Acesso Rápido

    Adimplência: o que é? Descubra como sair do vermelho

    Adimplência: o que é? Descubra como sair do vermelho

    Um dos principais requisitos para a obtenção de crédito no mercado é a adimplência. Algo que nem sempre todos conseguem manter ao longo da sua vida adulta.

    O segredo para manter um histórico de adimplência é manter as finanças pessoais organizadas, fugindo das compras por impulso e sempre mantendo uma reserva de emergência.

    O que é adimplência?

    A adimplência é constituída pela quitação de dívidas e obrigações financeiras nos termos firmados em contrato ou acordo. Em outras palavras, significa pagar as contas em dia e no seu valor total. Por isso, alguém adimplente é, essencialmente, alguém sem o nome sujo.

    Entretanto, não basta atrasar o pagamento de uma fatura para ser considerado inadimplente. Segundo o conceito jurídico de adimplência substancial, é preciso considerar o contexto de pagamentos para chegar a esta conclusão.

    Se a maior parte dos pagamentos tiver sido feita, o devedor dificilmente perderá um bem, por exemplo, se enfrentar dificuldades para quitar a última parcela.

    Qual a diferença entre adimplentes e inadimplentes?

    Assim, as diferenças de adimplência e inadimplência consistem no fato de serem termos opostos, visto que a inadimplência é o atraso nos pagamentos dos débitos ou mesmo a ausência seguida de quitação da dívida.

    Sendo assim, o adimplente é uma pessoa que tem as contas em dia, enquanto o inadimplente está com as contas atrasadas e possui o nome sujo.

    Portanto, quem é adimplente consegue arcar com seus custos e não atrasar seus pagamentos, mantendo uma saúde financeira adequada.

    Por outro lado, o inadimplente não consegue arcar com seus custos, pagando juros e multas em seus pagamentos e se endividando cada vez mais.

    Dessa forma, o principal diferencial entre os dois são suas finanças pessoais, que nada mais é do que manter um controle adequado do dinheiro, gastando menos do que se ganha e montando uma reserva.

    Quais são os efeitos da inadimplência?

    É verdade que nem sempre é fácil pagar todos os débitos adquiridos. Mas, quem não paga as suas contas em dia enfrenta graves consequências. As principais delas são:

    Primeiramente, a ocorrência de juros acaba fazendo com que os valores que se deve aumentem de forma considerável. Além disso, multas também são decorrentes da inadimplência.

    Por outro lado, caso a inadimplência permaneça, é possível ficar com o nome sujo, inviabilizando outros negócios.

    Por fim, é possível que ocorra a perda de crédito perante instituições financeiras e até mesmo a perda de bens adquiridos, caso a pessoa não tenha adimplência.

    Dessa forma, com o acesso ao crédito dificultado, a taxa de juros incidente em um empréstimo pode se tornar mais alta, já que a instituição financeira encarará essa transação como um risco maior de calote.

    Assim, sair do superendividamento se torna cada vez mais difícil para o consumidor, ainda mais quando não há uma consolidação de dívidas eficiente. Isso porque, quanto maior o tempo de atraso em um pagamento, maior a dívida se torna.

    Daí vem a importância de prevenir a entrada em uma dívida do que remediá-la.

    Quais as vantagens da adimplência?

    Existem benefícios da adimplência que podem ser melhores condições na obtenção de crédito, como empréstimos ou mesmo limite nos cartões de crédito.

    Primeiramente, quem já esteve inadimplente pode, após regularizar a sua situação, solicitar uma declaração de adimplência, que pode ser apresentada quando quiser melhorar o seu acesso a crédito e prevenir cobranças indevidas futuras.

    Esta solicitação deve ser feita diretamente à empresa com a qual se tinha alguma pendência. Sendo assim, fica claro que manter-se adimplente é muito importante, visto que permite que a pessoa recupere seu crédito.

    Dessa forma, é preciso adquirir educação financeira para manter-se longe de dívidas e conseguir pagar tudo adequadamente, saindo do vermelho.

    Como evitar o endividamento?

    Primeiramente, é preciso saber que, para se manter adimplente é necessário controlar bem os seus recursos e dívidas, inclusive para não gastar mais do que se ganha.

    Isto é, perder a adimplência é algo que ocorre facilmente com quem se deixa levar por compras por impulso.

    Além disso, manter uma reserva de emergência que possa cobrir eventuais imprevistos que, de outra forma, poderiam acarretar dívidas difíceis de quitar.

    Por outro lado, ter diferentes fontes de renda também ajuda a manter a vida financeira saudável. Isso porque caso se perca um desses recursos, o desfalque não será tão grande assim.

    Foi possível saber mais sobre adimplência? Deixe suas dúvidas nos comentários abaixo para que possamos te ajudar.

    Gabriela Mosmann
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *