Acesso Rápido

    PIX: saiba como usar esse sistema de pagamento instantâneo

    PIX: saiba como usar esse sistema de pagamento instantâneo

    Grande parte das pessoas que já realizaram transferências eletrônicas, como um TED ou um DOC, já se perguntaram o porquê de tantas restrições para realizá-las. Pensando nisso, o Banco Central anunciou em 2020 a criação do PIX, método de pagamento que promete revolucionar o jeito que o brasileiro movimenta seu dinheiro.

    Isso porque o PIX moderniza – e muito – o modo como as transferências acontecem na economia. Afinal, o novo sistema rompe diversas restrições que antes existiam e que atrasaram as transferências em relação à realidade dinâmica do século 21.

    O que é o PIX?

    O PIX é um sistema de pagamentos que permite que transferências e liquidações de contas aconteçam instantaneamente, em tempo real. Além disso, o sistema também permite que as transações sejam efetuadas a qualquer hora do dia, durante todos os dias da semana.

    Por conta disso, o pagador e o beneficiário do sistema PIX não precisam se limitar aos horários comerciais das transações tradicionais. Em outras palavras, não é necessário adequar-se à famosa regra “de segunda a sexta, das 7h às 17h” para que haja uma compensação bancária.

    Planilha da Vida Financeira

    Coloque suas finanças em ordem! Baixe gratuitamente nossa planilha e aprenda a planejar todas as etapas da sua vida financeira da melhor forma!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Além disso, o novo sistema de pagamentos instantâneos lançado pelo Bacen em fevereiro de 2020 também traz novas tecnologias importantes. Este é o caso, por exemplo, da possibilidade de pagamento por aproximação e por QR Code.

    Essa nova possibilidade de pagamento, inclusive, pode possibilitar um ganho tanto para empresas, especialmente do comércio, como para clientes. Visto que o pagamento direto, a tendência é que haja uma queda nos custos de transação e potencialmente nos preços. Mesmo para quem nem sabe ainda o significado de PIX, esse sistema já se tornou muito atrativo para o comércio.

    O lançamento do PIX pelo Banco Central é um marco no sistema financeiro brasileiro — pois, na prática, ele irá reduzir de forma drástica os custos de transação que os clientes bancários possuíam no Brasil. Além disso, a facilidade para realizar operações como transferências interbancárias facilita o acesso a uma boa parte da população.

    Esse sistema será ofertado pelas instituições financeiras com carteira de clientes superior a 500 mil correntistas. Dessa forma, a maior parte dos bancos e mesmo das fintechs poderão oferecer esse serviço para seus clientes. Esses bancos precisam se regularizar junto aos bancos para realizar essa oferta e após isso basta aos clientes interessados realizar o cadastro do PIX.

    Como funciona o PIX?

    Depois de saber o que é o novo sistema de pagamento lançado pelo Bacen, muitos também ficam com curiosidade em saber como o PIX funciona. Afinal, ele promete funcionalidades que antes não eram disponíveis no universo de pagamentos do brasileiro.

    Sendo comparado até mesmo com um chat do WhatsApp, o PIX será um novo método de pagamento que deve ser disponibilizado pelas instituições financeiras em seus apps. E a ideia é que o sistema seja extremamente prático, rápido e popular entre as pessoas.

    Ao realizar um pagamento ou uma transferência para alguém pelo PIX, o dinheiro entrará na conta do favorecido instantaneamente, independente das pessoas terem conta na mesma instituição financeira. Além disso, a efetivação da transferência poderá ser feita por QR Code e autenticada por biometria ou até reconhecimento facial.

    Vale destacar, ainda, que o PIX foi inspirado no RTP (Real-time Payment), um sistema de pagamentos em tempo real lançado nos Estados Unidos em 2017. Desde então, diversas instituições financeiras, incluindo os grandes bancos, oferecem o sistema para os norte-americanos.

    Um ponto importante sobre o funcionamento do PIX é que para realizar transferências é necessário que ambas as partes da transação possuam a chave do PIX cadastrada. Ou seja, caso uma pessoa possua PIX e outra não, essas duas pessoas não podem realizar transferências entre si.

    Essa mesma lógica vale para estabelecimentos comerciais. Portanto, uma loja ou restaurante pode criar uma chave PIX e, portanto, receber os pagamentos dos seus clientes que também possuem o cadastro a partir dessa meio de transação financeira.

    Até mesmo entidades governamentais poderão realizar o cadastro da chave PIX e receber seus impostos a partir de pagamento com PIX. Nesse caso, prefeituras, governos estaduais e a Receita Federal poderão receber pagamentos de impostos como IPTU, IPVA, Imposto de Renda, dentre outros, por meio dessa chave de pagamentos.

    Quais são as características do PIX?

    PIX

    O PIX é uma forma de realizar operações financeiras que possui características bem específicas. Dentre as principais características desse sistema de transações bancárias são as seguintes:

    • Rapidez;
    • Facilidade;
    • Custo baixo.

    Como apresentado, as transações via PIX são realizadas de forma imediata e, portanto, se tornam a formam mais rápida de realizar um pagamento ou fazer uma transferência interbancária.

    Nesse mesmo sentido, o fato das chaves PIX terem uma sequência de números específicas facilita para que a realização de transferência. Diferente de um DOC ou TED, nos quais era necessário informar uma quantidade maior de dados pessoas para efetivação da transação.

    Além disso, a isenção de tarifas para transferências interbancárias não era algo disponível em todas as instituições financeiras e em muitos casos era restrita a uma classe de clientes.

    Uma característica marcante do PIX é o custo baixo, ou seja, as pessoas e empresas que realizam esse tipo de transferência e mesmo pagamentos terão custos de transação substancialmente menores.

    Além dessas características principais, a disponibilidade do PIX também se diferencia dos demais tipos de transações financeiras. Esse sistema funciona 24 horas por dia, 7 dias por semana. O sistema funciona ainda durante finais de semana e feriados, o que facilita a efetivação de transferência e inclusive de pagamentos em estabelecimentos comerciais.

    Além disso, o fato de poder ter seu cadastro realizado por diferentes tipos de instituições e pessoas favorece esse sistema. Como tanto pessoas física, pessoas jurídica e até mesmo órgãos públicos podem realizar e receber esse tipo de transação a tendência é que esse seja em pouco tempo o mecanismo de transação financeira mais utilizado no mercado.

    De certa forma, as instituições financeiras passaram a investir bastante na digitalização dos seus serviços. Esse movimento facilitou a adaptação das instituições financeiras a esse novo modelo de transações e dada a atratividade do PIX, mais usuários tendem a migrar para os serviços bancários de forma digital.

    Quais são as diferenças entre TED, DOC e PIX?

    Antes do lançamento do PIX, as principais formas de realizar transferências bancárias eram por meio de TED ou DOC. A primeira grande diferença entre o PIX e o TED ou DOC é referente aos custos que cada operação possui. Enquanto, na maior parte dos casos o custo do PIX é zero ou reduzido, a tarifa para realização de uma transferência por TED ou DOC podia chegar a R$ 20.

    Além disso, os prazos para efetivação de uma transferência por intermédio de DOC ou TED poderia variar muito. No caso do DOC esse, em geral, costumava cair na conta do destinatário apenas no fim do expediente. Já no caso da TED, o prazo para efetivação da transferência poderia variar entre 15 minutos e 2 horas para ser de fato efetivada.

    No caso do PIX essa transferência cai automaticamente na conta do destinatário. Além disso, o funcionamento do PIX é de 24 horas por dia durante 7 dias na semana. Portanto, não existem restrições para horários de transferência como é o caso dos demais tipos de transferência interbancária, isso é um facilitador para realização de pagamentos ao longo do dia.

    Apesar das facilidades do PIX em relação à TED e DOC, é importante ressaltar que cada chave PIX só pode ser cadastrada em uma única instituição bancária. Dessa forma, mesmo que uma pessoa possua uma série de contas corrente em diferentes bancos comerciais, ele terá que cadastrar cada chave PIX disponível em cada uma das suas contas bancárias.

    Portanto, é importante estar atento no momento de informar a chave PIX que deseja receber uma transferência ou pagamento. Em alguns casos, o usuário pode pensar que está enviando a chave para receber em determinado banco e a quantia esperada chegar em outra instituição financeira diferente. Apesar dessa questão, o PIX ainda se apresenta como uma forma mais simples de realizar esse tipo de transferência.

    Quem pode fazer um PIX?

    PIX

    Como o PIX ainda é uma novidade no mercado bancário, uma das perguntas que podem surgir é quem pode fazer um PIX?

    Essa resposta é bem ampla e, ao mesmo tempo, simples. Na prática, qualquer pessoa física ou pessoa jurídica podem fazer um PIX. Além disso, estabelecimentos comerciais, empresas públicas e até mesmo a Receita Federal poderão fazer parte desse sistema.

    Dessa forma, no caso das pessoas física e jurídica para fazer um PIX é necessário possuir uma conta-corrente em uma instituição financeira que disponibiliza esse sistema de pagamentos. A maior parte das instituições não cobram taxas das pessoas físicas para utilização desse sistema, no caso das pessoas jurídicas essas cobranças podem ocorrer de acordo com a política do banco.

    Os estabelecimentos comerciais também poderão fazer e principalmente receber um PIX. No caso de lojas, restaurantes e comércio em geral, esses poderão receber seus pagamentos via PIX em tempo real. A criação do PIX, inclusive, deve favorecer esse setor da economia, visto que possibilitará diminuir os custos dos lojistas com taxas de maquininhas de cartão de débito e crédito.

    O setor público também fará parte do sistema integrado do PIX. Nesse sentido, será possível também fazer um PIX para pagar impostos e até mesmo taxas, como a taxa de emissão de passaporte, por exemplo. No caso de impostos municipais e estaduais, o pagamento desses por PIX irá depender do cadastro das prefeituras e governos estaduais das chaves para receber esses pagamentos.

    Além dessas despesas, as contas de consumo, como luz, água, telefone e gás também poderão ser pagas via PIX. Esse sistema, portanto, tende a facilitar o processo como um todo nesses casos, visto que o pagamento do boleto sem o PIX pode demorar a cair na conta do destinatário e alguns clientes desses serviços podem sofrer com esses transtornos.

    Quais instituições aceitam o PIX?

    A quantidade de instituições que aceitam o PIX é bastante extensa. No caso das grandes instituições financeiras, como é o caso do Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Itaú e Bradesco, a disponibilidade do PIX é obrigatória. Todavia, estima-se que além das instituições maiores, há ainda mais de 700 bancos e fintechs que já ofertam o PIX para seus clientes.

    As instituições financeiras que possuem mais de 500 mil clientes em sua carteira foram obrigadas pelo Banco Central a ofertar esse tipo de serviço. Na prática, essa obrigação visa fazer com que a oferta do PIX chegue ao maior número de clientes possíveis dentro do mercado bancário, visto que esses bancos respondem pela maior parte dos correntistas no Brasil.

    As demais instituições podem optar entre oferecer o PIX ou não. Todavia, com o grande sucesso que esse sistema de pagamentos do Banco Central teve nos primeiros meses, a maior parte dos bancos decidiram por ofertar esse serviço, dado que a não oferta levaria provavelmente a uma redução no tamanho da carteira de clientes e no volume de negociação.

    Além das instituições financeiras convencionais, alguns estabelecimentos que ofertam serviços de crédito e fidelidade também cadastraram esses braços financeiros do PIX. PicPay, Ame Digital e RecargaPay são empresas que já aceitam PIX nos seus pagamentos.

    Dessa forma, quem possui PIX e utiliza esses sistemas de pagamentos ou programas de fidelidade como a Ame Digital já pode utilizá-los a partir do PIX.

    Contudo, a lista de quais instituições aceitam o PIX é ainda mais extensa. Ela já conta com cooperativas de crédito de diferentes localidades do país, bem como outras empresas financeiras. Além disso, cada vez mais será possível ver o aumento da aceitação de pagamentos por intermédio do PIX.

    Há ainda uma série de outras empresas que estão passando pelo processo de aprovação para aceitarem o PIX. Dessa forma, a tendência desse mercado é de expansão para todas as empresas financeiras.

    Como se cadastrar no PIX?

    pix

    Para se cadastrar no PIX o primeiro pré-requisito é possuir uma conta-corrente em uma das instituições financeiras autorizadas a executar esse sistema. A partir disso, o cliente deverá acessar os canais de atendimento do seu banco e cadastrar a sua chave PIX conforme as instruções do banco em questão.

    A maior parte dos bancos permite que esse cadastro seja realizado através dos seus canais digitais de atendimento. Dessa forma, o modo mais simples de realizar o cadastro da chave PIX é acessar o aplicativo ou o site do banco em que possui a conta-corrente e seguir os passos indicados.

    Na realização do cadastro no PIX, serão geradas uma ou mais chaves para os clientes que se cadastrar no sistema. Essa chave poderá ser tanto com número de dados pessoais como CPF, telefone e e-mail. Além dessas chaves é possível também cadastrar uma chave com um número aleatório, essa é inclusive a opção mais indicada para quem recebe muitas transações.

    Vale lembrar que no caso das chaves cadastradas, as que contam com e-mail e telefone necessitarão de uma confirmação que deve ser enviada para o número ou e-mail cadastrado. Além disso, o BACEN ressalta que essas confirmações são realizadas com o envio de um código por SMS ou por e-mail, ou seja, não há possibilidade de receber uma ligação para confirmar.

    Essa informação do Banco Central é justamente para prevenir fraudes, visto que esse ainda é um sistema novo é comum as pessoas não terem todas as informações sobre o processo. Dessa forma, no momento de realizar o cadastro PIX é importante estar atento às formas corretas de comunicação para confirmar o cadastro junto à instituição financeira.

    Em geral, o cadastro é realizado de forma simples pelos clientes e costuma demorar apenas poucos minutos. Nos casos em que o cliente tenha dificuldades, é recomendável entrar em contato diretamente com o banco e esclarecer as dúvidas necessárias.

    Como funcionam as chaves do PIX?

    chave pix

    As chaves PIX são a identificação de cada usuário para se cadastrar no sistema PIX. Esse cadastro pode ser realizado através de alguns tipos de chaves, sendo que as principais estão ligadas à dados pessoais. São os casos das chaves com o número do CPF, telefone ou e-mail.

    Essas chaves são o código para os usuários do PIX receberem pagamentos e transferências. Dessa forma, caso o usuário precise receber alguma quantia, basta informar uma das chaves PIX cadastradas e a outra pessoa poderá realizar um PIX para esse usuário utilizando apenas o código da chave informada.

    No lançamento do PIX pelo BACEN, a chave PIX foi tratada como sendo um apelido dos usuários do sistema. Todavia, vale a pena ressaltar que a chave PIX é única, portanto, cada chave só pode pertencer a uma conta.

    Chave aleatória

    Uma das chaves disponíveis para cadastro é a chave aleatória. Nessa chave o sistema irá gerar uma sequência de números e letras, e essa chave poderá ser informada para receber transferências e pagamentos via PIX.

    A chave aleatória é inclusive a chave recomendada a ser cadastrada para a maioria dos casos. Visto que essa é a única chave que não está diretamente ligada a um dado pessoal, visto que caso a chave PIX seja o CPF, o usuário dessa chave terá que informar o número de um documento pessoal para um terceiro.

    Portabilidade da chave PIX

    Cada chave PIX pode ser cadastrada em apenas uma instituição financeira. Todavia, caso o cliente deseje trocar a sua chave PIX de uma instituição financeira para outra, basta ele realizar a portabilidade da chave PIX.

    Essa portabilidade funciona de forma similar à portabilidade de salário de um banco para outro. Para efetuar a portabilidade, basta acessar os canais de atendimento da instituição financeira para a qual a pessoa deseja transferir o PIX e realizar os procedimentos indicados para essa portabilidade. O processo é bastante similar ao cadastro da chave PIX.

    Quantas chaves é permitido registrar no PIX?

    A quantidade de chaves PIX que cada usuário pode cadastrar também é fruto de muitas dúvidas entre os usuários do sistema. Além disso, as pessoas têm dúvidas sobre poder cadastrar chaves em diferentes bancos e que informações é necessário informar para receber um PIX.

    Com relação à quantidade de chaves, para pessoas físicas o limite de chaves disponíveis é de cinco chaves. Já no caso das pessoas jurídicas é possível cadastrar um número de até 20 chaves. Esse fator ocorre porque as pessoas jurídicas muitas vezes possuem contas em diferentes bancos.

    Nesse sentido, vale ressaltar que cada chave PIX só pode ser cadastrada em um banco. Dessa forma, uma pessoa física que possua cinco contas-correntes, terá que cadastrar cada uma das suas chaves PIX disponíveis em cada banco. Dessa forma, é importante organizar bem qual chave está cadastrada em cada banco para não incorrer em enganos.

    Entre essas chaves possuem algumas possibilidades, além da chave aleatória é possível cadastrar o CPF, CNPJ, telefone e e-mail. A forma de confirmação de cada uma das chaves disponíveis pode variar.

    No caso do CPF a confirmação dessa chave costuma ser feita a partir da leitura de um QR Code pelo próprio sistema da instituição financeira. Visto que o CPF é um documento previamente cadastrado.

    Já nos casos das chaves com número de telefone e e-mail, o procedimento padrão é o envio de um código de confirmação para os canais de comunicação cadastrados pelo cliente. A partir desse código o usuário poderá então ativar o cadastro da chave PIX em questão.

    Independente da chave informada, quando alguém digitar a chave PIX para realizar uma transferência para outra pessoa, aparecerão alguns dados. Entre esses dados estão: nome completo, seis dígitos do meio do seu CPF e a instituição financeira na qual aquela chave PIX foi registrada.

    Planilha de Orçamento Familiar

    Como anda a organização das suas contas? Baixe gratuitamente nossa planilha de Orçamento Familiar e melhore o planejamento financeiro da sua família!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Como usar o PIX?

    Entender como fazer um PIX é simples. As formas de utilização do PIX são variadas: é possível utilizar desde operações simples como uma transferência para um amigo até o pagamento de boletos de cobrança, contas de consumo, impostos entre outros.

    O Banco Central estima que no futuro será possível realizar até mesmo transferências internacionais a partir do PIX.

    Pagamento

    Uma das formas que tendem a ser mais usadas pelo PIX é na realização de pagamento pelo PIX situações do dia-a-dia. É possível pagar contas em restaurante, compras em lojas entre outras coisas a partir do PIX. Mas ainda há uma série de dúvidas pelos usuários sobre como fazer pagamento pelo PIX.

    Para aprender como pagar pelo PIX existem duas formas. A primeira é o comerciante informar a chave PIX do estabelecimento e a segunda é ele gerar um QR Code e a partir da leitura desse QR COde o cliente realizar o pagamento.

    Transferência

    A transferência é a função mais utilizada pelos usuários do PIX no início da operação desse sistema, portanto, é interessante aprender como transferir com PIX. A transferência com PIX é realizada a partir das chaves PIX, ou seja, uma pessoa ou empresa informa para outra a sua chave para receber a transferência via PIX.

    Vale lembrar que a transferência via PIX do Banco Central difere bastante das transferências que são realizadas via TED ou DOC. Nesse caso, as transferências podem ser realizadas todos os dias em qualquer horário. Além disso, elas não possuem tarifas bancárias.

    Cobrança

    O pagamento de cobranças também é uma forma de utilização do PIX. Os usuários poderão pagar contas de consumo, boletos, impostos a partir da sua chave PIX. Nessa modalidade as empresas prestadoras de serviços precisam realizar o cadastro também.

    Todavia, já estão disponíveis via PIX o pagamento de algumas taxas públicas, como a taxa para emissão de passaporte, por exemplo. As empresa de luz, água e telefonia tendem a possibilitar esse tipo de pagamento ao longo do tempo.

    QR Code

    PIX

    O pagamento via QR Code é mais utilizado por estabelecimentos comerciais, visto que facilita o pagamento dos clientes via PIX. Um usuário pessoa física caso deseje também pode gerar um QR Code para receber uma transferência, por exemplo.

    Existem dois tipos de QR Codes disponíveis para utilização: o QR Code estático e o QR Code dinâmico. O primeiro possui informações fixas e é mais indicado para venda de produtos específicos, já o segundo pode ter o valor e outras informações alteradas.

    NFC (Near Field Communication)

    Apesar de ainda não estar disponível no PIX, o Banco Central trabalha para permitir que os usuários realizem pagamentos a partir do Near Field Communication: esse seria o pagamento por PIX por aproximação. Essa medida facilitaria os pagamentos realizados no comércio via PIX.

    Vale lembrar que essa solução já é utilizada no Brasil por alguns bancos, especialmente para pagamentos em valores pequenos. Em geral, por questões de segurança esse tipo de pagamento costuma ser restrito a um limite baixo.

    Quais as vantagens do PIX?

    Como esse é um novo método de pagamento, é preciso saber quais as vantagens do PIX. Afinal, o sistema chega ao mercado justamente prometendo ser melhor que as formas tradicionais de pagamento e de transferências.

    As principais vantagens do PIX são:

    1. Menores restrições
    2. Maior velocidade nas transações
    3. Mais segurança
    4. Custo menor
    5. Mais praticidade
    6. Redução de prazos

    1. Menores restrições

    A primeira e principal vantagem que tem sido atribuída ao PIX é o fato de as transferências e pagamentos realizados por ele não terem restrições de horários. Isso significa que será possível fazer uma transferência fora do horário comercial, bancário ou horário da bolsa, o que antes não era possível.

    Em outras palavras, a população poderá transacionar 24 horas por dia, 7 dias por semana, mesmo em um domingo de manhã ou de madrugada. Sem dúvida essa novidade modernizar e adapta o sistema de pagamentos à realidade dinâmica dos dias de hoje.

    2. Maior velocidade nas transações

    Outra grande vantagem do PIX é a velocidade com a qual ele irá concluir as transações. Nesse sentido, a promessa e o número que o Bacen tem divulgado é de apenas 10 segundos para a efetivação dos pagamentos e transferências.

    Para se ter uma ideia, hoje um TED possui um tempo máximo de efetivação de uma hora e meia. Isto, sem dúvida, já deve ter prejudicado muitas pessoas que precisavam realizar uma transação de maneira imediata.

    3. Mais segurança

    Em terceiro lugar, outro ponto que tem sido divulgado a respeito do PIX é a maior segurança que ele vai trazer para o universo de transações bancárias. Afinal, permitirá que pagamentos sejam feitos, por exemplo, por meio de QR Code.

    O Bacen tem divulgado, inclusive, que o sistema PIX terá suporte para pagamentos por aproximação, e com a autenticação biométrica ou de reconhecimento facial. Isto, sem dúvida, tende a reduzir a quantidade de erros e fraudes.

    4. Custo menor

    Outro aspecto que vem sendo reforçado em relação ao PIX é o menor custo que ele terá. Nesse sentido, apesar de as tarifas serem definidas pelas instituições financeiras com seus clientes, o Bacen reforça que o custo de uma operação com o novo sistema será mais econômico.

    Resta, portanto, esperar que a competição entre as instituições permita um repasse de parte dessa economia aos clientes. Além disso, é preciso observar como será o tratamento dos bancos digitais em relação ao PIX. Afinal, muitos deles prometem tarifa zero para todos os serviços.

    5. Mais praticidade

    Mais uma vantagem do PIX que vem sendo divulgada pelo Banco Central é a praticidade que o sistema terá. O Bacen completa, dizendo que a intenção é que a facilidade e a rapidez dos pagamentos o popularize entre a população. Visto que o pagamento é instantâneo, PIX feito significa PIX garantido.

    Por isso, o presidente do Banco Central disse que espera que as pessoas comecem a dizer frases como: “Me faz um PIX?”, “Me paga com PIX.” e “Aceita PIX?”.

    6. Redução de prazos

    Por último, outra questão que foi levantada por Roberto Campos Neto, presidente do Bacen, é a possibilidade do PIX reduzir os prazos de compra e venda de mercadorias, por exemplo no mercado de e-commerce.

    Afinal, a confirmação de um pagamento do PIX acontecerá instantaneamente por meio do sistema. Ou seja, o prazo de uma compensação bancária de 1 ou 2 dias que existe entre o pedido da mercadoria e sua efetiva entrega será eliminado.

    E-book: 10 livros que todo investidor deveria ler

    Conheça os 10 livros de investimentos e finanças mais importantes e amplie seus conhecimentos como investidor!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Vale a pena usar o PIX?

    Com todas as vantagens apresentadas e prometidas pelo Banco Central em relação ao PIX, não há como dizer que o sistema não irá valer a pena. Afinal, ele foi lançado justamente para acabar com todos os inconvenientes dos meios de pagamentos tradicionais. A possibilidade de reduzir os custos com taxas bancárias, inclusive é um dos principais atrativos, visto que não há uma taxa de PIX para pessoas física.

    No caso das transferências, por exemplo, os TEDs e DOCs não podem ser realizados a qualquer hora, podendo o cliente apenas agendar uma transferência ou pagamento. Depois de agendar, a transação apenas é efetuada no início do horário comercial do banco. Já com o PIX, essa transferência por ser executada a qualquer momento e com custos menores.

    A praticidade é outro bom exemplo sobre valer ou não a pena utilizar o PIX. Visto que o novo sistema tem sido comparado com um chat, como do WhatsApp. Isto é, simples, instantâneo, prático e popular. Isto, inclusive, deve contribuir para uma redução ainda mais expressiva do uso do papel moeda.

    O que resta para a população, portanto, para ter certeza de que vale a pena usar o PIX é acompanhar como será, na prática, o funcionamento do novo sistema. Além disso, é preciso também avaliar qual será o custo da nova modalidade para os clientes e usuários. Contudo, novas funções devem surgir ainda, como o saque do PIX.

    Além disso, cada cliente tem que avaliar como está a adaptação a esse novo sistema. Apesar de ser mais fácil de utilizar que outros sistemas, ele é um pouco diferente e pode não ser tão útil para uma parte da população. Especialmente no interior do país, a aplicação do PIX em estabelecimentos comerciais pode ser mais difícil devido à necessidade de rede por parte dos clientes também, por exemplo.

    E então, o que você achou do lançamento do PIX pelo Banco Central? Deixe abaixo seus comentários e dúvidas sobre o novo sistema de pagamentos.

    Perguntas frequentes sobre pix
    Como funciona o PIX?

    O PIX é um sistema de pagamentos que permite que transferências e liquidações de contas aconteçam instantaneamente, em tempo real. Além disso, o sistema também permite que as transações sejam efetuadas a qualquer hora do dia, durante todos os dias da semana.

    Para que serve o PIX?

    O PIX é um sistema para transferências monetárias que serve para realizar transferências, pagamentos de boletos, contas de consumo, impostos e até mesmo despesas em estabelecimentos comerciais.

    O que significa a palavra PIX?

    O nome PIX não é uma sigla e sim uma referência ao mundo digital, ou seja, uma abreviação da palavra pixel. Esse nome foi escolhido pelo Banco Central com a finalidade de popularizar o novo sistema.

    Quanto vai custar o PIX?

    Para usuários pessoa física, o PIX é gratuito. Todavia, para pessoas jurídicas os bancos estão autorizados a cobrar taxas. Os preços que serão praticados no mercado ainda não estão certos e podem variar de banco para banco.

    O que é a chave PIX?

    As chaves PIX são a identificação de cada usuário para se cadastrar no sistema PIX. Esse cadastro pode ser realizado através de alguns tipos de chaves, sendo que as principais estão ligadas à dados pessoais. São os casos das chaves com o número do CPF, telefone ou e-mail.

    Bibliografia

    http://portaldeperiodicos.unisul.br/index.php/U_Fato_Direito/article/view/9828

    https://www.diariomunicipales.org.br/arquivos/edicoes/2020/10/1602254170_Edicao_1619_assinado.pdf

    https://www.theclearinghouse.org/payment-systems/rtp

    Gabriela Mosmann
    Compartilhe sua opinião
    16 comentários

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Jose Anselmo de Siqueira 22 de fevereiro de 2020

      Olá Gabriela, a Suno vê algum impacto do PIX nos negócios de empresas listadas tais como Cielo, CETIP, etc?

      Responder
    • Kleber Guradia menezes 2 de março de 2020

      Não a nada de interessante nisso,o dinheiro físico ta ai desde quando o mundo e mundo! Agora não e de se pensar o porque dessa aceleração a implantar uma moeda virtual??? Ha muita coisa por trás de tudo isso e não vai ser bom no futuro proximo

      Responder
      • Dawisson 14 de março de 2020

        O Banco Central criou os primeiros trabalhos sobre a PIX em 2013. Não acho que está tão acelerado assim…

        Responder
      • Rafael de Almeida Prado 31 de maio de 2020

        Kleber, o PIX não é uma moeda virtual. É uma transferência bancária como outra qualquer. A única vantagem é a velocidade com que você poderá transferir ou receber esse dinheiro. Por exemplo, hoje é domingo, eu posso agendar um DOC ou TED pra você, que só vai cair na sua conta amanhã, durante horário comercial; com o PIX não vai ocorrer isso, eu posso fazer um PIX pra sua conta, e vai cair hoje mesmo, em até 10 segundos. Essa pelo menos é a promessa. Espero realmente que saia esse ano, vai facilitar e muito nossa vida.

        Responder
    • Orlando 16 de junho de 2020

      Parece facil e prático vamos aguardar.até novembro.

      Responder
    • Charbel 16 de junho de 2020

      Alguém sabe o porquê do nome PIX? O que significa cada letra?

      Responder
      • Carlos 11 de setembro de 2020

        o “PI” é de Pagamentos Instantâneos, já o “X” encaixaram lá pra ficar “cool” (Yeahhh!). Na minha opinião ficou um pouco ridiculo.

        Responder
    • Ronaldo 10 de agosto de 2020

      Saindo da idade da pedra

      Responder
    • Rodilson 22 de setembro de 2020

      Vindo desse desgoverno não será uma forma, depois de tudo em funcionamento, de criar um imposto sobre as transações, já que no modelo atual não se encontrou mais brecha?

      Responder
    • Adriano 29 de setembro de 2020

      caso fassa uma transferência ou pagamento errado ,como reaver o valor transferido

      Responder
    • Anderson 1 de outubro de 2020

      não vejo diferença do pix x picpay que está ai a anos , atualmente qualquer app de banco vem esfregando na cara que temos que aceitar o pix, existe algo de podre no reino da Dinamarca! obs… “quem entrar agora vai ter superioridade sobre os outros” artigo criado por um jornaleco que chamam de lixo. complicado acreditar assim numa copia do picpay que como eu falei está ai a anos praticamente dando cash back todos os dias para ser usado e vem isso. (desconfiem de tudo)

      Responder
    • Arialdo Luiz da Silva. 7 de outubro de 2020

      Em termo de transação de pagamento, transferência entre contas, etc. Mas eu tenho um pé atrás. Sinto que há um controle nas contas de todos os brasileiros por meio de uma corporação que não mostra sua face.

      Responder
    • Leidiane 8 de outubro de 2020

      Me pareçe o famoso sinal da besta do apocalipse. Daqui a pouco tempo ninguém faz mais nada se não tiver esse pix.

      Responder
    • Ricardo 10 de outubro de 2020

      Logo se percebe que esta se tornando rapido a mudanca do dinheiro e o dinheiro digital, logo em breve nao andaremos mais com dinheiro na mao ou na carteira , sera 100% digital nao vai mais existir dinheiro vivo e sim dinheiro digital.

      Responder
    • Clayton 12 de outubro de 2020

      Ê a volta de Cristo Jesus,,se possível até os escolhidos serão enganados,desperta tu que dormes o rei está voltando

      Responder
    • Xitara 17 de novembro de 2020

      Some as letras Pix ao alfabeto e o resultado é 666. Este é o único do Hellsonaro e Maconheila D’Ávila

      Responder