Radar: risco de regularidade dos dividendos extraordinários de Petrobras (PETR4), projeções para o Itaú (ITUB4) e AES Brasil (AESB3) pagará dividendos milionários

Os investidores estão menos confiantes de que a Petrobras (PETR4) distribuirá dividendos extraordinários de forma recorrente, informa o Citibank, mesmo após o conselho de administração da companhia definir o pagamento de 50% dos proventos que haviam sido retidos em março.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/05/1420x240-2.png

“Vemos aumento dos investimentos nos próximos anos, o que poderá representar algum risco descendente para futuros pagamentos de dividendos da Petrobras”, afirmam os analistas do Citibank. 

Por outro lado, o banco destaca que a empresa gera um bom nível de fluxo de caixa operacional, principalmente devido ao aumento da produção de petróleo.

Dessa forma, o Citi tem recomendação neutra para os American Depositary Receipts (ADRs) da Petrobras, com um preço-alvo de US$ 15, o que representa um potencial de desvalorização de 8,9%. 

Além de Petrobras, confira outros destaques desta segunda-feira:

B3 (B3SA3) tem ações recomendadas pelo BofA após alteração na política de preços

  • O Bank of America (BofA) reafirma sua recomendação de compra para as ações da B3 (B3SA3), considerando as recentes alterações da política de preços da Bolsa de Valores brasileira como um movimento “importante” em um cenário de possível concorrência e volumes mais baixos. Com o foco voltado para a redução das taxas, o banco diz que mantém sua perspectiva otimista para as ações da B3 ON, esperando uma recuperação nos volumes de negociação ao longo do segundo semestre deste ano.
  • Segundo os analistas Mario Pierry e Antonio Ruette, o atual múltiplo preço/lucro por ação da B3, que está em torno de 13,3 vezes, substancialmente abaixo dos níveis observados nos últimos ciclos de flexibilização, que variaram entre 20 e 25 vezes, além de ser cerca de 40% inferior aos seus pares internacionais.
  • A nova política de preços da B3 inclui a cobrança de taxas de negociação e pós-negociação com base no volume médio diário negociado (ADTV) do mês anterior, independentemente do tipo de investidor. Além disso, no segmento de custódia, a empresa ajustou as tarifas de saldo de custódia, eliminou a tarifa de manutenção de Depositary Receipts (DR) e introduziu uma tarifa de saldo de custódia para investidores não residentes, isentando-os da taxa de manutenção de contas de custódia.
  • Com um preço-alvo de R$ 17 para as ações da B3 ON, o BofA estima um potencial de valorização de 52% em relação ao fechamento do último pregão, ocorrido na última sexta-feira (19). A ação da B3 é negociada hoje a R$ 11,27.

AES Brasil (AESB3) anuncia pagamento de R$ 44,91 milhões em dividendos; veja valor por ação

  • Os dividendos da AES Brasil terão o valor de R$ 0,0746115489 por ação, sendo relativos ao exercício social de 2023.
  • O pagamento dos proventos será feito no dia 2 de maio de 2024. O valor será destinado somente aos investidores com posição comprada nas ações da empresa até a data de corte, que foi hoje (22).
  • Dessa forma, as ações da AES Brasil compradas a partir de amanhã, 23 de abril de 2024, serão negociadas como “ex- dividendos”, ou seja, sem direito ao recebimento de proventos.
  • Para o investidor, a vantagem é que os dividendos de ações são isentos de Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF). Sobre o valor não está prevista qualquer atualização monetária ou remuneração equivalente, considerando o momento da declaração até a efetiva data de pagamento.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/Ebook-Acoes-Desktop.jpg

Copel (CPLE6) vai pagar R$ 632,29 milhões em dividendos e JCP; veja quando

  • Conforme aprovado hoje (22) em nova Assembleia Geral Ordinária da companhia, os dividendos da Copel terão o montante total de R$ 131,21 milhões. Enquanto isso, os JCP somam um montante de quase R$ 501,08 milhões, aprovados em assembleia realizada em setembro de 2023.
  • Por ação, os valores brutos dos JCP da Copel são de R$ 0,17492162 para ações preferenciais de classes A e B e de R$ 0,15901962 para as ações ordinárias. No caso das Units, o valor é de R$ 0,85870610 por papel.
  • De acordo com legislação aplicável a esse tipo de provento, os juros sobre capital próprio da Copel estão sujeitos à tributação de 15%. Por outro lado, as pessoas jurídicas isentas do Imposto de Renda poderão comprovar tal situação juntamente ao escriturador.
  • No caso dos dividendos, os valores são de R$ 0,14592215 por ação preferencial classe A, R$ 0,04569505 por ação preferencial classe B e R$ 0,04154092 por ação ordinária.
  • Ambos os proventos da Copel terão a mesma data de pagamento, em 28 de junho de 2024. No entanto, as datas de corte para identificar os acionistas com direito a receber são diferentes.
  • No caso dos dividendos, vão recebê-los somente os investidores comprados nas ações da empresa até o final da sessão de hoje (22) na Bolsa de Valores. Os papéis comprados amanhã (23) não serão contabilizados no pagamento desses proventos.
  • Já os JCP tiveram como data de corte o dia 29 de setembro de 2023, justamente quando foram aprovados. Isso significa que quem comprou ações da Copel a partir de 2 de outubro de 2023, não terá direito a receber os proventos.

IRB (IRBR3) pagará dividendos em 2025? Veja o que o mercado espera

  • Após a divulgação dos resultados do 4T23 considerados positivos, o CEO do IRB (IRBR3), Marcos Falcão, disse em teleconferência que a empresa pode voltar a pagar dividendos em 2025. A declaração pode estar condicionada, segundo o executivo, ao fim do período de prejuízos da companhia em 2024, o que tem animado o mercado e ajuda a elevar a ação da companhia em mais de 9% no mês.
  • Vale lembrar que o IRB apresentou uma virada em seu 4T23, revertendo prejuízos na base anual e trimestral para lucro em 2023. No quarto trimestre de 2023, o lucro líquido do IRB foi de R$ 37,9 milhões, revertendo prejuízo líquido de R$ 38,8 milhões apurado no mesmo período do ano anterior. Já no acumulado do ano, o IRB teve um lucro líquido de R$ 114,2 milhões, ante prejuízo de R$ 630,3 milhões registrados no mesmo período de 2022.
  • “Ao observar esses resultados do IRB, é possível ver a melhora de cenário para companhia. Porém, ainda é preciso ser reticente quanto ao pagamento de dividendos no curto prazo, até porque era uma empresa que o mercado observava com desconfiança em relação a sua solvência – desconfiança cada vez mais distante até mesmo para o sellside, apesar de ainda inspirar atenção”, explica Fábio Lemos, sócio da Fatorial Investimentos.
  • Em relatório após a divulgação dos resultados do 4T23 do IRB, analistas da Genial Investimentos pontuaram que apesar do lucro da companhia ter ficado abaixo das projeções no período, sugere que o processo de reestruturação pode estar funcionando, o que deve trazer resultados futuros mais positivos.
  • A corretora estima um lucro de R$ 323 milhões para 2024, um pouco mais fraco que o lucro implícito projetado pelos créditos fiscais, mas espera que os anos seguintes fiquem um pouco acima dos valores implícitos usando a base de crédito tributário. “Assim, vemos que a empresa deve começar a melhorar gradualmente seus resultados e voltar a entregar uma rentabilidade em patamares mais atrativos no longo prazo“, diz a casa.

Klabin (KLBN11) cai no Ibovespa: Genial vê melhora operacional já precificada e rebaixa ações

  • A Genial Investimentos rebaixou a recomendação para as ações da Klabin (KLBN11) de compra para neutra. Esse movimento ocorreu após os analistas avaliarem que o preço das ações se valorizou significativamente nos últimos meses, precificando completamente a melhora do ponto de vista operacional da empresa.
  • “Estamos rebaixando a companhia para manter (neutra) na tentativa de conservar nossa recomendação sempre à frente da curva e um passo à frente do consenso”, afirma a Genial.
  • A recomendação da Genial contrária ao consenso, iniciada em julho de 2023, mostrou-se acertada, com as ações da Klabin acumulando alta de +18% após a queda em novembro do ano passado.
  • Em relação ao 1T24 da Klabin, a estimativa da research é de um resultado com leve recuo trimestral na receita e no Ebitda (Lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização). “Devemos lembrar que os 3T e 4T marcam sempre os melhores trimestres do ponto de vista sazonal para o business de papel e embalagens. Por isso é natural para o 1T24 que se tenha uma retração na base sequencial”, afirmam os analistas. 
  • Na base anual, a Genial projeta volumes maiores ao longo de quase todos os componentes do mix de produtos, com exceção de sacos industriais e celulose de fibra curta (BHKP).  No entanto, apesar da melhora operacional, a análise indica queda em todas as linhas do P&L (Receita, EBITDA e Lucro líquido), em consequência de uma dinâmica puxada principalmente por uma receita menor, advinda da operação de celulose e sacos industriais.
  • A Genial estima um preço-alvo de R$ 27 para Klabin, um upside de +9,67%. Nesta segunda (22), as ações KLBN11 fecharam em queda de 2,36%, a R$ 24.

Itaú (ITUB4) terá o melhor resultado entre os bancos, com expansão no lucro, projeta Genial

  • Em relatório sobre a prévia de resultados para o 1T24 do Itaú (ITUB4), analistas da Genial Investimentos acreditam que o banco anunciará mais um trimestre robusto e consistente, sendo o melhor resultado dentre os incumbentes. A instituição financeira é ‘top pick’ do setor para a corretora.
  • resultado do Itaú não irá divergir muito em relação ao guidance do banco, diz a Genial. Mas a casa estima que será o bastante para garantir mais um ano de expansão de lucro na comparação anual e trimestral, chegando a R$ 9,7 bilhões, aumento de 3,2% na base trimestral e de 15% na base anual, atingindo uma rentabilidade (ROE) de 21,2%.
  • “Com perspectivas positivas para o trimestre do Itaú, incluindo crescimento da carteira de crédito, aumento das linhas de receita líquida de juros e redução das provisões, projetamos que a empresa terá o melhor desempenho e maior lucro do setor bancário“, pontuaram os analistas Eduardo Nishio, Wagner Biondo e Felipe Oller.
  • Para o ano de 2024, a corretora também projeta uma forte expansão no lucro do Itaú, com estimativa de atingir R$ 40,6 bilhões, representando um crescimento robusto de 14,1% na base anual.
  • “Identificamos que os principais impulsionadores de valor para o papel do Itaú ao longo do ano incluem o lançamento de novos produtos, como o One Itaú e Atlas (não contemplados no guidance), a redução do custo de crédito e a contínua melhoria da eficiência do banco por meio de investimentos em tecnologia”, segue o relatório.
  • “Vemos as ações ITUB4 negociando a múltiplos ainda atraentes de 7,6x P/L 24e, 7,0x P/L 25e e 1,6x P/VP 24e, em adição a um dividend yield que deve subir em 2024 de 8,1%. Se a liquidez não for um problema, vemos as ações ordinárias (ITUB3) mais descontadas, negociando a 6,6x P/L 24e, 6,1x P/L 25e e 1,4x P/VP 24e”, acrescentam os analistas.
  • Ainda de acordo com a corretora, uma outra alternativa mais barata seria comprar Itaúsa (ITSA4), que negocia a um desconto de 22% sobre a soma das partes das investidas, incluindo sua principal investida, o Itaú, compondo mais de 90% do valor da holding Itaúsa.
  • A Genial tem recomendação de ‘compra’ para as ações de Itaú, com preço-alvo a R$ 40,60. A corretora reiterou sua preferência pelo banco como ‘top pick’ no setor financeiro.

Da Petrobras à AES Brasil, essas foram as empresas que se destacaram hoje. Para ler todas as matérias clique aqui.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Vanessa Loiola

Compartilhe sua opinião