Acesso Rápido

    Alta do dólar: entenda como ela afeta a vida dos brasileiros

    Alta do dólar: entenda como ela afeta a vida dos brasileiros

    A alta do dólar é tema recorrente do dia-a-dia, presente na maior parte dos noticiários televisivos e jornais. Mas nem sempre a forma como a variação do dólar impacta a vida do brasileiro comum fica evidente.

    A alta do dólar em relação à moeda brasileira pode afetar desde as coisas mais simples, como o preço do pão, até mais complexas como a atividade exportadora, o mercado financeiro e o PIB do Brasil.

    O que é alta do dólar?

    A alta no dólar consiste no aumento do preço do dólar frente ao real. Dessa forma, o preço do dólar em reais, ou seja, sua a cotação, é definida pela relação de oferta e demanda entre a moeda americana e a brasileira. Dessa forma, quando há uma maior procura de dólares no Brasil, há uma alta no dólar.

    O mercado de câmbio no Brasil, funciona sobre o regime de câmbio flutuante, portanto, em tese não há intervenção alguma nesse mercado. Esse regime faz com que a cotação do dólar varie livremente apenas sob a lei de oferta e demanda entre a moeda americana e a brasileira.

    E-book: Investindo no Exterior

    Descubra como investir nas melhores empresas e ativos do mundo com o nosso ebook gratuito de Investimentos no Exterior!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Quais os motivos da alta do dólar?

    Vários fatores podem influenciar o aumento do dólar. Há fatores mais comuns, como por exemplo, gastos de turistas brasileiros no exterior. Visto que, para haver esses gastos, os turistas brasileiros compraram dólar e venderam reais.

    No entanto, outros fatores de caráter mais estrutural também influenciam na desvalorização do real, como saldo negativo da balança comercial.

    Esse resultado ocorre quando há mais importações do que exportações. Ou seja, mais moeda estrangeira saiu do país do que entrou.

    Além disso, o nível da taxa básica de juros, tanto americana quanto brasileira, também influenciam a cotação do dólar. Visto que, quando a taxa de juros no Brasil cai ou nos EUA sobe, fica menos vantajoso investir no Brasil.

    Sendo assim, os investimentos que estavam no Brasil acabam migrando para fora do país. Quando esse movimento ocorre, há venda de reais e compra de dólar, o que gera uma alta na cotação.

    No entanto, em períodos de crise ou forte especulação contra o real, o governo brasileiro costuma intervir para controlar o mercado de câmbio. Essa intervenção é realizada para impedir uma valorização ou depreciação excessiva, tendo como nome flutuação suja do câmbio.

    Quais são as consequências do dólar alto na economia brasileira?

    As consequências da alta do dólar também chegam à microeconomia, uma vez que a moeda também está presente nas transações financeiras brasileiras.

    Por exemplo: se o governo ou empresários têm empréstimos nessa moeda e há uma valorização da cotação, a dívida ficará maior em moeda nacional.

    Além disso, empresas que necessitam de insumos provenientes do estrangeiro também são prejudicadas, uma vez que elas devem optar por passar os maiores custos de produção para o consumidor (o que pode diminuir as vendas) ou diminuir sua margem.

    Contudo, a desvalorização do real não é sempre um fator negativo, principalmente em âmbito da macroeconomia.

    Por exemplo, quando há uma apreciação da moeda americana em relação ao real, isso acaba por beneficiar o setor exportador. Isso ocorre porque o produto brasileiro fica mais barato em moeda americana, o que tende a levar a um aumento nas vendas lá fora.

    Além disso, o real mais barato estimula o setor de turismo, pois turistas estrangeiros acham mais interessante vir ao país por conta dos menores custos.

    Minicurso: Valuation e Precificação de Ativos

    Inscreva-se no nosso minicurso gratuito de Valuation e aprenda os principais conceitos sobre como avaliar ativos e empresas do jeito certo!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Quais os impactos da Alta do Dólar no dia a dia?

    Apesar do dólar não ser a moeda corrente no Brasil, seu valor em reais possui um impacto direto na vida de todo consumidor brasileiro.

