10 maiores bancos do Brasil: Descubra quais são

A cada ano que passa, as instituições financeiras estão cada vez com mais players, aumentando, assim, a concorrência entre eles.

Isso motiva, entre outras questões, a melhora na qualidade de serviço, principalmente entre os considerados maiores bancos do Brasil, dado que sua posição está cada vez mais ameaçada por concorrentes.

Quais são os maiores bancos do Brasil?

WEBINARIO SUNO INTER

Sendo assim, conhecer quais são estes bancos, ajuda a entender um pouco da composição do sistema financeiro nacional. Por isso, abaixo será listado os maiores bancos do Brasil em 2022, indicando um pouco da sua história, além do lucro anual consolidado do ano passado e a maioria deles listados na bolsa de valores.

  1. Itaú (ITUB3): R$ 242,617,900,000
  2. Bradesco (BBDC4): R$ 139,822,443,532
  3. BTG Pactual (BPAC11): R$ 113,527,100,000
  4. Santander (SANB11): R$ 100,930,227,946
  5. Itaúsa (ITSA4): R$ 84,286,930,000
  6. Banco do Brasil (BBSE3): R$ 61,520,000,000
  7. Caixa Econômica Federal (CXSE3): R$ 32,460,000,000
  8. Banco Pan (BPAN4): R$ 8,950,590,861
  9. Banrisul (BRSR6): R$ 4,602,222,252
  10. Banco ABC (ABCB4) 4.230.146.107,78

10. Banco ABC (ABCB4)

logo ABC Brasil

No segundo trimestre de 2023, o banco apresentou um aumento na margem financeira, saltando de R$ 544,4 milhões no segundo trimestre para R$ 591,0 milhões. Este crescimento de quase 8,6% é um indicador da capacidade do banco em maximizar seu principal motor de renda, evidenciando uma gestão de ativos e passivos particularmente eficaz, especialmente em um período de volatilidade econômica.

A receita de serviços também mostrou um crescimento significativo, um salto de R$ 79,4 milhões para R$ 116,7 milhões no mesmo período, marcando um aumento impressionante de 47%. Tal incremento nas receitas de serviços pode ser atribuído à diversificação dos produtos do banco e ao foco em ampliar as operações de fee-based, mitigando riscos e capitalizando sobre novas oportunidades de mercado.

Adicionalmente, o banco conseguiu manter um índice de eficiência operacional estável, mantendo as despesas sob controle e refletindo a efetividade das medidas de otimização de custos adotadas.

Em termos de rentabilidade, o Banco ABC Brasil mostrou um lucro líquido recorrente de R$ 620,1 milhões, um incremento modesto em relação aos R$ 603,0 milhões do período anterior, porém representativo de uma trajetória de crescimento constante. Esse resultado reforça a posição do banco como uma entidade financeira resiliente, capaz de manter uma lucratividade sólida mesmo diante dos desafios econômicos atuais.

Com um ROAE (Retorno sobre o Patrimônio Líquido Ajustado) recorrente mantendo-se próximo a 16,5%, o Banco ABC Brasil solidifica seu compromisso com a geração de valor a longo prazo para seus acionistas e stakeholders.

9. Banrisul (BRSR6)

Logo Banrisul

O Banrisul, Banco do Estado do Rio Grande do Sul, é uma instituição financeira que carrega em sua história a solidez e a confiança de uma trajetória centenária. Fundado em 1928, o banco consolidou-se como um dos principais agentes de desenvolvimento econômico e social do sul do país. Com uma rede de agências que permeia o território gaúcho, o Banrisul é um símbolo de estabilidade e comprometimento com a prosperidade regional.

Nos destaques financeiros recentes, o Banrisul evidencia uma gestão que prioriza o crescimento e a sustentabilidade econômica. O lucro líquido do segundo trimestre de 2023 atinge R$ 226,5 milhões, marcando um crescimento trimestral de 6,3%, apesar de uma ligeira retração de 0,6% em doze meses. Este desempenho reflete a habilidade do banco em adaptar-se às dinâmicas do mercado financeiro, mantendo uma operação rentável e resiliente.

A estratégia de crédito do Banrisul mostra uma diversificação cautelosa, com um aumento anual de 15,5% na carteira de crédito, atingindo um saldo de R$ 51,5 bilhões. O crescimento expressivo de 83,4% no segmento de crédito rural no período de um ano ressalta a importância do banco para o setor agropecuário, um pilar da economia do estado.

Com uma visão de futuro, o Banrisul planeja disponibilizar R$ 11 bilhões no Plano Safra 23/24, um aumento de 57% em relação ao anterior, destacando seu papel vital no apoio à agricultura familiar e ao desenvolvimento sustentável do setor agrícola.

8. Banco PAN (BPAN4)

Fundado em 1969, o Banco Pan é uma instituição financeira brasileira com um histórico de inovação e adaptação. Ao longo dos anos, o banco evoluiu significativamente, passando por uma série de reestruturações e parcerias estratégicas, a mais recente com o Banco BTG Pactual, que fortaleceu sua posição no mercado financeiro.

Com foco em inclusão financeira e serviços bancários digitais, o Banco Pan tem se destacado por oferecer soluções financeiras acessíveis a um segmento mais amplo da população, consolidando sua reputação como um banco moderno e dinâmico.

O crescimento contínuo do Banco Pan é refletido nos números de seu recente relatório financeiro. O banco viu sua base de clientes expandir consideravelmente, com um salto de 21% em comparação ao mesmo período do ano anterior, resultando em mais de 26,9 milhões de clientes ativos.

A carteira de crédito acompanhou essa tendência ascendente, com um aumento de 8% em relação ao terceiro trimestre do ano anterior, atingindo um robusto saldo de R$ 39,2 bilhões, o que evidencia a confiança e a fidelidade de sua base de clientes.

Em termos de rentabilidade, o Banco Pan não ficou para trás. Reportou um lucro líquido ajustado de R$ 198 milhões no terceiro trimestre de 2023, demonstrando um crescimento consistente de 3% em relação ao trimestre anterior e de 4% quando comparado ao segundo trimestre de 2023.

Além disso, o banco manteve uma performance de destaque em termos de Retorno sobre o Patrimônio Líquido (ROE), ajustado pelo ágio, marcando 11,5%. Estes indicadores financeiros sublinham a sólida performance do Banco Pan e endossam sua estratégia de crescimento e eficiência operacional.

7. Caixa (CXSE3)

A Caixa Econômica Federal, conhecida simplesmente como Caixa, é uma das mais antigas e importantes instituições financeiras do Brasil. Fundada em 1861, atua como agente de políticas públicas e é uma aliada essencial no desenvolvimento social do país.

Ao longo de sua história, a Caixa consolidou-se como o principal banco para habitação e financiamento de programas sociais, estabelecendo uma conexão profunda com a vida financeira dos brasileiros e promovendo a inclusão social através de seus serviços bancários.

No segundo trimestre de 2023, a Caixa demonstrou solidez e crescimento, evidenciado por um lucro líquido impressionante de R$ 4,5 bilhões, marcando um aumento de 3,2% em relação ao mesmo período do ano anterior.

A instituição também reportou um aumento significativo nas receitas de serviços, que atingiram R$ 6,3 bilhões, refletindo um aumento de 2,9% em comparação ao segundo trimestre de 2022. Este crescimento é um testemunho da eficácia das estratégias adotadas pela Caixa e da confiança que continua a inspirar entre seus clientes.

A robustez da Caixa também pode ser vista em seus serviços de seguros, que tiveram um aumento expressivo de 29,1% sobre o trimestre anterior. Ademais, o saldo de captações alcançou R$ 1,273 trilhões, evidenciando um incremento de 15,4% em relação ao ano anterior, consolidando a posição da Caixa como uma das principais instituições financeiras na gestão de ativos e poupança no Brasil.

Em termos de mercado, a Caixa mantém uma forte presença, com um share de 19,6% no total de crédito e 67,5% no segmento de habitação, destacando seu papel central no financiamento imobiliário e apoio ao agronegócio brasileiro.

6. Banco do Brasil (BBSE3)

O Banco do Brasil, instituição centenária e um dos mais importantes pilares do sistema financeiro nacional, carrega uma história repleta de inovações e contribuições significativas para a economia do país. Desde sua fundação em 1808, tem sido um instrumento crucial de política econômica, fomentando o desenvolvimento e oferecendo uma ampla gama de serviços bancários à população.

No que diz respeito à performance recente, o Banco do Brasil mostrou um aumento robusto em seu volume de crédito, que chegou a R$ 1,071 trilhão no terceiro trimestre de 2023, um crescimento de 2% em relação ao trimestre anterior e de 10% no ano.

A carteira de crédito classificada atingiu R$ 946 bilhões, um aumento de 2,6% no trimestre, refletindo crescimentos sólidos nos segmentos de pessoa física, pessoa jurídica e, notavelmente, agro negócios, que cresceu 17,06%. A qualidade do crédito teve um ligeiro aumento na inadimplência para 3,50%, mas ainda assim, o banco manteve uma cobertura de inadimplência robusta, demonstrando sua capacidade de gerir riscos eficientemente.

Projetando o futuro, as projeções corporativas para 2023 indicam uma trajetória de crescimento contínuo, com a carteira de crédito esperada para expandir entre 9% e 13%. A margem financeira bruta teve um crescimento impressionante de 30,4% até o momento, e as receitas de prestação de serviços aumentaram em 5%.

Esses números sinalizam uma gestão eficiente e um foco estratégico na expansão de suas operações, consolidando ainda mais a posição do Banco do Brasil como líder no setor bancário do país.

5. Itaúsa (ITSA4)

EBOOK INVESTINDO EM FIIS

A Itaúsa, conglomerado de investimentos com relevante participação no setor financeiro através do Itaú Unibanco, além de outras significativas atuações industriais, é uma das maiores holdings do Brasil e da América Latina.

Com uma história que remonta à década de 1960, a Itaúsa tem se destacado por sua gestão focada em valorização sustentável e diversificação estratégica, sempre em busca de excelência e inovação nos negócios.

No terceiro trimestre de 2023, a Itaúsa reportou um lucro líquido recorrente de R$ 3,4 bilhões, um aumento de 14% em relação ao segundo trimestre do ano, refletindo a resiliência e a robustez de suas operações. O valor de mercado do portfólio atingiu R$ 115,2 bilhões, marcando um crescimento de 20% em comparação ao final de junho de 2023.

O Retorno sobre o Patrimônio Líquido (ROE) recorrente foi de 16,4% ao ano, superando em 4,2 pontos percentuais o mesmo período do ano anterior, o que demonstra o sucesso da estratégia de investimentos e a eficácia na gestão de seus ativos.

Destacando-se no mercado de capitais, a capitalização de mercado da Itaúsa evidenciou uma expressiva valorização de 27,1% em relação ao mesmo período do ano anterior, sinalizando confiança e otimismo do mercado quanto à sua gestão e perspectivas futuras.

Essa evolução é respaldada por decisões estratégicas como o pagamento de juros sobre capital próprio e o investimento constante em seus programas de recompra de ações, que reforçam o compromisso com a geração de valor aos acionistas.

A Itaúsa mantém-se como um dos principais players no cenário econômico, com expectativas positivas para a continuidade de seu crescimento e fortalecimento no mercado.

4. Santander Brasil (SANB11)

O Santander Brasil, uma das principais instituições financeiras em atuação no país, tem se destacado no cenário bancário pelo seu dinamismo e abordagem inovadora. Desde a sua entrada no mercado brasileiro, o banco tem crescido consistentemente, fruto de uma estratégia agressiva de crescimento e uma sólida gestão de riscos.

No terceiro trimestre de 2023, o banco reportou um robusto lucro líquido de R$ 2,7 bilhões, marcando um significativo crescimento de 18% em relação ao trimestre anterior. Este desempenho é um reflexo direto da eficácia do plano de captações e comissões que trouxe uma maior diversificação ao portfólio do banco e uma melhora na margem de mercados, evidenciando uma gestão orientada para a eficiência e a rentabilidade.

Olhando para o futuro, o Santander Brasil continua focado em suas prioridades estratégicas para 2023. Com ênfase na rentabilização da base de clientes e a vinculação pela principalidade, o banco busca fortalecer ainda mais a sua posição no mercado.

A expansão dos negócios estratégicos, aliada à inovação e tecnologia, está no cerne da estratégia para impulsionar o crescimento sustentável. O banco se compromete a manter uma cultura de produtividade e gestão de custos, garantindo assim uma perspectiva positiva para o futuro próximo.

3. BTG Pactual (BPAC11)

O BTG Pactual tem se consolidado como uma potência no setor financeiro, evidenciando uma história marcada pela inovação e pela capacidade de antecipar tendências de mercado. Com uma visão estratégica que alia agilidade e solidez, o banco tem expandido sua presença e influência no cenário econômico nacional e internacional.

No 3T23, o BTG Pactual apresentou um expressivo lucro líquido ajustado de R$ 2,7 bilhões, o que representa um aumento de 19% em comparação anual. Esse resultado reflete a habilidade do banco em captar novos recursos, com um acréscimo notável de R$ 59 bilhões em Net New Money, e gerenciar de forma eficaz seu portfólio de Corporate & PME, que alcançou R$ 161 bilhões, crescendo 24% ano a ano. A receita total do banco também acompanhou essa trajetória ascendente, registrando R$ 5,7 bilhões no trimestre, um avanço de 19% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Além disso, o BTG Pactual manteve uma robusta posição de liquidez, com os Ativos sob Gestão (AuM) e sob Consultoria (WuM) alcançando impressionantes R$ 1,5 trilhão, um aumento de 25% em relação ao ano anterior.

Isso, somado a um índice de Basileia de 17,4% e um ROAE ajustado de 23,2%, sublinha a solidez e eficiência operacional do banco. Com esses números, o BTG Pactual não só reforça seu compromisso com a excelência e a geração de valor, mas também destaca seu potencial para manter uma trajetória de crescimento sustentável no futuro.

2. Bradesco (BBDC4)

Fundado em 1943 na pequena cidade de Marília, no interior de São Paulo, o Bradesco se transformou em um dos colossos do setor bancário brasileiro. Sua trajetória é marcada por uma expansão agressiva e uma série de inovações tecnológicas que revolucionaram o acesso a serviços financeiros no país.

Com uma rede de agências que se estende por todo o território nacional, o Bradesco consolidou-se como uma instituição sinônimo de confiança e solidez, atendendo milhões de clientes, dos mais variados perfis e necessidades.

No recente panorama financeiro, o Bradesco destacou-se ao reportar um lucro líquido substancial de R$ 4,6 bilhões. Este valor não apenas reflete a sua capacidade operacional mas também, e mais notavelmente, um Return on Equity (ROE) de 11,3%, que é um testemunho robusto da eficiência e da lucratividade da instituição.

Acompanhando esse desempenho, a carteira de crédito do banco mostrou um expressivo volume de R$ 877,5 bilhões, sinalizando a amplitude e a penetração de mercado do Bradesco em um setor competitivo.

Além dos números que impressionam, o Bradesco tem demonstrado um controle operacional eficaz, evidenciado pelo decremento de 0,1 ponto percentual no índice de inadimplência superior a 90 dias, e um incremento de 55 bps na Basileia Nível I, atingindo um sólido 13,4%.

Esses índices são vitais, pois apontam para uma gestão de risco acurada e uma estrutura de capital resiliente, assegurando ao Bradesco uma posição de destaque na estabilidade financeira dentro do mercado bancário brasileiro.

1. Itaú Unibanco (ITUB3)

O Itaú Unibanco, reconhecido como o banco mais valioso do Brasil em termos de valor de mercado, carrega uma história de mais de 90 anos de operações. Desde a sua fundação, o banco tem sido um pilar no sistema financeiro brasileiro, inovando e crescendo constantemente.

O Itaú é uma instituição que se destaca pela sua capacidade de adaptação às transformações econômicas e tecnológicas, mantendo-se firme na vanguarda do setor bancário nacional e internacional.

O banco registrou um resultado recorrente geral impressionante de R$ 9,0 bilhões no último trimestre, um aumento de 3,4% em relação ao mesmo período do ano anterior, demonstrando sua força e estabilidade operacional mesmo em tempos de volatilidade econômica.

A receita de serviços e seguros acompanhou o desempenho positivo, marcando R$ 12,9 bilhões, também com um crescimento de 3,4%. Esses números não apenas reforçam a robustez do Itaú Unibanco mas também sublinham a eficiência de suas operações e a confiança que seus clientes depositam na instituição.

Junto a esses resultados, o Itaú Unibanco também mostrou um sólido índice de capital nível 1, que subiu 1,0 p.p. para 14,6%, refletindo uma estratégia financeira prudente e uma gestão de risco eficaz.

A qualidade do portfólio de crédito se manteve estável com um Non-Performing Loans (NPL) > 90 dias em 3,0%, evidenciando a capacidade do banco de manter uma carteira de crédito saudável. O Itaú Unibanco não só lidera em valor de mercado mas continua a consolidar sua posição como um dos bancos mais sólidos e confiáveis do Brasil e da América Latina.

O que é valor de mercado?

Valor de mercado, também conhecido como capitalização de mercado, é um indicador financeiro que reflete o valor atual de uma empresa conforme percebido pelo mercado de ações. Não é um número estático; ele respira, oscilando ao ritmo das operações diárias do mercado.

Para calculá-lo, multiplica-se o preço atual da ação da empresa pelo número total de ações em circulação. É uma métrica simples. Mas, nessa simplicidade jaz uma profundidade surpreendente, pois encapsula as expectativas coletivas de investidores e a performance corporativa perante o mundo.

Este número não é o todo-poderoso veredito do valor da empresa, mas sim uma fotografia instantânea de sua avaliação pública. Ele é sensível. Reage a notícias, resultados financeiros, mudanças econômicas globais e, claro, às emoções humanas que impulsionam as decisões de compra e venda.

Investidores olham para o valor de mercado como um termômetro da confiança do mercado naquela empresa, onde uma alta capitalização pode sugerir uma empresa sólida e uma baixa, uma possível subavaliação ou uma empresa enfrentando desafios.

Entender o valor de mercado é fundamental para investidores que buscam tomar decisões informadas. Ele serve como um ponto de partida para avaliações mais profundas, incluindo a análise de múltiplos de mercado, como preço/lucro e valor/EBITDA, que adicionam camadas de contexto à valoração.

Quando se considera investir, o valor de mercado oferece uma perspectiva inicial crucial, mas é o mergulho nos fundamentos da empresa que revela a história por trás dos números.

PLANILHA DA VIDA FINANCEIRA

Perguntas frequentes sobre os maiores bancos do Brasil
Quais são os maiores bancos do Brasil?

Na lista de maiores bancos do Brasil estão: Itau Unibanco (ITUB4), Bradesco (BBDC4), BTG Pactual (BPAC11), Santander (SANB11), Itaúsa (ITSA4), Banco do Brasil (BBSE3), Caixa Econômica Federal (CXSE3), Banco Pan (BPAN4), Banrisul (BRSR6), Banco ABC (ABCB4).

ACESSO RÁPIDO
    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    9 comentários

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Fabrício 13 de julho de 2022
      Por que a Caixa Econômica Federal não está nessa lista?Responder
      • Marco 12 de fevereiro de 2023
        Deve ser pq é uma instituição falida, q se sustenta com o dinheiro descontado dos trabalhadores em regime CLT... fora isso, não há fluxo nesse banco de merd@... o pior do Brasil...Responder
    • Fernando 13 de julho de 2022
      Uai Tiago, cadê a Caixa?Responder
    • Domingos Henrique Fazan Caramano 16 de julho de 2022
      E a grande e secular CAIXA ECONÔMICA FEDERAL, esqueceram? Volumes de depósitos e de operaçôes com lucros robustos!!!Responder
    • Valdecir Crezio De Souza 17 de julho de 2022
      Faltou a Caixa Econômica, falha feia!Responder
    • Márcio 20 de julho de 2022
      Vocês precisam de um novo redator. Matéria muito mal escrita. Uma pena, pois o conteúdo é bastante relevante.Responder
    • Leandroo 28 de julho de 2022
      E onde ficou o Safra e o Nubank ?Responder
    • noé 4 de setembro de 2022
      e o InterResponder
    • pura verdade 6 de agosto de 2023
      Maiores bancos quantidade de clientes[10] Posição Nome do banco Cidade sede Clientes (em milhões) Ano dos dados País de origem 1 Caixa Econômica Federal Brasília 148,13 4º trimestre de 2022 Brasil 2 Bradesco Osasco 102,81 4º trimestre de 2022 Brasil 3 Itaú Unibanco São Paulo 97,71 4º trimestre de 2022 Brasil 4 Banco do Brasil Brasília 74,13 4º trimestre de 2022 Brasil 5 Nubank São Paulo 69,08 4º trimestre de 2022 Brasil 6 Santander Brasil São Paulo 62,03 4º trimestre de 2022 Espanha 7 Banco Original São Paulo 47,99 4º trimestre de 2022 Brasil 8 Banco Inter Belo Horizonte 23,22 4º trimestre de 2022 Brasil 9 C6 Bank São Paulo 22,91 4º trimestre de 2022 Brasil 10 BTG Pactual São Paulo 21,19 4º trimestre de 2022 BrasilResponder