Acesso Rápido

    CPV: entenda como analisar o Custo dos Produtos Vendidos

    CPV: entenda como analisar o Custo dos Produtos Vendidos

    Um dos requisitos para que um negócio vá bem é que o empreendedor tenha bons conhecimentos em gestão. Em se tratando de uma atividade de produção e venda de produtos, um indicador importante nesse sentido é o CPV.

    Isso porque, sem conhecimentos como o CPV, o risco de o empreendimento falir em seus primeiros anos é grande.

    O que é o CPV (Custo dos Produtos Vendidos)?

    CPV é a sigla de Custo dos Produtos Vendidos, o qual calcula todo o custo incorrido para que houvesse a produção ou a venda de determinados produtos. Com ele, o empresário consegue saber se está tendo lucro ou não com a venda das suas mercadorias.

    Esta conta é voltada, especialmente, às indústrias e pequenos produtores, não ao comércio.

    Quais itens integram o CPV?

    Para calcular o Custo dos Produtos Vendidos, é preciso fazer algumas contas. Afinal, um dado assim requer o levantamento de dados do negócio, que serão convertidos em números.

    Os principais itens que compõem o CPV são:

    • Matéria-prima para a produção do item;
    • Mão de obra da linha de produção;
    • Energia elétrica;
    • Depreciação do maquinário;
    • Manutenção destas máquinas;
    • Embalagens dos produtos.

    Ou seja, todo o esforço necessário para a produção do produto que será comercializado.

    Cada empresa terá um tipo de gasto maior. Algumas precisarão de mais investimento em mão de obra, outras em matéria prima.

    Ainda assim, todos os gastos que envolvem essa produção devem ser contabilizados, desde o menor até o maior.

    Como calcular o CPV?

    Após estes dados serem levantados, é chega a hora de fazer o cálculo do CPV.

    A fórmula do CPV é:

    • CPV = EI + (In + MO + GGF) – EF

    Onde:

    • EI é o estoque inicial;
    • In são os insumos utilizados nos produtos comercializados;
    • MO representa a mão de obra direta;
    • GGF são os Gastos Gerais de Fabricação;
    • EF é o estoque final.

    Lembrando que quando falamos de insumos, nos referimos a matéria-prima e demais elementos essenciais para a produção.

    E GGF representa os gastos com a mão de obra indireta, aluguel de galpão ou prédio onde é feita a produção e o estoque.

    Nesta conta também entram os gastos com água, energia e as depreciações.

    Com este cálculo, chega-se ao CPV total.

    Exemplo de cálculo do CPV

    Vamos a um exemplo de CPV para deixar a conta mais clara.

    Digamos que a empresa de gomas de mascar “Docinho” esteja calculando o seu Custo de Produtos Vendidos.

    Ao levantar seus dados, a empresa descobriu as seguintes informações referentes ao ano de produção:

    • Seu estoque inicial é de R$ 8 mil.
    • Seu gasto com insumos é de R$ 15 mil.
    • Sua mão de obra, por sua vez, custa R$ 20 mil.
    • Gastos Gerais de Fabricação estão em R$ 4 mil.
    • E seu estoque final é de R$ 40 mil.

    Logo, a conta do seu CPV será:

    • CPV = 8000 + (15000 + 20000+ 4000) – 40000

    Assim, seu CPV é de R$ 7 mil.

    Para que serve o Custo de Produtos Vendidos?

    Com esse dado em mãos, o gestor pode acompanhar a evolução dos seus gastos com produção e ajustar o valor de venda do produto para evitar prejuízos.

    Além disso, essa ferramenta demonstra quais foram os gastos que mais aumentaram. Desta forma, o empresário pode buscar alternativas a eles, como outros fornecedores ou formas de energia.

    Assim, o gestor pode otimizar sua produção e melhorar a precificação dos seus produtos.

    Quem deseja aprender mais sobre como precificar ativos pode participar minicurso sobre o tema da Suno Research.

    Assim, é possível adquirir muitos conhecimentos, além do CPV.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    6 comentários

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Rossana 30 de outubro de 2019

      Gostei do conteúdo, esta bem didático, parabéns.

      Responder
    • leo 8 de janeiro de 2020

      Belo material. Parabéns! Poderia comentar semelhanças e diferenças entre CPV e CMV? São a mesma coisa? São mais ou menos a mesma coisa (apenas focado em contextos diferentes)? Há relação direta entre os 2 números? Obrigado!

      Responder
      • Suno Research 10 de janeiro de 2020

        CPV é o que você gasta para produzir um produto.
        CMV é o que você gasta para vender um produto (embora tecnicamente seja uma despesa e não um custo).

        Responder
    • Amílcar Gonçalves Moreira 16 de janeiro de 2022

      Dr. Tiago Reis.
      Gostei da matéria
      A maioria das contabilidades com o custo integrado com restante da escrituração cometem um erro muito grave quando elas reduzem drasticamente a produção(Exemplo reduzem a produção em 50% da capacidade normal. Nessas situações ocorre ociosidade em relação à mão de obra e demais custos fixos quando elas fazem o rateio desses custos tomando como base a produção REDUZIDA. Nesses casos, entendo que não podem fazer dessa forma. Devem atribuir o RATEIO somente parcial e o restante deve figurar como CUSTO DE PRODUÇÃO SEM QUANTIDADE PRODUZIDA E DANDO A SAÍDA NO CPV DIRETAMENTE. Não podem reconhecer essa perda como um ativo da empresa. Base legal:
      Entendo que a coluna do Custo Fixo da ociosidade deve ir inteiramente para o CPV de modo que em relação somente à parte produzida no mês dever ir para a equação CPV= EI + ( MP, ME, PI + GGF + MOBRA E ENCARGOS) – EF.
      A parte que se refere à ociosidade não pode entrar no estoque final(Ativando perda).

      Base legal: DL 1598, de 1977 e Artigos 301 e 302 do RIR 2018. PN RFB nº 6, de 1979 e 14, de 1981; Lei 6404, de 1976 Art. 183, II; e CPC 16( R1) do Comitê de Pronunciamentos contábeis.
      Pergunto: Estou correto?

      Amílcar Gonçalves Moreira
      Consultor tributário e financeiro
      Itaúna(MG) 16 de janeiro de 2022 37 9 9982 2774

      Responder
    • Mauro Negruni 17 de janeiro de 2022

      E caso o estoque final fosse igual ao estoque final mais os custos de fabricação? Caso a empresa não vendesse nada?
      E também ao contrário, se a empresa está em férias coletivas e não produziu e vendeu o estoque remanescente?
      Quais efeitos seriam percebidos na contabilidade gerencial e também na DRE gerencial e tributário?

      Mauro Negruni – professor e consultor de malhas tributárias digitais

      Responder
    • Suzi Barbosa 17 de março de 2022

      Olá pessoal alguém conseguiria me ajudar!!!!
      Em uma demostração de custos de produtos vendidos o que significa uma número seguido de ponto e outro número
      Exemplo
      4.1
      4.2
      4.3
      Agradeço desde já.

      Responder