Proventos bilionários

Equatorial (EQTL3) fará follow-on para levantar até R$ 2,6 bilhões

Equatorial (EQTL3) fará follow-on para levantar até R$ 2,6 bilhões
A Equatorial (EQTL3) soma cerca de 1% de alta na bolsa no acumulado de 2022, em estabilidade

A Equatorial (EQTL3) aprovou, após reunião do seu Conselho de Administração, a realização de oferta pública de distribuição primária de, inicialmente, 87,7 milhões de ações ordinárias de sua emissão.

Em comunicado, a Equatorial disse que a quantidade inicial da oferta pode ser acrescida em até 35% – ou 30,7 milhões de ações – a critério da companhia, em comum acordo com os coordenadores da transação.

Considerando a cotação de fechamento das ações EQTL3 no pregão de ontem, de R$ 22,16 por ação, a oferta restrita renderia cerca de R$ 1,94 bilhão, sem considerar as ações adicionais, e R$ 2,62 bilhões, considerando a colocação da totalidade das ações adicionais.

A precificação do follow-on da Equatorial deve ocorrer no dia 8 de fevereiro, segundo a elétrica. Por se tratar de oferta restrita, só terão acesso às ações investidores qualificados.

Citigroup, Credit Suisse, UBS BB, XP Investimentos e Goldman Sachs serão os coordenadores da oferta.

A Equatorial anunciou a aquisição da Echoenergia em outubro do ano passado, indicando que pagaria R$ 6,66 bilhões pela companhia controlada pelo fundo de private equity britânico Actis.

A oferta da companhia vem ao mesmo tempo em que leva adiante o negócio de olho nas fontes renováveis de energia. A empresa também promove processo de  desalavancagem de sua dívida, de olho em condições de disputar leilões de ativos esperados para este ano.

Equatorial já havia comunicado intenções sobre follow-on

Ainda neste mês de janeiro a empresa anunciou, em fato relevante, que estava analisando suas opções para efetivar a operação.

“A companhia esclarece que está avaliando a possibilidade de realizar uma eventual oferta pública com esforços restritos de distribuição de ações ordinárias, nominativas, escriturais, sem valor nominal, livres e desembaraçadas de quaisquer ônus ou gravames, de emissão da companhia, nos termos da Instrução da CVM n.º 476. Nessa direção, a companhia informa que iniciou o processo de engajamento de instituições financeiras”, disse a Equatorial.

Além disso, a empresa informou que à época não definiu nem teve a aprovação, pelo Conselho de Administração, sobre a efetiva contratação dos coordenadores, a realização da potencial oferta, termos e condições, inclusive montantes envolvidos e seu cronograma, ou outras possíveis operações para captação de recursos.

A Equatorial já tinha sinalizado a investidores que queria colaboração do mercado para fechar essa equação.

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO