baixe  o   esse  material
acesso rápido

    Como começar a investir? Guia completo para Iniciantes [5 passos]

    investir em ações
    O veremos neste guia para investidores:

    Uma das perguntas mais comuns para aqueles estão pensando no seu futuro financeiro e na construção de uma patrimônio é: como começar a investir?

    É comum que as pessoas se sintam desnorteadas e não saibam exatamente como começar a investir. Afinal, o mercado financeiro pode ser um ambiente muito complexo. Contudo, existem uma variedade de investimentos para iniciantes.

    Além disso, investir na bolsa pode ser bem mais simples do que muitas pessoas pensam. Nesse sentido, o propósito deste guia é detalhar cada etapa para aqueles que desejam entrar no mundo dos investimentos.

    Seguir de maneira correta os primeiros passos permite que o investidor possa, desde o início, estabelecer relações sólidas e de longo prazo com os investimentos.

    Por que devo começar a investir?

    Por que devo começar a investir?

    O primeiro passo antes de fazer o seu primeiro aporte e tomar sua primeira decisão sobre investimentos é entender porque começar a investir.

    E para compreender a importância dos investimentos é muito simples.

    Se você tem algum sonho, seja ele de comprar uma casa ou carro próprio, abrir uma empresa, fazer uma viagem, intercâmbio, curso, cirurgia, você vai precisar de dinheiro.

    Além desses objetivos, outro motivo importante que deve ser considerado é a aposentadoria.

    A maior parte das pessoas imagina para si uma velhice tranquila e sem preocupações, porém não investem em seu futuro. Esse pode ser um dos maiores erros.

    Garantir o futuro de forma autônoma pode ser a melhor solução para evitar problemas financeiros.

    Então, para quem não tem capital acumulado ainda, mas tem sonhos ou quer garantir sua aposentadoria, o melhor caminho para atingir os objetivos pode ser começar a investir.

    Os investimentos, quando aplicados de maneira consciente, permitem que o dinheiro trabalhe para nós. Através de alguns investimentos é possível ter uma renda passiva de forma recorrente.

    Além disso, em alguns casos, dependendo da modalidade, tempo e capital empregado, os investimentos podem se tornar principal fonte de renda de uma pessoa.

    Nesse sentido, antes de chegar ao ponto de partida, e começar a investir dinheiro o investidor precisa ter em mente porque deve investir.

    Assista o vídeo investindo para a aposentadoria para entender um pouco mais sobre o tema:

    Manual do Investidor: comece a Investir na Bolsa

    Baixe o eBook de forma 100% Gratuita

    O que fazer antes de começar a investir?

    O que fazer antes de começar a investir?

    Uma vez conhecida a importância dos investimentos, certamente, pode ter aumentado o interesse em saber quais são os primeiros passos para investir.

    Aliás, essa é uma das etapas mais importantes desse processo, pois é nela que o investidor dá o pontapé inicial no mundo dos investimentos.

    O mercado financeiro pode parecer um ambiente bastante complexo para a maioria das pessoas. Afinal, existe uma variada gama de ativos e estratégias de investimentos.

    Nesse sentido, os investimentos em renda variável, em geral, costumam trazem mais retorno no longo prazo. Por isso, cedo ou tarde, o investidor que deseja ter retornos consideráveis na sua carteira terá que começar a investir na bolsa de valores.

    Mas antes de escolher os ativos que vão formar sua carteira de investimento, é fundamental conhecer o seu perfil de risco e estabelecer seus objetivos (longo, curto e médio prazo).

    Para determinar seu perfil o investidor pode contar com auxílio de corretora que também deve ser escolhida de maneira cautelosa.

    • Perfil

      Para determinar seu perfil você pode contar com auxílio de corretora.

    • Objetivo

      Determinar seus objetivos de longo, curto e médio prazo

    • Corretora

      Sua corretora deve ser escolhida de maneira cautelosa.

    Atualmente há no mercado diversas corretoras e cada uma delas oferece benefícios diferenciados para atrair e manter seus clientes.

    Quando dispuser de capital para investir, possuir um bom nível de autoconhecimento, além de compreender minimamente o mercado e seus ativos, e tiver escolhido a corretora que mais lhe agrada, aí sim, o investidor estará pronto para começar a investir.

    Nesse ponto investidor já pode montar uma carteira de investimentos com seus ativos preferidos e começar a monitorar seus ativos.

    Como começar a investir em 5 passos

    Como começar a investir em 5 passos

    Podemos definir cinco passos importantes por onde começar investir que, se seguidas de maneira correta, podem garantir que o ingresso nos mundos dos investimentos seja correto e eficiente. São elas:

    01 POUPE
    Para ter capital para investir
     POUPE
    02 ENTENDA
    Seu perfil do investidor
    ENTENDA
    03 ESTUDE
    Diferentes ativos
    ESTUDE
    04 ESCOLHA
    A corretora e os ativos que deseja investir
    ESCOLHA
    05 DIVERSIFIQUE
    E monitore seus investimentos
    DIVERSIFIQUE
    01

    Poupe para ter capital para investir

    Poupe para ter capital para investir

    O primeiro passa para alguém que deseja começar a investir é começar a poupar. Naturalmente, para investir é necessário poupar.

    Muitas pessoas se iludem com promessas de ganhos absurdos no mercado financeiro e de capitais. Warren Buffett, o maior investidor de todos os tempos, ganhou em média cerca de 20% ao ano no mercado americano

    Portanto, seria um pouco irracional supor que alguma pessoa conseguirá ir muito além dessa rentabilidade.

    Por isso, um fator crucial que poderá determinar o seu sucesso é a sua capacidade de poupar ao longo do tempo, e de fazer aportes cada vez maiores para seus investimentos.

    O que irá definir seu sucesso de longo prazo está mais relacionado a sua capacidade de poupança do que, necessariamente, sua habilidade como investidor.

    Nesse sentido, qualquer pessoa que esteja se perguntando como começar a investir, deve ter em mente que o primeiro passo deve ser poupar para ter capital para investir.

    Contudo, poupar nem sempre é uma tarefa fácil e pode exigir muitos esforços. Primeiramente o investidor deve fazer um planejamento financeiro de modo a conhecer melhor suas receitas e gastos e então elaborar um projeto de poupança.

    A parte de boa é que não estamos falando aqui de um montante impossível de alcançado.

    Muitas pessoas têm dúvidas de como começar a investir com pouco dinheiro, mas atualmente existem no mercado alternativas de investimento a partir de 30 reais.

    Inicialmente, uma boa opção pode ser investir em ativos de renda fixa que, por serem atrelados ao Governo, podem contar com um nível de segurança, mas com rentabilidade superior à da poupança, por exemplo.

    Em 2018, por exemplo, a rentabilidade da poupança foi de cerca de 4,55% (sem descontar o efeito da inflação), ao passo que o rendimento do CDI, que é considerado um benchmark da renda fixa, chegou a 6,42% nas mesmas condições.

    Com aportes iniciais de cerca de 100 reais por mês, por exemplo, o investidor aprender como começar a investir no Tesouro Direto, que oferece uma boa opção para quem está iniciando no mundo dos investimentos, paga aos investidores algo próximo a 100% do CDI.

    Dessa forma, é recomendado que os investimentos se iniciem o quanto antes, mesmo que seja com pouco capital.

    Por exemplo, você pode planejar poupar e investir R$ 200 todo mês como meta para este ano. E ainda, definir que irá investir todo o seu montante acumulado a uma taxa de 10% ao ano acima da inflação, que pode ser alcançada com bons investimentos, durante os próximos 40 anos.

    Muitas pessoas não tem noção do poder dos juros compostos. Para ilustrar o quão poderoso podem ser os juros compostos, considere o exemplo acima:

    Alguém que poupar R$ 200 todo mês, durante 40 anos, e investir o dinheiro a uma taxa de 10% ao ano terá ao final destes 40 anos um total de R$ 1,129 milhões. Isto mesmo, mais de R$ 1 milhão.

    Isso sem partir de nenhuma quantia inicial. Portanto, mesmo pequenos passos no presente podem ter grande impacto no futuro.

    02

    Entenda seu perfil de investidor

     <strong>Entenda seu perfil de investidor</strong>

    Entre os importantes primeiros passos que indicam como começar a investir, está em saber qual o seu perfil de investidor.

    Para quem pensa em investir na bolsa de valores e para isso contratará uma corretora, os testes de perfil são disponibilizados pela própria instituição.

    Contudo, mesmo para aqueles que pretendem investir dinheiro em renda fixa, por exemplo, é extremamente importante que a pessoa entenda seu perfil de investidor. Dessa maneira, o investidor pode escolher ativos que melhor se encaixa aos seus objetivos.

    O perfil de cada investidor está relacionado a maneira como as pessoas lidam com perdas, tempo que pretendem manter investimento, idade, conhecimento sobre o mercado, objetivos, entre outros fatores.

    Basicamente existem três categorias de perfis de investidor:

      Investidor conservador

      Os investidores com esse perfil tendem a priorizar segurança por isso tendem a direcionar a maior parte de seus recursos para produtos com menor risco.

      Em geral, pessoas deste perfil têm idade avançada, ou estão apenas iniciando sua trajetória no mundo dos investimentos.

      Investidor moderado

      Os investidores com esse perfil, estão entre os mais conservadores e os mais arrojados. Em geral eles têm preferência pela segurança, mas estão dispostos a correr mais riscos em prol de maior rentabilidade.

      Em geral, pessoas desse perfil tem maior versatilidade e podem aproveitar investimentos com nível de segurança não tão altos, porem com lucro acima da média.

      O perfil é comum entre pessoas que possuem conhecimento de mercado um pouco mais avançado e possuem patrimônio em construção, porém já com capacidade para diversificar entre prazos diferenciados.

      Investidor arrojado

      Nesse grupo estão os investidores com menor aversão ao risco. Eles já compreendem melhor a dinâmica do mercado e entendem que perdas de curto prazo são momentâneas, e que é possível reverter o cenário em outro momento.

      Normalmente investidores com esse perfil buscam aumentar seu patrimônio com o intuito de cumprir objetivos, ou ainda se aposentar mais cedo e com melhores condições.

      Definir seu perfil é importante para te ajudar a compreender onde quer chegar. Os objetivos, variam de acordo com cada pessoa. Algumas podem ter em mente atingir o primeiro milhão, outras somente de começar a investir.

      O importante é que os objetivos sejam palpáveis, mas, ao mesmo tempo, desafiadores.

      03

      Estude diferentes ativos

      <strong>Estude diferentes ativos</strong>

      Cumpridas as primeiras etapas, o próximo passo é estudar os ativos disponíveis.

      Como mencionado anteriormente, existem diversas aplicações disponíveis no mercado financeiro e cada uma delas possui características específicas que as tornam – ou não – atrativas e indicados para cada investidor.

      Nesse sentido, é importante que o investidor estude todas as possibilidades antes de começar a investir.  Assim, será possível o investimento que mais adeque ao seu perfil.

      Basicamente existem no mercado duas categorias de produtos:

        Renda Variável

        Investir em renda variável

        Os produtos de renda variável são aqueles nos quais, em caso de aplicação, não é possível saber qual será o rendimento, como investir em ações, por exemplo.

        Justamente por esse motivo, o senso comum diz que este tipo de produto costuma oferecer maior risco aos investidores, mas também podem oferecer maior rentabilidade.

        De qualquer forma, antes de investir dinheiro em ativos de renda variável, o investidor deve se perguntar até onde está disposto a correr riscos, afinal, essa categoria de ativo pode gerar prejuízo para seus investidores.

        Mesmo na renda variável, o investidor pode encontrar diferentes perfis de produtos. Os fundos imobiliários, por exemplo, tem menos volatilidade e tem dividendos, o que agrada o perfil mais conservadores.

        Ações small caps, por outro lado, podem ter uma volatilidade maior e normalmente agradam mais pessoas que tem um perfil de investimento mais arrojado.

        Exemplos de produtos de renda variável negociados na B3:

        • Ações;
        • BDRs;
        • Fundos de investimentos em ações;
        • Fundos multimercado;
        • Fundos Imobiliários;

        Renda Fixa

        Investir em renda fixa

        Em geral, os produtos de renda de fixa, são investimentos nos quais é possível prever a rentabilidade do seu capital antes mesmo da aplicação.

        Quando um investidor aplica capital em renda fixa é como se ele estivesse emprestando dinheiro para a instituição, pública ou privada, que emitiu aquele título e em troca, em prazo determinado, recebem o montante emprestado acrescido de juros.

        No mercado existem diversos tipos de títulos de renda fixa que podem ser emitidos por bancos, financeiras ou até mesmo pelo Estado. Em geral, títulos emitidos por instituições menores garantem maior rentabilidade, já que incorrem em maiores riscos.

        Nessa modalidade, é possível investidor com pouco capital para iniciar pode aprender como começar a investir com 100 reais, ou até menos do que isso.

        Assim, os principais investimentos de renda fixa são:

        04

        Escolha uma corretora e em quais ativos investir

        <strong>Escolha uma corretora e em quais ativos investir</strong>

        Depois de cumprir os três passos que indicam como começar a investir, o investidor deve então escolher uma corretora e em quais ativos investir.

        Como começar a investir na bolsa de valores exige uma série de normas, a escolha da corretora é fator importante. Nesse sentido é interessante buscar por empresas que que tenham credibilidade do mercado.

        Além disso, o investidor deve avaliar quatro pontos importantes:

        Preço  Preço

        No mercado existem diversas corretoras e as taxas cobradas por ordem executada também podem variar bastante, indo R$ 50 até zero.

        Mas esse não é o único valor que deve ser estudado na hora de definir qual corretora você deve utilizar. É preciso ainda considerar a taxa de corretagem, taxa de custódia e a taxa para Tesouro Direto, Home Broker e Mesa de Operações e taxa de saque

        Atendimento  Atendimento

        Outro ponto importante é o atendimento. Avalie a disponibilidade, canais e efetividade do atendimento da corretora. Esse recurso pode ser bastante requisitado sobretudo quando for começar a investir.

        Ferramentas  Ferramentas

        Em relação às ferramentas, o investidor deve considerar que nem sempre as disponibilizadas pelas corretoras são as únicas a sua disposição, no entanto, é muito importante que corretora ofereça ferramentas variadas e de boa qualidade.

        Home Broker, por exemplo, pode variar bastante de uma corretora para outra. Enquanto algumas oferecem a ferramenta mais simples, apenas com algumas funcionalidades, outras oferecem um Home Broker mais completo incluindo ferramentas gráficas, indicadores, chat com analistas, entre outras.

        Além do Home Broker, algumas corretoras ainda disponibilizam aplicativos para smartphones e tablets, além de ferramentas desktops.

        Serviços  Serviços

        No que tange aos serviços, na hora de escolher uma corretora, é importante analisar a qualidade das análises e oferecidos ofertados, comunidade e a disponibilidade de material didático.

        Analisando de maneira correta esses pontos, o investidor pode conseguir mais facilmente encontrar uma corretora que seja adequada ao seu perfil e consiga suprir suas necessidades.

        Após escolhida a corretora o investidor deve buscar aqueles ativos que melhor se encaixa ao ser perfil e começar a investir.

        05

        Diversifique e monitore seus investimentos

        <strong>Diversifique e monitore seus investimentos</strong>

        Depois de cumpridos todos os primeiros passos, o investidor deve iniciar a última etapa que diz: diversifique e monitore seus investimentos.

        A diversificação é um tema muito importante e sempre dever ser revisado quando o tema é como começar a investir em ações.

        Essa categoria de operação pode ajudar a garantir uma boa relação de risco e retorno da carteira. Isso porque investir em qualquer ativo implica em riscos.

        A Suno tem uma planilha de planejamento financeiro feita especialmente para auxiliar quem está buscando organizar suas finanças.

        Clique aqui para baixar.

        Imagine, por exemplo, uma carteira composta apenas por ações da Petrobras (PETR4) e Vale (VALE3). Embora sejam empresas consolidadas, o investidor ainda estará totalmente exposto às oscilações no preço do petróleo e do minério de ferro, por exemplo.

        Além, óbvio, das decisões do governo, já que a Petrobras se trata de uma estatal. Existem ainda outras variáveis que não são tão fáceis de serem previstas.

        Nesse sentido, a maneira mais eficiente de diluir os riscos é através da diversificação dos investimentos. Como diz o velho ditado:

        “Não coloque todos os ovos em única cesta”.

        Quanto mais abrangente for uma carteira, menos ela estará sujeita a crises especificas do setor, preços de commodities, riscos da própria empresa, oscilações de câmbio, entre outras variáveis.