    Sendo assim, ele ocorre, sobretudo, porque uma parte relevante dos produtos ou é importada ou têm alguma relação com produtos importados.

    Dessa forma, quando a moeda americana está alta, a tendência é que isso gere inflação na economia brasileira.

    A relação dos produtos consumidos no Brasil com o dólar é mais estreita do que aparenta. Por exemplo: o pão que a maioria dos brasileiros consome todos os dias é produzido por aqui.

    Entretanto, o trigo, que é um insumo básico para a produção dos pães, é importado. Dessa forma, uma valorização do dólar pode acarretar na alta do preço do pão para o consumidor final.

    Além disso, há outros casos nos quais essa relação é mais direta, como nos produtos eletrônicos, como celulares e computadores: esses itens são produzidos no exterior e o produto final é importado pelo Brasil.

    Por fim, o preço da gasolina é outro fator que sofre influência do dólar, pois o valor varia de acordo com a variação da cotação internacional do barril de petróleo e com a variação do dólar.

    Dessa forma, quando há um aumento no dólar, esse aumento será repassado no preço final da gasolina nos postos de abastecimento.

    Qual a influência do dólar alto nos investimentos?

    De fato, outro ponto positivo pode ser em relação aos investimentos realizados no Brasil oriundos do exterior: a valorização do dólar em relação ao real deixa a moeda brasileira mais barata.

    Sendo assim, investidores de outros países podem investir em empresas brasileiras com mais segurança, fazendo com que a alta do dólar nos investimentos seja algo positivo.

    Por outro lado, o investidor brasileiro que deseja investir no exterior também pode se beneficiar da valorização da moeda americana, pois seus investimentos podem valorizar com o aumento da cotação das empresas e por conta do câmbio.

    Dessa forma, o investidor pode conseguir uma boa valorização com seus ativos, desde que escolha bem sua carteira de investimentos e pense em aplicações de longo prazo.

    No entanto, é preciso avaliar, de acordo com o valor do dólar, se vale mais a pena investir em ativos no Brasil ou no exterior: em momentos de baixa, pode valer a pena investir em território brasileiro.

    Entretanto, é importante avaliar cada situação para que se chegue à conclusão adequada a respeito de qual é a melhor opção.

    Esse artigo ajudou você a entender como a alta no dólar impacta a vida dos brasileiros? Deixe suas dúvidas e comentários abaixo.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    9 comentários

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Gleicy Kelly Martins Ribeiro 21 de março de 2020

      Gostaria de explicações para a queda do dólar. Desde já grata

      Responder
      • Antonio Costa 29 de abril de 2020

        O inverso do que foi dito

        Responder
    • André Azevedo Jr. 27 de março de 2020

      Em 9 de março de 2020, fui a uma palestra na FGV em que o palestrante dizia que a Redução da Taxa Selic influencia na queda do dólar.
      Queria muito entender isso !

      Responder
      • Adriane 15 de maio de 2020

        A taxa Selic nada mais é do que a taxa básica de juros definida pela Banco Central. Ela é importante porque define a taxa mínima de juros cobrada pelos bancos para realizar empréstimos no país, com a taxa mais alta, as pessoas são desestimuladas a pegar empréstimos e o dinheiro em circulação é menor, em contrapartida, se a taxa está baixa, há maior número de empréstimos e com mais dinheiro em circulação os bens de consumo perdem o valor, gerando a desvalorização do real.

        Responder
        • Adriane 15 de maio de 2020

          Na prática, o que ocorre não é a valorização do dólar e sim a do real em relação a ele.

          Responder
    • Bruno Freitas 27 de maio de 2020

      Maravilhoso texto!

      Responder
      • Sérgio 26 de junho de 2020

        Nesse caso Adriane, a taxa selic só influenciaria em maior escala a desvalorização ou valorização da moeda pela entrada ou saída de investimentos pela atratividade do juros, apenas neste contexto.

        Sérgio Murilo

        Responder
    • Genival Júnior 8 de julho de 2020

      Excelentes informações repassadas de maneira técnica, clara e imparcial

      Responder
    • Edmundo 20 de setembro de 2020

      MUITO SIMPLES E DIRETO! ÓTIMO

      Responder