Acesso Rápido

    Custeio variável: entenda como funciona essa forma de cálculo contábil

    Custeio variável: entenda como funciona essa forma de cálculo contábil

    Quanto se gasta para manter uma empresa funcionando e dando lucro dependerá de uma série de fatores. Por isso, existe a análise de custo variável.

    Saber o custo variável de um empreendimento é necessário para calcular a média de lucro bruto que este negócio dará no período.

    O que é o custeio variável?

    Custeio variável, também chamado de custeio direto, é um tipo de cálculo que considera que determinados gastos que nem sempre incorrerão, ao menos não com aquele valor.

    O conceito base do custeio variável parte do pressuposto de que dentro de uma organização há despesas fixas e despesas que nem sempre precisarão ser pagas.

    São considerados custos fixos aqueles que independem do volume de produção e venda, permanecendo sempre os mesmos e, por isso, considerados despesas. São eles: seguros, aluguel, folha de pagamento, limpeza e higienização do ambiente de trabalho.

    Dessa forma, o custeio variável, como o nome sugere, separa os gastos que são fixos e os que variam de acordo com o período ou ocasião.

    Minicurso: Contabilidade para Investidores

    Inscreva-se no nosso minicurso gratuito e aprenda os principais conceitos de contabilidade para quem quer investir em empresas na Bolsa de Valores!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Como funciona o custeio variável?

    custeio variável é um tipo de custeio que considera como custo de produção apenas as despesas variáveis que foram reportadas em determinado período.

    Ou seja, o que integra o custo variável de uma empresa variará de acordo com a sua atividade-fim, serviço ou produto. Está diretamente ligado com a produção.

    Então, para pensar em exemplos de custeio variável é preciso considerar o produto desenvolvido por tal empresa.

    Logo, considerando uma empresa de sapatos, o seu custo variável pode ser o cadarço de couro, que só será necessário se determinado modelo for produzido.

    Uma empresa de laticínios pode considerar o corante rosa um custo variável, porque só será utilizado na fabricação de determinados sabores de iogurte.

    Os valores pagos com comissões aos vendedores dos produtos também são despesas variáveis.

    As despesas fixas são os salários em si, que são os mesmos todos os meses, de modo geral.

    Custeio variável e demais formas de custeio

    Custeio variável

    O custeio variável não é a única forma de cálculo utilizada pela Contabilidade.

    No geral, os métodos de custeio utilizados pelas empresas são:

    • Custeio por absorção (ou custeio integral),
    • Custeio variável;
    • Custeio padrão.

    Custeio por absorção

    O custeio por absorção é aquele que considera atrelados aos produtos tanto os custos fixos quanto os variáveis.

    Estes custos, fixos e variáveis, são apropriados aos produtos por meio de rateios. Desta forma, todos os gastos da empresa são repassados ao produto. Este é o método mais utilizado pela Contabilidade.

    Custeio padrão

    O custeio padrão, por sua vez, é desenvolvido antes do produto começar a ser produzido. Ou seja, na fase de pré-produção.

    Trata-se de uma etapa de planejamento de custo do produto.

    É importante ter em mente que tanto os gastos diretos quanto os indiretos irão interferir no preço final do produto ou serviço ofertado pela empresa.

    Então, no custeio padrão, o preço do produto será determinado previamente pela estimativa de gastos que ele gerará, com o percentual do lucro pretendido. O valor é baseado nos gastos obtidos anteriormente, ou seja, é uma previsão de quanto custará a produção.

    Esta medida é fundamental para que a empresa não tenha prejuízo, cobrando pouco por um produto que tem um custo razoável.

    É importante ter em mente que métodos e formas de cálculo contábeis como o custeio variável podem interferir diretamente no lucro da empresa e, consequentemente, nos valores dos dividendos.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *