Radar: Via (VIIA3), BRF (BRFS3) e Locaweb (LWSA3) divulgam balanços; JBS (JBSS3) aumenta lucro e paga dividendos

Radar: Via (VIIA3), BRF (BRFS3) e Locaweb (LWSA3) divulgam balanços; JBS (JBSS3) aumenta lucro e paga dividendos
Via - Foto: Divulgação/Bruno Carachesti

O lucro líquido da Via (VIIA3), dona da Casas Bahia e do Ponto, alcançou R$ 101 milhões no terceiro trimestre deste ano, um crescimento de 1% ante o mesmo período de 2020. O balanço da companhia foi divulgado nesta quarta-feira (10).

A XP esperava  prejuízo ajustado de R$ 123 milhões para a Via durante o terceiro trimestre desse ano. Já o BTG recomendava compra das ações da Via, com a estimativa de que a companhia lucrasse R$ 263 milhões no período.

A receita líquida  da Via apresentou uma queda de 5,9% na base anualizada, para R$ 7,349 bilhões.]

A receita bruta consolidada recuou 6,7% na base anual, para R$ 8,7 bilhões. A dona da Casas Bahia cita três fatores que explicam a queda do indicador:

  • O descasamento entre a retomada do plano de expansão de abertura de lojas e o fechamento de 100 lojas nos últimos 9 meses que resultou em redução de área de vendas e perda de receita;
  • A relevância que o vendedor online tem mostrado. Essas vendas são contabilizadas como online desde março de 2020 e portanto não entram na receita bruta da loja desde o segundo trimestre do ano passado
  • A mudança no padrão de consumo por conta da pandemia que combinado com o cenário econômico explicam o desempenho negativo das lojas físicas no período.

Por sua vez, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado da varejista no trimestre foi de R$ 669 milhões entre julho e setembro, com margem de 9,1%, resultados, respectivamente, 6,7% e 1,1 ponto percentual superiores  ao terceiro trimestre do ano passado.

A companhia lembra que há um provisionamento de processos trabalhistas. A Via anunciou uma atualização de sua provisão para demandas trabalhistas em R$ 1,2 bilhão. Segundo a empresa, houve aumento relevante na expectativa de desembolso de valores nas ações trabalhistas.

Dentre as razões, está o fato de as reclamações trabalhistas terem aumentado 82% no primeiro semestre de 2021, em relação ao mesmo período do ano passado. Além disso, houve aumento de aproximadamente 32% no valor do “tíquete médio” para os casos sentenciados em 2021 em comparação ao mesmo período dos últimos dois anos (2020 e 2019)

Essas foram consideradas questões de impacto relevante para a “melhor estimativa da companhia quanto ao risco de seu contencioso trabalhista”. Segundo o fato relevante, a mudança teve impacto de R$ 810 milhões no terceiro trimestre de 2021. A estratégia da companhia é utilizar novos créditos tributários para minimizar o efeito do provisionamento mais alto.

Além disso, o GMV Bruto da Via (Volume Bruto de Mercadoria) totalizou R$ 11,1 bilhões entre julho e setembro,  alta de 5,7% na comparação ano a ano, “impulsionado pelo forte desempenho do marketplace que mudou de patamar para quase R$ 2 bilhões em GMV, um salto de 133% a/a”, conforme mostra o balanço.

Já o GMV Lojas Físicas Bruto caiu 14,3%, para R$ 5,211 bilhões, na base anualizada.

O GMV Bruto, considerando o 1P e o 3P online somou R$ 5,863 bilhões, após um salto de 33,4% na mesma comparação. Desse toral, o 1P online foi responsável por R$ 3,888 bilhões (alta de 9,6%) e o 3P online, por R$ 1,976 bilhão (alta de 132,8%).

As vendas digitais brutas chegaram a R$ 6,622 bilhões, um incremento de 34,7% em relação ao terceiro trimestre do ano passado

Além do balanço da Via, veja outras empresas que ficaram no radar nesta quarta-feira:

Aliansce Sonae (ALSO3): lucro cresce 150,5% no 3T21, para R$ 60,584 mi, com reabertura de shoppings

  • O lucro líquido da Aliansce Sonae (ALSO3) somou R$ 60,584 milhões no terceiro trimestre desse ano, conforme mostra o balanço divulgado nessa quarta-feira (10). O montante corresponde a um incremento de  150,5% em comparação com o mesmo intervalo de 2020.
  • A melhora no lucro da Aliansce Sonae reflete a retomada do varejo com a reabertura dos centros de compras após o pior momento da crise sanitária. Todos os shoppings da companhia retornaram ao horário regular de funcionamento entre julho e setembro, com exceção de apenas uma unidade.
  • Ao final do penúltimo trimestre, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado somou R$ 162,068 milhões, avanço de 49,4% na mesma base de comparação anual. A margem Ebitda subiu 5,92 p.p, para 70,3%.
  • O FFO (lucro líquido excluindo depreciação, amortização e efeitos não caixa) ajustado foi de R$ 98,989 milhões, aumento de 86,3%. A margem FFO cresceu 7,29 p.p., para 44,4%.
  • A receita líquida atingiu R$ 230,503 milhões, crescimento de 36,8%. O montante também ficou 1,5% acima do terceiro trimestre de 2019 – antes da chegada da pandemia.
  • O resultado financeiro (saldo de receitas e despesas) ficou negativo em R$ 19,073 milhões, diminuição de 22,0%.
  • No fim do terceiro trimestre, a companhia tinha uma dívida líquida de R$ 834,323 milhões. O custo médio da dívida foi de 7,0%, o que representa uma alta ante os 5,6% de um ano antes. O aumento está relacionado à elevação dos índices de inflação dos contratos de dívida.
  • A ação da Aliansce Sonae (ALSO3)  terminou o pregão de hoje em alta de 1,77% valendo R$ 21,32, antes da divulgação dos resultados. No ano, o papel acumula uma queda de 26,91%, frente ao fechamento a R$ 29,17 ao final de dezembro de 2020.

Localiza (RENT3): preço dos carros vendidos subiu 34,5% no 3º trimestre

  • Entre  julho e setembro desse ano, o preço médio dos carros vendidos pela Localiza (RENT3) alcançou R$ 60,5 mil, um salto de 34,5% na comparação anualizada. Esse resultado reflete o aumento praticado nos preços dos carros novos, conforme mostra o balanço da companhia divulgado na noite desta terça-feira (9).
  • De acordo com a Localiza, no terceiro trimestre os volumes de produção de carros pela indústria continuaram sendo impactados pela escassez de semicondutores no mercado global. Neste cenário, foram comprados 22.437 veículos pela companhia no período, ante 22.881 unidades no mesmo período de 2020. O volume de desativação da frota do aluguel passou de 45.536 no terceiro trimestre do ano passado para 21.620 em igual intervalo de 2021.
  • No acumulado do ano, a frota da Localiza foi reduzida em 1,7% em relação a igual intervalo de 2020, devido “à persistência do cenário de menor nível de fornecimento de veículos pelas montadoras, parcialmente compensado pela redução do número de carros disponíveis para venda”, destaca a companhia. O investimento líquido na frota de janeiro a setembro foi de R$ 4,9 bilhões (incluindo acessórios), ante R$ 3 bilhões no mesmo intervalo de 2020.

MRV (MRV3) vê lucro subir 64,1% no 3T21; BofA recomenda compra

  • O lucro líquido ajustado da MRV (MRVE3) durante o terceiro trimestre deste ano somou R$ 231 milhões, um salto de 13,6% em comparação ao ganho apurado no trimestre anterior e de 64,1% na base anual. O balanço da companhia foi divulgado nesta quarta-feira (10), antes do pregão.
  • Já a receita operacional líquida da MRV entre os meses de julho e setembro alcançou 1,8 bilhão, alta de 1,1% ante o mesmo trimestre de 2020. Na comparação trimestral, a receita caiu 0,9%
  • Ebitda (Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) somou R$ 386 milhões ao final de setembro, contra R$ 249 milhões apurado um ano antes. A variação representa uma melhora de 54,9%.
  • margem Ebitda passou de 14% no terceiro trimestre de 2020 para 21,5% no mesmo período neste ano, incremento de 7,4 pontos percentuais
  • O ROE (Retorno sobre Patrimônio) anualizado ajustado da MRV cresceu 5,5% na base anual, para 15,6% no penúltimo trimestre deste ano.
  • Além disso, a companhia encerrou setembro com um land bank total de R$ 66,9 bilhões. “A plataforma habitacional de MRV&Co já está preparada para intensificar suas operações e alcançar o patamar de 80 mil unidades anuais, dentro dos próximos anos”, explica o balanço e completa: “estrategicamente a MRV&Co está buscando aquisições de terrenos com o objetivo de adequar seu land bank à sua plataforma habitacional multifunding.”

JBS (JBSS3) anuncia pagamento de R$ 2,37 bilhões em dividendos

  • A JBS (JBSS3) anunciou nesta quarta (10) a distribuição de dividendos intercalares, com base no lucro líquido apurado nas demonstrações financeiras levantadas em 30 de junho de 2021, no valor total de R$ 2,37 bilhões. O valor unitário, por sua vez, é de R$ 1,00 por ação ordinária.
  • Poderão receber os dividendos da JBS os investidores com ações da empresa até o final do pregão do dia 16 de novembro. As ações da JBS serão negociadas como ex-dividendos a partir do dia seguinte, 17 de novembro. O pagamento será feito no dia 24 do mesmo mês.
  • A empresa reitera que o valor dos dividendos por ação é estimado e poderá sofrer variação em razão de eventual alteração do número de ações em tesouraria.
  • A JBS encerrou o pregão de hoje em alta modesta de 0,32%, com seus papéis sendo negociados a R$ 37,86. A empresa vem tendo saldo positivo este ano, tendo acumulado em 2021 crescimento de 61,73%.

Embraer (EMBR3) fecha parceria para levar ‘carro voador’ para a Escandinávia

  • A Embraer (EMBR3) divulgou nesta quarta (10) que fechou parceria com a companhia aérea norueguesa Widerøe Zero, por meio de sua subsidiária, Eve, para levar ao mercado escandinavo um modelo de “carro voador”. A proposta é desenvolver soluções de mobilidade aérea urbana com a implantação de operações de eVTOL (sigla em inglês para veículo elétrico de pouso e decolagem vertical)
  • Segundo a fabricante brasileira, a parceria entre as companhias começou em 2017, quando a Widerøe assinou um pedido de até 15 aeronaves modelo E190-E2. “A maior companhia aérea regional da Escandinávia também é o primeiro cliente da nova geração da família E-Jets E2, iniciando as operações do E190-E2 em abril de 2018, em Bergen, na Noruega”, diz a Embraer.
  • As empresas usarão o veículo eVTOL, de emissão zero e baixo nível de ruído, para desenvolver um conceito de operação, segundo nota da companhia, em que os passageiros experimentarão o transporte elétrico e um novo modelo de mobilidade sustentável, conectando pessoas que vivem em uma região pouco povoada e com geografia montanhosa.
  • Como parte dessa colaboração, a Widerøe Zero contribuirá com um exercício de disponibilidade de mercado e um estudo de conceito de operação de veículo na Escandinávia, promovendo o desenvolvimento da Eve no mercado de mobilidade aéreas urbana na região. O eVTOl da Embraer ainda está em desenvolvimento e deve começar a ser entregue em 2026.
  • “Nossa parceria com a Eve faz parte do plano para acelerar o desenvolvimento da aviação sustentável na Noruega. Estamos ansiosos com a ampliação da parceria para explorar novas oportunidades para melhorar a conectividade regional”, disse Andreas Kollbye Aks, CEO da Widerøe Zero

SulAmérica (SULA11) lucra R$ 280 milhões no 3T21, com maior sinistralidade

  • O lucro líquido das operações continuadas da SulAmérica (SULA11) caiu 2,0% no terceiro trimestre de 2021, para R$ 280,3 milhões, superando a expectativa da Genial Investimento, de lucro líquido de R$ 72 milhões.
  • resultado da SulAmérica no terceiro trimestre de 2021 foi negativamente impactado pelos casos de Covid-19, combinados à retomada dos níveis normais de frequência de procedimentos eletivos em saúde. A sinistralidade consolidada atingiu 84,6% no período, um acréscimo de 9,4 pontos percentuais nos últimos 12 meses.
  • O efeito, por outro lado, foi compensado pelo resultado financeiro de R$ 110,9 milhões no trimestre, crescimento de 662,4% em relação ao 3T20, refletindo principalmente os aumentos na taxa básica de juros (Selic), beneficiando a performance de ativos pós-fixados.
  • O lucro da SulAmérica ainda foi beneficiado pelo reconhecimento de créditos fiscais no montante de R$ 234,8 milhões, relacionados à não incidência de imposto de renda e contribuição social (IR/CS) sobre a correção pela Selic em processos de repetição de indébito tributário, após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em setembro.
  • A seguradora registrou aumento de 3,7% nas receitas operacionais de julho a setembro, impulsionadas pelos segmentos de saúde, odonto e vida.
  • A margem bruta de R$ 357,2 milhões foi 52,7% mais baixa do que a apresentada um ano ante e 27,1% superior ao segundo trimestre de 2021. De acordo com a empresa, o número evidencia o início de recuperação na rentabilidade da operação, acompanhando, principalmente, o menor impacto da pandemia no segmento de saúde ao longo dos últimos meses.
  • Segundo o balanço da SulAmérica, houve um crescimento de 341 mil beneficiários em planos coletivos contra o terceiro trimestre de 2021, sendo 133 mil em saúde e 208 mil em odonto. Os beneficiários dos segmento alcançaram 4,5 milhões.

BRF (BRFS3) aumenta prejuízo pelo segundo trimestre consecutivo, para R$ 271 milhões

  • A BRF (BRFS3) divulgou nesta quarta-feira (10) os seus resultados no terceiro trimestre de 2021. A companhia registrou prejuízo pelo segundo trimestre consecutivo, agora no valor de R$ 271 milhões. No mesmo período em 2020, a companhia registrou R$ 219 milhões de prejuízo. A BRF havia conseguido diminuir o número no 2T21, para R$ 199 milhões.
  • receita líquida teve crescimento de 24,6%. O valor alcançado foi R$ 12,3 bilhões, acima dos R$ 9,94 do terceiro trimestre no ano passado. A empresa conseguiu resultados equilibrados entre sua receita no Brasil e no mercado internacional.
  • Já o Ebitda ajustado (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da BRF foi de R$ 1,36 bilhão, um crescimento modesto de 3,9% comparado ao 1,31 bilhão do 3T20.
  • O frigorífico diz que, mesmo diante de um cenário extremamente adverso e desafiador durante o 3T21,  com efeitos da pandemia e ambiente inflacionário, a empresa reportou um EBITDA ajustado “que reflete sua capacidade de execução, sem perder o foco na visão de longo prazo.”

JBS (JBSS3) lucra R$ 7,6 bilhões no 3T21, aumento de 142,1%

  • A JBS (JBSS3) divulgou nesta quarta-feira (10) seus resultados no terceiro trimestre deste ano. A companhia anotou um lucro líquido R$ 7,6 bilhões, ou R$ 3,01 por ação, o que corresponde a um aumento de 142,1% ante o lucro líquido apurado um ano antes, de R$ 3,1 bilhões.
  • receita líquida da JBS aumentou em R$ 92,6 bilhões, crescimento de 32,2% em relação aos R$ 70 bilhões do terceiro trimestre do ano passado. Isso representa um crescimento real em todas as unidades de negócios: a Seara cresceu 38,2%, a JBS Brasil aumentou 35,3%, enquanto a JBS Bovinos e JBS Suínos avançaram 34,2% e 42,2%, respectivamente. Por fim, o Pilgrim Pride Corporation teve alta de 21%.
  • Da mesma forma, o EBITDA ajustado (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) subiu 74,2%, de R$ 11,7 bilhões para o recorde de R$ 13,9 bilhões. A margem ficou em 3,6%. Nos últimos 12 meses, o EBITDA ajustado apresentou novo recorde, atingindo R$ 39,5 bilhões (US$ 7,4 bilhões), com margem EBITDA de 12,0%.
  • dívida líquida da companhia somou R$ 61 bilhões, com um aumento de 18,6% em relação ao reportado em igual trimestre de 2020, de R$ 51,5 bilhões. A dívida líquida em dólares aumentou 23%, de US$ 9,1 bilhões para US$ 11,2 bilhões.
  • Apesar do EBITDA de R$ 13,9 bilhões no trimestre, a dívida líquida foi impactada pela variação cambial no montante  de R$ 4,2 bilhões no período devido à depreciação do câmbio final (BRL vs. USD), que passou de R$ 5,00 no 2T21 para R$ 5,44 no 3T21.

Locaweb (LWSA3) reverte lucro e apura prejuízo de R$ 3,7 milhões no 3T21

  • A Locaweb (LWSA3) registrou prejuízo líquido de R$ 3,7 milhões no terceiro trimestre de 2021, revertendo o lucro líquido de R$ 7,8 milhões apurado em igual período do ano passado. Na base ajustada, a empresa de software apresentou lucro de R$ 25,6 milhões de julho a setembro deste ano, um aumento de 96,5% nos últimos 12 meses.
  • receita líquida da Locaweb totalizou R$ 209,1 milhões, um incremento de 65,7% em relação ao terceiro trimestre de 2020 impulsionado pelo segmento Commerce, cuja participação no indicador passou de 31,9% para 50,5%.
  • A receita de Commerce apresentou crescimento de 162,2%, atingindo R$ 105,6 milhões, com a ampliação das receitas de assinatura de plataforma e de ecossistema.
  • No segmento de BeOnline / SaaS, o crescimento da receita foi de 20,4% em comparação com o ano passado, somando R$ 103,5 milhões.
  • O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) recuou 16,1% no ano, a R$ 25,9 milhões. O Ebitda ajustado foi de 33,6 milhões, montante 6,1% inferior em relação a 2020, com a margem Ebitda ajustada apresentando redução de 12,3 pontos percentuais no mesmo período devido principalmente à consolidação dos resultados das empresas adquiridas, que possuem margens menores.

Aliansce Sonae (ALSO3): lucro cresce 150,5%, para R$ 60,584 mi no 3T21, com reabertura de shoppings

  • O lucro líquido da Aliansce Sonae (ALSO3) somou R$ 60,584 milhões no terceiro trimestre desse ano, conforme mostra o balanço divulgado nessa quarta-feira (10). O montante corresponde a um incremento de  150,5% em comparação com o mesmo intervalo de 2020.
  • A melhora no lucro da Aliansce Sonae reflete a retomada do varejo com a reabertura dos centros de compras após o pior momento da crise sanitária. Todos os shoppings da companhia retornaram ao horário regular de funcionamento entre julho e setembro, com exceção de apenas uma unidade.
  • Ao final do penúltimo trimestre, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado somou R$ 162,068 milhões, avanço de 49,4% na mesma base de comparação anual. A margem Ebitda subiu 5,92 p.p, para 70,3%.
  • O FFO (lucro líquido excluindo depreciação, amortização e efeitos não caixa) ajustado foi de R$ 98,989 milhões, aumento de 86,3%. A margem FFO cresceu 7,29 p.p., para 44,4%.
  • A receita líquida atingiu R$ 230,503 milhões, crescimento de 36,8%. O montante também ficou 1,5% acima do terceiro trimestre de 2019 – antes da chegada da pandemia.

Enauta (ENAT3) tem lucro 355% maior no 3T21, impulsionado por Atlanta e alta do petróleo

  • O lucro líquido da Enauta (ENAT3) totalizou R$ 134,0 milhões no terceiro trimestre de 2021, um salto de 355,8% em relação ao resultado de R$ 29,4 milhões reportado no mesmo período de 2020.
  • A diferença entre os períodos foi reflexo do aumento da participação da Enauta no Campo de Atlanta combinado a alta do preço do petróleo que impactou receitas e custos operacionais.
  • A receita líquida da petroleira mais do que dobrou no período, aumentando 162,1%  em 12 meses, para R$ 588,3 milhões. Tanto a receita do Campo de Atlanta (80% do montante total) como a receita do Campo de Manati registraram crescimento na comparação anual.
  • Em Atlanta, além da assunção da totalidade do Campo e da alta da commodity no exterior, a redução do desconto do óleo para menos de US$ 1,0 em relação ao petróleo Brent impactaram a variação positiva de 234,1% na receita. No que tange ao Campo de Manati, o aumento de 39,3% da receita decorreu em grande parte da alta do preço do gás e do aumento da produção.
  • O EBITDAX — Ebitda + despesas de exploração com poços secos ou sub-comerciais — atingiu R$ 438,8 milhões, resultado 182,3% maior quando comparado ao terceiro trimestre de 2020. O número foi influenciado pela contabilização do resultado do Campo de Atlanta, pela alta do Brent no trimestre e pelo desconto em relação ao barril na venda do óleo. A EBITDAX subiu 5,3 pontos percentuais.
  • A produção total da Enauta chegou a 1,99 milhão de barris de óleo equivalente (boe) no no terceiro trimestre de 2021, equivalente à produção média diária de 21,7 mil boe. Mais de 19 milhões de barris foram produzidos no Campo de Atlanta.

Totvs (TOTS3) lucro cresce 12% no 3T21 com redução da dívida

  • A Totvs (TOTS3) reportou que seu lucro cresceu 12,1% no terceiro trimestre deste ano comparado ao mesmo período em 2020. Saltou de R$ 79,3 milhões para R$ 88,9 milhões.
  • receita líquida da Totvs acelerou e avançou 26% na comparação anual, com SaaS Gestão, Business Performance e Techfin representando juntas mais de 42% da Receita Total, além de 73% do crescimento de receita do 3T21.
  • A Margem EBITDA Ajustada foi na contramão, encerrando o trimestre com perda de 22,5% comparado ao 3T20. Segundo a Totvs, o resultado é decorrente da redução de 19% da receita de licenças de gestão, além de reajustes nos salários dos funcionários e a retomada do ensino presencial.
  • A empresa conseguiu reduzir sua dívida líquida para R$ 461,3 milhões — no trimestre anterior, estava em R$ 1,059 bilhão. Em relação ao terceiro trimestre de 2020 a diminuição foi de 39%, quando a a dívida registrava R$ 767 milhões.
  • Conforme justifica o balanço da Totvs, a aceleração de crescimento de receita, concentrada em receitas recorrentes e transacionais, mais que compensou a redução de Margem EBITDA, decorrente da maior representatividade das dimensões Business Performance e Techfin e da inflação de custos e despesas

Caixa Seguridade (CXSE3) publica lucro de R$ 492,1 milhões no 3T21, 3,1% menor

  • O lucro líquido da Caixa Seguridade (CXSE3) no terceiro trimestre de 2021 foi de R$ 492,1 milhões, recuo de 3,1% em relação ao mesmo período do ano passado.
  • O resultado da Caixa Seguridade no terceiro trimestre de 2021 foi pressionado pelo desempenho mais fraco com participações. As receitas operacionais subiram 1,5% na comparação com o mesmo trimestre de 2020. O resultado de investimentos em participações societárias apresentou queda de 5,4% no período, em razão do aumento da sinistralidade devido à pandemia do novo coronavírus (Covid-19), ao período de transição e ao início das novas parcerias, além da majoração da CSLL a partir de julho.
  • A soma das receitas de acesso à rede de distribuição e uso da marca (BDF) e das receitas de prestação de serviços de corretagem ou intermediação de produtos de seguridade cresceram 8,3% em relação ao terceiro trimestre de 2020. A seguradora atribuiu o resultado ao fim do período de transição do novo modelo de corretagem.
  • Em relação ao desempenho comercial, o segmento de seguros e assistência apresentaram uma redução de 15,9% em prêmios emitidos pela Caixa Seguridade. O desempenho foi devido à singularidade do período de 2020, principalmente para o ramo Prestamista, que teve a emissão alavancada pela oferta de crédito Pronampe ocorrida no período.

Banco Banrisul (BRSR6) lucra R$ 171,5 milhões no 3T21, alta de 45,6%

  • O Banco Banrisul (BRSR6) divulgou nesta quarta (10) seu balanço do terceiro trimestre de 2021. O banco fechou o trimestre com lucro líquido ajustado de R$ 171,5 milhões, representando um aumento de 45,6% frente ao resultado do mesmo período em 2020. Porém, o valor é 39,2% menor ao apresentado no segundo trimestre deste ano.
  • O banco explica que a queda no resultado ajustado no comparativo trimestral reflete maior fluxo de despesas de provisão para perdas de crédito, redução da margem financeira, crescimento das receitas de prestação de serviços e tarifas bancárias. Relaciona também aumento das despesas administrativas.
  • O lucro líquido não ajustado do Banrisul foi de R$ 156,6 milhões, 33% acima do terceiro trimestre de 2020 e 41% abaixo do segundo trimestre.
  • margem financeira no terceiro trimestre foi de R$ 1,215 bilhão, com redução de 2,7% em relação ao segundo trimestre. De acordo com o balanço, isso reflete o maior crescimento de despesas com juros frente ao aumento das receitas com juros, em um contexto que associa elevação da Taxa Selic, variação cambial e aumento do volume de operações de crédito. Em comparação ao terceiro trimestre de 2020, houve queda de 1,93% na margem.

Da Via ao Banrisul, essas foram as empresas que se destacaram hoje. Para ler todas as matérias clique aqui.

Marco Antônio Lopes

Compartilhe sua opinião

Comece 2022 investindo nos melhores Fundos Imobiliários

Baixar agora!