Vibra (VBBR3) emitirá R$ 1,8 bilhão em debêntures não conversíveis para “otimizar capital”

Vibra (VBBR3) emitirá R$ 1,8 bilhão em debêntures não conversíveis para “otimizar capital”
Vibra Energia - Foto: BR Distribuidora/Divulgação

A Vibra (VBBR3), ex-BR Distribuidora, irá emitir um montante de R$ 1,8 bilhão em debêntures como forma de “otimizar o capital da companhia”.

Em fato relevante após o fechamento do mercado na sexta-feira (29), a Vibra comunicou que a decisão foi tomada após reunião do Conselho de Administração na quarta-feira (27).

A emissão será de debêntures “não conversíveis em ações, em até duas séries, da espécie quirografária, a serem distribuídas com esforços restritos, em regime de garantia firme“, segundo o documento arquivado pela empresa na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Além disso, a empresa frisa que será permitida a distribuição parcial no montante mínimo de R$ 1,5 bilhão.

Na emissão de debêntures da Vibra, será “adotado o procedimento de coleta de intenções de investimento dos potenciais investidores no âmbito da oferta”.

As debêntures da primeira série terão prazo de vencimento de sete anos, ao passo que as da segunda série terão prazo de dez anos a partir da data de emissão.

“A emissão das Debêntures está alinhada ao direcionamento estratégico da Companhia de constante avaliação de alternativas de captação de recursos para otimização da sua estrutura de capital e financeira”, diz a ex-BR Distribuidora.

Entenda a mudança de ticker da Vibra

Ainda na quarta-feira (13) a companhia divulgou que devido à alteração do seu nome de pregão para Vibra em substituição à Petrobras BR, e por isso, a partir do dia 22 de outubro, as ações da companhia passou a ser negociada na B3 sob o código VVBR3, em substituição ao código BRDT3.

Em documento enviado à CVM, a companhia frisou que “o novo posicionamento da marca institucional, nova assinatura corporativa e agora a alteração do ticker para VBBR3 têm como direcionadores de sua nova marca: orientação ao cliente; confiança que conecta; parcerias genuínas; e evolução constante.”

Na ocasião a companhia lembrou que está passando por um processo de “transformação organizacional e cultural baseada em quatro pilares que refletem a visão aspiracional da nova empresa”.

Nesse sentido, os pilares são: “visão de negócio que tem compromisso com seus clientes e busca a excelência em tudo o que faz; um relacionamento com os diferentes públicos baseado em flexibilidade e empatia; os diferenciais de proximidade e conveniência na relação com os clientes; e finalmente uma visão de futuro alicerçada em agilidade e inovação.”

Cotação de BRDT3

Em queda de 5% nos últimos cinco dias, as ações da Vibra fecharam o pregão de sexta (29) cotadas a R$ 20,98. No acumulado anual, contudo, os papéis ordinários da companhia caíram 3,98% – considerando que no primeiro pregão de 2021 a cotação era de R$ 21,85.

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião

Comece 2022 investindo nos melhores Fundos Imobiliários

Baixar agora!