Acesso Rápido

    Loft: conheça mais sobre esse unicórnio do setor imobiliário brasileiro

    Loft: conheça mais sobre esse unicórnio do setor imobiliário brasileiro

    A Loft é uma startup brasileira que atua no mercado imobiliário com ênfase em São Paulo e no Rio. Utilizando intensivamente tecnologia em suas operações, a empresa vem trazendo muita inovação para um dos mercados mais antigos e tradicionais da economia.

    Fundada em 2018 por dois empreendedores com experiência internacional, a startup Loft passou por um crescimento vertiginoso em seus primeiros anos, se tornando o primeiro unicórnio do ano de 2020. Por isso, tem chamado a atenção de diversos investidores que procuram mais sobre a história e outras informações sobre a empresa.

    História da Loft

    A história da Loft começou com a empreitada de dois amigos estrangeiros, Florian Hagenbuch, alemão, e Mate Pencz, hungaro. Sócios em outro empreendimento milionários e bem sucedidos no ramo gráfico, os dois buscavam por um mercado amplo em que o uso de tecnologia era limitado.

    Como já tinham contato e afinidade com o ramo imobiliário, os amigos se sentiam confortáveis em empreender neste setor. Além disso, a vontade de inovar e desenvolver esse mercado ganhou propulsão depois de um dos sócios descobrir ao vender um de seus imóveis que a propriedade tinha 30 metros quadrados a menos que na matrícula.

    Assim, surgiu a ideia da criação da Loft, startup focada no setor imobiliário. Como os fundadores descrevem, este era um mercado com características promissoras, como:

    • Possui diversas transações com alto valor agregado;
    • É fragmentado, com vários players;
    • Utiliza baixo apoio de tecnologia;
    • Opera de modo arcaico.

    Para entrar no mercado imobiliário, no princípio, a startup focava em comprar, reformar e revender imóveis. Isto, é claro, com o uso intensivo de tecnologia para a obtenção de informações mercadológicas sobre os imóveis dos bairros de atuação.

    E para provar o modelo de negócios inicial, os amigos Florian e Mate iniciaram a startup com atuação geográfica restrita, atuando em alguns poucos bairros da capital paulista. Entre esses bairros, o Jardins, Moema e Itaim Bibi.

    A ideia dos empreendedores era atuar nesses bairros com o objetivo de provar que a ideia era um negócio rentável para, depois disso, ganhar escala. Basicamente, a ideia inicial era de comprar imóveis depreciados pelo estado de conservação, reformar e depois revender com lucro.

    Contudo, esse era apenas o início de um modelo de negócios muito maior que os empreendedores Florian e Mate planejavam para a Loft.

    Modelo de negócio da Loft

    Loft

    Como foi colocado, o modelo de negócios da Loft começou com a compra de imóveis no mercado para reformá-los e vendê-los posteriormente com o lucro. Contudo, este foi apenas o ponto de partida da startup.

    Pouco tempo depois, os fundadores já iniciaram o plano de transformar a empresa em uma plataforma de marketplace. Isto é, em um portal onde outros vendedores poderiam cadastrar imóveis para venda, utilizando a Loft como intermediadora da venda.

    Ainda, a startup imobiliária também passou a oferecer outros serviços, como:

    • Design de interiores;
    • Assessoria imobiliária;
    • Reformas para os imóveis;
    • Assinatura virtual de escrituras públicas;
    • Serviços financeiros (empréstimo e financiamento);
    • Assinatura virtual de contratos de compra e venda.

    Além desses serviços, a startup Loft continuou evoluindo sua tecnologia para conseguir aperfeiçoar os mecanismos de precificação. Com isso, desenvolveu um banco de dados robusto que auxilia compradores e vendedores na precificação dos imóveis levando em conta, por exemplo, o prédio, o andar e o número de vagas de um apartamento.

    Principais informações sobre a Loft

    Depois de entender um pouco mais da história e do modelo de negócio de uma das maiores startups brasileiras, o próximo passo é conhecer as principais informações sobre a empresa Loft. Por exemplo, sobre seus fundadores, rodadas de investimentos e valuation estimado.

    Abaixo, portanto, algumas das principais informações sobre a Loft:

    Fundadores da Loft

    A história dos fundadores da Loft não é nada comum. Tanto Florian quanto Mate são estrangeiros, sendo o primeiro alemão e o segundo hungaro. Ambos se conheceram nos Estados Unidos, quando foram colegas de trabalho no mercado financeiro.

    Depois de trabalharem e morarem juntos, os dois resolveram encarar a empreitada de abrir um negócio digital e com apoio na tecnologia no Brasil, em um período em que outras startups criadas por estrangeiros surgiam no país.

    Inicialmente sem uma ideia concreta para um primeiro negócio, os amigos decidiram empreender no setor de gráfico, no qual o pai de Florian possuía experiência como executivo. Apesar de não parecer promissor, o ramo tinha bastante espaço para ganho.

    Isso porque naquela época, em 2012, o setor de gráficas era bastante pulverizado — o que garantia espaço para ganho de market share (fatia de mercado). Além disso, esse mercado também era arcaico, sem grandes players que utilizavam tecnologia.

    Então, Mate e Florian criaram a Printi, startup que oferecia soluções gráficas por meio de pedidos online. A empresa foi um sucesso e em 2017 foi vendida pelos empreendedores para um grupo internacional.

    Depois da venda, capitalizados, os amigos passaram a atuar como investidores anjo em empresas de tecnologia, conhecendo novos modelos de negócios. Mas a vida de investidores em tempo integral durou pouco, já que a paixão por empreender os levou a fundar a imobiliária Loft em 2018.

    Rodadas de investimentos da Loft

    As rodadas de investimentos da Loft foram realizadas para conseguir alavancar o negócio e expandi-lo pelo país. Para isso, a startup do setor imobiliário segmentou suas captações em séries.

    Além disso, a companhia ainda apostou em uma oferta pública de cotas de fundos imobiliários (FIIs). Nessa etapa, a startup lançou o fundo Loft II – Fundo de Investimento Imobiliário, negociado sob o ticker LFTT11.

    Esta foi uma estratégia da companhia para evitar a possibilidade de abertura de capital (IPO) na bolsa de valores. Ou seja, foi outra alternativa de captação, além das rodadas de investimentos elencadas abaixo:

    Rodada Série A

    Na rodada de investimento série A da Loft, a startup levantou no mercado cerca de 18 milhões de dólares. Nesta primeira rodada, a empresa contou com o investimento de alguns investidores, como Andreessen Horowitz, Thrive Capital, Canary, Max Levchin e David Vélez.

    Rodada Série B

    A rodada de investimento série B da Loft foi bastante bem sucedida e contou com grande participação dos mesmos investidores da primeira rodada. Nesta série, a startup conseguiu ampliar sua captação, levantando 70 milhões de dólares.

    Rodada Série C

    Na rodada de investimento série C da Loft, a empresa contou com grande participação de Andreessen Horowitz e a Vulcan Capital. Neste levantamento, a companhia foi capaz de levantar 75 milhões de dólares.

    Rodada Série D

    A rodada de investimento série D da Loft foi uma das mais bem sucedidas da história das startups brasileiras. Nela, a empresa conseguiu realizar duas captações, a primeira de 425 milhões de dólares e outra que adicionou mais 100 milhões de dólares à companhia.

    Valuation da Loft

    Por fim, muitos investidores desejam compreender melhor sobre o valuation da Loft. Afinal de contas, essa é uma das empresas que mais cresce no Brasil, tendo sido criada em 2018 e apresentado um dos maiores crescimentos no ramo corporativo do país.

    Apesar da curiosidade, é preciso destacar que o valuation da Loft não é tão preciso, já que a companhia não tem o market cap (capitalização de mercado) definida por uma cotação em bolsa de valores.

    No entanto, é possível chegar próximo de uma avaliação com base em suas rodadas de investimentos. Isto porque nesses eventos a startup levanta capital com investidores em troca de um determinado percentual da empresa. Assim, é possível, com base nas últimas transações, estimar uma avaliação para a totalidade da companhia.

    Na sua rodada de investimento série D, o valuation da Loft chegou próximo aos 3 bilhões de dólares, mais precisamente em 2,9 bilhões de USD. Isto é, mais de 15 bilhões de reais. Contudo, vale destacar que a avaliação da empresa (valuation) pode superar ainda mais esses valores após novas rodadas.

    E então, conseguiu conhecer e compreender melhor o modelo de negócios da startup Loft? Deixe abaixo suas dúvidas e comentários sobre essa empresa.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    1 comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • José Carlos 9 de novembro de 2021

      ola mim chamo José Carlos meu sonho e trabalha nesta empresa sou pedreiro bloqueio mapa e contrapiso

      Responder