Acesso Rápido

    Bolha da internet: entenda as causas e consequências desse evento

    Bolha da internet: entenda as causas e consequências desse evento

    Uma bolha financeira ocorre quando determinado ativo financeiro passa a ser cotado a um preço irreal. Isso foi o que aconteceu com a bolha da internet.

    A bolha da internet ocorreu no final da década de 1990 nos EUA. E como não poderia deixar de ser, trouxe consequências desastrosas para o país levando inclusive a falência de muitas empresas.

    O que foi a bolha da internet?

    A bolha da internet (também conhecida como bolha ponto com ou dot com bubble) foi um movimento especulativo nas ações de empresas baseadas em negócios na internet ou intensivas em tecnologia. Essa especulação econômica cresceu ao longo da década de 1990 e culminou com o estouro da bolha em 10 de março de 2000.

    Isso porque o setor de tecnologia era conceituado como a Nova Economia, anticíclica e de crescimento ilimitado. Como consequência provocou o superaquecimento do mercado financeiro americano.

    O crescimento da bolha da internet

    No início da década de 1990 a internet passou a se popularizar, deixando de ser domínio exclusivo de universidades e governos. Além disso, uma demanda crescente por computadores reduziu o preço desse produto, estimulando ainda mais o desenvolvimento de empresas ponto com.

    Logo começou a surgir diversas empresas na área, muitas delas movidas pela ganância de ganhar dinheiro rápido e fácil. Inclusive muitas abriram o capital sem ao menos gerar lucros.

    A bolha se alimentava de especulação, financiamentos privados maciços e excesso de confiança no crescimento do setor. O preço de várias ações do setor disparava logo no lançamento (IPO), chegando a valorizar mais de 600% em um único dia.

    Como resultado a Nasdaq, que subiu 5 vezes entre 1995 a 2000, atingiu 5.048 pontos em 10 de março de 2000. Isso representou a máxima histórica até então, como é possível verificar no gráfico:

    bolha da internet

    Estouro da bolha da internet

    Os investidores e empresários estavam muito otimistas com o setor. Inclusive a fusão entre AOL e Time Warner foi considerado por muitos especialistas na época como o maior e mais caro negócio da história. Contudo, pouco tempo depois se transformou em dos maiores fiascos do mundo financeiro.

    Além disso, outros fatores colaboram para a quebra generalizada das empresas ponto com:

    • Bug do milênio: exigiu alto investimento para resolver esse problema;
    • Aumento na taxa de juro americana: Entre 1999 a 2000 o FED aumentou a taxa de juros seis vezes;
    • Excesso de entusiasmo com o setor: Muitas empresas eram criadas apenas na expectativa de que daria certo, sem nenhum planejamento;
    • Corrupção corporativa: Muitas empresas se envolveram em fraudes para forjar seus indicadores contábeis e atrair investimentos.

    Até que um dia, os investidores se deram contam de que as ações cresciam sem fundamento justificado. Isso provocou pânico generalizado e levou a um enorme volume de vendas. A Nasdaq terminou por absorver uma desvalorização de algo em torno de 76% no final de 2001.

    Consequências da bolha da internet

    Como resultado natural da queda no preço das ações, muitas empresas foram a falência. Além disso, muitas outras tiveram que se reestruturar para conseguir sobreviver.

    Empresas como Yahoo, Amazon, Ebay e Paypal foram exemplos de empresas que sobreviveram, porém amargaram grande desvalorização de suas ações.

    Logo, o modelo de negócio teve que ser reavaliado para que se adequasse a nova realidade e fosse sustentável a longo prazo.

    Bolha da internet no Brasil

    bolha da internet

    No Brasil, na época do estouro dessa bolha econômica, ainda não haviam empresas do setor de tecnologia com capital aberto na bolsa.

    Além disso, empresas como a Booknet e Ponto frio que atuavam no e-commerce também não tinham ações negociadas no mercado de capitais.

    Contudo, a nossa bolsa de valores não deixou de ser impactada pela bolha da internet. Entre 03/2000 a 11/2000 a Bovespa chegou a cair em torno de 25%.

    Além disso, alguns sites da época não sobreviveram à bolha porque eram financiados com recursos americanos. Por outro lado, ainda temos alguns remanescentes da época como o Buscapé, Cybercook e Booknet (atual Submarino).

    Podemos concluir que na bolha da internet dados fundamentalistas básicos foram negligenciados, como o lucro por ação das empresas. Então, se quiser saber mais sobre como analisar uma ação, não deixe de baixar gratuitamente nosso guia sobre ações, onde você aprenderá os principais passos e para examinar uma ação adequadamente.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    2 comentários

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Daniel Versoza 23 de agosto de 2019

      Incrível analisar a Bolha da Internet de 2000 em tempos como os atuais, onde os grandes investimentos são destinados a empresas como Uber, Netflix e certas fintechs (dentre outras startups) que não estão acostumadas a ver a bottom line sem parênteses.

      Responder
    • […] termo surgiu nos EUA e se popularizou no Brasil a partir da bolha das empresas ponto-com, entre os anos de 1996 e 2001. Tal bolha fez com que as ações das novas empresas focadas e TIC […]

      Responder