Acesso Rápido

    10 maiores erros dos investidores iniciantes: descubra quais são

    10 maiores erros dos investidores iniciantes: descubra quais são

    Quem deseja começar a investir, mesmo que seja pouco dinheiro, precisa saber quais são os maiores erros dos investidores iniciantes, a fim de aprender com eles e não cometer as mesmas falhas.

    Nesse sentido, os 10 maiores erros dos investidores iniciantes são:

    1 – Não diversificar a carteira de investimentos

    Um dos principais erros que os investidores iniciantes acabam cometendo no momento de investir é não diversificar a sua carteira de investimentos.

    Vale destacar que a diversificação é a melhor forma de diluir os riscos e potencializar o retorno do investimento.

    Muitas vezes, os investidores acabam comprando uma ação por recomendação de um amigo, ou até mesmo porque essa ação subiu e todo mundo está falando dela.

    Portanto, antes de começar a investir é preciso lembrar de não colocar todos os coelhos na mesma toca, zelando sempre pela aplicação diversificada e bem fundamentada.

    2 – Colocar todo o patrimônio em renda variável

    Outro erro bastante comum que muita gente comete quando começa a investir é colocar todo o seu capital em renda variável.

    Usar opções de renda fixa como o CDB é essencial para ajudar a diluir o risco. Além do CDB também existem diversas outras opções de renda fixa como Tesouro Direto, Letra de Crédito Imobiliário, etc.

    Mesmo que a diversificação tenha esse objetivo, a verdade é que uma crise mundial pode derrubar todo o mercado de renda variável.

    O percentual a ser aplicado em renda fixa e renda variável depende muito do perfil de cada investidor. Quem é mais conservador costuma colocar um percentual maior em renda fixa, ao passo que investidores mais arrojados buscam mais aplicações em renda variável.

    Entretanto, a diversificação entre renda fixa e variável é uma excelente estratégia para evitar perdas substanciais devido a acontecimentos macroeconômicos.

    3 – Não seguir uma estratégia de investimento consolidada

    O último grande erro cometido pelos investidores iniciantes é não seguir uma estratégia de investimento consolidada. Existem diversas escolas de investimentos, a análise fundamentalista se caracteriza por ser uma das mais coerentes e sustentáveis no longo prazo. 

    Ou seja, seguir algumas estratégias pode custar caro como, por exemplo, fazer operações de day trade.

    As operações de day trade são muito arriscadas e podem gerar grandes prejuízos. Isto porque, no curto prazo, o mercado se comporta de maneira aleatória e — muitas vezes — de forma irracional.

    Geralmente, a análise gráfica é muito usada por traders que tem como principal objetivo a especulação de curto prazo.

    Ou seja, ela não avalia a solidez financeira, capacidade de pagamento, possibilidade de crescimento, dentre outros aspectos.

    Porém, para quem deseja fazer investimentos mais consistentes e ganhar no longo prazo é fundamental entender como funciona a análise fundamentalista.

    São pequenos erros que acabam fazendo uma grande diferença no final das contas. Por isso, antes de começar a investir, evite cometê-los.

    Guia completo do investidor iniciante Descubra como esse Guia está tirando clientes do vermelho e fazendo com que se tornem bons investidores:
    Guia completo do investidor iniciante

    4 – Investir sem conhecer seu perfil de investidor

    De fato, nem todo mundo tem o mesmo perfil de investidor: existem aquelas pessoas que são mais arrojadas e querem investir a maioria do seu capital em ações, por exemplo, e aqueles conservadores que preferem focar na renda fixa.

    Portanto, é fundamental que cada investidor entenda melhor sobre o perfil de investidor que mais está relacionado com a sua personalidade.

    Isso porque uma pessoa pode não ser capaz de ver o seu capital perdendo 20, 30% do seu capital em períodos de crise. Por isso, é bom definir o perfil de risco antes.

    Além disso, é preciso entender que algumas pessoas, por sua condição de vida, podem ter momentos de maior ou menor risco nos investimentos.

    Por exemplo: uma pessoa solteira que é concursada pelo governo federal tem uma previsibilidade maior de ganhos, e pode ter mais tranquilidade na hora de arriscar.

    Por outro lado, um pai de família que é trabalhador autônomo terá mais dificuldades na hora de arriscar, pois o seu trabalho já é bastante arriscado.

    5 – Não estudar sobre investimentos

    Um erro que muitas pessoas cometem é não querer estudar sobre finanças e investimentos e, com isso, não conseguir controlar o seu próprio dinheiro.

    Ainda que uma pessoa decida terceirizar suas decisões para investir através do investimento em um fundo cuidado por um gestor ou da contratação de uma casa de análise, há um nível de conhecimento que é preciso ter.

    A educação financeira é muito importante e deve ter maior discussão em todos os ambientes, garantindo melhores escolhas financeiras à população.

    Primeiramente: um investidor deve entender de finanças pessoais e saber como gastar de forma mais consciente.

    Além disso, ele deve entender as diferentes classes de ativos e a quais públicos elas são mais recomendadas. Esses são conceitos fundamentais de mercado de ações para iniciantes.

    Por fim, entender bem sobre as empresas em que se investe e o impacto da economia em suas atividades também é um diferencial importante para se saber.

    6 – Ignorar os riscos

    Um erro de investimento para iniciantes muito comum é o de ignorar os riscos do mercado. Isso é muito sério, pois muitos acabam perdendo grande parte do seu patrimônio durante algum ciclo negativo de mercado.

