Acesso Rápido

    Resumo da Semana: Itaú firma acordo definitivo com XP para fusão da XPart, Segundo Guedes, Brasil está barato para estrangeiros, Stone comprará R$ 2,5 bilhões em ações do Banco Inter e Acqua-Vero rescinde contrato com a XP

    O índice Ibovespa encerrou a última semana registrando 125.561,37 pontos, o que representou, na última sexta-feira (28), uma variação positiva de +0,96%. Na semana, o principal índice de ações negociadas na bolsa de valores brasileira teve uma valorização de aproximadamente 2,42%. Em 2021, o índice está positivo em +5,49% até o momento.

    Já o Ifix – o índice de referência dos Fundos de Investimentos Imobiliários – encerrou a última sexta-feira (28) aos 2.811,62 pontos, o que representou uma alta de +0,68% no dia. Na mesma semana e no acumulado de 2021, o índice performou: +0,26% e -2,0%, respectivamente.

    Itaú firma acordo definitivo com XP para fusão da XPart

    O conselho da Itaúsa, controladora do Itaú, aprovou a assinatura de documentos que refletem os principais termos relacionados à incorporação da XPart pela XP Investimentos, conforme o fato relevante divulgado. Portanto, as empresas chegaram ao acordo definitivo e estimam que a operação acontecerá no final do terceiro trimestre deste ano.

    • De acordo com o documento da Itaúsa, a XPart é a nova holding resultante da reorganização societária parcial entre Itaú e XP Investimentos. Para isso, o Itaú vai cindir sua participação na XP Investimentos.
    • A cisão de ativos ainda está condicionada à aprovação do Banco Central dos Estados Unidos, Federal Reserve (Fed), e após a validação pela instituição os acionistas do banco terão direito à participação acionária na XPart na mesma quantidade e proporção das ações por eles detidas no próprio Itaú.
    • Em comunicado, a XP Investimentos informou também que os acionistas de Itaú, Itaúsa e Itaú Unibanco (Iupar) detentores de ADR vão receber ações classe A emitidas pela XP. Outros acionistas dessas três instituições receberão BDRs patrocinados nível 1 da XP, em troca das ações da XPart, que depois disso deixará de existir.
    • A XP disse que a expectativa é que a fusão ocorra no fim do terceiro trimestre deste ano, sendo que além da aprovação do Fed é necessária a autorização das assembleias de acionistas da corretora e da nova holding. Com a mudança, o poder de voto dos controladores da XP passará de 55,4% para 68,3% da XPart.

    Segundo Guedes, Brasil está barato para estrangeiros

    Ao participar de um evento do BTG Pactual, o ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o Brasil está barato para investidores estrangeiros e afirmou que os “gringos” que entrarem no país neste momento, com o dólar cotado perto de R$ 5,50, poderão sair com a moeda a R$ 3 em “dois ou três anos”.

    • No evento, Guedes disse que participa de menos road shows com investidores do que ministros anteriores, mas disse que o Brasil “incontornavelmente” terá de ir em direção aos mercados. “Primeiro tem de trabalhar para depois vender o Brasil”, completou, se referindo às reformas pretendidas por sua administração.
    • O ministro voltou a dizer que a conta da pandemia do coronavírus (Covid-19), não pode ficar para as próximas gerações. “Não vamos jogar dívida da pandemia para 100% do PIB (Produto Interno Bruto)”, completou.
    • No início da sua fala, Guedes disse que queria “parabenizar todos os economistas que já integraram o governo”. “Antes de entrar no governo, eu achava tudo muito fácil, não é bem assim”, brincou o ministro, que está há dois anos e cinco meses no cargo e já travou negociações duras com o Congresso Nacional.

    Stone comprará R$ 2,5 bilhões em ações do Banco Inter

    O Banco Inter venderá uma participação acionária de no máximo 4,99% de seu capital social à Stone, brasileira do setor de maquininhas listada na Nasdaq. O valor investido pela companhia será de R$ 2,5 bilhões, segundo o fato relevante divulgado pela empresa.

    • O processo de investimento, acordado entre Banco Inter e Stone, será realizado por meio de uma oferta de ações restrita, com base na Instrução 476 da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). O negócio possui o valor de R$ 57,84 por unit fixado, já considerando o desdobramento de ações em curso do banco.
    • “O acionista controlador do Inter concordou em ceder à Stone seu direito de prioridade na oferta, observados os requisitos legais aplicáveis”, diz o comunicado. Na conclusão do negócio, será realizado um acordo de acionistas entre as empresas, o que dará direito à Stone a indicar um aumento para o Conselho de Administração do Inter.
    • O fato relevante diz que as partes explorarão oportunidades de negócios que possam potencializar a criação de um “ecossistema que conecta compradores a vendedores”, com melhores produtos financeiros e um grande canal de vendas.

    Acqua-Vero rescinde contrato com a XP

    O escritório de assessoria de investimento Acqua-Vero informou aos seus clientes que decidiu rescindir o contrato com a XP por justa causa e assim estará conectado à plataforma do BTG Pactual.

    • Vale lembrar que na semana passada a Acqua-Vero anunciou que deixaria a XP para se tornar parceira do BTG Pactual, por isso o escritório estava cumprindo o período de 60 dias de aviso prévio.
    • Entretanto, o escritório informou aos seus clientes que, após o anúncio, algumas regras previstas no contrato não estavam sendo obedecidas, e assim tomou a decisão de rescindir imediatamente o contrato com a XP.
    • A assessoria do escritório detalhou que não conseguia mais acessar o software de gestão dos clientes, o que estaria impedindo a prestação de serviços.
    • O escritório, atualmente o maior de São Paulo em assessoria de investimentos, visa se tornar uma corretora de valores e, no futuro, realizar uma abertura de capital na Bolsa de Valores de São Paulo (B3).