Acesso Rápido

    Ciclo do ouro: entenda o que foi e qual sua importância para a economia

    Ciclo do ouro: entenda o que foi e qual sua importância para a economia

    Uma das fases mais importantes da história do Brasil foi o ciclo do ouro que marcou o enriquecimento de uma camada da população.

    Embora o ciclo do ouro tenha trazido avanços e mudanças na macroeconomia brasileira, ele foi responsável também por revoltas no país.

    O que foi o ciclo do ouro?

    O ciclo do ouro aconteceu no século XVIII e foi um período em que a extração de ouro era a principal atividade econômica no Brasil.

    Ele teve o seu início no final do século XVII quando as exportações de açúcar tiveram uma queda substancial, com a preferência da Europa pelo açúcar holandês que além da boa qualidade também era mais barato.

    Quando ocorreu o ciclo do ouro no Brasil?

    O ciclo do ouro teve seu início quando alguns bandeirantes descobriram minas de ouro no em Minas Gerais, além dos estados do Mato Grosso e Goiás.

    As jazidas de ouro nessas regiões foram divididas em lavras, atraindo milhares de pessoas. Acredita-se que a população nesses Estados dobrou em menos de um século.

    Portugal que vinha atravessando dificuldades econômicas por conta de má administração e desastres naturais, viu nessas jazidas uma perspectiva de estabilidade financeira.

    Quais foram os impactos do ciclo do ouro?

    Um dos principais impactos do ciclo do ouro Brasil foi o surgimento de uma elite letrada, sendo que vários filhos de exploradores de ouro puderam mandar seus filhos para a Universidade de Coimbra.

    Lá eles passaram a ter mais contato com as ideias iluministas, o que mudou as relações internas no Brasil.

    Além disso, a economia começou a ter um maior dinamismo, pois em torno das minas começou a se constituir um comércio agrícola para alimentar quem trabalhava nelas.

    Esse foi um período que representou o maior momento de controle do Brasil por Portugal, afinal os impostos de exportação cobrados pela Coroa eram altíssimos.

    Quais eram os principais mecanismos de controle da Coroa?

    Para controlar a extração de ouro, a Coroa Portuguesa cobrava 20% de toda a produção de ouro no país, sendo ela remetida para Portugal. Essa cobrança era chamada de Quinto.

    Além dela, existia uma quota de 1.500 kg de ouro que deveria ser atingida pela colônia. Se isso não acontecesse, os bens dos senhores de lavras eram penhorados.

    Existia também a capitação que era o imposto cobrado pelo senhor de lavras por cada pessoa escravizada que trabalhava nos seus lotes.

    Por conta desses impostos abusivos, foi bastante comum nessa época os conflitos que culminaram em várias revoltas e tentativas de independência do Brasil como a inconfidência mineira.

    A importância do ouro durante a história

    Apesar dos conflitos, o ciclo do ouro representou uma profunda mudança para o Brasil. Afinal, ele mudou o eixo econômico do litoral nordestino para o interior.

    Além disso, houve um enriquecimento da elite brasileira, e um aumento na escolaridade dos seus filhos que puderam ir estudar na Europa em um momento em que o iluminismo se espalhava pelo continente.

    Para os escravizados houve uma maior esperança de liberdade, assim como uma nova camada de libertos dentro do país.

    Como se expor ao ouro no Brasil?

    O ouro teve um importante papel na história do Brasil, e por isso ele é visto como um dos investimentos mais importantes em nosso país.

    Dessa forma, para quem deseja investir em ouro existem fundos de ouro que podem ser adquiridos por qualquer investidor. Além disso, existem ETFs, fundos de índices, como principal objetivo seguir o preço spot do ouro no mercado.

    Essa não é, todavia, uma forma totalmente segura de investimento, mas é uma maneira interessante de diversificação da carteira de investimentos.

    Foi possível entender o que foi o ciclo do ouro? Então deixe o seu comentário, sua sugestão e compartilhe este artigo com todos os seus amigos nas suas redes sociais.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *