Acesso Rápido

    MILL11: o que é e como funciona esse etf gerido pelo Itaú?

    MILL11: o que é e como funciona esse etf gerido pelo Itaú?

    Investimentos em ETFs tem atraído muito investidores, inclusive iniciantes, que buscam diversificar a carteira de investimento. Entre um dos ETFs disponíveis e negociados na bolsa de valores está o MILL11.

    Entretanto, antes de alocar parte dos recursos nessa modalidade de investimento, como o MILL11, é fundamental compreender como esse ativo funciona e suas características.

    O que é o MILL11?

    O MILL11 é um ETF administrado pelo Itaú que replica a carteira do índice MSCI USA IMI Millenials Select 50.

    Ao investir neste fundo de índice, o investidor passa a ter acesso a empresas que se beneficiam do aumento de consumo da geração milênio.

    O MILL11 é um ETF (fundo de índice) negociado na Bolsa de Valores que pode ser adquirido pela Itaú Corretora ou qualquer outra corretora de valores.

    Qual a composição do MILL11?

    O ETF MILL11 é um fundo de índice que replica a carteira teórica do MSCI USA IMI Millenials Select 50. Ou seja, ao aplicar neste ativo o investidor passa a ter acesso a empresas que se beneficiam do aumento no poder de consumo da geração milênio.

    Dentre as principais empresas que compõem essa ETF estão:

    • NVIDIA Corp;
    • PayPal Holdings Inc;
    • Facebook Inc;
    • Netflix Inc;
    • Microsoft Corp;
    • Apple Inc;
    • Amazon.com Inc;
    • Adobe Inc;
    • Walt Disney Co/The;
    • Comcast Corp.

    A taxa de administração é de 0,50% ao ano, sendo que o fundo não possui taxa de performance. Além disso, esse ETF possui liquidez diária.

    O investimento mínimo neste fundo é de R$ 100 sendo que há uma incidência de 15% de IR sobre a rentabilidade dele.

    Nesse sentido, esse fundo de índice tende a acompanhar a rentabilidade do índice MSCI USA IMI Millenials Select 50. Além disso, ocorre semi anualmente o rebalanceamento dos ativos, sendo que algumas empresas podem sair ou entrar para o índice.

    Quais as vantagens e desvantagens do MILL11?

    O investidor passa a ter uma carteira mais diversificada de ativos, com exposição a diversas empresas negociadas nas bolsas americanas.

    Outra vantagem está relacionada à praticidade no momento de investir, visto que com apenas um único ativo é possível acessar 50 companhias.

    Assim, para quem é investidor iniciante essa pode ser uma alternativa de investimento, pois não exige um conhecimento muito profundo do mercado.

    Dentre as desvantagens do MILL11 está o fato de ser uma gestão passiva, o que impede do investidor montar a carteira do seu jeito, diferente do que acontece com quem investe diretamente em ações negociadas na bolsa.

    Foi possível entender o que é a MILL11? Então deixe o seu comentário, sua sugestão e compartilhe esta matéria com seus amigos nas suas redes sociais.

    Tags
    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *