Acesso Rápido

    Aluguel de FIIs: entenda o que é como funciona essa operação

    Aluguel de Fiis ocorre quando um dos investidores loca as suas cotas para um terceiro por um tempo determinado. Veja aqui as vantagens e desvantagens desta prática.

    Aluguel de FIIs: entenda o que é como funciona essa operação

    Uma nova modalidade de investimento já faz parte da realidade do mercado financeiro. Aprovado em novembro de 2020, o aluguel de FIIs já conquistou adeptos na bolsa de valores.

    Porém, é preciso analisar e conhecer bem o mercado para saber se o aluguel de FIIs, assim como o aluguel de ações, é realmente vantajoso para a carteira do investidor.

    O que é aluguel de FIIs?

    O aluguel de FIIs (aluguel de fundos imobiliários) é a operação onde as cotas de um fundo imobiliário são alugadas pelo investidor para um terceiro por um tempo determinado. O valor a ser pago como taxa, bem como o período de vigência da transação, são acordados entre as duas partes e formalizado por meio de um contrato que, muitas vezes, dura cerca de um mês.

    Assim, aqueles interessados em vender um fundo imobiliário a descoberto conseguem fazer isso através do aluguel de FIIs um resultado de curto prazo.

    Já os donos das cotas que optam por cedê-las para locação querem diversificar sua carteira e veem nesta transação uma boa possibilidade.

    Como funciona o aluguel de FIIs?

    As transações realizadas como aluguel de cotas são, sem exceção, intermediadas pela B3 (Brasil, Bolsa, Balcão). Isso significa que esta relação é feita por dois investidores, a grosso modo.

    Vale lembrar que é possível fazer short em FIIs (venda a descoberto) e Fundos de Investimento em Participações (FIPs). E o primeiro passo é justamente fazer o aluguel da cota.

    Nesta relação há o doador e o tomador, sendo o primeiro aquele que cede as cotas para aluguel e o segundo aquele que as aluga.

    Comparando com uma relação imobiliária, o doador é o correspondente ao locador, enquanto o tomador é o correspondente ao locatário.

    Quais as principais características do aluguel de FIIs?

    Sendo esta transação regulamentada pela B3, há alguns procedimentos necessários como garantia para o doador.

    Assim, o tomador precisa mostrar que terá capital suficiente para pagar pela cota na data de vencimento do contrato, caso a tenha vendido e não consiga recomprá-la a tempo.

    Além disso, quem possui mais de 10% de participação nas cotas de um único fundo imobiliário não pode alugar suas cotas.

    Esta regra, estabelecida pela B3, tem o objetivo de evitar que estes investidores aluguem suas cotas para ficarem isentos da tributação sobre os rendimentos.

    E-book: Investindo em Fundos Imobiliários

    Baixe gratuitamente nosso ebook sobre os Fundos Imobiliários e conheça a forma mais simples e efetiva de se investir em imóveis!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Tributação no aluguel de FIIs

    Por falar em tributação, há sim a cobrança de imposto sobre esta transação. Na prática, sobre os lucros.

    Só estão isentos do pagamento de impostos os valores recebidos em forma de rendimento e para as pessoas físicas. Sobre os ganhos de capital incide imposto de renda com alíquota de 22,5% a 15%.

    Proventos no aluguel de FIIs

    Os proventos distribuídos pelo fundo durante o período do aluguel são direito do doador. Ainda que o pagamento ocorra durante o período em que a cota em questão estiver alugada por outra pessoa. O mesmo vale para o direito de subscrição e emissão.

    Quais as vantagens do aluguel de Fiis?

    Nesta relação, assim como as demais no mercado financeiro, a ideia é que todos tenham vantagem de alguma forma.

    Vantagens para doador no aluguel de FIIs

    Para aquele que disponibiliza a cota para aluguel, a principal vantagem está no fato de que ele passará a receber o valor acordado com o tomador, pelo período em que o acordo continuar.

    Assim ele diversifica sua carteira e passa a ter alguma renda com uma aplicação que, de outra forma, ficaria parada.

    Tomador no aluguel de FIIs

    Enquanto isso, o tomador obterá ganhos apenas com as variações no valor deste ativo, operando vendido.

    Isso significa que o tomador irá alugar essa cota, vendê-la por um preço vantajoso, recomprá-la por um valor mais baixo e devolver a cota, ficando com o lucro desta operação.

    Outro benefício desta estratégia é ajudar aqueles que precisam ter mais votos em assembleia para poder decidir um ponto importante para a empresa.

    O risco desta transação fica para o tomador, que pode ter prejuízo em vez de lucro. Isso porque a devolução da cota ou do seu valor correspondente será feita de forma automática.

    Vale a pena fazer short em FIIs?

    Este é um mercado volátil e demanda conhecimento profundo do investidor. Por isso, antes de apostar no aluguel de ações é fundamental conhecer bem o ativo, para não ter prejuízo em vez de lucro.

    Se você tem alguma dúvida sobre o aluguel de FIIs, deixe nos comentários!

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *