Acesso Rápido

    Radar do Mercado: Eneva (ENEV3) realiza nova oferta de fusão

    Radar do Mercado: Eneva (ENEV3) realiza nova oferta de fusão

    A companhia, que já havia realizado uma oferta hostil pela aquisição do controle da AES Tietê, propôs na quinta-feira (23/07) uma nova fusão aos acionistas da Tietê, com condições mais atrativas.

    A Eneva oferece 0,06539522 novas ações de sua emissão para cada ação ON ou PN da Tietê. Para as UNITs, a relação de troca é de 0,32697609. A oferta também engloba uma parcela em dinheiro de R$ 0,36 por ação ON ou PN, e R$ 1,82 para cada UNIT.

    Segundo o Fato Relevante, a relação de troca contempla um prêmio de 10% sobre o valor de mercado das duas companhias.

    Minicurso: Valuation e Precificação de Ativos

    Inscreva-se no nosso minicurso gratuito de Valuation e aprenda os principais conceitos sobre como avaliar ativos e empresas do jeito certo!

    Parabéns! Cadastro feito com sucesso.

    Ops! Algo deu errado. Tente novamente.

    A fusão criaria uma gigante do setor elétrico, com ativos diversificados entre gás e energia renovável. A diversificação é complementar no sentido de que existe uma correlação negativa entre a geração hidrelétrica e a termelétrica – que, segundo as estimas da Eneva é de 0,74x. Isso ocorre por conta da sazonalidade de suas matrizes energéticas.

    Por outro lado, o endividamento da combinação de negócios seria considerado alto, chegando a aproximadamente cinco vezes o Ebitda.

    O controlador da AES Tietê, a AES Corporation, posicionou-se contra a fusão desde o princípio, alegando que o portfólio da Tietê é renovável e que não faria sentido mesclá-lo com fontes geradoras fósseis.

    A Eneva também afirma que a fusão traria sinergias, como otimização de custos e redução de SG&A, além de “reduzir drasticamente a taxa de imposto efetiva da AES Tietê”.

    As propostas desencadearam diversas controvérsias. Pelo fato de a Tietê estar listada no Nível 2 de Governança Corporativa, os acionistas preferencialistas têm direito a votar em deliberações relativas a fusões e incorporações.

    A AES Corporation contestou o fato. A B3 se posicionou em favor da tese da Eneva e reafirmou o direito de detentores de ações PN de votar nesse tipo de proposta.

    Para saber mais sobre os resultados de outras empresas, clique aqui e confira a agenda completa de resultados do segundo trimestre de 2020 (2T20).

    Tags
    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    3 comentários

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Diva 24 de julho de 2020

      E será que durante esta disputa como o mercado vai reagir? Comprar ou vender?

      Responder
    • Marcos Antonio de Oliveira 24 de julho de 2020

      Muito bom, aguardaremos o resultado, brigar com americano não é fácil, muito poder de fogo.

      Responder
    • Fernando 24 de julho de 2020

      A Eneva insisti na fusão com a Tietê! Meu maior receio é o fato da Eneva possuir geração de energia fóssil.

      Responder