acesso rápido

    Value Investing: o que é? Saiba como investir com essa estratégia

    headerSP__illustration

    Existem diversas estratégias de investimentos para os diferentes perfis de investidores, e cada uma se adequa às suas particularidades e interesses individuais. O Value Investing é uma delas, utilizada principalmente na análise fundamentalista.

    Sendo assim, o Value Investing deve ser conhecido por todos que querem estudar o mercado financeiro e aprender a ganhar dinheiro com ele.

    O que é Value Investing?

    O que é Value Investing?

    O Value Investing é uma estratégia de investimento onde as ações selecionadas para a compra pelo investidor se encontram a um preço abaixo do seu valor intrínseco naquele momento. O significado deste termo vem da língua inglesa, e sua tradução literal seria “investimento em valor”.

    Ou seja, os value investors (ou investidores de valor), estão constantemente à procura de ações que acreditam estar subvalorizadas pelo mercado.

    ANIVERSARIO SUNO 7 ANOS

    Assim, a sua essência é bem clara e simples de entender, e está diretamente relacionada ao conceito de Margem de Segurança.

    Portanto, isso faz com que o Value Investing seja praticado de maneira muito pessoal por aqueles que o adotam, uma vez que cada investidor faz a suas próprias análises e julgamentos individuais, de acordo com sua perspectiva e visão sobre o assunto.

    Além disso, outro jeito de definir o termo baseia-se no fato de que muitas pessoas alocam seu capital com essa forma de investimento em valor.

    Assim, eles acreditam que o mercado oscila constantemente entre bons e maus momentos, por influência de incontáveis fatores. Dessa forma, a oscilação resulta em movimentações nos preços das ações que muitas das vezes não correspondem à realidade dos fundamentos de longo prazo das empresas.

    Como funciona o Value Investing?

    Como funciona o Value Investing?

    A movimentação de preços no mercado financeiro, que gera oportunidades para os value investors, pode ser explicada por diversos motivos. No entanto, existe um que retrata muito bem este cenário, que é o conceito da lei de oferta e demanda.

    Primeiramente, se muita gente está querendo comprar algo e existem poucos vendedores, o preço do mesmo tende a subir.

    Em segundo lugar, o inverso também é válido, visto que se muita gente está tentando vender algo que pouca gente tem interesse na compra, o preço daquilo tende a cair.

    Contudo, no caso do mercado financeiro, o “valor” da empresa, em tese, tende a ser o mesmo ao longo do tempo (ou na verdade, tende a valorizar no longo prazo, conforme a empresa cresce e seu patrimônio aumenta).

    Normalmente, uma empresa não se torna melhor ou pior pela variação do preço das suas ações. Se ela é uma empresa lucrativa, tende a continuar sendo lucrativa. No entanto, se é uma empresa mediana, tende a continuar sendo mediana. Por fim, se é mal gerida, tende a continuar sendo mal gerida.

    Entretanto, nada é estável, principalmente no mundo empresarial, e existem fatores que podem mudar essas realidades no médio e longo prazo.

    Por exemplo: mudanças na gestão da companhia, aquecimento ou esfriamento do mercado em que atuam, alteração na estratégia de produção ou até mesmo aquisições e vendas de outras companhias.

    Aprenda como analisar uma ação Este guia básico te ajudará a dar os primeiros passos no processo de análise de ações na hora de investir. 
    Aprenda como analisar uma ação

    Quais são os principais investidores do Value Investing?

    Quais são os principais investidores do Value Investing?

    Como em toda área de atividade, existem os personagens que se destacam. Nos investimentos, mais especificamente em Value Investing, não poderia ser diferente.

    Assim, existem os verdadeiros mestres no assunto, e cada um apresenta pontos de vista e reflexões individuais que nos auxiliam a compreender melhor a abordagem.

    É importante que o investidor perceba que os principais nomes do mercado financeiro mundial compartilham essa estratégia de investimento.

    Mesmo que às vezes não se refiram ao Value Investing diretamente, estes investidores sempre estão se beneficiando de algum jeito das táticas que essa modalidade oferece, alcançando uma rentabilidade atraente.

    Estão sempre procurando se associar a bons projetos e tentando pagar pelas ações um valor que ofereça uma boa margem de segurança e que esteja abaixo do valor intrínseco da companhia.

    Por isso, é importante que o investidor esteja sempre se atualizando e buscando aprender algo novo sobre esse assunto.

      Benjamin Graham

      Graham é autor de dois dos livros mais importantes já escritos sobre análise fundamentalista e Value Investing, os “Security Analysis” e “O Investidor Inteligente”.

      O investidor desenvolveu primordialmente a ideia de comprar ações abaixo do seu valor intrínseco para diminuir os riscos e também foi quem inicialmente promoveu o pensamento de que ações frequentemente são negociadas a preços que não refletem seu real valor.

      Assim, suas técnicas inspiraram ninguém menos que Warren Buffett, tornando-se assim o seu mentor por décadas. Ele nasceu em 1894 sendo considerado o pai do Value Investing.

       “Se eu tivesse o desafio de definir o segredo dos investimentos saudáveis em três palavras, essas seriam Margem de Segurança.”

      Benjamin Graham.

      Warren Buffett

      O maior investidor de todos os tempos nasceu em 1930 e foi aluno e depois funcionário de Graham.

      Warren Buffett tem uma estratégia de investimentos clara: ele pensa em comprar ações como se estivesse de fato comprando empresas e não apenas papéis (como muitos encaram).

      Portanto, ele tem prazos indefinidos nos seus investimentos, tanto é que fez seu primeiro investimento aos 14 anos e aos 30 já era milionário.

      Com esse pensamento, em 1962, ele começou a comprar ações da Berkshire Hathaway (inicialmente atuava no ramo de têxteis).

      Dessa forma, com o tempo, a quantidade de ações da empresa que Buffett detinha se tornaram suficientes para mudar a administração e então controlar a companhia, isso em 1965.

      Ele se tornou um dos homens mais ricos do mundo através do Value Investing, investindo em diversos setores: seguradoras, bancos, infraestrutura, alimentação, tecnologia e outros.

       “O preço é o que você paga. Valor é o que você leva. ” –  Warren Buffett.

      Seth Klarman

      Klarman é um investidor americano que se dispõe a pensar fora da caixa e procura analisar investimentos que outros investidores normalmente não consideram e até mesmo costumam evitar.

      Assim, Seth Klarman  segue de perto a filosofia de investimento de Benjamin Graham sendo conhecido por comprar ativos impopulares enquanto eles estão subvalorizados, buscando uma margem de segurança e lucrando com sua alta no preço.

      “Nós temos batido o mercado incrivelmente ao longo dos anos, apesar deste nunca ter sido nosso objetivo. Na verdade, o que temos feito consistentemente é tentar não perder dinheiro e, fazendo isso, não só o protegemos como performamos acima da média. ” –  Seth Klarman.

      Livros sobre value investing

      <strong>Livros sobre value investing</strong>

      Tão importante quanto conhecer autores renomados que utilizam este método, é descobrir os livros com esta temática.

      Nesse sentido, vale destacar três obras com este foco. São elas:

      1. O Investidor Inteligente;
      2. Investimento em Valor: de Graham a Buffett e Além;
      3. Investindo em Ações no Longo Prazo.

      Dessa forma, vale destacar cada um destas obras de modo separado.

      O Investidor Inteligente

      Sendo um dos livros mais populares da área, “O Investidor Inteligente”, obra de Benjamin Graham lançada em 1940, busca apontar como a precificação de ações e o investimento em valor impactam na vida do investidor.

      Além disso, esta é uma das obras que se aprofunda na estratégia de buy and hold, um método utilizado por grande parte dos investidores do mercado financeiro.

      Investimento em Valor: de Graham a Buffett e Além;

      Publicado em 2021, “Investimento em Valor: de Graham a Buffett e Além” é uma obra de Bruce Greenwald.

      Ao longo do livro, o autor busca analisar as etapas necessárias para se descobrir bons investimentos, isto é, os melhores ativos para se investir.

      Nesse sentido, é utilizado o value investing para estudar o valor patrimonial da empresa, além do processo necessário para elaborar uma gestão de riscos.

      Investindo em Ações no Longo Prazo

      Por fim, mas não menos relevante, há a indicação da obra “Investindo em Ações no Longo Prazo”, livro de Jeremy Siegel publicado em 2015.

      Na obra, o autor avalia questões que possibilitam o crescimento e aumento de valor em ações de longo prazo, sendo isto feito com base no value investing.

      Além disso, o livro ainda aponta mecanismos de “defesa” que o investidor pode utilizar frente aos riscos do mercado.

      Qual o papel de análise fundamentalista no Value Investing?

      <strong>Qual o papel de análise fundamentalista no Value Investing?</strong>

      A análise fundamentalista é uma das ferramentas mais utilizadas pelos investidores do mercado financeiro, sendo uma alternativa útil especialmente para investidores de longo prazo.

      Assim, esta prática acaba tendo papel no value investing, afinal, entre outras coisas, é possível identificar ação cara e ação barata.

      Ou seja, entender se o investimento é um bom negócio ou não.

      Para isso, a análise fundamentalista considera diferentes fatores, dos quais é possível destacar, por exemplo:

      Como investir usando o Value Investing?

      Como investir usando o Value Investing?

      Para saber como fazer value investing, é importante que cada investidor faça sua própria análise de Value Investing de maneira individual e particular, enxergando a sua análise de acordo com o que pensa sobre a situação.

      Além disso, é possível utilizar as mais variadas formas de se analisar uma empresa, para melhorar sua análise. Sendo assim, o value investing induz o investidor a analisar os projetos e empresas onde se pretende investir pela ótica da análise fundamentalista.

      Ou seja, de maneira qualitativa, no intuito de, ao adquirir ações destas empresas, esteja se tornando sócio das mesmas e participando de seus resultados.

      Assim, nos seus estudos de negócios, os investidores de valor devem procurar enxergar um real potencial de crescimento no empreendimento de interesse, fazendo com que sua alocação de ativos seja apropriada.

      Enquanto alguns praticantes baseiam suas estratégias apoiando-se em estimativas de crescimentos e geração de lucros futuros, outros investidores de valor voltam suas análises para os lucros e resultados presentes ao invés dos potenciais ganhos de longo prazo.

      São dois ângulos de visão para a mesma abordagem do assunto.

      Independentemente dos diferentes pontos de vista, o conceito lógico do Value Investing para investidores é: comprar ativos por um preço menor do que valem naquele momento para se associarem a empreendimentos de sucesso.

      Você ainda tem alguma dúvida sobre o Value Investing e suas características? Comente abaixo para que possamos ajudar.

      PLANILHA DA VIDA FINANCEIRA

      • Histórico da empresa;
      • Análise qualitativa;
      • Capacidade de inovação;
      • Capacidade instalada;
      • Faturamento;
      • Taxas de juros e câmbio;
      • Nível de inflação;
      • Inflação;
      • Momento do mercado em que atua.

      Vale destacar que estes são alguns dos fatores avaliados na análise fundamentalista.

      De todo modo, é possível entender que são consideradas questões ligadas a macroeconomia e microeconomia nesta análise, possibilitando um retrato mais amplo da realidade financeira do negócio.

      Qual a diferença entre deep Value Investing e High Quality Investing?

      Qual a diferença entre deep Value Investing e High Quality Investing?

      De tão importante que é o Value Investing para o mercado de capitais, algumas variações da sua utilidade foram feitas ao longo dos anos, como por exemplo: Deep Value Investing e High Quality, entre outras.

      Podemos comentar brevemente sobre as principais, mas vale a pena o estudo de cada uma delas individualmente para melhor compreensão.

        High Quality Investing

        High Quality Investing é uma estratégia de investimento que se baseia em um conjunto de critérios fundamentais claramente definidos.

        Dessa forma, esse método de investimento busca identificar empresas com boas a excelentes características qualitativas para o médio e longo prazo, mas que se encontram abaixo do seu real valor.

        Assim, a avaliação qualitativa é feita com base em critérios como, por exemplo, credibilidade da gestão e a estabilidade das demonstrações financeiras, assim como o potencial de crescimento da companhia e do seu mercado.

        Além disso, essa também é uma estratégia que se baseia no valor das empresas.

        Deep Value Investing

        O Deep Value Investing, metodologia utilizada e difundida por Benjamin Graham e Warren Buffett, é, basicamente, um método que consiste em investir em empresas extremamente depreciadas, que sejam negociadas abaixo dos seus valores de liquidação.

        Ou seja, caso a empresa fosse liquidada, vendesse seus ativos, pagasse suas obrigações e distribuísse o restante aos sócios, o acionista receberia mais dinheiro do que pagou pelas suas ações.

        Podemos dizer, de modo geral e simples, que o Deep Value Investing é um “Value Investing ao extremo”, já que costuma se exigir nesse método um desconto mais elevado que o habitual.

        Em poucas palavras, em vez de buscar o crescimento no longo prazo e os futuros retornos das ações, os adeptos do Deep Value Investing buscam ações subvalorizadas com uma grande margem de segurança entre valor e preço.

        Assim, ao invés de prever o quão bem uma empresa pode ou não performar nos próximos anos, esses investidores estão mais preocupados em proteger o seu capital e obter um bom preço nos investimentos que fazem hoje.

        Entre 1957 e 1969, o megainvestidor Warren Buffett obteve os maiores retornos de sua carreira e conseguiu um retorno de cerca de 29,50% ao ano aplicando alguns critérios do Deep Value Investing, que lhe foram ensinados por Benjamin Graham. Foi a época de ouro do megainvestidor.

        Comprando uma empresa por menos que seu valor de liquidação

        Comprar uma empresa por menos que o seu valor de liquidação é fundamental no Deep Value Investing, afinal de contas, há uma grande margem de segurança envolvida quando o investidor adquire ações de uma empresa e sabe que, se a empresa fechar as portas amanhã e for liquidada, ele receberá mais do que pagou.

        Embora pareça simples na teoria, na prática pode não ser tão simples assim e ser até um tanto confuso, visto que muitas empresas possuem imobilizados contabilizados por valores superiores ao que realmente valem, ou seja, na hora destes ativos serem liquidados, a empresa não conseguirá obter o valor desejado.

        Além disso, avaliar as disponibilidades e o caixa não é suficiente também, já que a empresa pode realmente ter uma posição elevada de caixa, mas pode também ter elevadas dívidas, o que representa que este dinheiro já está comprometido com os credores.

        Ainda, é importante avaliar as obrigações que a empresa possui com funcionários, fornecedores, etc.

        Uma forma interessante e simples de avaliar se a empresa se enquadra no “Deep Value Investing” é somar seu capital de giro, seus ativos imobilizados e seu caixa líquido. Se a soma desses fatores for superior ao atual valor de mercado, o investidor poderá estar diante de uma oportunidade.

        VALUATION PRECIFICACAO DE ATIVOS

        João Daronco
        Compartilhe sua opinião
        1 comentário

        O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

        • Fernando 29 de janeiro de 2023
          Muito bomResponder