AGENDA

Veja as 5 maiores altas das small caps em novembro; Ânima (ANIM3) dispara 29,7%

Veja as 5 maiores altas das small caps em novembro; Ânima (ANIM3) dispara 29,7%
Confira quais foram as small caps que mais cresceram em novembro

Em mais um mês turbulento para o mercado financeiro do Brasil, as small caps — empresas com valor de mercado abaixo de R$ 1 bilhão — registraram queda em bloco.

O SMAL11, ETF da bolsa brasileira que mensura o desempenho das ações de empresas small caps, despencou 2,29% em novembro. Em comparação, o Ibovespa teve tombo de 4,46% no mesmo período, chegando a alcançar mínima anual, até fechar o mês aos 100.848,49 pontos.

Mesmo neste cenário adverso, algumas small caps conseguiram se salvar e registrar ganhos na casa de 25%. É o caso da Ânima (ANIM3), que liderou as altas do mês disparando 29,70%.

Confira as 5 maiores altas das small caps:

Ânima fecha parceria com DNA Capital e lidera entre small caps

A Ânima Educação anunciou no final do mês a conclusão de um acordo estratégico com a DNA Capital, investidora global referência no mercado de saúde.

A parceria consiste em um aporte de R$ 1 bilhão que será empregado na Inspirali, subsidiária da empresa focada em educação médica.

O mercado reagiu bem ao acordo: no pregão seguinte ao anúncio, as ações da Ânima subiram 27,7%. Isso impulsionou a cotação da companhia saltar de R$ 6,91 para R$ 8,56 no mês.

A parceria foi vista como “muito positiva” para analistas da XP Investimentos. Em relatório publicado nesta semana, foi reiterada a recomendação de compra de ações da Ânima, com preço-alvo de R$ 15. Isso representa um potencial de valorização de 121,9%, tendo em vista a precificação atual de R$ 6,8.

Light divulga balanço positivo do 3T21

A Light (LIGT3) divulgou em novembro seu balanço do terceiro trimestre, e o resultado foi positivo. A companhia registrou lucro líquido consolidado de R$ 364 milhões, um avanço de 167,6% ante os R$ 136 milhões registrados um ano antes.

De acordo com a empresa, o resultado foi impulsionado pelos números da distribuidora e da comercializadora, que registraram lucro de R$ 374,5 milhões e R$ 22,5 milhões, respectivamente.

As ações da Light alcançaram a segunda colocação entre as small caps ao encerrar o mês valendo R$ 12,11, ante os R$ 9,68 iniciais.

Alliar aceita proposta de aquisição de Nelson Tanure

Em novembro, os acionistas controladores da Alliar (AALR3) aceitaram a proposta realizada pela MAM Asset, gestora do empresário Nelson Tanure, para a aquisição de até 62,6 milhões de ações, pelo valor de R$ 20,50 por ação.

Caso todos os acionistas do bloco de controle vendam seus papéis, a MAM Asset passará a deter 83% da Alliar, grupo de medicina diagnóstica dono dos laboratórios CDB em São Paulo. Isso porque Tanure já tem 29,1% do capital social da empresa e os acionistas detêm quase 53%.

Após o acordo, a Alliar deverá passar por uma oferta pública de aquisição (OPA) como determinam as regras do Novo Mercado.

A notícia foi vista com bons olhos entre os investidores, com as ações da Alliar disparando após a repercussão do acontecimento. Esse foi o principal fator que levou os papéis a crescerem de R$ 14,7 para R$ 18,50 no mês.

Para a XP Investimentos, as notícias são boas para os investidores que possuem ações da empresa, “uma vez que esperamos que a ação seja negociada no patamar de R$ 20,5 até o fechamento do negócio”.

Unipar dispara após anúncio de dividendos e balanço do 3T21

Unipar (UNIP6) pagará R$ 300 milhões em dividendos, conforme anunciado pela empresa no mês passado. No dia seguinte do anúncio, após a abertura de mercado, as ações da companhia dispararam 9,8%, digerindo o informe sobre os proventos e o resultado financeiro do terceiro trimestre. O pagamento dos dividendos aconteceu ontem (30).

Com a divulgação dos dividendos e a alta de 404% no lucro, os papéis da companhia foram de R$ 74,67 para R$ 89,09 em novembro.

Conforme balanço do 3T21 da Unipar, a empresa teve lucro líquido de R$ 788,1 milhões no terceiro trimestre deste ano, o que representa uma alta de 404% ou cinco vezes o valor anotado no mesmo período do ano passado, quando teve R$ 156,3 milhões na última linha do balanço.

No comparativo trimestral, o avanço foi de 219% ante o 2T21.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da Unipar atingiu R$ 1,02 bilhão no trimestre, alta de 223,7% em relação ao mesmo período de 2020 e avanço de 139,8% sobre o segundo trimestre deste ano.

Com anúncio de dividendos, Mitre Realty encerra maiores altas das small caps

As ações da Mitre (MTRE3) conseguiram crescer de R$ 5,82 para 6,92 mesmo após a divulgação do balanço do terceiro trimestre, que não conta com números fortes.

A empresa teve lucro líquido de R$ 5,3 milhões, o que representa uma queda de 76,7% ao ser comparado ao mesmo período em 2020, quando anotou R$ 22,9 milhões.

“A diminuição no lucro líquido é, principalmente, consequência da operação de Total Return Equity Swap (TRS), que totalizou perda contábil de R$ 11,1 milhões no trimestre. Excluindo esse efeito, a Mitre obteve lucro líquido recorrente de R$ 16,4 milhões”, justifica a empresa em seu balanço.

“Portanto, entendemos que a melhor forma de analisar os resultados da companhia  é excluindo o efeito de tal operação. Dessa forma, o lucro líquido recorrente no terceiro trimestre de 2021 foi de R$ 16,4 milhões”.

Para compensar, a Mitre aprovou o pagamento de R$ 12.443.456,62 em dividendos intercalares, com base nas demonstrações financeiras levantadas ao final de setembro desse ano. O pagamento aconteceu em 25 de novembro, e ajudou a companhia a figurar entre as maiores altas das small caps desse mês.

Bruno Galvão

Compartilhe sua opinião

Comece 2022 investindo nos melhores Fundos Imobiliários

Baixar agora!