Acesso Rápido

    Radar do Mercado: Notre Dame Intermédica (GNDI3) aprova recompra

    Radar do Mercado: Notre Dame Intermédica (GNDI3) aprova recompra

    Em Fato Relevante, a companhia informou que o Conselho de Administração aprovou o Programa de Recompra de Ações. A Notre Dame tem 458.380.483 ações ordinárias em circulação e 308.099 ações retidas em tesouraria.

    O programa almeja recomprar até 3,4 milhões de ações ON, que equivalem a 0,6% do total do capital social da empresa. Cabe à Diretoria escolher o momento e a quantidade de ações dentro deste limite.

    O prazo máximo do programa de recompra será de 6 meses, com início em 9 de janeiro de 2020 e terminando em 08 de julho de 2020. As operações serão intermediadas pelo Citigroup Global Markets Brasil.

    E-book: 10 livros que todo investidor deveria ler

    Conheça os 10 livros de investimentos e finanças mais importantes e amplie seus conhecimentos como investidor!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    As ações adquiridas serão mantidas em tesouraria, podendo ser canceladas ou alienadas. O RI da empresa menciona a possibilidade de serem transferidas com o fim de pagar parte do preço da aquisição do Grupo Clinipam. O grupo adquirido apresentou crescimento anual de beneficiários de 17% entre 2013 e 2018.

    A companhia já pagou R$ 250 milhões à vista e R$ 200 milhões serão pagos em novas ações emitidas a um preço por ação de R$ 59,42.

    A estratégia de recompra de ações é instrumento amplamente utilizado para remunerar os acionistas, ao comprar os papéis e cancelá-los, os acionistas acabam por deter fatia maior do capital social da companhia, e acabam por desfrutar de um lucro por ação maior.

    É uma maneira que não pode ser expressada pelo dividend yield, métrica a que os investidores costumam dar mais atenção. O shareholders yield, por outro lado, não só engloba os dividendos, mas também as recompras e a variação da dívida líquida.

    O indicador foi criado pelo investidor William Priest, em artigo de 2005, chamado “O caso do shareholder yield como um importante impulsionador do futuro dos retornos em ações”.

    É importante observar que, se feita de modo exacerbado, pode retirar a liquidez das ações, pois retira ações do free float.

    Tags
    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    2 comentários

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *