Acesso Rápido

    Metais preciosos: quais são e como investir em ouro?

    Metais preciosos: quais são e como investir em ouro?

    Não é de hoje que muitos investidores buscam alocar parte da carteira em ativos de valor, como os metais preciosos para se proteger de crises financeiras ou cenários de alta inflação.

    Por isso, cada vez mais tem surgido alternativas de investimento lastreados em um dos metais preciosos mais conhecidos, o ouro. Um exemplo é o GOLD11, primeiro ETF de ouro negociado na B3.

    O que são metais preciosos?

    Metais preciosos são compostos pelo elemento químico (metálico) que têm um alto valor no mercado. Este valor está ligado a diversos fatores, em especial a sua raridade e alta procura no mercado.

    Sua extração move toda uma indústria, a da mineração, que somente com as minas obtém em média por ano 3.531 toneladas de ouro.

    Os garimpeiros, por exemplo, trabalhavam dias em busca de pedaços de ouro. E ainda assim esta prática era considerada, por muitos, uma possibilidade de enriquecimento.

    Mas não é preciso ir a um garimpo para conseguir vantagens financeiras com os metais precisos hoje em dia.

    Quais são os metais mais preciosos?

    Os principais metais preciosos encontrados no mercado são:

    • Ouro;
    • Prata;
    • Platina.

    Apesar de ser um dos mais conhecidos e convenientes metais nobres, há certo grau de preocupação sobre a finitude das reservas de ouro no planeta, já que este é um recurso não-renovável.

    Para fins de comparação, vale saber que, ao longo da história, já foram extraídas cerca de 190 mil toneladas de ouro.

    Assim, os metais preciosos são usados principalmente em joias, moedas, espelhos, talheres e objetos ornamentais. Nesse sentido, a prata é o metal que melhor conduz o calor e a eletricidade.

    Menos raro do que o ouro, a prata ainda tem seu valor, em especial no tocante a investimentos. Isso porque ela tem diversos usos industriais.

    A platina, no que lhe concerne, resiste a grande quantidade de hidrogênio, por isso é muito utilizado para a aeronáutica, odontologia e armamento, além da confecção de joias. Os principais produtores são África do Sul, Estados Unidos, Canadá e Rússia.

    Quais são as características dos metais preciosos?

    Apesar de diferentes, inclusive no tocante a valores, os metais preciosos compartilham algumas características entre si, como:

    • Costumam ser encontrados puros na natureza;
    • Possuem ponto de fusão alto, ou seja, demandar altas temperaturas para o derretimento;
    • Podem ser reduzidos a folhas ou fios.

    Por estas características, são usados especialmente na indústria joalheira para confecção de anéis, colares, brincos, pulseiras e até relógios.

    Entretanto, no mercado financeiro, os metais preciosos, como o ouro, são muito utilizado como hedge, ou seja, como proteção financeira, principalmente em um cenário de alta inflação.

    Quais as vantagens de investir em metais preciosos?

    Uma das principais vantagens de investir em metais nobres, como ouro, por exemplo, é que ele é considerado uma reserva de valor, isto é, ele consegue manter seu valor intrínseco. Desse modo, a reserva de valor costuma protege o investidor contra crises econômicas.

    Com isso, esse metal precioso pode ser uma alternativa para diversificação da carteira de investimento e hedge, inclusive para quem tem um perfil mais conservador.

    Entretanto, o ouro, por mais que seja um ativo bem valorizado pelo mercado, ainda assim é uma commodity e, por conta disso, tem seu preço controlado pelas forças da oferta e da procura.

    Como investir em metais preciosos?

    Há diversas formas de se investir em metais preciosos. Tomando o ouro como exemplo, há a possibilidade de investir direto pela bolsa de valores, através de fundos de investimento ou ETFs. Na B3, os códigos de negociação do ouro são:

    • OZ1D;
    • OZ2D;
    • OZ3D.

    Existem ainda os fundos de investimento em ouro, como (Gold11), primeiro ETF de ouro negociado na B3. Ele replica a performance do IAU, ETF americano que segue o preço do ouro.

    Entre as principais vantagens dessa modalidade de investimento como a simplicidade e possibilidade de diversificação. Além disso, é fácil de investir, considerando que não é necessário abrir conta no exterior.

    Contudo, é importante entender se esta aplicação faz sentido para o perfil e objetivo do investidor.

    Se você já investiu em metais preciosos, conte qual foi a sua experiência e se a transação valeu a pena!

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *