsa ou em uma aplicação de renda fixa.

    Como conseguir um aporte financeiro?

    Para conseguir um aporte financeiro é preciso, em primeiro lugar, convencer os investidores de que o negócio poderá se provar rentável, remunerando o capital alocado. Para isso, sugere-se que o empreendedor possua um modelo de negócio definido, uma projeção de resultados para o futuro e uma contabilidade organizada.

    Como contabilizar o aporte de capital?

    O aporte de capital é contabilizado no ativo com um crédito na conta caixa e equivalentes e, no passivo, com um débito na conta capital social. Assim, o patrimônio líquido da empresa se eleva, bem como o seu ativo.

    Qual o melhor momento para realizar o aporte?

    O melhor momento para realizar o aporte é naquele em que o investidor receberá a maior rentabilidade no futuro. No entanto, é praticamente impossível saber determinar qual é, exatamente, esse momento no universo de investimentos.

    Bibliografia sobre aporte

    1. http://www.idmc.org.br/wp-content/uploads/sites/72/2018/06/Guia-Private-Equity-e-Venture-Capital-IMMC.pdf
    2. https://bibliotecadigital.fgv.br/dspace;/bitstream/handle/10438/5025/1199902595.pdf
    3. https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/30815/30815.PDF
    4. http://jabconsult.com.br/wp-content/uploads/2013/10/IC-JABConsult-Aporte-de-Capital-1.pdf
    5. http://dspace.insper.edu.br/xmlui/bitstream/handle/11224/1775/Klauss%20Hass_Trabalho.pdf?sequence=1
    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *