Acesso Rápido

    Fusões e aquisições: entenda como funciona esse processo

    Fusões e aquisições: entenda como funciona esse processo

    As fusões e aquisições são processos muito importantes no crescimento das empresas, permitindo alcançar mercados cada vez maiores.

    Além disso, é uma forma de empresas alcançarem novos públicos, fato que pode gerar um aumento considerável no lucro da companhia.

    O que são Fusões e Aquisições?

    As fusões e aquisições referem-se à consolidação de uma empresa ou ativos através de vários tipos de transações financeiras com outras empresas. Essas operações permitem que empresas inteiras sejam vendidas, concentradas ou compradas.

    De fato, o termo fusões e aquisições é muito comum dentro do mundo corporativo. Ele também pode ser chamado de M&A (advindo do inglês “merges and acquisitions”).

    De forma geral, esse processo é visto como uma maneira de enfrentar problemas relacionados ao crescimento de uma empresa em determinado setor.

    Além disso, esse é um processo importante quando se pensa na competitividade das empresas, uma vez que duas companhias de um mesmo setor podem se fundir e passar a dominar uma fatia maior de mercado, sendo essa uma importante vantagem competitiva.

    Por outro lado, o M&A também pode se referir ao departamento de uma instituição financeira que lida exclusivamente com essas operações.

    Sendo assim, esse setor é quem coordena os processos de fusão e aquisição dentro da companhia, buscando eventuais oportunidades para ganhar mercado.

    Para que servem as Fusões e Aquisições?

    De fato: no Brasil, a partir dos próximos anos, a expectativa é que o processo de M&A nas empresas se acelere, por conta de uma série de fatores. Portanto, vê-se a importância de se saber se fusões e aquisições são boas ou não.

    Sendo assim, dois aspectos são os principais nesse fenômeno: o primeiro deles são as privatizações de empresas estatais; o segundo é o aumento da competitividade internacional a partir de uma maior abertura comercial brasileira.

    Além disso, o processo de M&A muitas vezes é motivado por uma série de razões que podem ser benéficas para as companhias.

    Portanto, ele é visto como uma forma de solucionar questões relacionadas ao aumento da competitividade e oportunidade de crescimento de uma empresa.

    Entre seus benefícios, estão a diminuição de custos administrativos, o aumento de tamanho de mercado e um poder de barganha melhor. Tais fatos podem ser determinantes quando se pensa em vantagens competitivas nas empresas.

    No Brasil, existe uma autarquia federal responsável por orientar, fiscalizar e prevenir abusos do poder econômico que possa surgir de um processo de M&A: o nome dessa autarquia é CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica).

    Quais as modalidades dentro das fusões e aquisições?

    Existem três processos possíveis dentro da M&A:

    • Fusões;
    • Aquisições;
    • Oferta Pública.

    1. Fusões

    Primeiramente, a fusão é uma técnica de reorganização empresarial, caracterizada pela junção de duas ou mais empresas em uma nova.

    Dessa forma, acontece o desaparecimento das empresas que se fundiram, dando lugar a uma outra sociedade.

    Por exemplo: podem-se citar os casos da BRF (Sadia + Perdigão) (código de negociação: BRFS3) e Itaú Unibanco (Itaú + Unibanco) (código de negociação: ITUB4)

    2. Aquisições

    Além disso, a aquisição ocorre quando a empresa adquirente obtém a participação majoritária numa empresa adquirida. Sendo assim, não há mudança no nome da adquirente ou de sua estrutura legal.

    De fato: na prática, as aquisições são mais comuns do que as fusões, uma vez que precisa haver uma sinergia muito grande para que as empresas consigam se fundir.

    Por exemplo: a compra do HSBC pelo Bradesco (código de negociação: BBDC4) e a Itaúsa (código de negociação: ITSA4) comprando o controle majoritário da Alpagartas (código de negociação: ALPA4).

    3. Oferta Pública

    Por fim, ao realizar uma oferta pública, uma empresa oferece a compra das ações em circulação da outra empresa a um preço específico.

    Portanto, a empresa compradora comunica a oferta diretamente aos acionistas da outra empresa, que irá ser comprada.

    Além disso, essa última pode ser vista e analisada muito mais antecipadamente que a primeira, uma vez que o mercado tende a precificar o acontecimento.

    Por exemplo: oferta realizada pela LATAM aos acionistas da Multiplus.

    Quais os benefícios das Fusões e Aquisições?

    Primeiramente, o grande motivador é o aumento de sinergia. Nesses casos, quando duas ou mais empresas decidem fundir-se ou serem adquiridas, a empresa formada é maior que a anteriormente vista.

    Sendo assim, uma série de custos e gargalos operacionais podem ser mais rapidamente solucionados com mais facilidade.

    Por exemplo: os custos fixos, como sedes corporativas, podem ser economizados, bastando existir apenas uma.

    Além disso, esse processo pode levar a um aumento competitivo e poder de barganha maior perante os fornecedores.

    Uma vez que os fornecedores normalmente passarão a depender muito mais de uma companhia, que agora possui uma maior escala, a sua matriz de receitas poderá ser adversamente prejudicada em caso de quebra de contrato de fornecimento.

    Portanto, a empresa formada após esse processo acaba tornando-se muito mais do que a soma das operações das duas empresas anteriores.

    Ainda possui dúvidas a respeito dos processos de fusões e aquisições? Comente abaixo!

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *