Recessão econômica: o que é? Quais são as causas e impactos no país?

Os períodos de recessão econômica costumam gerar preocupações em toda população pois tem impacto na vida financeira e nos investimentos. Afinal, esse cenário não afeta apenas países emergentes, mas também os desenvolvidos.

Dessa forma, é importante conhecer as principais causas de uma recessão econômica, para se planejar financeiramente e proteger dos efeitos negativos.

O que é Recessão Econômica?

A recessão econômica indica a queda do PIB por dois trimestres consecutivos em um determinado país.

Ou seja, é um período de contração da economia e está ligada a crise econômica, queda da produção, do consumo e aumento do desemprego,

Isoladamente, recessão significa retroceder ou retrocesso. Logo, quando aplicado à economia, o termo representa um declínio econômico significativo.

ANIVERSARIO SUNO 7 ANOS

Quais são os tipos de recessão econômica?

Existem diferentes tipos de recessão econômica, que podem ser classificadas de acordo com sua origem e duração. Veja a seguir algumas das principais:

  1. Recessão cíclica: é o tipo mais comum de recessão, causada pela queda na demanda agregada da economia. Esse tipo de recessão costuma ser resultado de uma desaceleração no ritmo de crescimento econômico, e pode durar de alguns meses a alguns anos.
  2. Recessão estrutural: é uma recessão de longo prazo causada por mudanças estruturais na economia, como a obsolescência de determinadas indústrias ou a falta de inovação tecnológica. Esse tipo de recessão pode durar muitos anos e pode ser difícil de superar.
  3. Recessão financeira: é uma recessão causada por problemas no setor financeiro, como crises bancárias ou colapsos no mercado imobiliário. Esse tipo de recessão pode ser muito difícil de prever e pode ter consequências graves para a economia como um todo.
  4. Recessão global: é uma recessão que afeta a economia mundial como um todo, geralmente causada por eventos como guerras, crises políticas ou pandemias globais. Esse tipo de recessão pode ter impactos profundos em todas as economias do mundo e pode durar vários anos.

Cada tipo de recessão pode apresentar diferentes desafios e demandar estratégias específicas para superação. É importante entender as causas e características de cada tipo para poder tomar as melhores decisões financeiras durante uma recessão.

Quais as causas de uma recessão econômica?

Uma série de motivos pode levar a crise financeira e recessão econômica. Isto é possível constatar acompanhando a história da economia nos últimos séculos.

Entre as principais causas da recessão econômica se destacam:

  • Bolhas econômicas;
  • Crises internas e externas;
  • Problemas fiscais.

Isso sem falar nos déficit públicos, que podem chegar a níveis elevadíssimos, caso não sejam controlados. Dessa forma, essas causas da recessão econômica têm a capacidade até de comprometer a economia do país.

No entanto, a forma como o governo decide conduzir as políticas públicas também tem grande impacto na economia do país.

Sendo assim, as estratégias para crescimento não sustentáveis praticadas hoje podem fazer um país mergulhar em uma recessão econômica.

Por fim, o fato é que uma mesma recessão pode ser causada por vários destes fatores simultaneamente. Saber o que gera este problema é o primeiro passo na busca por uma solução e para saber como evitar recessão econômica no futuro.

Quais as consequências da recessão econômica??

Os impactos da recessão econômica podem ser severos, como:

  • Queda no poder de compra;
  • Aumento do desemprego;
  • Redução da produtividade;
  • Bear Market.

1. Queda no poder de compra

Primeiramente, a redução no poder de compra, ou na renda familiar, é um dos primeiros sintomas a serem sentidos.

Com uma crise econômica, muitos benefícios a funcionários são reduzidos dentro das empresas. Salários caem e a demanda por novos profissionais também.

2. Aumento do desemprego

Além disso, quando o poder de compra da população cai, o volume de compras e contratação de serviços cai, gerando desemprego.

Isto é, as empresas acabam sendo impactadas pela crise e precisam fechar suas portas, mandando embora seus funcionários. Essa é uma das principais consequências da recessão.

EBOOK 10 LIVROS

3. Redução da produtividade

O medo de perder suas finanças faz com que investidores deixem de colocar dinheiro em novos negócios, principalmente se eles possuem algum risco atrelado, fazendo com que os indicadores de produtividade econômica do país diminua.

Além disso, em períodos como esse a produtividade industrial tende a reduzir, por conta de problemas financeiros e falta de matéria-prima.

4. Bear Market

Normalmente, em períodos de crise financeira, o mercado financeira entra no Bear Market, período em que os preços dos papéis negociados apresentam uma tendência de queda.

Nesses períodos, a cotação das ações tende a cair, uma vez que a maioria das empresas passam por momentos desafiadores e os investidores são tomados pelo medo de perder dinheiro. Logo, isso promove uma queda da bolsa de valores.

No Brasil, destaca-se a crise econômica ocorrida no país até meados de 2017. A desconfiança da população por conta da corrupção nas estatais foi relevante e ocasionou um período de queda da bolsa.

Além disso, com a Pandemia do COVID-19 em 2020, a bolsa de valores do mundo todo passou um um período de bear market, por conta das incertezas diante da doença.

Qual o impacto da recessão econômica nos investimentos?

A recessão econômica pode afetar significativamente os investimentos, já que o ambiente econômico é altamente influenciado pela incerteza e pela instabilidade. Como resultado, os investidores tendem a se tornar mais cautelosos e a adotar estratégias de investimento mais conservadoras.

Uma das principais consequências da recessão econômica nos investimentos é a redução do retorno financeiro. Com a queda na atividade econômica, muitas empresas acabam reduzindo seus lucros, o que afeta diretamente o desempenho dos investimentos em ações e outros ativos de renda variável.

Além disso, a recessão pode afetar negativamente o desempenho dos investimentos em renda fixa. Isso porque, em momentos de crise econômica, as empresas e governos podem ter dificuldades para honrar seus compromissos financeiros, aumentando o risco de inadimplência.

Por outro lado, a recessão também pode criar oportunidades para alguns tipos de investimentos. Por exemplo, durante períodos de recessão, os preços dos ativos financeiros tendem a cair, o que pode ser uma oportunidade para investidores com horizonte de longo prazo. Além disso, os investimentos em setores defensivos, como os de saúde, alimentos e serviços essenciais, podem ser uma alternativa para os investidores que buscam minimizar os impactos da recessão em suas carteiras.

Como evitar uma recessão econômica?

A recessão econômica é um fenômeno difícil de evitar, pois é um processo natural do ciclo econômico. No entanto, há algumas medidas que podem ser tomadas para minimizar seus impactos ou, pelo menos, torná-los menos graves. Confira algumas delas:

  1. Políticas econômicas: o governo pode implementar políticas econômicas para estimular a economia, como a redução de impostos, o aumento dos gastos públicos e a queda da taxa de juros. Essas medidas podem ajudar a aumentar a demanda agregada e a impulsionar o crescimento econômico.
  2. Diversificação de investimentos: durante períodos de recessão econômica, é importante diversificar os investimentos, buscando alternativas mais seguras e menos voláteis, como títulos públicos e fundos de investimento em renda fixa. É importante lembrar que a diversificação não elimina totalmente os riscos, mas pode ajudar a minimizá-los.
  3. Planejamento financeiro: ter um bom planejamento financeiro é fundamental em qualquer época, mas em tempos de crise, ele se torna ainda mais importante. É importante avaliar os gastos, identificar onde é possível economizar e evitar gastos desnecessários. Além disso, é importante ter uma reserva financeira para eventuais emergências.
  4. Atenção ao mercado: é importante acompanhar de perto as tendências do mercado e as notícias econômicas para tomar decisões mais informadas e estratégicas em relação aos investimentos. É preciso estar atento às oportunidades que podem surgir em momentos de crise, mas também ter cuidado para não tomar decisões impulsivas e arriscadas.
  5. Investimentos em infraestrutura: investimentos em infraestrutura podem ajudar a estimular a economia, criando empregos e aumentando a produtividade. Esses investimentos podem ser feitos pelo governo ou por empresas privadas, mas é importante avaliar cuidadosamente os riscos e os retornos antes de investir.
  6. Inovação e empreendedorismo: momentos de crise podem ser oportunidades para o surgimento de novos negócios e para a inovação. É importante incentivar o empreendedorismo e a criatividade, buscando soluções inovadoras para problemas e identificando novas oportunidades de negócios.

Embora essas medidas possam ajudar a minimizar os impactos da recessão econômica, é importante lembrar que a crise é um fenômeno complexo e que não existe uma solução mágica ou infalível. O melhor caminho é sempre buscar o equilíbrio entre a precaução e a oportunidade, mantendo-se informado e preparado para lidar com os desafios que podem surgir.

Como sair de uma recessão econômica?

Para um país sair de uma recessão econômica não é fácil. Geralmente, é necessário criar uma série de pacotes econômicos por parte do governo e medidas de política monetária pelo Banco Central.

Ou seja, o país pode implementar algumas medidas para sair desse cenário, como:

Além disso, é fundamental formar uma equipe econômica experiente e preparada para analisar o cenário e traçar estratégias para reverter a situação. Fora isso, é preciso que haja um esforço conjunto entre Executivo para aprovar as medidas necessárias para remediar a crise.

Afinal, uma crise econômica impacta a vida de todos os cidadãos. Isto é, não apenas as empresas e negócios, mas também a população e os investimentos.

Ainda possui dúvidas sobre como funciona uma recessão econômica? Comente abaixo!

PLANILHA DA VIDA FINANCEIRA

ACESSO RÁPIDO
    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *