Acesso Rápido

    D+0, D+1, D+30: o que é? Como funciona o resgate de uma aplicação

    D+0, D+1, D+30: o que é? Como funciona o resgate de uma aplicação

    D+0, D+1, D+30… Esses são conceitos que muitas pessoas usam ao avaliar os ativos financeiros que existem no mercado. No entanto, muitos não o conhecem.

    Portanto, compreender o significado de D+0, D+1, D+30 e outros D+ é muito importante para o desenvolvimento do ambiente do mercado financeiro.

    O que é D+0, D+1, D+30?

    As siglas “D+0, D+1, D+30” indicam o tempo para que uma transação financeira ocorra. Elas mostram, de forma resumida, quantos dias úteis vão levar para a operação ter seu processamento pela instituição.

    O termo é uma abreviação para “Dia Atual + X”. O dia atual é a data de solicitação, e X é o número de dias úteis até que ela se complete.

    Em uma aplicação D+1, por exemplo, o resgate do dinheiro completa em um dia útil após a sua solicitação. Logo, se o investidor pedir o saque hoje, o depósito ocorrerá em sua conta no dia útil seguinte.

    Dessa forma, em um D+2, o dinheiro terá seu depósito dois dias depois. No D+30, trinta dias úteis – e assim sucessivamente. Ou seja, para todos os investidores, seja em renda fixa ou renda variável, é fundamental compreender o que é D+0 D+1 D+30.

    O D+X é utilizado não só para investimentos, mas também para compensações bancárias e qualquer outra transferência de valores no mercado.

    Ou seja, o tempo para um cheque ter seu saque, ou para o crédito de uma transferência de PIX, TED ou DOC sair de uma conta para outra, por exemplo, também levam essa contabilização em conta.

    Por que os prazos de resgate existem?

    Normalmente, a maioria das operações financeiras precisam passar por uma série de etapas até serem concluídas.

    Para descontar um cheque, por exemplo, o processo é longo. Tudo começa com a solicitação do cliente. Logo após, o banco emissor recebe o comunicado sobre a compensação.

    Em sequência, a assinatura e demais dados do cheque tem sua verificação e a conta do emissor é verificada para ver se existe saldo suficiente para cobrir o valor.

    Apenas depois de completar todo esse trâmite que o banco consegue concluir a transação. Sendo assim, o processo termina com a transferência do dinheiro de uma pessoa para a outra.

    Em uma aplicação financeira, como um fundo de investimento ou um CDB, a situação é a mesma. Na maioria das vezes, a instituição precisa “desinvestir” parte da sua carteira para devolver o dinheiro solicitado pelo cliente.

    Logo, por ser um processo complexo e envolve diversas partes, o saque normalmente leva alguns dias úteis para ocorrer. Por exemplo: a liquidez D+1, um prazo D+2, entre outros.

    Qual é a importância dos prazos de resgate?

    De fato: o investidor se depara com uma variedade de características e informações diferentes ao procurar por uma aplicação financeira.

    Dentre tais condições, certamente uma das mais importantes diz respeito ao prazo de resgate do dinheiro aplicado. É nessa hora que aparecem os famosos termos D0, D1, D2 – e assim por diante.

    O conceito de D+ é fundamental para saber qual é o objetivo específico daquele investimento.

    Assim, para o gestor de um fundo de investimento, entender o que significa D+0, D+1, D+2 é essencial para definir se o produto está de acordo com os objetivos do investidor.

    Por exemplo: quem quiser usar o dinheiro em pouco tempo deve buscar produtos com resgate em poucos dias.

    Isso permite que o investidor consiga arcar com eventualidades e permite o aproveitamento e novas oportunidades que se mostrem mais atraentes. Por exemplo: em um prazo D+1, é possível sacar o valor com certa rapidez.

    Por outro lado, investimentos com maiores prazos de resgate geralmente permitem rentabilidades maiores.

    Assim, caso o investidor queira um investimento mais para o longo prazo, pode buscar essa modalidade. Ou seja: o tempo de resgate é o que determina a liquidez de uma aplicação.

    Como Funciona o Resgate de Investimentos?

    Para entender como funciona o resgate de investimentos, é possível seguir uma série de passos: primeiramente, o investidor ou o cotista de um fundo entra no seu home broker e solicita o resgate de seu investimento.

    Logo após, o administrador do fundo recebe a solicitação enviada e deve se preparar para realizar a operação.

    Assim, a ação do fundo de investimento tem sua conversão em reais (processo conhecido como cotização) de acordo com o prazo definido em seu regulamento.

    No caso de um investimento D+1 (ou seja, um prazo curto), isso é feito rapidamente. Já para prazos maiores, o processo demora mais.

    Por exemplo: o que é D+2? É um termo que indica que o investimento demorará dois dias úteis para ser liquidado. Assim, o significado de D+2 fica claro ao se utilizar um exemplo.

    Por fim, o valor em reais é liberado ao cotista em sua corretora para que ele possa sacá-lo (processo conhecido como liquidação). No entanto, isso ocorre apenas após o prazo estipulado em dias úteis (e não corridos).

    A relação entre a liquidez da aplicação e o prazo de resgate

    A liquidez, definida como a facilidade de transformar um ativo em dinheiro, é um das características mais importantes qualquer investimento.

    Logo, em uma aplicação financeira – onde o capital fica sobre a responsabilidade de um terceiro, o que determina a liquidez do produto é o seu prazo de resgate.

    Por isso, é importante prestar atenção nos prazos apresentados pelo investimento em questão. Esse período irá variar de acordo com o tipo de aplicação.

    Ou seja, fundos e produtos mais focados a longo prazo costumam ter prazos mais longos. Da mesma forma, investimentos de curto prazo permitem resgates mais rápidos, como D+0, D+1, D+2.

    No caso das aplicações D+0, por exemplo, existe a chamada “liquidez diária”, onde o dinheiro vai para a conta do cliente no mesmo dia do pedido.

    Esperamos que você tenha entendido o conceito por trás das siglas D+0, D+1, D+2. Para esclarecer alguma dúvida ou questão que tenha restado sobre o tema, deixe seu comentário abaixo e compartilhe conosco a sua opinião.

    Quais são os tipos de investimentos com resgate D+0, D+1, D+2?

    De fato, cada ativo possui uma liquidez diferente. Portanto, é necessário saber o prazo de resgate para se planejar corretamente.

    Via de regra, quanto mais alto o rendimento, menor é a liquidez. Ou seja: ativos que entregam uma rentabilidade maior costumam ter um prazo maior de resgate.

    Algumas aplicações como a própria poupança, o Tesouro Selic e os CDBs oferecidos por bancos digitais podem ser resgatados no mesmo dia (D+0). Outros ativos desse tipo possuem um resgate D+1 ou até mesmo um pouco maior.

    Por outro lado, títulos de renda fixa como Tesouro IPCA, LCI e LCA devem ser mantidos até a data de vencimento, mas podem ser vendidos à valor de mercado – o que deve ser feito com muito conhecimento do assunto para evitar perdas monetárias.

    Já fundos mais arriscados, como aqueles que aplicam em renda variável, podem ter prazos mais longos de resgate, como D+30, D+45 e até mesmo D+60.

    Isso ocorre para que o gestor consiga liquidar suas posições e manter seus ativos balanceados.

    Por fim, no caso da venda de ações no ambiente da B3, a liquidação ocorre em D+3.

    Você conseguiu entender o conceito de D+0, D+1, D+30 e sua importância na hora de planejar investimentos? Comente aqui para que possamos tirar as suas dúvidas.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    37 comentários

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Vitor 31 de maio de 2019

      Mas se por que eu deixe o dinheiro rendendo durante um mes e la estiver D+0 /2eu posso deixar ou eu irei perder o dinheiro investido?

      Responder
    • Clea 9 de julho de 2019

      Onde encontro essa informação?

      Responder
    • Marcelo Tschumi 13 de agosto de 2019

      Tenho um a aplicação D+16 em multimercado. Se eu peço resgate hoje, o valor da cota é de hoje ou de 16 dias pra frente?

      Responder
      • Suno Research 15 de agosto de 2019

        Você recebe o valor correspondente ao dia do resgate. (no caso daqui a 16 dias)

        Responder
        • Marcelo do Nascimento 12 de fevereiro de 2020

          É boleto de estalionatario emitido pelo Banco ITI paguei imediatamente pois detesto o PAN AMERICANO quando vi que fora emitido pelo BRADESCO com código barras ITAU desconfiei do erro.

