Acesso Rápido

    Contas retificadoras: entenda como funciona essa correção contábil

    Contas retificadoras: entenda como funciona essa correção contábil

    Presentes nos balanços patrimoniais das empresas, as contas retificadoras podem ser um tema confuso para quem não está acostumado com tal tipo de informação.

    Ainda assim, as contas retificadoras são essenciais para que os acionistas tenham acesso a dados mais corretos acerca do empreendimento, como o lucro bruto.

    O que são as contas retificadoras?

    As contas retificadoras são grupos de contas utilizadas para ajustar o saldo de um mesmo grupo de contas no balanço patrimônial. Ou seja, elas podem estar inseridas tanto no ativo, quanto no passivo ou ainda direto no patrimônio da empresa.

    Com o seu uso, as informações se tornam mais realistas, tanto com relação às dívidas do empreendimento, quanto com relação ao seu lucro e crescimento.

    As contas retificadoras foram criadas para atender ao princípio contábil da prudência. Sua premissa é nunca antecipar lucros e sempre prever possíveis prejuízos.

    Como funcionam as contas retificadoras?

    De certa forma, pode-se dizer que as contas retificadoras são o oposto das contas normais. Até porque, em geral, as contas retificadoras afetam o saldo do grupo no qual estão inseridas diminuindo-o.

    Por isso, as contas retificadoras também são conhecidas como contas redutoras.

    Logo, quando o valor das contas redutoras aumenta, o total do valor do local onde ela está inserida diminui.

    Contas retificadoras e seus impactos

    contas retificadoras

    As contas redutoras mais recorrentes no ativo (circulante ou permanente) são:

    Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa (PCLD)

    A Provisão para Créditos de Liquidação Duvidosa está entre as contas redutoras do ativo circulante.

    A PCLD é o valor referente à inadimplência de um mau pagador, que é bastante frequente em casos de venda a prazo.

    Ou seja, é o valor do prejuízo tomado pela empresa. Logo, trata-se de uma conta de natureza devedora.

    Deste modo, ela se contrapõe ao campo de contas a receber, com sua soma gerando o saldo líquido do ativo circulante.

    Depreciação acumulada

    A depreciação acumulada, por sua vez, está inserida nos ativos permanentes do empreendimento.

    Seu papel é calcular a perda de valor dos bens imobilizados, como maquinário e imóveis.

    Contas redutoras de patrimônio

    Já entre as contas redutoras do patrimônio está a capital a integralizar.

    Nela, constam os valores que ainda devem ser pagos pelos sócios do empreendimento para a própria empresa.

    Além desse exemplo, outra conta retificadora, desta vez do passivo, é a duplicata descontada, que possui um saldo credor.

    Ou seja, a cada duplicata paga pelo devedor, o valor passará a constar no saldo bancário da empresa e a ser registrada nesta conta retificadora.

    Sendo assim, seu aumento reduz a conta de custos do empreendimento.

    Funções das contas retificadoras

    De modo geral, as contas redutoras são utilizadas para mostrar se os ganhos superam os custos ou não.

    Ou seja, se os custos forem maiores que o lucro, é preciso ajustar pontos dentro da empresa, como estoque, maquinário ou até móveis.

    Portanto, isso é necessário para que a empresa continue funcionando, tendo como quitar seus compromissos financeiros e continuar funcionando.

    Para compreenderem melhor estas contas redutoras, os interessados podem recorrer ao curso de Contabilidade para investidores, oferecido pela Suno Research.

    Desta forma, quem não conhece a fundo temas contábeis pode se inteirar de tais assuntos e ainda encontrar formas de utilizá-lo em favor próprio.

    Isto vale, inclusive, para as contas retificadoras.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    3 comentários

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Priscylla 29 de janeiro de 2020

      “Duplicatas descontadas” não está agora no Passivo?

      Responder
    • Willime 14 de setembro de 2020

      Os valores de face das duplicatas descontados são registrados numa conta redutora do ativo circulante, logo após a conta “duplicatas a receber”. Esta conta recebe o nome de “duplicatas descontadas”, tendo saldo credor.

      Responder
    • Simone Pires 11 de dezembro de 2020

      ola , tem um valor recebido de uma socia como devolução de emprestimo , porem nao temos a saida desse emprestimo no ano de 2018.. Como devo registrar essa entrada, pois afetou o resultado do ano passado.

      Posso lancar no PL ? Em quais contas ?

      Responder