Acesso Rápido

    Radar do Mercado: Petrobras (PETR4) inicia a venda de quatro usinas termelétricas

    Radar do Mercado: Petrobras (PETR4) inicia a venda de quatro usinas termelétricas
    • A empresa iniciou o processo para vender quatro usinas termelétricas: três em Camaçari/BA, movidas a óleo combustível, e uma em Canoas/RS, movida a óleo diesel ou gás natural.
    • Em Camaçari, as usinas são Arembepe, Bahia 1 e Muricy, com potência total instalada de 329 megawatts. A usina de Canoas tem 249 MW.
    • A empresa ressaltou que a operação está alinhada à otimização do portfólio e à melhora de alocação do capital da companhia, que vem buscando focar seus negócios em atividades de exploração e produção de petróleo em águas profundas e ultraprofundas.

    Além disso, a Petrobras pagará US$ 472 milhões no segundo trimestre a parceiras nas áreas de Lula, Sépia e Atapu, como resultado da assinatura de Acordos de Equalização de Gastos e Volumes (AEGVs).

    O acerto é resultado de Acordos de Individualização da Produção (AIPs) de jazidas compartilhadas nos três ativos.

    Minicurso: Contabilidade para Investidores

    Inscreva-se no nosso minicurso gratuito e aprenda os principais conceitos de contabilidade para quem quer investir em empresas na Bolsa de Valores!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    A unitização é necessária quando uma jazida de petróleo descoberta ultrapassa os limites do contrato para outra área, que pode pertencer ao governo ou então estar contratada por outro consórcio.

    Ao serem aprovados pela agência reguladora ANP em 2019, os APIs de Lula, Sépia e Atapu definiram as participações proporcionais de cada uma das empresas nas jazidas compartilhadas, o que requer um equilíbrio entre receitas e gastos incorridos por cada parte desde o início dos contratos.

    Nesse contexto, a petroleira e suas sócias assinaram em 30 de abril os referidos AEGVs para a equalização entre os gastos incorridos e a receita obtida com os volumes produzidos até a data da efetividade dos AIPs das jazidas compartilhadas de Lula, Sépia e Atapu.

    Em decorrência do processo de equalização de gastos de volumes nas três jazidas, a Petrobras pagará às demais consorciadas e suas afiliadas o montante líquido aproximado de US$ 472 milhões, sujeito à atualização de taxa de câmbio e financeira até a data de liquidação, que ocorrerá no segundo trimestre de 2020.

    A jazida compartilhada de Lula ocupa uma área 100% contratada pela Petrobras, outra região que pertence à Petrobras, Shell e Petrogal (da Galp), além de uma área não licitada, que pertence à União.

    A jazida de Atapu está em uma área contratada por um consórcio formado por Petrobras, Shell, Total e Petrogal. A outra área 100% da Petrobras é uma região que também não contratada pela União.

    No caso de sépia, a jazida compartilhada está presente em contrato apenas da Petrobras e em outro que pertence ao consórcio entre Petrobras e Petrogal.

    Tags
    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    Nenhum comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *