Mercado

Ibovespa fecha em leve alta com Fed e queda da Vale (VALE3); Lojas Americanas sobe 13%

Últimas atualizações
  atualização
04.11.2021 00:55

Destaque foi aprovado pelos deputados, que passam a apreciar o mérito do texto da PEC dos Precatórios

04.11.2021 00:41

Deputados tentam priorizar pagamento do Fundef

Os deputados querem aprovar emenda para parcelar as dívidas do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef). O tema é parte da flexibilização do governo em relação aos Precatórios para conseguir angariar mais votos.

Mais cedo, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou que conversou pessoalmente com os governadores da Bahia, de Pernambuco e do Ceará para atender as demandas de priorizar o pagamento de precatórios. Esses três estados são os maiores credores de dívidas judiciais relacionadas a transferências para a área de educação que poderiam ser afetadas pela Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 23/21, que limita o pagamento de precatórios e muda o cálculo do teto de gastos.

Com Agência Câmara

03.11.2021 22:59

Requerimento sobre retirada da pauta da PEC dos Precatórios é rejeitado

Deputados votaram requerimento sobre a retirada de pauta da PEC dos Precatórios. Retirada foi derrotada por 307 a 148, o que pode indicar vitória do governo na votação da PEC.

03.11.2021 22:26

Votação da PEC dos Precatórios acontece em instantes; quórum na Câmara é de 458 deputados

Às 22h20, número de parlamentares é insuficiente para aprovar a PEC dos Precatórios, que depende de ao menos 3/5 da Casa para passar — ou ao menos 308 deputados. Quantidade de parlamentares para a votação resultar em vitória, com margem confortável para o governo — que propôs a emenda constitucional –. teria de ser de ao menos 500 deputados.

03.11.2021 21:28

Presidente da Câmara assegura quórum para votação da PEC dos Precatórios nesta quarta - mas vitória do governo não é certa

Lira disse em entrevista que votação vai acontecer daqui a pouco. Afirmou que a aprovação não está garantida. A PEC dos Precatórios será usada pelo governo para financiar o programa social Auxílio Brasil, que vai substituir o Bolsa Família, com auxílio mensal de R$ 400 até o final de 2022.

O presidente reclamou que a discussão da PEC está “politizada” e defendeu a criação de um programa social permanente para vigorar a partir de 2023.

“Nós sempre trabalhamos com intuito de sempre fazer maioria. O intuito da Casa Legislativa é debater matérias, encontrar alternativas sem nenhum tipo de polarização e radicalização”, afirmou. Ele defendeu a aprovação da PEC ou a “solução alternativa” do governo “para que 20 milhões de famílias não sejam prejudicadas pelo açodamento de uma campanha eleitoral”.

“Nossa função aqui é tentar aglutinar esforços pela construção de texto”, afirmou, em entrevista à Globonews. “Não podemos garantir quórum, não é nossa obrigação garantir quórum”, acrescentou.

“É triste e lamentável que estejamos em momento com esse discutindo se esse projeto é eleitoreiro ou se é para aprovar R$ 400 ou não”, disse.

Lira voltou a dizer que, caso a reforma do IR tivesse sido aprovada no Senado, “não se estaria travando essa batalha política dentro do plenário da Câmara”. Ele ainda acenou que o espaço fiscal a ser aberto com a PEC dos precatórios servirá a outras medidas, como a prorrogação da desoneração da folha de pagamento a 17 setores. “É justo que nesse momento a gente não faça desoneração da folha para 17 setores? Correndo o risco de que milhares de pessoas percam o emprego?”, questionou.

O presidente da Câmara disse ainda ter conversado com governadores da Bahia, Pernambuco e Ceará sobre os precatórios do Fundef para professores estaduais e disse haver uma proposta, de autoria do senador Otto Alencar (PSD-BA) de priorizar o pagamento dessas dívidas na proporção de 30%, 30% e 40% ou 40%, 30% e 30% ao longo dos próximos três anos. “Temos avançado, tenho contado com a boa vontade de líderes e deputados do PSB e do PDT, estamos tentando conversar com o PCdoB, e a base, se for se fortificando.”

Lira reconheceu haver pressão para a retomada das votações híbridas, que permitem aos parlamentares votarem a distância. Desde a semana passada, a Mesa Diretora determinou o retorno das votações presenciais. Para ele, já era hora de isso ocorrer. “Tenho esperança de que os deputados percebam que essa votação é mais importante que uma eleição que se avizinha de 2022”, disse.

Para ele, os deputados não podem se esconder atrás de um discurso em favor dos professores, já que haverá prioridade para os precatórios do Fundef, o que amplia as possibilidades de pagamento por parte dos governadores. “Esperamos bom senso por parte dos parlamentares”, afirmou. “Ninguém sabe como será situação de pessoas sem nenhum auxílio a partir de 31 de outubro.”

03.11.2021 20:54

CNN diz que o governo propôs a Lira votar a PEC dos precatórios em votação nesta quarta mesmo sem quórum

Segundo a CNN, há 436 deputados na Câmara dos Deputados, quando o melhor seria ter 490 parlamentares. Esse número torna a aprovação (308) apertada. Mais cedo, em entrevista à Globonews, presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL) disse que. se não for possível, “aprovar a PEC, Planalto terá prorrogar o auxílio emergencial.” O presidente da Câmara deu a entender que a aprovação estava marcada mas indefinida.

“Nossa função aqui é tentar aglutinar esforços pela construção de texto”, afirmou, em entrevista à Globonews. “Não podemos garantir quórum, não é nossa obrigação garantir quórum”, acrescentou.

Lira disse que o prazo máximo para votação da PEC é nesta semana, já que muitas pessoas não receberão mais o benefício a partir de 31 de outubro. Ele destacou que embora a pandemia de covid-19 esteja em uma situação melhor do que no passado, em razão do avanço da vacinação e da diminuição no número de mortes, não houve recuperação do emprego, as commodities subiram e o aumento da inflação é um fenômeno mundial.

O presidente da Câmara disse destacou que a PEC trata de assuntos importantes que vão além dos precatórios e do programa social. “A gestão de precatórios dentro do teto possibilitará pagamento de R$ 400 para 20 milhões de famílias muito abaixo da linha da pobreza, literalmente passando fome neste momento” afirmou.

Lira mencionou que a PEC traz também a desoneração da folha de pagamento para 17 setores, o que contribuirá para manter empregos, além de parcelamentos de débitos previdenciários para municípios que fizeram a reforma da Previdência de 60 para 240 meses.

(Com Estadão Conteúdo)

03.11.2021 19:11

Lira: Deputados no exterior poderão votar PEC dos precatórios remotamente

Em uma tentativa de aumentar o quórum de parlamentares e aprovar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos precatórios, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), vai permitir que os deputados que estiverem em missão oficial no exterior possam votar à distância. Cerca de 20 parlamentares que estão na Europa para reuniões relacionadas ao G20 e à COP26 serão beneficiados pela decisão.

Lira convocou sessão deliberativa para votar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos Precatórios nesta quarta-feira, 3, às 18h – um ato incomum, já que os deputados não costumam vir a Brasília em semanas com feriado. A escolha de um horário tardio é uma tentativa de aumentar a presença de parlamentares no plenário enquanto os líderes tentam um acordo em torno do texto.

Por ser uma PEC, é preciso obter, no mínimo, 308 votos favoráveis. O PT, dono da segunda maior bancada, com 53 deputados, já deixou claro que pretende votar de forma unificada contra o texto, mas há negociações com PDT e PSB em torno dos precatórios dos professores.

Para haver margem de segurança a favor da proposta, o governo precisa de ao menos 450 deputados na Casa, que retomou as sessões presenciais na semana passada. Na semana passada, a exigência da presença física dos deputados comprometeu as votações. Sem segurança para colocar o tema em plenário, Lira decidiu adiar a análise da PEC para hoje, 3, data em que o governo espera ter os votos necessários para aprová-la.

(Com Estadão Conteúdo)

03.11.2021 19:06

Lira pressiona PSB e PDT para aprovar PEC dos precatórios; PT fecha questão contra

Com a resistência do PT em votar a favor da proposta de emenda à Constituição (PEC) dos precatórios, o presidente da Câmara, Arthur Lira (Progressistas-AL), pressiona os deputados do PSB e do PDT a mudar de posição e dar apoio à aposta do governo para abrir espaço no Orçamento ao Auxílio Brasil, sucessor turbinado do Bolsa Família.

Segundo apurou a reportagem, o MDB segue firme na posição contrária à PEC. Já o PSDB segue dividido. A bancada do PT, segunda maior da Câmara dos Deputados, fechou questão nesta quarta-feira, 3, contra o texto. A decisão foi tomada em reunião entre os integrantes do partido.

Para abrir um espaço de R$ 91,6 bilhões no Orçamento de 2022, governo e Congresso acertaram uma mudança no teto de gastos, a regra que limita o avanço das despesas à inflação, e a criação de um limite para o pagamento de precatórios, dívidas judiciais que não podem mais ser questionadas pela União.

O limite dos precatórios resultaria no adiamento de uma série de repasses, incluindo cerca de R$ 16 bilhões para Estados que têm a receber valores do Fundef, antigo fundo de educação básica. Para a oposição, o não pagamento dessas dívidas, sobretudo do Fundef, representaria um “calote” e, no caso dos valores do fundo, prejudicaria professores do magistério.

O PT tem 53 deputados na Câmara. “O fechamento de questão unifica toda a bancada. É uma força política”, afirma o líder do partido na Câmara, Bohn Gass (RS). Segundo ele, não se trata de ser contra as políticas sociais, mas sim evitar o calote nas dívidas judiciais. “Nossa posição é a favor do auxílio, eles é que estão destruindo por motivos eleitorais”, diz.

03.11.2021 17:38

IFIX fecha em queda 0,31% com Ata do Copom no radar

O IFIX, Índice de Fundos Imobiliários da B3, terminou a sessão desta quarta-feira em queda de 0,31%, aos 2.664,97 pontos.

Com a cotação do IFIX hoje, a perda acumulada pelo índice durante o ano alcançou 7,15%.

03.11.2021 17:36

Com tapering, bolsas de Nova York registram máxima histórica; S&P 500 teve alta de 0,65%

As bolsas de Nova York voltaram a registrar máximas históricas, impulsionadas pela anúncio de tapering pelo Fed (Federal Reserve, Banco Central norte-americano). Apesar de ter confirmado o começo da redução das compras de bônus, o comunicado da entidade, assim como comentários de seu presidente Jerome Powell, foram considerados dovish pelo mercado, dando apoio às ações e levando os índices aos seus recordes históricos intraday.

O S&P 500 teve alta de 0,65% (4.660,56 pontos), o Dow Jones cresceu 0,29% (36.157,58 pontos) e Nasdaq subiu 1,04% (15.811,58 pontos).

03.11.2021 17:30

Ibovespa fecha próximo da estabilidade em pregão volátil

Após oscilar entre perdas e ganhos, o Ibovespa encerrou o pregão desta quarta-feira (3) em leve alta de 0,06%, a 105.616,88 pontos.

No fechamento, o volume negociado atingiu R$ 38.948.935.082 e a quantidade de negócios chegou a 5.592.439.

03.11.2021 17:05

Dólar fecha em queda de 1,42% após Fed anunciar que iniciará tapering

O dólar encerrou as negociações desta quarta-feira (3) em queda de 1,42%, frente ao real, valendo R$ 5,590 na venda.

03.11.2021 16:09

5G: Um dia antes do leilão, somente 7 capitais têm estrutura para receber tecnologia

Apesar de o leilão do 5G estar previsto para esta quinta-feira, somente 7 das 27 capitais do Brasil possuem estrutura suficiente para receber a tecnologia. As capitais mais preparadas para a tecnologia são Boa Vista, Brasília, Curitiba, Fortaleza, Palmas, Porto Alegre e Porto Velho.

Os dados sobre a estrutura para a recepção do 5G foram levantados pelo Conexis Brasil Digital, entidade que reúne as principais operadoras que atuam no País.

A licitação prevê que as empresas comecem a oferecer a tecnologia até 31 de julho de 2022, mas o cumprimento desse compromisso e a qualidade do serviço dependem, também, dos próprios municípios, explicam as teles.

03.11.2021 16:02

Ibovespa sobe, seguindo ritmo de recuperação em Wall Street

O Ibovespa seguiu a recuperação das bolsas em Nova York e passou a operar em alta de 0,8%, a 106.291,95 pontos, por volta de 15h45 desta quarta-feira (3). A virada acontece após ao comunicado do Federal Reserve (Fed) nos Estados Unidos em linha com o esperado pelo mercado.

03.11.2021 15:39

Ibovespa segue em queda; Vale (VALE3) despenca 7%

O Ibovespa continua caindo, agora a 0,42%. Vale (VALE3) sente o tombo do minério de ferro, que teve queda de 3,59% em Qingdao, na China, a US$ 103,43.

03.11.2021 15:33

Fed anuncia início do tapering no final de novembro

O banco central dos Estados Unidos, o Federal Reserve (Fed) anunciou nesta quarta-feira (3) que iniciará o processo de tapering no final de novembro deste ano.

O mercado já aguardava a decisão de política monetária do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), e esperava uma definição do cronograma para o início da retirada dos estímulos à política monetária, processo conhecido como tapering.

De acordo com o Fed, haverá uma redução de US$ 10 bilhões em Treasuries e US$ 5 bilhões em bônus relacionados a hipotecas, o que corresponde a uma redução de US$ 15 bilhões na compra de papéis.

S&P 500 vira e agora sobe (+0,05%), Nasdaq avança 0,27% e Dow Jones segue em queda (-0,19%).

03.11.2021 15:29

Fed mantém taxa de juros entre 0% e 0,25% ao ano, em decisão unânime

O Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) decidiu manter a taxa dos Fed funds na faixa entre 0% e 0,25% ao ano, em decisão unânime. Banco central americano inicia tapering em novembro

03.11.2021 14:57

Ibovespa opera em queda, com expectativa pela PEC dos Precatórios

Depois de iniciar a tarde em alta, o Ibovespa recua neste momento. Investidores aguardam a sessão para votar a PEC dos Precatórios, marcada para 18h.

Nos EUA, a expectativa é pela decisão de política monetária do Fed, que sai às 15h. Enquanto isso, o S&P 500 recua 0,11%.

O dólar recua mais de 1%, para R$ 5,62, com a ata do Copom considerada mais dura, apostando em uma taxa de juros de dois dígitos em 2022. (leia mais)

Confira os destaques:

Banco Pan (BPAN4) lucra R$191 milhões no 3T21 e atinge 15,2 milhões de clientes: (leia mais)

Itaú (ITUB4) deve anunciar hoje forte aumento no lucro no 3TRI21; veja expectativas: (leia mais)

5G: Um dia antes do leilão, somente 7 capitais têm estrutura para receber tecnologia: (leia mais)

iFood sofre ataque e diz que não houve vazamento de dados: (leia mais)

Ata do Banco Central foi mais ‘hawkish’ e tom sobre fiscal subiu, diz Rabobank: (leia mais)

03.11.2021 12:59

Títulos do Tesouro Direto apresentam queda nas taxas de rentabilidade

As taxas do Tesouro Direto operam em queda nesta quarta-feira (3) em comparação com a última segunda-feira (1). Confira as taxas de rentabilidade a começar pelo Indexados ao Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Tesouro IPCA+ 2035, na última segunda-feira, apresentava uma variação de 5,47% a.a., com o valor mínimo de R$ 36,13 e o preço mínimo R$ 1.806,66. Já nesta quarta-feira, o título apresenta a rentabilidade de 5,44% a.a., com valor mínimo de R$ 36,29 e com preço unitário de R$ 1.814,58.

As taxas do Tesouro Direto prefixadas, de forma semelhante, negociam com queda nesta quarta-feira em relação ao último dia de operação.

A taxa do Tesouro Prefixado 2026, apresentava, na segunda, uma taxa de rentabilidade de 12,38% a.a,. Já nesta quarta apresenta a taxa de 12,26% a.a. O seu valor mínimo se encontrava em R$ 30,70 agora está em R$ 30,97. Além disso, o preço unitário passou de R$ 615,17 para R$ 618,19.

Veja a rentabilidade de todos os títulos na tabela abaixo:

03.11.2021 12:52

Dólar reverte alta e tem queda na tarde desta quarta-feira

O dólar opera em queda nesta quarta-feira (3), na volta do feriado, após a divulgação da  ata da última reunião de política monetária do Banco Central que mostra que a autarquia deve anunciar novo aumento de 1,5 ponto porcentual na taxa Selic. Além disso o mercado aguarda a decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o BC dos EUA).

Por volta das 12h50, o dólar apresentava queda de 0,72%, negociado a R$ 5,63. Na manhã de hoje, o câmbio apresentava uma leve alta de alta de 0,11%, cotado a R$ 5,67.

03.11.2021 12:43

Ibovespa inverte para alta no início da tarde

Após abrir o dia em campo negativo, o Ibovespa inverteu para alta e procura ampliar os ganhos do último pregão, na segunda-feira (1).

Por volta das 12h37, o índice subia 0,44%, aos 106.018 pontos. O forte desempenho de empresas de setores diversos compensa o tombo de 6% da Vale (VALE3). A mineradora acompanha a derrocada do minério de ferro negociado na China na véspera, enquanto os mercados estavam fechados por aqui.

Do lado positivo, as ações da Lojas Americanas (LAME4) disparam 11%, após mais um passo no caminho da reestruturação com a Americanas SA (AMER3).

No âmbito político, o destaque do dia fica para a votação PEC dos Precatórios, que pode acontecer na Câmara dos Deputados. A proposta limita o pagamento de dívidas judiciais pela União e abre espaço no Orçamento para acomodar o Auxílio Brasil, novo programa social do governo de Jair Bolsonaro.

Além do índice Bovespa, confira a cotação dos principais índices mundiais nesta tarde:

 

03.11.2021 10:51

Ibovespa amplia queda e opera aos 104 mil pontos com commodities em baixa

Com um dia de commodities em baixa e temporada de balanços em vigor, o Ibovespa conta com uma manhã de quarta (3) movimentada. Na ponta positiva, a Americanas e o Banco Inter puxam as altas, com a primeira tendo mudança no seu capital social.

Já na ponta negativa, as commodities em queda e o minério abaixo dos US$ 100 puxam boa parte das baixas, incluindo a Vale – companhia mais relevante do índice.

Maiores altas:

Maiores baixas:

03.11.2021 10:33

Dólar sobe por cautela fiscal após ata ‘hawkish’ do Copom

dólar sobe em meio aos ajustes de alta dos juros futuros, após o tom considerado mais duro (“hawkish”) sobre inflação e risco fiscal contidos na ata do Copom em relação ao comunicado da reunião da semana passada. O mercado de câmbio precifica ainda cautela fiscal e a valorização da moeda americana no exterior durante o feriado local, ontem.

Por volta das 10h33 desta quarta-feira, o dólar tinha leve alta de 0,11%, negociado a R$ 5,67. O dólar para dezembro passava a subir com máxima a R$ 5,71.

>>> Saiba mais sobre o dólar 

03.11.2021 10:20

Ibovespa abre em queda de 0,3% aos 105 mil pontos

Após as altas da segunda (1º) que precedeu o feriado, o Ibovespa hoje abre em queda de 0,31% aos 105.225 pontos. As ADRs ficaram no negativo nos EUA durante a terça (2) e o mercado digere os balanços trimestrais recentes.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240-Banner-Home-1.png

03.11.2021 09:50

Ibovespa futuro opera em queda

O Ibovespa futuro opera em queda na manhã desta quarta. Por volta das 9h45, o índice recuava 0,70%, mostrando que o mercado à vista deve apresentar volatilidade ao longo das negociações.

03.11.2021 08:48

MORNING CALL - Expectativas por PEC dos Precatórios e decisão do FED devem fazer preço

Acompanhe o Morning Call do SUNO Notícias, ao vivo, a partir das 9h.

03.11.2021 08:33

Índices mundias operam na esteira de dados econômicos

Bom dia!

Na manhã desta quarta-feira, os mercados globais operam entre perdas e ganhos. Os investidores ficarão atentos às novas definições de política monetária nos Estados Unidos, além de reagirem a dados econômicos na Europa.

No Brasil, a expectativa é de alta volatilidade. Na véspera, enquanto os mercados estavam fechados por aqui, o EWZ (ETF da Bolsa brasileira em Nova York) recuou 1,81%. Saiba o que rolou no início da semana e deve agitar os próximos dias

Confira o desempenho das Bolsas mundiais, por volta das 8h30:

Estados Unidos

  • Dow Jones Futuro: -0,11%
  • S&P 500 Futuro: -0,05%
  • Nasdaq Futuro: +0,08%

Europa

  • Dax (Alemanha): +0,01%
  • FTSE 100 (Reino Unido): -0,26%
  • CAC 40 (França): +0,10%
  • FTSE MIB (Itália): +0,38%
  • Euro Stoxx (regional): +0,06%

Ásia

  • Shanghai SE (China): -0,20% (fechado)
  • Nikkei (Japão): (fechado)
  • Hang Seng Index (Hong Kong): -0,30% (fechado)
  • Kospi (Coreia do Sul): -1,25% (fechado)

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240-Banner-Home-1.png