          Responder
      • EVANDRO 29 de janeiro de 2020

        Olá, Marcelo, fiz o mesmo questionamento. Se vc já obteve resposta, por favor, compartilha aí. Valeu.

        Responder
    • Bruno 1 de setembro de 2019

      Muito boa a explicação

      Responder
    • carlindo Claro 19 de setembro de 2019

      Parabens Tiago bem objetivo, era o que procurava

      Responder
    • Ricardo Braga 26 de setembro de 2019

      Fundo imobiliário é D+1 ? Obrigado

      Responder
      • Suno Research 4 de outubro de 2019

        Você vende as cotas via mercado secundário, ou seja, vende na bolsa como se fosse uma ação.

        Responder
    • Ellem 19 de dezembro de 2019

      ola eu vendi um lote de acao. e esta no extrato D2. eu posso comprar outra ação? mesmo que o dinheiro não esteja no soldo? não quero pedir resgate quero reinvestir. posso?

      Responder
    • Alexandre Marton 20 de dezembro de 2019

      Complementando seu artigo lhe coloco uma dúvida menos óbvia e mais importante: Quando eu peço para retirar dinheiro de um fundo d+3 e ele tem rendimento negativo nesses três dias meu saldo é só a perda do d0 (dia do pedido de resgate), do d1 ou somada de todos até o do d3?

      Responder
    • Bill 23 de janeiro de 2020

      Obrigado esclareceu minha dúvida

      Responder
    • Welinton 25 de janeiro de 2020

      Ola, tenho 116 em D1 e vou sacar mais ai vem a mensagem dizendo fundo insuficiente. como Faço pra sacar esse valor? Obrigado

      Responder
    • EVANDRO 29 de janeiro de 2020

      Bom dia, Tiago. Sua explanação é bem didática. Já ajudou muito. Só restou uma dúvida:

      No caso de ações, se eu decido realizar meu lucro e solicito o resgate, a valorização – e lucro- das minhas ações será a do ‘D’ ou a do ‘X’?

      Muito agradecido e aguardo.

      Responder
      • Suno Research 31 de janeiro de 2020

        Boa noite Evandro, nesse caso depende de onde você está investindo, é interessante você perguntar isso antes de fazer qualquer investimento com prazo de devolução.

        Responder
      • Jurandir 12 de março de 2020

        Tenho uma aplicação em fundo de investimento com resgate em D+8. Se eu pedir o resgate hoje, dia 12/03, o crédito será disponibilizado em minha conta dia 20/03. Minha pergunta é, o valor a ser creditado será o da data de hoje ou ocorrerão mais oito dias (de capitalização ou descapitalização do valor?

        Responder
    • lucas 31 de janeiro de 2020

      como eu vejo se a aplicação é D+0 ou D+1?

      Responder
      • Suno Research 31 de janeiro de 2020

        Essa informação deve constar no prospecto.

        Responder
    • Alfredo 18 de fevereiro de 2020

      Olá! Hoje o resgate de vendas de ações, fev/20, é D+2? Obrigado.

      Responder
    • Alex 9 de março de 2020

      O que signica d+8 fiz um investimento de 550 e esta em 584 hoje.
      Fiz em 28/02/20
      Em ouro.

      Responder
    • Henrique 11 de março de 2020

      Prezados, bom dia!

      Tenho um caso em que fiz a solicitação de resgate dia 07/02/20, e o prazo de cotização é d+30 CORRIDOS, e d+02 uteis para pagamento após cotização.

      D+30 CORRIDOS, cairia no dia 08/03/20, num domingo, a cotização deveria ocorrer pelo dia 08, ou seja, regredir até o dia 06/03, sexta feira, ou contar como segunda, dia 09, o que seria d+31?

      Muito obrigado caso possam me esclarecer

      Responder
      • Eduardo 26 de março de 2020

        Estou na mesma situação. Meu d+30 cai no domingo. No seu caso foi cotizado com o valor da sexta ou da segunda?

        Responder
    • Jurandir 12 de março de 2020

      Tenho uma aplicação em fundo de investimento com resgate em D+8. Se eu pedir o resgate hoje, dia 12/03, o crédito será disponibilizado em minha conta dia 20/03. Minha pergunta é, o valor a ser creditado será o da data de hoje ou ocorrerão mais oito dias (de capitalização ou descapitalização do valor?

      Responder
      • Suno Research 13 de março de 2020

        Boa tarde, Jurandir!
        O valor de retirada está sujeito a rentabilidade do fundo até o final do prazo de cotização. A partir do momento em que o valor é convertido em cotas, ele não está mais sujeito à rentabilidade.

        Responder
    • FRANCISCO NETO 26 de março de 2020

      Se o resgate é D + 3, o depósito será no terceiro dia útil após o pedido do resgate. Porém, qual dia é utilizado para calcular o valor da conta do fundo ?

      Responder
    • Webb.Ingrid 16 de abril de 2020

      A person’s success does not depend on his wisdom, but perseverance

      Responder
    • Webb.Ingrid 16 de abril de 2020

      A person’s success does not depend on his wisdom, but perseverance

      Responder
    • Adeguinal Junior 16 de maio de 2020

      Minha dúvida é a seguinte: tenho um fundo que é D+60, ok. Minha dúvida é, se eu fizer um pedido de resgate o valor da cota que vou receber, é o valor da cota do dia do pedido de resgate ou o valor da cota do dia de transformar minha cota em dinheiro, nesse caso, 60 dias depois?

      Responder
    • zaqueu 11 de julho de 2020

      resgate d+31 o isso significa

      Responder
      • Suno Research 13 de julho de 2020

        Boa tarde
        Dia atual mais trinta e um dias para o resgate.
        Atenciosamente, Equipe Suno.

        Responder
    • Edward Seiki Miura 20 de julho de 2020

      Olá! pessoal, boa tarde! Tudo bem? Opero no Swing Trade, vendi os papéis e de imediato constou o saldo na minha conta(Clear)(R$ 10 k), como poder de compra, nesse caso posso comprar outro(s) papeis com esse valor no mesmo dia? Imagino que a liquidez e liquidação vão casar no mesmo prazo de D+2 , certo? obrigado!

      Responder
      • Suno Research 21 de julho de 2020

        Bom dia
        Sugerimos que entre em contato com a sua corretora para maiores informações.
        Atenciosamente,Equipe Suno.

        Responder
    • Juliana Alves dos Santos 20 de janeiro de 2021

      Gostei mui explicação clareza para entender muito obrigado

      Responder
      • Suno Research 26 de janeiro de 2021

        Olá, Juliana! Tudo certo?
        Muito obrigado! Ficamos felizes com isso.
        Atenciosamente, Equipe Suno.

        Responder
    • Roberto Massi 26 de junho de 2021

      Bom dia, tenho e faça uma aplicação diária em um fundo, resolvi resgatar diariamente, 10% do saldo, mas aplico sempre 13% do saldo, mas a liquidez do do fundo é D+3 ou seja peço segunda-feira, recebo quinta-feira, peço terça-feira recebo sexta-feira, sábado e domingo não posso pedir o resgate, ou seja entre segunda e quarta fica um gap sem saques, logo terei de contratar outro fundo para ter liquidez segunda terça e quarta….eu retiro pois compro com desconto, mercadorias que já estão vendidas a lucro liquido de 15% médio….ou seja eu só retiro com a venda casada, mas cho que tem algum furo nessa estratégia…o que acha?

      Responder
    • Kane 24 de março de 2022

      Tenho procurado informações acerca de como funciona o resgate, todavia não encontrei.
      As perguntas que foram respondidas pela administrador da Suno não esclarecem a dúvida que muitos de nós temos. Num fundo de ações D+30 (no meu está dias corridos), qual a data que o fundo fecha a cota?
      1) no mesmo dia do pedido do resgate (caso seja antes das 13hs ou 15hs a depender da corretora
      2) no 30° dia (corrido) após o pedido de resgate.
      3) fica a cargo do fundo decidir quando fechar a cota, que pode ser no 1°dia até o 30°dia após o pedido de resgate.

      CASO a opção 3 seja a correta, acho que o fundo pode sacanear o cotista, fazendo uma marcação menor da cota dentre os 30 dias corridos.

      Responder