    Isso porque essas pessoas não conseguem olhar para o horizonte de longo prazo e investir de forma equilibrada, realizando lucros e gerindo o risco.

    Por exemplo: um investidor pode colocar 100% do capital em uma small cap, mas isso é algo muito arriscado. É melhor diversificar entre diversas ações e até mesmo diversificar entre várias classes de ativos.

    De fato, esse é um erro que acontece muito nos períodos de bull market (ou seja, quando o mercado está em alta e todas as empresas estão se valorizando).

    Muitos investidores, atraídos pela ganância, colocam grande parte do seu capital (ou até mesmo seu capital inteiro) em empresas esperando que elas continuem se valorizando, mas o mercado cai e elas perdem muito dinheiro.

    Por isso, entender os riscos dos ativos e fazer uma gestão de risco apropriada é fundamental para o sucesso com as finanças no longo prazo.

    7 – Investir apenas para curto prazo

    Muitas pessoas se atraem pelos investimentos apenas para objetivos de curto prazo, como uma viagem, a  compra de algum automóvel ou algum evento especial.

    É verdade que esses gastos podem se justificar e podem aumentar o bem-estar do investidor, mas é preciso pensar também na construção de patrimônio ao longo dos anos.

    Sendo assim, o ideal é investir uma parte do dinheiro para demandas mais pontuais (como as citadas acima) e reservar outra parte dos investimentos para aumentar o montante de dinheiro e, assim, alcançar a independência financeira.

    Dessa forma, é possível até mesmo gerar renda passiva por dividendos que poderão ajudar na realização desses objetivos monetários de mais curto prazo.

    8 – Querer ganhos rápidos

    Muitos investidores, atraídos por uma suposta chance de ganhos rápidos, acabam entrando no mercado pensando em ficarem ricos rapidamente e nunca mais trabalhar.

    Entretanto, investir para o curto prazo faz com que as pessoas acabem colocando todo seu dinheiro em empresas muito arriscadas e acabam perdendo muito dinheiro (ao invés de ganhá-lo).

    Além disso, muitas pessoas são atraídas pelo mercado de derivativos, que promete lucros gigantescos com seus trades. Mas esse tipo de mercado exige com muito cuidado, pois há chances de perder ainda mais dinheiro e quebrar.

    Por isso, o horizonte de tempo para os investimentos deve ser alongado para o longo prazo para aumentar as chances de alcançar a independência financeira.

    Assim, é possível ganhar dinheiro de forma mais segura, desde que se invista com base nos fundamentos dos ativos.

    Isso não impede, é claro, a construção de um caixa para uma compra de algum bem mais caro, como um imóvel, automóvel e outros.

    9 – Não seguir uma estratégia do investimento

    Em primeiro lugar, é preciso entender que cada pessoa tem sua própria estratégia de investimentos: alguns focam apenas em ações, outros gostam de alocar dinheiro em várias classes de ativos, etc.

    Sendo assim, cada investidor deve fazer a própria jornada e entender qual é a estratégia mais apropriada na sua hora de investir.

    Por exemplo: alguns investidores são mais passivos e adeptos do Buy and Hold. Outros fazem swing trade. Alguns preferem comprar apenas ETFs, sem gerir quais ativos estão em sua carteira, etc.

    Pode ser que determinada pessoa decida que não quer ficar olhando constantemente a cotação de seus investimentos e prefere, inclusive, delegar essas decisões ao gestor de um fundo.

    Vale notar, além disso, que não há estratégia mais certa ou mais errada: desde que se sigam princípios básicos, é possível ter sucesso no longo prazo.

    Por exemplo: os maiores investidores, como Warren Buffett, Peter Lynch, Charlie Munger e Ray Dalio têm estratégias muito diferentes de investimentos. No entanto, todos eles tiveram sucesso em seus portfólios.

    10 – Não ter constância

    Por fim, um problema muito comum para o investidor (especialmente o iniciante) é não ser constante nos seus investimentos.

    Por exemplo: investir R$ 1000 no primeiro mês, no segundo investir apenas R$ 300 no segundo e, depois, ficar 6 meses sem alocar nada.

    Isso faz com que o investidor não desenvolva a mentalidade de acumular patrimônio de forma constante (algo muito importante no jogo do enriquecimento de longo prazo) e que, com isso, não chegue à liberdade financeira.

    Por isso, é fundamental que ele tenha a noção de que deve investir todos os meses, ainda que seja uma quantia muito pequena.

    Mesmo que essa quantia pequena não faça tanta diferença, ela vai ajudar a educar financeiramente o investidor para sempre investir.

    Foi possível entender quais são os 10 maiores erros dos investidores iniciantes? Não deixe de compartilhar este artigo com todos os seus amigos investidores.

    Perguntas frequentes sobre os maiores erros dos investidores iniciantes
    Quais são os 10 maiores erros dos investidores iniciantes?

    Não diversificar a carteira, colocar todo o patrimônio em renda variável, não seguir uma estratégia de investimentos, investir sem conhecer seu perfil de investidor, não estudar sobre investimentos, ignorar os riscos, investir apenas para o curto prazo, querer ganhos rápidos, não seguir uma estratégia de investimentos e não ter constância.

    Como investir da forma correta?

    Investir pensando no longo prazo, investindo com constância e buscando empresas com bons fundamentos para alocar o seu capital.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *