Acesso Rápido

    NCG: entenda o que é a Necessidade de Capital de Giro

    NCG: entenda o que é a Necessidade de Capital de Giro

    Talvez uma das maiores dificuldades dos empreendedores seja manusear o capital de giro de uma empresa. Muitas vezes, negócios com bastante potencial deixam de crescer porque os gestores não entendem a necessidade de capital de giro, a NGC, e acabam quebrado.

    E isso não acontece apenas com pequenos empreendedores, mas também com companhias de grande porte que não utilizam bem esse indicador e encontram problemas financeiros. Por isso, é essencial conhecer a necessidade de capital de giro.

    O que é Necessidade de Capital de Giro?

    A Necessidade de Capital de Giro (NGC) é um indicador definido pelo ciclo de caixa da empresa, que mostra se se capital é suficiente para manter sua estrutura operacional funcionando, ou seja, mostra se a companhia tem capital de giro para continuar pagando seus fornecedores, produzindo e vendendo suas mercadorias.

    Por isso, esse indicador informa ao gestor financeiro se a empresa possui capital suficiente para toda essa operação ou se é necessário tomar empréstimos com terceiros para garantir isso.

    Como calcular a necessidade de capital de giro?

    Existem duas formas de calcular a NGC de uma empresa, que são:

    Pelo ciclo financeiro

    Para calcular a NGC pelo ciclo financeiro de uma companhia, é preciso conhecer o que são os Prazos Médios de Pagamento e os Prazos Médios de Recebimento:

    • Prazo Médio de Pagamento: é o tempo médio entre o momento da compra de suprimentos com fornecedores e o efetivo pagamento dessas compras;
    • Prazo Médio de Recebimento: é o tempo médio entre o momento da venda da mercadoria ou do serviço e o efetivo recebimento do valor dos clientes.

    Com esses dados, a fórmula para analisar a necessidade de capital de giro é:

    • NGC = Prazos Médios de Recebimento – Prazos Médios de Pagamento

    Portanto, se os prazos de pagamento aos fornecedores forem superiores aos prazos de recebimento dos clientes, então a necessidade de capital de giro será menor.

    Nesse sentido, a empresa é considerada “financiada pelos clientes”. Isso se deve pois uma vez que a necessidade de financiamentos e empréstimos é menor por causa de um ciclo financeiro favorável para a companhia (os fornecedores estão sendo pagos com o dinheiro recebido dos clientes da empresa).

    Na situação inversa, quando os prazos médios de pagamento são inferiores aos prazos médios de recebimento. Dessa forma, a necessidade de capital de giro da empresa é maior. Isso porque as contas a pagar chegarão mais cedo do que o valor devido pelos clientes à companhia.

    É importante ressaltar que o resultado da fórmula pelo ciclo financeiro mostra quantos dias a empresa possui em caixa. Além disso, também mostra o dinheiro recebido dos clientes antes de pagar os fornecedores ou quanto tempo fica devendo os fornecedores antes de receber dos devedores.

    Pelo balanço patrimonial

    Outra maneira de analisar a NGC é olhando para as contas contábeis do balanço patrimonial da companhia. Nesse caso, a resposta obtida, ao invés de ser em dias, será em reais.

    Nesse sentido, saberemos quanto a empresa terá de capital disponível antes de pagar os fornecedores. Ou ainda quanto a companhia precisará de capital de terceiros antes de receber os valores dos clientes devedores.

    A fórmula da NGC, por esse método, é:

    • NGC = Ativo Circulante Operacional – Passivo Circulante Operacional

    No que se refere ao ativo circulante operacional, temos o estoque e as contas a receber. Já dentro do passivo circulante operacional, temos as contas a pagar. Portanto, outra forma de demonstrar essa fórmula é:

    • NGC = Contas a Receber + Estoques – Contas a Pagar

    Caso o resultado desse cálculo seja negativo, saberemos que o desembolso com contas a pagar é superior aos ativos operacionais disponíveis pela empresa. Por isso, a companhia poderá precisar recorrer a capital de terceiros para manter sua operação.

    Para entender melhor esses conceitos contábeis, a Suno preparou um minicurso gratuito de contabilidade para investidores. Nele, explicamos melhor como deve ser feita a leitura de balanços, da DRE e dos indicadores financeiros. Além de saber como forma de avaliar melhor a saúde financeira das empresas.

    Por que medir a necessidade de capital de giro?

    A análise da NGC mostra para o gestor financeiro se a empresa possui capital de giro suficiente para manter seus compromissos monetários no curto prazo. Nesse sentido, ela deve ser feita com frequência como forma de evitar surpresas financeiras para a companhia e de garantir um fluxo de caixa saudável.

    Caso uma determinada empresa demore para identificar a sua necessidade de capital de giro, os custos com os juros de dívidas e empréstimos feitos às pressas sem dúvida serão maiores. No fina, isso prejudicará os sócios e acionistas, reduzindo as margens da empresa e seus lucros.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    1 comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • daniel 28 de junho de 2020

      muito bom me ajudou muito

      Responder