        No entanto diversificar uma carteira, pode ser não ser uma tarefa fácil. Além de tempo e estudo, esse tipo de operação ainda exige maior aplicação de capital.

        Os fundos de investimento e os ETFs (fundos de índice), podem ser uma opção para quem está pensando em como começar a investir com pouco dinheiro, pois garantem diversificação dentro de um portfólio gerido por um profissional especializado.

        Ok! Agora que cumpriu todos esses passos o investidor está liberado para as férias? Não!

        Por mais que tenha uma ótima corretora e tenha montado uma carteira diversificada e segura, o investidor ainda assim precisa estar sempre atento ao mercado.

        Dessa maneira é mais fácil captar sinais e absorver informações relevantes que podem ter algum impacto nos seus investimentos.

        Afinal, qual a importância de começar a investir?

        Afinal, <strong>qual a importância de começar a investir?</strong>

        Entrar para o mercado e iniciar a trajetória no mundo dos investimentos pode ser mais simples do que parece. Mas, antes de tudo, o investidor precisa ter conhecimento do quão importante para seus objetivos e para seu futuro pode ser os investimentos.

        Quando um capital é aplicado de maneira consciente, é possível garantir fontes de rendas extras, além de uma aposentadoria mais saudável e tranquila, que, inclusive, pode começar antes.

        O primeiro passo que todo investidor deve dar, é  poupar recursos periodicamente. Assim, é possível começar a fazer aplicações, mesmo que de início se invista com pouco dinheiro já que, mesmo com pouco dinheiro é possível fazer aplicações, como investir em ações, por exemplo.

        Depois disso, o investidor deve iniciar consigo mesmo e com o mercado uma relação de busca pelo conhecimento. Assim, poderá compreender melhor seu perfil e saber como investir dinheiro de maneira mais adequada.

        A escolha da corretora pela qual vai operar seu investimento também é um fator importante. Afinal é através dela em que as operações de compra e venda, por exemplo, serão realizadas.

        Por fim, o investidor deve buscar sempre diversificar seu portfólio de investimento, com intuito de diluir os riscos e acompanhar o mais de perto possível, movimentações no mercado.

        Após essas etapas, com disciplina e paciência para conseguir seu plano de investimento durante o longo prazo, você terá sanado suas dúvidas sobre como começar a investir e estará no trilho para atingir a independência financeira.

        PERGUNTAS FREQUENTES SOBRE COMO COMEÇAR A INVESTIR
        Quando começar a investir?

        Não existe necessariamente uma época obrigatória para começar a investir, no entanto quanto mais cedo uma pessoa começar a investir, mais rápido poderá alcançar seus objetivos.

        Com quanto posso começar a investir?

        Atualmente existem diversas alternativas de investimento para quem quer entrar no mercado financeiro, mas não dispõe de capital. Na bolsa de valores, por exemplo, é possível adquirir ações no mercado fracionário por menos de R$ 100.
        Além disso, algumas plataformas de instituições bancárias oferecem aplicações em títulos a partir de R$ 100.

        Qual a melhor maneira de investir com pouco dinheiro?

        O investidor que não tem acesso a um montante alto, pode começar comprando ações no mercado fracionário. Além disso, fundos imobiliários não são vendidos em lotes, por isso podem ter um valor que cabe no bolso do pequeno investidor.
        Por último, há ainda opções de renda fixa, que são ideais para quem ainda não montou sua reserva de emergência. Além de ETFs, que garantem uma certa diversificação na carteira.

        Posso investir mesmo que não tenha tempo para acompanhar o mercado?

        Sim. É possível montar uma carteira diversificada mesmo que não tenha tempo ou disposição para acompanhar o mercado mais de perto. Além disso, o investidor pode optar por fundos de ações ou outros fundos geridos por profissionais.
        Ou ainda, montar uma carteira de focada em dividendos, por exemplo, com empresas que tenham menor volatilidade.

        Existe alguma forma de investimento que não tenha risco?

        Não. Qualquer tipo de investimento incorre em riscos provenientes de diversos fatores. Contudo, existem produtos no mercado que apresentam baixíssimo risco incluindo: Fundos de Renda Fixa conservadora, Tesouro Direto, entre outros.

        Tiago Reis
        Compartilhe sua opinião
        Nenhum comentário

        O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *