Sabesp (SBSP3): Genial vê balanço do 1T24 “acima das expectativas” e destaca progresso na privatização

A Sabesp (SBSP3) encerrou o primeiro trimestre de 2024 (1T24) com lucro líquido de R$ 823 milhões. Para a Genial Investimentos, os números vieram acima das expectativas da casa, mas em linha com o consenso de mercado. As ações da Sabesp fecharam em queda de 1,05% no Ibovespa, cotadas a R$ 78,41.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/07/1420x240-Banner-Home-1.png

“Achamos que no geral o mercado deve receber bem os número da empresa no 1T24 da Sabesp, especialmente por mostrar que os impactos negativos em custos no trimestre podem ser considerado pontuais”, afirma a Genial.

Segundo a casa, o grande evento de destravamento de valor foi o progresso da privatização da Sabesp. “O grande passo adiante foi dado recentemente com a aprovação da câmara municipal em dois turnos da entrada do município dentro do bloco econômico da Sabesp. Em nossa leitura, falta agora o governo do estado avançar com a formatação da oferta.”

Sobre o balanço da Sabesp, no trimestre, o Ebitda recorrente da companhia totalizou R$ 2,6 bilhões, alta de 27% na base anual. Outro destaque foi a receita, que atingiu R$ 5,2 bilhões, um crescimento de 15,1%.

“Principais motivos pela performance foram a boa expansão do volume faturado (+5,3% a/a, alcançando 1,1 bilhões de m³) e o reajuste tarifário aplicado no período de 9,3%”, diz a Genial. 

Os custos totais ficaram em R$ 3,6 bilhões (+13,7% a/a), afetados por itens não recorrentes. O principal impacto não recorrente foi um acordo com a AAPS (Associação dos Aposentados e Pensionistas da Sabesp), que gerou uma despesa de R$ 162 milhões no trimestre. 

O resultado financeiro da Sabesp atingiu R$ 302 milhões negativos, devido ao maior custo de juros da dívida e desvalorização do real frente ao dólar.

Neste contexto, analistas avaliam que, no cenário atual, o risco-retorno de se investir na companhia, pensando na conclusão da privatização, é positivo e, por isso, recomendam compra das ações da Sabesp.

Sabesp: lucro anual cresce 10,2% no 1T24

A Sabesp fechou o primeiro trimestre de 2024 com lucro líquido de R$ 823 milhões, aumento de 10,2% na comparação anual, quando registrou ganhos de R$ 747,2 milhões.

Segundo o balanço da Sabesp, a receita operacional líquida chegou a R$ 6,560 bilhões no 1T24, aumento de 15,1% na comparação anual.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado da Sabesp no primeiro trimestre chegou a R$ 2,591 bilhões, aumento de 27,3% frente ao mesmo período de 2023. Como consequência, a margem Ebitda ajustada atingiu 39,5%, ante 35,7% um ano antes.

As receitas de serviços de saneamento da Sabesp chegaram a R$ 5,661 bilhões no primeiro trimestre, alta de 15,3% na base anual, o que a companhia atribuiu a:

  • Reajuste tarifário de 9,6% desde maio de 2023; e
  • Aumento de 5,3% no volume faturado total.

A receita de construção da companhia ficou em R$ 1,336 bilhão no 1T24, alta de 13,3% frente aos R$ 1,179 bilhão registrados no primeiro trimestre de 2023.

Os custos e despesas somaram R$ 3,607 bilhões no primeiro trimestre, um aumento de R$ 433,6 milhões na comparação anual.

resultado financeiro ficou negativo em R$ 338,2 milhões no 1T24, ante resultado também negativo de R$ 259,5 milhões do ano anterior.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/Ebook-Acoes-Desktop.jpg

Sabesp: Safra vê melhora na proposta de regulamentação

Em 17 de abril, o Governo do Estado de São Paulo anunciou a conclusão da consulta pública para a privatização da Sabesp e apresentou as diretrizes para o novo estatuto da empresa, detalhes do follow-on e os próximos passos do processo de privatização

Neste contexto, o Governo do Estado mencionou que fez algumas mudanças importantes, conforme sugerido na audiência pública, como a inclusão de áreas adicionais a serem atendidas pela Sabesp, um plano para crises hídricas e penalidades claras (com descontos nas tarifas) se a empresa não atender às metas regulatórias exigidas.

Segundo o Safra, o follow-on da Sabesp será dividido em dois blocos. O primeiro bloco (bloco prioritário) selecionará dois investidores estratégicos, que poderão concorrer a uma participação de 15% na Sabesp. As duas maiores ofertas serão escolhidas para passar para a segunda fase. 

Na segunda fase (segundo bloco), os dois investidores participarão de um processo de bookbuilding, que é uma prática utilizada no mercado financeiro para determinar o preço de emissão de ações em uma oferta pública inicial (IPO) ou em uma oferta subsequente (follow-on).

Durante o bookbuilding, os coordenadores da oferta (bancos de investimento) e a empresa emissora da ação interagem com investidores institucionais e individuais para determinar o interesse na oferta e o preço pelo qual estão dispostos a comprar as ações.

Sobre a governança, o investidor estratégico celebrará um acordo de investimento com o Governo do Estado que incluirá as seguintes disposições:

  • um período de bloqueio de cinco anos (as ações só podem ser vendidas após 2030), com possibilidade de prorrogação até 2034, desde que uma participação mínima de 10% seja mantida na empresa;
  • conselho de administração será composto por três membros escolhidos pelo investidor estratégico, três membros escolhidos pelo Governo do Estado e três membros independentes;
  • ação de ouro de propriedade do Governo do Estado para manter os objetivos da empresa, localização da sede, entre outras disposições;
  • limite de 30% para os direitos de voto;
  • e pílula de veneno. 

O governo também mencionou que sua participação final na Sabesp não será inferior a 18%.

Desempenho anual das ações da Sabesp

Cotação SBSP3

Gráfico gerado em: 10/05/2024
1 Ano

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Vinícius Alves

Compartilhe sua opinião

Receba atualizações diárias sobre o mercado diretamente no seu celular

WhatsApp Suno