Petrobras (PETR4), Ambev (ABEV3), Prio (PRIO3) mexem com o mercado nesta quinta-feira; veja mais destaques

O esclarecimento da Petrobras (PETR4) de que não há qualquer decisão tomada em relação à distribuição de dividendos ainda não declarados está entre os destaques desta quinta-feira (29). 

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240-Banner-Home-2-1.png

Também está entre os destaques do mercado financeiro a Ambev (ABEV3), após reportar  um lucro líquido de R$ 4,528 bilhões no quarto trimestre de 2023 (4T23). 

A Prio (PRIO3) também está no radar dos investidores hoje, depois de anunciar um aumento de capital no valor de R$ 2 bilhões. 

Veja os destaques do mercado financeiro hoje:

Petrobras 

Após as declarações de Jean Paul Prates, a Petrobras (PETR4) informou que não há qualquer decisão tomada em relação à distribuição de dividendos ainda não declarados.

Em linhas gerais, a nova Política dispõe que “em caso de dívida bruta igual ou inferior ao nível máximo de endividamento definido no plano estratégico em vigor e de resultado positivo acumulado, a serem verificados no último resultado trimestral apurado e aprovado pelo Conselho de Administração, a Companhia deverá distribuir aos seus acionistas 45% do fluxo de caixa livre”, diz a companhia. 

A fórmula da Política será aplicada, a cada trimestre, sobre os fluxos de caixa do consolidado da companhia do respectivo trimestre. 

Ambev 

A Ambev (ABEV3) reportou um lucro líquido de R$ 4,528 bilhões no quarto trimestre de 2023 (4T23). A cifra representa uma queda de 10,9% em relação ao mesmo período do ano passado.

A queda no lucro da Ambev, segundo a companhia, ocorreu devido à depreciação cambial na Argentina e ao faseamento das provisões de dedutibilidade fiscal do JCP.

Prio 

Na noite de quarta-feira (28), a Prio (PRIO3) anunciou um aumento de capital no valor de R$ 2 bilhões. Com isso, o capital social da companhia sairá de R$ 5,63 bilhões para R$ 7,63 bilhões.

O aumento de capital da Prio, segundo a empresa, servirá para o redesenvolvimento de ativos já em produção. Além disso, parte do valor será utilizado para financiar atividades de perfuração e conexão subsuperfície em ativos que se encontram em fase de desenvolvimento.

Suzano 

A Suzano (SUZB3) apresentou um lucro líquido de R$ 4,52 bilhões no quarto trimestre de 2023 (4T23), o que representa uma queda de 39% quando comparado ao resultado obtido no mesmo período do ano anterior, quando o lucro foi de R$ 7,459 bilhões.

Apesar do lucro da Suzano mostrar essa baixa na comparação anual, observa-se um avanço na comparação sequencial, visto que no terceiro trimestre de 2023 (3T23) a companhia teve um prejuízo líquido de R$ 729 milhões.

C&A 

A C&A (CEAB3) registrou lucro líquido de R$ 168,7 milhões no quarto trimestre de 2023, uma queda de 20,8% em relação aos R$ 212,9 milhões vistos no mesmo período de 2022. O lucro líquido ajustado cresceu 98,2% e somou R$ 144,9 milhões. A receita líquida total teve um crescimento de 17,7% na comparação anual e fechou em R$ 2,293 bilhões.

Ultrapar

A Ultrapar (UGPA3) registrou lucro líquido de R$ 1,11 bilhão no quarto trimestre de 2023, alta de 22% em relação ao mesmo período do ano anterior, impactado pelo maior lucro operacional nos três principais negócios e da menor despesa financeira líquida, apesar do menor efeito de créditos fiscais extraordinários e de maiores custos e despesas com depreciação e amortização.

Odontoprev 

A Odontoprev (ODPV3) registrou aumento de 33% no lucro líquido no 4T23 em relação a igual período de 2022, subindo de R$ 95 milhões para R$ 126,3 milhões. 

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/04/1420x240_TEXTO_CTA_A_V10.jpg

Raízen 

A Raízen (RAIZ4) informou que a sua controlada Raízen Fuels Finance precificou Green Notes no montante de US$ 1,5 bilhão.

Segundo a Raízen, os recursos líquidos captados por meio da emissão dos Green Notes serão destinados a investimentos em projetos e ativos selecionados de acordo com o Green Financing Framework da Companhia, incluindo plantas industriais de Etanol de Segunda Geração (“E2G”) e aumento da eficiência operacional nos Parques de Bioenergia, além do alongamento do prazo médio do endividamento pelo refinanciamento de obrigações financeiras.

Braskem 

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Braskem (BRKM5) aprovou na quarta-feira (28) oito convocações para depoimentos sobre os danos ambientais causados pela extração mineral em Maceió, incluindo a do diretor-presidente da companhia, Roberto Bischoff, e a do diretor de comunicação, Marcelo Arantes. As informações são da Agência Senado.

Os destaques do mercado financeiro do Suno Notícias mostram os principais acontecimentos que prometem movimentar o mercado durante o dia, como a Petrobras (PETR4), que deve estar no foco dos investidores hoje.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/04/1420x240-Planilha-vida-financeira-true.png

Vinícius Alves

Compartilhe sua opinião