Acesso Rápido

    BCE: Saiba tudo sobre a importância do Banco Central Europeu

    BCE: Saiba tudo sobre a importância do Banco Central Europeu

    O BCE, ou Banco Central Europeu, é uma das mais importantes instituições da economia mundial.

    Muitos, entretanto, não possuem a compreensão do que se trata o BCE e de qual é a sua importância na inflação, taxa de juros e câmbio do continente europeu.

    O que é BCE?

    BCE corresponde ao Banco Central Europeu. Esta instituição possui como principal função conservar o poder de compra do Euro. Ou seja, manter a inflação do Euro sobre controle, tarefa que vem sendo muito bem executada até então. O Banco Central Europeu cumpre esta função através de política monetária.

    A sede da instituição se situa na cidade de Frankfurt, na Alemanha.

    Como as principais economias europeias, e por consequência, algumas das principais economias do mundo fazem parte do BCE, este acaba por se tornar uma instituição de imenso poder sobre a economia mundial.

    Assim, concorrendo junto com o FED, que é o Banco Central Americano, sobre o posto de instituição com maior influência sobre a economia global.

    Além de manter a inflação reduzida o Banco Central Europeu ainda possui outras funções, tais como:

    Quando surgiu o Banco Central Europeu?

    Discussões a respeito da união econômica e monetária da Europa começaram em 1969. Já em 1970, é elaborado o relatório Werner, que elabora propostas para que essa meta seja cumprida.

    Em 1978, os países da então CEE (Comunidade Econômica Europeia) criaram o Sistema Monetário Europeu ((SME), cujas características eram a presença de taxas de câmbio fixas, mas ajustáveis.

    Outra característica importante era a existência do ECU (unidade de valor que consistia na média ponderada dos países do SME).

    Em 1991, os países do SME assinam o tratado de Maastricht, que propõe três etapas para a criação da União Econômica e Monetária (UEM) da Europa: coordenação e liberalização financeira, transferência de responsabilidades e novas estruturas.

    Por fim, a fundação do BCE ocorreu, de fato, em 1998 com a adesão de 11 estados membros que, na época, cumpriram as condições necessárias para que adotassem uma moeda única.

    Esses países eram: Portugal, Bélgica, Alemanha, Espanha, França, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Países Baixos, Áustria , Finlândia e Inglaterra.

    O BCE, a partir de então, foi aumentando sua importância no cenário macroeconômico. Atualmente, a presidente do BCE é Christine Lagarde, política francesa que ocupa o cargo desde 2019.

    Como funciona a política monetária do BCE?

    Como dito anteriormente, a principal função do Banco Central Europeu é conter a inflação, e para isto é utilizada a política monetária.

    A política monetária diz respeito à regulação da quantidade de moeda disponível em uma economia. Uma política monetária dita “frouxa” ocorre ao ter uma grande oferta de moeda na economia. Isto ocorre, sobretudo, através de redução na taxa de juros.

    Como a taxa de juros funciona na prática como o custo do dinheiro, ou seja, o valor devido para pegar recursos emprestados, quanto menor esta taxa, mais crédito estará disponível na economia, e maior será a oferta de moeda.

    Isto pode levar ao crescimento de curto prazo na economia, mas há de se ter muito cuidado pois uma política monetária excessivamente frouxa leva a uma aceleração da inflação, que é justamente o que o BCE deseja evitar.

    Por outro lado, uma política monetária dita “apertada” ocorre quando a oferta de moeda na economia se retrai. Sobretudo através de uma elevação na taxa de juros.

    Com esta elevação o custo do empréstimo aumenta, acarretando assim na redução do crédito na economia, e por fim na redução da oferta da moeda.

    Isto, por sua vez, faz com que a inflação recue. Porém, este ambiente desestimula o crescimento no curto prazo.

    Portanto, é este o trade off enfrentado pelo Banco Central Europeu. O BCE deve achar uma política monetária tal que permite o desenvolvimento sustentável da economia europeia e que, ao mesmo tempo, mantenha a inflação sobre controle.

    A atual meta do Banco Central Europeu é manter a inflação abaixo, mas perto, da taxa de 2%.

    O fato de o objetivo ser manter a taxa próximo a 2% é para conter o risco de uma deflação, que também pode trazer efeitos danosos para uma economia assim como a inflação.

    BCE Quantitative easing

    Nos últimos o Banco Central Europeu tem causado polêmica com o seu programa de compras de títulos de dívida, o chamado quantitative easing.

    A compra de títulos de dívida é mais uma forma de se realizar uma política monetária frouxa. Ela é tipicamente utilizada quando a taxa de juros baixa não é o suficiente para estimular o crescimento econômico.

    Ao comprar títulos do mercado a instituição está na prática inserindo ainda mais liquidez na economia, ou seja, elevando a oferta de moeda.

    Este recurso tem causado muita polêmica pois alguns especialistas afirmam que, quando o Banco Central Europeu cessar as compras, ou ainda quando ele começar as vendas dos títulos previamente adquiridos, isto pode causar uma nova recessão nos preços da zona do euro.

    Critérios para inclusão na zona do euro

    Há critérios muito bem definidos e rigorosos para novos países adentrarem na zona do Euro e, consequentemente, travarem relacionamento mais próximo do BCE.

    Estes critérios são tão rigorosos que mesmo alguns países que já fazem parte do bloco não conseguem cumpri-los.

    No entanto, a exigência do cumprimento destes critérios existem somente para os novos entrantes. Em suma, para fazer parte da área do Euro o país tem que demonstrar possui controle nas seguintes áreas:

    • Inflação;
    • Câmbio;
    • Déficit;
    • Taxa de juros de longo prazo.

    Inflação

    A taxa média de inflação de um novo entrante não pode exceder em 1,5% a taxa dos 3 países da UE com melhores resultados durante o período de um ano.

    Câmbio

    Em segundo lugar, a moeda deve ser estável e ter uma flutuação em linha com a do Euro durante pelo menos dois anos prévios ao momento de avaliação da candidatura.

    Déficit

    Em terceiro lugar, o déficit orçamentário não pode exceder 3% do PIB do país candidato. Além disso, a dívida pública não pode exceder 60% do PIB.

    Entretanto, vale notar que esses são dois critérios dos quais alguns dos atuais países membros falham em atingir, ainda que eles continuem no grupo e sofram influência direta do BCE.

    Taxa de juros de longo prazo

    Por fim, a taxa de juros não pode exceder em mais de 2% a taxa dos 3 países da zona do euro com melhores resultados.

    Qual a importância do Banco Central Europeu?

    Não há dúvidas, portanto, de que o BCE é uma instituição de extrema relevância para a economia mundial.

    Sua tarefa de manter a inflação sobre controle na zona do Euro é muito importante para a estabilidade da macroeconomia mundial, já que os países membros representam algumas das mais importantes economias do mundo.

    Entre suas funções, destacam-se a emissão das notas de euro e o estabelecimento da quantidade de moedas de euro que os países devem cunhar.

    Além disso, uma importante função do órgão é manter o funcionamento do sistema de pagamentos através do sistema de pagamentos (TARGET).

    Outra função importante é a gestão das reservas de divisas que os países membros depositam na instituição. Por fim, o BCE cuida da supervisão bancária dos países membros, com as autoridades de cada país.

    Programa de Compras de Emergência para a Pandemia (PEPP)

    Em março de 2020, quando a pandemia ganhou proporções mundiais, o PEPP (Programa de Compras de Emergência para a Pandemia) foi criado para combater os riscos que o surto de coronavírus poderia representar nos mecanismos de política monetária do BCE para os países da zona do euro.

    Dessa forma, o PEPP estabeleceu-se como um programa temporário cuja função era comprar títulos de dívida, com uma dotação no valor de 750 milhões de euros.

    Vale notar, no entanto, que a compra de títulos vale tanto para títulos públicos quanto privados.

    Dessa forma, para manter a transparência em seus programas, o BCE informa dados semanais a respeito do dos pagamentos de títulos do BCE por conta da PEPP.

    Você ainda tem dúvidas sobre o funcionamento do BCE e sua importância na economia europeia? Comente abaixo para que possamos te ajudar.

    Tiago Reis
    Compartilhe sua opinião
    1 comentário

    O seu email não será publicado. Nome e email são obrigatórios *

    • ELIETE APARECIDA SOARES RODRIGUES BARROSO 30 de outubro de 2020

      Meu auxílio foi cancelada queria sabe pq eu não tenho direito porque não tem renda nenhuma não trabalho de carteira registrada sou mãe solteira pelo amor de deus mim ajuda por favor deis da 5parcela que não vou reseber mim ajuda por favor

      Responder