Acesso Rápido

    Metalismo: entenda o que foi e qual a sua importância na economia

    Metalismo: entenda o que foi e qual a sua importância na economia

    Durante o período do mercantilismo, o poder do Estado crescia de acordo com o acúmulo de metais preciosos, como ouro e prata. Assim, surgiu o metalismo.

    Nesse sentido, o metalismo era importante no cenário macroeconômico na nação de modo a garantir a estabilidade econômica.

    O que é metalismo?

    O metalismo foi uma medida usada durante o sistema mercantilista para medir a riqueza de uma nação. Esse sistema também era conhecido como bulionismo que deriva da palavra inglesa bullion.

    Esse sistema aconselhava o Estado a ter o máximo possível de metais preciosos nos cofres como ouro e prata. Assim, segundo o metalismo, quanto mais bens preciosos uma nação tivesse, mais estabilidade econômica ela alcançaria.

    Por conta disso, nessa época começou uma verdadeira corrida ao ouro. Nações ibéricas como Portugal e Espanha começaram a procurar esses metais em suas colônias, ao passo que Holanda, França e Inglaterra pagavam piratas para saquear os navios de Portugal e Espanha.

    Quando surgiu o metalismo?

    O metalismo surgiu entre os séculos XVI e XVII e se prorrogou até o século XVIII. Esse sistema visava o absolutismo vigente, dando poderes em demasia para a figura do rei.

    A exploração das colônias na busca pelo ouro foi uma característica marcante do metalismo. Entre os séculos XVI e XVII, a Espanha estava em ápice no metalismo. Já Portugal alcançou esse posto no século XVIII com a descoberta do ouro em Minas Gerais e o início do ciclo do ouro.

    Esse sistema foi usado durante décadas, no entanto, ele foi responsável por causar uma das maiores inflações na Espanha que deixou de lado a balança comercial favorável que era uma das principais características do mercantilismo.

    Para que serviu o metalismo?

    O metalismo serviu para facilitar o câmbio internacional, preço e valores das mercadorias, hoje conhecidas como commodities. Dessa forma ele foi responsável por mudar as trocas criando o conceito de lastro.

    Em resumo, o dinheiro emitido pelo Estado precisava ter um lastro em metais preciosos, no caso o ouro e a prata. Em teoria isso evitaria uma inflação no país, visto que não teria expansão monetária acima do lastro.

    Na época do mercantilismo o Brasil foi um dos maiores produtores de ouro que existiu, extraindo muitas toneladas por meio da mão-de-obra escrava.

    Esse foi o momento do ápice da colônia brasileira e trouxe alguns benefícios para o país, embora grande parte do ouro extraído tenha ficado com Portugal.

    Quais eram as características do metalismo?

    Durante os anos de 1453 e 1789, o metalismo foi associado ao mercantilismo, visto que tanto o ouro quanto a prata eram usados como moeda de troca.

    Inclusive, esses metais preciosos foram os primeiros dinheiros do mundo moderno, e por isso em alguns países a moeda é chamada de prata até hoje.

    Sendo assim, o preço da mercadoria tinha que ser compatível aos valores cunhados nas moedas de prata e ouro, sendo que a compra e venda era feita através do Metalismo.

    Mais para frente surgiu o dinheiro que tinha lastro nos metais preciosos, isso perdurou por muito tempo, perdendo força somente no século XX, principalmente durante às duas grandes guerras onde a inflação tornou-se galopante.

    Foi possível entender o que é o metalismo? Então deixe o seu comentário, sua sugestão e compartilhe este artigo com seus amigos nas suas redes sociais.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *