Acesso Rápido

    IFRS: conheça as normas internacionais de padronização contábil

    IFRS: conheça as normas internacionais de padronização contábil

    A IFRS é uma norma internacional de padronização contábil que pode trazer inúmeros benefícios para as empresas que a implementar, afinal torna-se muito mais fácil entender a contabilidade de uma empresa em todos os lugares do mundo.

    Sendo assim, adotar a IFRS é uma ótima medida que empresas que visam melhorar o compliance em suas operações estão colocando em prática.

    O que é IFRS?

    IFRS é a sigla para International Financial Reporting Standards (Normas Internacionais de Relatório Financeiro, em tradução livre).

    Trata-se de um conjunto de regras que determina como devem ser feitos os procedimentos contábeis dentro da empresa. Assim, estas determinações abrangem também a elaboração das demonstrações contábeis.

    Sendo assim, através do IFRS, é possível padronizar a forma como a contabilidade é feita, independente do país de origem da empresa.

    Curso Imposto de Renda na Bolsa

    Confira no nosso curso e aprenda como declarar o Imposto de Renda dos seus investimentos de forma simples e prática!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Quando surgiu a IFRS?

    O processo de criação das IFRS levou alguns anos. tudo começou em 1973, com a criação do International Accounting Standards Committee (IASC). A instituição reuniu entidades profissionais de contabilidade de 10 países, entre eles:

    • Alemanha;
    • Austrália;
    • Canadá;
    • Estados Unidos da América;
    • França;
    • Irlanda;
    • Japão;
    • México;
    • Países baixos;
    • Reino Unido.

    O objetivo da entidade era criar um novo padrão de normas para a contabilidade internacional, que pudesse ter adesão de todos os países. Portanto, as primeiras normas publicadas pelo grupo são denominadas como International Accounting Standard (IAS).

    Entretanto, em 2001, foi criado o International Accounting Standards Board (IASB), vigente até hoje, substituindo o IASC em suas funções. No entanto, somente em 2004 foi publicado o IFRS 1. Ou seja: a definição dos princípios que regeriam as normas contábeis.

    Neste mesmo ano, foram publicadas as primeiras demonstrações financeiras no formado do IFRS. Além disso, em 2007, o Brasil aderiu às normas, tornando-as obrigatórias para as empresas nacionais, especialmente às grandes corporações.

    Além disso, foi dado um prazo de adaptação para que estes empreendimentos compreendessem as novas normas e as aplicassem. Este prazo terminou em 2010.

    Quais são as regras do IFRS?

    Em primeiro lugar, vale notar que a IFRS é um conjunto de normas internacionais. Além disso, cada país decide se deve ou não implementá-las em seu território. Sendo assim, estão vigentes 32 dessas normas, que abordam itens dos mais variados.

    Por exemplo, existem orientações para apresentar as demonstrações financeiras de uma empresa, de forma que investidores de todo o mundo possam entendê-las.

    Assim, o controle de organizações também passa por essas determinações, bem como a aquisição de outras empresas e sua incorporação.

    Além disso, a classificação e apresentação dos instrumentos financeiros também deve ser padronizada, o que apresenta um grande avanço.

    Por fim, vale notar que, além das normas, existem outras orientações importantes associadas à aplicação da IFRS, bem como interpretações sobre essas normas.

    Portanto, fica claro que pode ser um desafio inicial grande a adequação, mas os benefícios para as operações da empresa são inúmeros.

    Guia de Economia para Investidores

    Confira os principais conceitos econômicos e aprenda como a economia pode influenciar seus investimentos com o nosso ebook gratuito de Economia para Investidores!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Como funciona a adesão às IFRS?

    Primeiramente, é preciso saber que aderir ou não às IFRS é uma escolha que cabe a cada país. Assim, seguir estes preceitos é uma mudança voluntária.

    Dessa forma, não existe um tratado internacional que obrigue os países a cumprirem os procedimentos das IFRS.

    Mesmo assim, as regras da IFRS já foram adotadas em mais de 120 países, ainda que a adesão não seja 100% executada.

    No Brasil, muitas empresas menores, como as microempresas, ainda não seguem as normas internacionais contábeis. Por outro lado, a situação é ainda pior na China, muitos destes empreendimentos só acataram a parte das normas internacionais.

    O problema existe justamente pela falta de obrigatoriedade na adesão e, consequentemente, de punição para quem não seguir as normas. Portanto, a implantação das IFRS continua em processo de convencimento.

    A adesão do IFRS é obrigatória?

    Primeiramente, é preciso entender que cada país decidirá se deve adotar ou não os padrões contábeis contidos na IFRS.

    No entanto, ainda há resistência na adoção das normas pelas pequenas e médias empresas, pois tal mudança demandaria muito tempo e geraria muitos custos.

    Sendo assim, as campanhas de conscientização neste sentido continuam, visto que não há multas previstas para o descumprimento destas normas.

    Por causa da burocracia que envolve o âmbito tributário, a Contabilidade no Brasil acaba focando mais no pagamento de impostos do que na área contábil em si.

    Esse é um dos entraves que tornam o processo de implantação completa das IFRS no território brasileiro bastante lenta.

    Qual a importância do IFRS na contabilidade?

    Os órgãos reguladores apontam uma melhoria nas empresas que se adequaram às IFRS.

    Em primeiro lugar, as normas de padronização contábil do IFRS geram mais transparência, algo útil especialmente para as operações dentro da empresa.

    Além disso, essa padronização torna mais fácil a obtenção de aporte financeiro, especialmente se o capital for estrangeiro.

    Por fim, é comprovado que a adequação dos balanços financeiros às normais internacionais se torna mais clara a informação aos investidores.

    Sendo assim, fica clara a importância do uso dessa padronização contábil para aumentar a transparência da empresa, uma vez que cada vez mais as companhias se preocupam em melhorar a sua com governança corporativa.

    Ainda possui dúvidas sobre como funciona a IFRS? Comente abaixo para que possamos te ajudar!

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    1 comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Anderson Cruz 13 de junho de 2019

      Boa noite Tiago, como vai? Concluí no ano passado meu MBA em gestão financeira na FGV e estou muito interessado em IFRS. GOstei do teu post. Abraços.

      Responder