Instagram é proibido na Rússia após Meta (FBOK34) negar censura a protestos

O regulador estatal de mídia da Rússia, Roskomnadzor, proibiu oficialmente a rede social Instagram de operar no país. A decisão acontece após uma batalha jurídica entre Moscou e a Meta Platforms (FBOK34), holding dona do Facebook, em meio às tensões no leste europeu e sanções, de empresas do Ocidente à Rússia, em resposta à ocupação da Ucrânia.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-1.png

Na semana passada, a holding que controla o Instagram afirmou que seus usuários poderiam publicar, sem embargos ou restrições, frases de apoio ao país de Volodimir Zelensky como “Morte aos invasores russos”.

A partir da meia noite deste domingo (13), os usuários do Instagram na Rússia já não poderiam mais acessar a rede social no país.

Em comunicado disparado por e-mail, o regulador de comunicações da Rússia disse aos cidadãos russos para mover suas fotos e vídeos do Instagram antes que o aplicativo fosse fechado. O órgão também os encorajou a migrarem para “plataformas de internet competitivas” próprias da Rússia.

Por sua vez, a Meta, holding que também é dona do Facebook, disse na sexta (11) que a mudança temporária em sua política de discurso de ódio se aplica apenas à Ucrânia, após a invasão da Rússia em 24 de fevereiro.

Segundo o comunicado da companhia americana, seria errado impedir que os ucranianos “expressassem sua resistência e fúria contra as forças militares invasoras”.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2024/02/1420x240-Banner-Home-2-1.png

A decisão foi recebida com indignação pelas autoridades Rússia, que deram início a investigações contra a empresa. Atualmente, promotores pedem aos tribunais que classifiquem a big tech como uma “organização extremista”.

Segundo informações oficiais da rede social, cerca de 80 milhões de usuários serão afetados com o bloqueio do Instagram na Rússia.

A Rússia já baniu o Facebook no país em resposta ao que disse serem restrições de acesso à mídia russa na plataforma. Durante a primeira semana de hostilidades, o Facebook restringiu o alcance de empresas de comunicação que contam com financiamento do governo russo, como a RT e Sputnik.

Os russos usam muito mais o Instagram do que o Facebook, que é atualmente a rede social com mais usuários no mundo, segundo dados da consultoria eMarketer publicados pela AFP (Agence France-Presse).

São 7,5 milhões contas russas no Facebook, o equivalente a 7,3% dos internautas, contra 51 milhões no Instagram. O último comunicado na Meta, contudo se baseou nos dados de 80 milhões de usuários, apesar de a rede não divulgar dados de contas por país.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2020/08/ea337072-ebook-investir-no-exterior.png

Com o movimento, a avaliação é de que a Meta Platforms tem mais a perder com o bloqueio, dado o tamanho da audiência que pode visualizar a publicidade no app.

Atualmente a Rússia é quinto maior mercado para o Instagram – atrás apenas de Estados Unidos, Índia, Brasil e Indonésia, respectivamente. Os dados são de um relatório da agência We Are Social, em parceria com a plataforma Hootsuite.

A restrição ao Instagram se seguirá à do Facebook, que, assim como o Twitter, tem seu acesso restrito na Rússia desde o dia 4 de março.

Depois do Instagram, Rússia quer banir o WhatsApp

O imbróglio todo começou depois que as tropas russas entraram na Ucrânia no mês passado, levando a Meta a bloquear alguns meios de comunicação afiliados ao Kremlin.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2020/10/155de22d-relatorio-bdrs-2.0.png

A proibição faz parte de uma repressão mais ampla de Moscou contra pessoas que expressam oposição à guerra, que o governo russo chama de “operação militar especial”.

Atualmente as forças de segurança estão patrulhando algumas das maiores cidades da Rússia, detendo pessoas que tentam organizar protestos contra a invasão.

A Rússia disse que não planeja banir a ferramenta de mensagens WhatsApp, que assim como o Instagram, fica sob o guarda-chuva da holding de Mark Zuckerberg.

https://files.sunoresearch.com.br/n/uploads/2023/03/1420x240-Controle-de-Investimentos.png

Eduardo Vargas

Compartilhe sua opinião