Semana do ESG

Banco Inter (INBR31): ações continuam atrativas, mas há um risco, diz UBS

Banco Inter (INBR31): ações continuam atrativas, mas há um risco, diz UBS
Banco Inter (BIDI4). Foto: Marcelo Ricardo Daros/Shutterstock.

Após a migração do Banco Inter (INBR31), o UBS-BB anunciou a cobertura das ações para a Inter & Co, holding da empresa, listadas na Nasdaq.

As ações do Banco Inter começaram a ser negociadas em Nova York em 23 de junho.

A recomendação dos analistas do UBS é de compra. Na nova análise após a migração, o preço alvo subiu de US$ 2,95 para US$ 6 e potencial de alta de 95% nos próximos 12 meses.

“Nosso preço alvo de US$ 6 por ação representa um valor de mercado de R$ 14 bilhões para Inter & Co. Costumávamos estimar um valor de mercado no preço alvo de R$ 36 bilhões para o Banco Inter”, afirmam os analistas. No preço alvo atualizado, o UBS aponta que está presumindo um custo de capital próprio maior (16,5%), alinhado às estimativas de ganhos menores. “Agora, usamos um ROAE (Retorno Sobre Patrimônio Médio) de longo prazo de 18%”.

Apesar do aumento do preço alvo, os analistas do UBS estão projetando uma estimativa de ganhos mais fraca em relação aos resultados do primeiro trimestre de 2022 (1T22). O cenário macroeconômico, mais desafiador, deve afetar os números da operação da fintech.

“Nós mantemos nossas projeções de base de clientes de 24 milhões no final de 2022 e 30 milhões no final de 2023 (vs. 19 milhões no 1T22), mas reduzimos nossa expectativa de crescimento da carteira de crédito para 47% em 2022 e 40% em 2023 (de 60% e 47%, respectivamente)”, diz o relatório.

Houve ainda um aumento na expectativa de custos de riscos e o banco de investimentos decidiu cortar as previsões de crescimento de receita para os próximos anos. A projeção de lucro líquido ajustado do UBS para o Banco Inter é, agora, de R$ 275 milhões em 2022 (anteriormente chegava a R$ 339 milhões) e R$ 733 milhões em 2023 (anteriormente o número batia R$ 872 milhões).

Projeção de aumento em inadimplência

O UBS afirma, em relatório, que conversou com a alta administração do Banco Inter para entender e discutir as próximas tendências da companhia, especialmente após a listagem na Nasdaq.

“A gestão parece confiante de que o ritmo de deterioração da qualidade dos ativos em empréstimos de cartão de crédito está desacelerando, enquanto a receita do banco por cliente deve se expandir com o amadurecimento da base de clientes”, diz o texto.

Além disso, os executivos acreditam que a alavancagem operacional provavelmente se tornará mais visível em um futuro próximo, pois a equipe do banco vai se manter relativamente estável – nos últimos anos, passou por uma expansão considerável de colaboradores.

A qualidade dos ativos deve se deteriorar em um ritmo mais lento. O índice de inadimplência do Inter aumentou 50 bps na comparação trimestral, o que foi destacado no balanço do 1T22.

A deterioração ficou concentrada no crédito para empréstimos com cartão (+140 bps t/t, +230 bps a/a). Nos demais produtos, o índice de inadimplência foi
mais estável:

  • Alta de 20 bps no trimestre (mas queda de 30 bps no comparativo anual) para hipotecas;
  • Alta de 20 bps na base de comparação trimestral (mas abaixo de 10 bps A/A) em crédito consignado; e
  • Recuou 10bps ante o trimestre imediatamente anterior para empréstimos a empresas (PME), mas subiu 0,2 pp em relação ao 1T21.

A administração descreveu que o NPL de empréstimos com cartão de crédito pode aumentar ainda mais, mas a um ritmo mais lento do que em trimestres anteriores, enquanto os índices de inadimplência de outros produtos provavelmente não aumentarão significativamente no futuro próximo.

“Estimamos um índice de inadimplência de 3,8% no final de 2022 (uma deterioração de 50 bps vs. 1T22)”, diz o UBS.

Banco Inter (INBR31) tem queda forte em estreia de ações na Nasdaq

Após deixar a B3 (B3SA3), as ações do Banco Inter (INBR31) estrearam em queda forte nos Estados Unidos nesta quinta-feira (23).

Os papéis do Banco Inter são listados como INTR na Nasdaq. Caíram 12,56%, a US$ 3,48.

Também nesta quinta-feira, haverá a entrega das ações Classe A da Inter&Co para os acionistas que solicitaram a ‘conversão’ dos BDRs.

Os BDRs do Banco Inter, por sua vez, estão disponíveis desde a segunda (20), conforme reportado pelo Suno Notícias. Os BDRs fecharam em alta de 1,92%, a R$ 21,20 no dia, mas, desde a estreia, caem 7,6%.

Os BDRs do Banco Inter operam em alta de 1,36%, a R$ 14,1, às 14h15 desta sexta-feira (1º).

Victória Anhesini

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO