Acesso Rápido

    Radar do Mercado: Randon S.A (RAPT4) divulga resultados trimestrais

    A receita líquida consolidada no ano de 2019 apresentou crescimento de 19,5%, atingindo R$ 6,0 bilhões. O EBITDA consolidado foi R$ 690,7 milhões e o EBITDA ajustado de 729,1 milhões, com margem EBITDA ajustada de 14,2%.

    O desempenho das vendas na FENATRAN, a mais relevante feira de transporte de cargas da América Latina, foi acima do esperado, em especial, na venda de caminhões pesados e implementos rodoviários.

    Na comparação com o 4T18, no Brasil, houve um aumento na produção de semirreboques de 15,5%, no ano o crescimento foi de 35,8%. Já a produção de caminhões teve decréscimo de 8% vs. o 4T18 e de 7,5% frente a 2018.

    E-book: 10 Perguntas e Respostas sobre o IR na Bolsa

    Chega de dúvidas! Conheça a resposta das 10 perguntas mais comuns dos investidores sobre o Imposto de Renda na Bolsa de Valores.

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    A Randon foi capaz de ganhar market share no segmento de veículos e implementos, encerrando o trimestre com 37,2%. A maior capacidade produtiva apresentada ainda no início do ano ajudou no ganho de participação.

    Também houve aumento de capacidade, mesmo com menor número de dias úteis no período do quarto trimestre.

    A divisão de vagões ferroviários teve desempenho fraco, com somente 6 vagões vendidos, equivalente a uma queda de 91,4% comparado ao 4T18.

    No segmento de autopeças, houve queda na produção durante o 4T19 por conta de maior período de férias coletivas adotado pelas montadoras e em decorrência do fraco desempenho de exportação de caminhões pesados.

    Por outro lado, o número de unidades vendidas subiu 16,7% comparado ao mesmo período de 2018. No mercado brasileiro, as vendas de semirreboques e caminhões em 2019 aumentaram em 42,3% e 33,4% respectivamente, e as de ônibus 38,8%.

    As exportações fecharam o ano com queda de 2,0% frente a 2018. As vendas no mercado externo foram impactadas pela recessão na Argentina, destino importante das exportações brasileiras.

    A crise político-econômica no Chile, o cenário de guerra comercial e a estagnação econômica na Europa também foram fatores que dificultaram a performance das exportações.

    Sua controladora, a Fras-le (FRAS3), teve um crescimento de receita bruta total de R$ 564,4 milhões no 4T19, crescimento de 12,3% na comparação com o mesmo período. O EBITDA cresceu 91,3% e o lucro líquido caiu 117,1% frente ao 4T18.

    Tags
    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *