Acesso Rápido

    Radar do Mercado: Ambev S.A. (ABEV3) divulga resultados trimestrais

    Radar do Mercado: Ambev S.A. (ABEV3) divulga resultados trimestrais

    A Receita Operacional Líquida teve queda de 1% frente ao 4T19. Foi observado que a companhia teve dificuldade em conter seus custos, apresentando aumento de 5,5% do custo dos produtos vendidos na comparação com o mesmo período.

    O EBITDA ajustado atingiu R$ 6.924,7 milhões, contra R$ 7.631,6 milhões no 4T18, decréscimo de 9,3%. A margem EBITDA ajustada foi de 43,7%, correspondendo a uma queda de 3,9 pontos percentuais.

    Houve contração de margens por conta dos custos, queda influenciada por preços mais altos de commodities e menor diluição de custos fixos.

    As despesas com vendas, gerais e administrativas (SG&A) tiveram crescimento de 7,1% na comparação com o 4T18. Por outro lado, o volume de hectolitros registrou aumento de 3,4% e a receita por hectolitro, 2,2%.

    O resultado financeiro líquido teve redução de 6,2% contra o 4T19. As despesas foram de R$ 1.564,3 milhões, dentre as quais R$ 575,7 milhões foram provenientes de perdas com instrumentos derivativos, especialmente pelo aumento de custo de carrego de hedges cambiais referentes à exposição do CPV e CAPEX na operação Argentina.

    Também houve perdas com instrumentos não-derivativos em R$ 537,1 milhões devido à variação cambial de transações intercompany, que não têm efeito caixa, e pelo ajuste ao valor justo de opção de venda na República Dominicana.

    No release do 4T19, a Ambev discorre sobre maior pressão sobre o custo do produto vendido do ano, e isso somado aos investimentos com vendas e marketing concentrados no início de 2020, o EBITDA de Cervejas Brasil deve sofrer redução de 17% a 20% no 1T20.

    A expectativa é de que haja melhora do desempenho no segundo semestre, em especial se a pressão sobre o CPV se abrandar. A margem bruta tem demonstrado tendência decrescente desde 2012. A companhia tem tido que reduzir o preço dos seus produtos devido à concorrência, especialmente da Heineken que tem expandido seu market share no Brasil.

    No pregão de ontem, as ações ABEV3 representaram a segunda maior queda do Ibovespa, caindo 8,34% e encerrando o pregão em R$ 14,50.

    A instabilidade social vista no Chile e em especial, na Bolívia, afetaram o desempenho no 4T19. A crise econômica argentina, acentuada por um governo menos pró-mercado na Casa Rosada, impactaram as operações no país.

    Tags
    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    2 comentários

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • Carlos André 28 de fevereiro de 2020

      Veja creio que a Ambev conseguiria recuperar suas vendas se oferecesse aos consumidores ótimos sorteios em toda sua linha de produtos. Exemplos: automóveis, casas, apartamentos, um ano de salário grátis, certificados de barra de ouro …

      Responder
    • Gê Martins 28 de fevereiro de 2020

      QQ empresa que devolva algo ao cliente, não apenas satisfação em consumir seus produtos, tem a tendência de fidelizar o mesmo. Como fazer o equilíbrio disto no balanço é x.

      Responder