SNAG11: com crescimento em tempo recorde, Fiagro ultrapassa 70 mil cotistas

Conforme os dados mais recentes da Suno Asset, o Fiagro da Suno, o SNAG11, ultrapassou no dia 17 de novembro a marca de 70 mil cotistas.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-1.png

Segundo os dados da Quantum Axis, o SNAG11 é o Fiagro que chegou a esse patamar de volume de investidores mais rapidamente – apenas 15 meses após sua estreia na bolsa de valores.

Além disso, o Fiagro da Suno também segue como referência na indústria, pagando um dividend yield (DY) relativamente elevado.

Conforme dados do Status Invest, foram R$ 1,38 pagos por cota do SNAG11 no acumulado dos últimos 12 meses – representando um yield de 13,7%.

Juntamente com isso, o fundo é menos correlacionado com o restante da indústria e tem um retorno ajustado ao risco mais vantajoso para o investidor pessoa física – que também aproveita os dividendos do SNAG11 isentos de Imposto de Renda.

Conforme os dados da Economatica, o Fiagro tem a melhor relação entre risco e retorno dos 10 maiores Fiagros da história em patrimônio, considerando as métricas do Índice de sharpe.

Considerando os maiores fundos desse segmento, o Fiagro SNAG11 é o que mais se destaca nos últimos 12 meses nessa métrica, com um sharpe de 0,71 até o dia 10 de novembro de 2023, superando em 57,78% o segundo colocado, RURA11, cujo indicador aponta 0,45 no mesmo período.

O Índice de sharpe serve como um indicador comparativo entre diferentes ativos, servindo para calcular a relação entre risco e retorno.

O cálculo do Sharpe de um fundo considera três métricas: o retorno total, a taxa livre de risco (que é o CDI) e sua volatilidade.

Quanto maior o sharpe, melhor é a relação risco e retorno daquele fundo.

SNAG11 faz parceria inédita com Serasa

Em uma parceria inédita, a partir de novembro, o Fiagro passa a incorporar informações da Serasa Experian em seus relatórios gerenciais, com o objetivo de fornecer dados mais detalhados sobre a saúde financeira e ESG (Ambiental, Social e Governança) da sua carteira de ativos.

A iniciativa surge em um contexto de crescentes desafios relacionados a operações de crédito em diversos ativos, incluindo atrasos, riscos de inadimplência e ESG.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Artigos-1-_-Banner-Materias-2-2.png

O SNAG11 busca ampliar o leque de informações cruciais sobre seus investimentos no setor do agronegócio.

Segundo o diretor de agronegócios do Grupo Suno, Octaciano Neto, apesar de os relatórios gerenciais divulgados pelas gestoras já contarem com informações importantes em relação aos seus produtos, o mercado de capitais tem o papel de aumentar esse nível de comunicação.

“Em um momento em que há muitas dúvidas sobre os Fiagros e falta transparência, a Suno vai na contramão do mercado, ao encabeçar um movimento em prol dos verdadeiros donos dos fundos: os cotistas. Com isso, esperamos que outras gestoras se inspirem e passem a compartilhar cada vez mais informações com seus investidores”, diz Neto.

Fundo adiciona ‘café com leite’ no portfólio

Além disso, recentemente o fundo adicionou ativos vinculados aos segmentos de café e de leite em seu portfólio.

Conforme comunicado aos cotistas do início de novembro, foram adicionados dois ativos na carteira do SNAG11:

  • CRA Leitíssimo: Com uma operação de R$ 40 milhões que tem como devedor a Leitíssimo S.A.,
    uma das principais produtoras de leite de longa vida do Brasil; o ativo possui taxa de CDI +
    5%
  • CRA Grupo Ruiz: Investimento de R$ 50 milhões na operação que tem como devedor a Agropecuária Ruiz, do Grupo Ruiz Coffees, grande produtor de café que possui mais de 90 anos de história; o ativo tem taxa de CDI+4,5% e conta com alienação fiduciária de terras, cessão fiduciária de contratos de café e aval dos sócios

“Além disso, ressaltamos que os recursos da terceira emissão também foram utilizados para investir, aproximadamente, 20 milhões de reais em operações que já faziam parte da carteira do Fundo, sendo 15 milhões em operações compromissadas e 5 milhões no CRA Pulverizado BS”, destaca a Suno Asset.

“Com isso, fica pendente a alocação de aproximadamente 90 milhões de reais para finalizar a alocação da terceira emissão de cotas do Fundo. Este valor residual deverá ser investido em mais duas operações que estão em fase final de estruturação”, completa a gestão.

Proventos mais recentes do Fiagro da Suno

Os últimos dividendos pagos pelo SNAG11 foram na última sexta-feira, dia 24 de novembro.

Foram distribuídos R$ 0,11 por cota, que atualmente é negociada a cerca de R$ 10 em bolsa.

Com isso, o dividend yield (DY) do pagamento foi de 1,08%. O yield anualizado do SNAG11, por sua vez, é de 13,8%.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Minicurso-FIIS.png

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião