Semana do ESG

Weg (WEGE3) pagará milhões em JCP e a ameaça de greve dos caminhoneiros: veja as notícias mais lidas da semana

Weg (WEGE3) pagará milhões em JCP e a ameaça de greve dos caminhoneiros: veja as notícias mais lidas da semana
Weg (WEGE3). Foto: Divulgação

O destaque da semana foram os JCP milionários anunciados pela Weg (WEGE3).

Outra notícia que chamou atenção na semana foi a possibilidade de greve dos caminhoneiros, que já era alta depois do aumento dos preços dos combustíveis. Segundo as lideranças da categoria, a paralisação ganhou mais força depois da pressão política do governo do presidente da República, Jair Bolsonaro, sobre a Petrobras (PETR4). Os caminhoneiros, que esta semana rejeitaram o auxílio proposto à categoria, consideram que o Executivo tem adotado medidas sem eficácia para conter a alta do diesel e da gasolina.

Uma notícia animadora para investidores da Oi (OIBR3) é que o processo de recuperação judicial da empresa deve acabar em breve. Foi oura notícia que atraiu muitos leitores.

Também disparou de cliques entre os leitores o post sobre as ações do Magazine Luiza (MGLU3), que lideram as altas do Ibovespa na última segunda (20).

Por fim, outra notícia movimentou a semana: arrendatários da Fazenda Vianmancel, que faz parte do Fundo Imobiliário BTG Pactual Terras Agrícolas (BTRA11), estão pedindo recuperação judicial, o que causou uma reação intensa no mercado financeiro, especialmente o de FIIs.

Veja abaixo o resumo das principais notícias da semana. Acesse os links para ler o texto completo. Bom final de semana!

Weg (WEGE3) pagará R$ 181,6 milhões em JCP; veja valor por ação

A Weg (WEGE3) comunicou nesta terça-feira (21) que vai pagar R$ 181,6 milhões em Juros Sobre Capital Próprio (JCP) aos seus acionistas.

De acordo com fato relevante, o valor dos proventos por ação será de R$ 0,04, que serão pagos em 17 de agosto.

Apenas os investidores com ações da Weg no dia 24 de junho terão direito de receber os rendimentos. A partir do dia 27 de junho, as ações serão negociadas sem direito aos dividendos.

Líder da categoria reforça ameaça de greve dos caminhoneiros: “Não temos mais condições de rodar”

A possibilidade de greve dos caminhoneiros, que já era alta depois do aumento dos preços dos combustíveis, segundo as lideranças da categoria, ganhou mais força depois das afirmações feitas pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, juntamente com o presidente da Câmara, Arthur Lira. Bolsonaro propôs uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Petrobras (PETR4). Lira reclamou da renúncia do presidente da estatal, José Mauro Coelho. “O que importa é que o País vai parar naturalmente, por não ter mais condições de rodar”, diz o presidente da Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores (Abrava), Wallace Landim, conhecido como “Chorão Caminhoneiro”.

Um dos principais líderes dos caminhoneiros, Landim afirma que o governo federal tem adotado medidas sem eficácia, apenas norteado por interesses eleitorais, e que Bolsonaro descumpriu compromissos que teria assumido com os profissionais de transporte, como a alteração da política de preços usada pela Petrobras, que se baseia em oscilações internacionais para definir sua tabela no País.

Processo de recuperação judicial da Oi (OIBR3) está caminhando para o fim, diz jornal

O fim do processo de recuperação judicial da Oi (OIBR3) deve acontecer em breve. A data esperada é para o próximo dia 27 de junho, prazo estabelecido pelo juiz Fernando Cesar Ferreira Viana, da 7ª Vara Empresarial do Estado do Rio de Janeiro, para que o administrador judicial Wald Advogados apresente o quadro geral de credores da companhia.

Após o juiz receber o quadro geral de credores da Oi, Viana provavelmente abrirá vista do processo ao Ministério Público do Rio, que dará um parecer. Apesar de ainda não ter o prazo para a sentença final, fontes disseram ao jornal Valor Econômico que deve acontecer em breve.

Ao todo são 60 mil credores e mais de 30 mil incidentes julgados, mas a advogada Adriana Conrado Zamponi, sócia do escritório Wald, estima que haja em torno de 55 mil credores no momento, pois os que já foram pagos saíram da lista.

Magazine Luiza (MGLU3) fecha em alta de 8,4% e lidera ganhos do Ibovespa; veja por quê

As ações do Magazine Luiza (MGLU3) lideram as altas do Ibovespa na tarde desta segunda-feira (20). Os papéis do Magalu fecharam em alta de 8,4% com o recuo dos juros futuros, que impulsionam o setor de consumo e varejo.

Por volta das 16h, as ações do Magazine Luiza tinham alta de 8,4%, negociada a R$ 2,60. Nos últimos 12 meses, o Magalu acumula uma queda de 87,76%. Só em junho, a queda é de 29,92%.

Embora não haja alterações na conjuntura macroeconômica, os especialistas apontam que a procura por essa e outras ações do setor ocorre porque os investidores estão aproveitando a forte desvalorização recente para fazer posição, em meio a um recuo dos juros futuros, o que impulsiona o consumo e o varejo.

Para se ter uma base, os juros futuros (DI) para janeiro de 2023 apresentavam queda de 0,36603% e para fevereiro de 2023, recuo de 0,43892%.

Fazenda do FII BTRA11 pede recuperação judicial; cotas despencam 16,49%

Os arrendatários da Fazenda Vianmancel, que faz parte do Fundo Imobiliário BTG Pactual Terras Agrícolas (BTRA11), estão pedindo recuperação judicial. O ativo, de R$ 81 milhões, representa aproximadamente 24% do patrimônio de R$ 342,2 milhões do FII BTRA11. A informação foi publicada primeiro pelo BP Money.

Nesta quarta-feira (22), o BTRA11 afundou 16,49%, cotado a R$ 84,92. Na abertura do dia, o valor era de R$ 101,69.

O BTG Pactual (BPAC11) celebrou um compromisso de compra e venda com Milton Paulo Cella, dono anterior da Fazenda Vianmancel, para a aquisição do ativo em agosto de 2021. No total, a transação adicionaria mensalmente R$ 0,22 por cota nos dividendos dos cotistas, na época do negócio.

Victória Anhesini

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO