Acesso Rápido

    Títulos Públicos: o que são e como investir nesses ativos?

    Títulos Públicos: o que são e como investir nesses ativos?

    Os títulos públicos são uma modalidade de investimentos bastante interessante para o investidor conservador.

    Portanto, os títulos públicos são uma das modalidades mais conhecidas dentro da renda fixa, sendo necessário entender como funcionam.

    O que são Títulos Públicos?

    Os títulos públicos são papéis emitidos pelo Tesouro Nacional, com o objetivo de financiar a dívida pública. Sendo assim, um dos grandes atrativos desse mecanismo de investimento é o seu risco baixo, dado a garantia que o Tesouro Nacional concede a esses títulos.

    Portanto, os títulos públicos federais são aplicações financeiras muito comentadas e utilizadas pelas pessoas de maneira geral.

    Minicurso: Investindo no Tesouro Direto

    Inscreva-se no nosso minicurso gratuito e aprenda os principais conceitos sobre o Tesouro Direto para quem quer começar a investir!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    No Brasil, os títulos públicos federais são chamados de Tesouro Direto. Eles costumam ser bastante acessíveis a qualquer corretora ou banco que o investidor procurar.

    Sendo assim, esse tipo de aplicação permite com que investidores normais possam emprestar dinheiro para o governo em troca de juros.

    Além disso, como meio de incentivar as aplicações nesses títulos, o governo federal procurou incentivar os investidores, especialmente os menores, reduzindo o valor mínimo necessário para realizar esse investimento.

    Portanto, com apenas R$ 30,00 já é possível realizar um investimento no Tesouro Direto, o que torna um investimento bastante acessível para o investidor comum.

    Desse modo, é importante salientarmos que o investimento no Tesouro Direto é diferente da aplicação em CDB.

    Como funcionam os Títulos Públicos?

    Primeiramente, todo investidor deve saber que o valor de um título público considera as variações da taxa Selic.

    Portanto, o valor do título público federal é atualizado de acordo com o preço que ele é negociado no mercado secundário em determinado momento.

    Desse modo, quando há uma queda nos preços negociados no mercado, o saldo aplicado pelo investidor cairá. Por outro lado, o contrário também é verdadeiro.

    No entanto, caso o investidor escolha manter o seu título até a sua data de vencimento, esse receberá o valor correspondente à rentabilidade contratada no momento da compra. Independente das variações no preço desse título no decorrer da aplicação.

    Por fim, caso o investidor venha a vender a sua aplicação antes do período de vencimento, o Tesouro Nacional recomprará esse título com base no valor de mercado.

    Guia de Investimento em Renda Fixa

    Invista com segurança e rentabilidade: baixe gratuitamente o nosso ebook e conheça as principais opções de investimento em Renda Fixa!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    Quais os tipos de Títulos Públicos?

    Existem cinco tipos de títulos públicos:

    • Selic;
    • IPCA+;
    • IPCA+ Juros Semestrais;
    • Prefixado;
    • Prefixado+ Juros Semestrais.

    1. Tesouro Selic

    Primeiramente, o tesouro Selic se baseia, exclusivamente, na taxa Selic. O pagamento é feito no vencimento, mas é possível resgatá-lo antes sem a perda de sua rentabilidade.

    Sendo assim, vê-se que esse é uma modalidade de investimento voltado para quem deseja montar uma reserva de emergência.

    2. Tesouro IPCA+

    O tesouro IPCA+ é determinado pela inflação, dada pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

    Além disso, o investimento é pago apenas no vencimento. No entanto, é possível vender no mercado secundário, o que pode trazer vencimentos maiores ou menores, a depender da marcação a mercado.

    3. Tesouro IPCA+ Juros Semestrais

    Por outro lado, existe o Tesouro IPCA+ Juros Semestrais, que, além de se basear também no IPCA, rende juros semestrais ao investidor.

    Dessa forma, o investidor recebe, a cada seis meses, parte de sua rentabilidade, o que o torna ideal para quem deseja receber renda passiva.

    4. Tesouro Prefixado

    Por fim, o tesouro prefixado baseia-se na taxa Selic e nas expectativas do mercado. É um dos títulos públicos que aposta na queda da taxa Selic.

    E-book: Investindo para Aposentadoria

    Construa a sua aposentadoria! Aprenda como gerar renda passiva para garantir o seu futuro investindo nos melhores ativos do mercado.

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    5. Tesouro Prefixado com Juros Semestrais

    Por fim, existe a possibilidade de investir no tesouro prefixado com juros semestrais, que distribui, a cada seis meses, seus rendimentos. De fato, essa modalidade é voltada para aqueles que desejam ganhar renda passiva.

    Devo investir em Títulos Públicos?

    De fato: o cidadão brasileiro, quase que diariamente tem ouvido notícias de que o governo possui gastos obrigatórios cada vez mais altos. Sendo assim, pode parecer arriscado investir em títulos públicos.

    Entretanto, todos sabem que o risco de um governo quebrar é muito baixo. Normalmente, quando um governo se encontra em déficit orçamentário, ele sempre consegue arrumar novas fontes de arrecadação.

    Portanto, isso acaba compensando o excesso de gastos promovido pelos burocratas.

    Desse modo, a garantia que um investidor possui de receber os recursos investidos nessa modalidade de aplicação são bastante elevados.

    Sendo assim, é amplamente sabido que o Tesouro Direto pode ser considerado como o ativo financeiro de menor risco do país.

    No Brasil, essa aplicação é garantida pelo Tesouro Nacional. De maneira geral, se um país quebrar, grandes empresas e grandes bancos já teriam quebrado antes disso.

    Além disso, uma observação importante é que o Tesouro Direto é conhecido como um “ativo livre de risco”. Ele é muito usado como referência de retorno mínimo exigido para um determinado investimento.

    Por fim, pode-se dizer que os títulos públicos podem ser investimentos interessantes para o investidor que está à procura de segurança acima de tudo, inclusive da rentabilidade auferida em um investimento.

    Ainda possui dúvidas sobre os títulos públicos? Comente abaixo!

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    5 comentários

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Clemilton Leite 31 de maio de 2019

      Muito esclarecedor, estou começando a investir em títulos públicos, entre o investimento em títulos e o investimento em um fundo de títulos como o IMAB11 o que seria melhor?

      Responder
      • Suno Research 6 de junho de 2019

        Boa noite, que parece melhor para você, investir em uma determinada coisa ou em um intermediário que irá investir nessa mesma coisa? Em renda variável a capacidade do gestor pode influenciar no resultado, mas em renda fixa? investindo no fundo você irá pagar uma taxa de administração e os resultados não serão superiores aos que você conseguiria investindo diretamente. O único ganho poderia ser um pouco de liquidez, mas a meu ver não compensa.
        Abraços.

        Responder
    • Rosicler Santana 8 de abril de 2020

      como é a incidencia do IR sobre os titulos publicos? O Imposto de Renda sobre o rendimento é cobrado antecipadamente, já na data de compra do título público?

      Responder
      • Suno Research 8 de abril de 2020

        A alíquota varia conforme o prazo do pagamento de cupons, vencimento ou venda do título.
        No prazo de 180 dias: 22,5%
        360 dias: 20%
        720 dias: 17,5%
        acima de 720 dias: 15%

        Responder
    • […] pela fabricação de medalhas comemorativas, selos (postais, fiscais e federais), além de títulos da dívida pública federal e fabricação de passaportes. A casa da moeda também tem função de Atividades de controle […]

      Responder