Ibovespa sobe e fecha semana com ganhos de 3,2%; Braskem (BRKM5) lidera altas no dia

Ibovespa sobe e fecha semana com ganhos de 3,2%; Braskem (BRKM5) lidera altas no dia
Ibovespa sobe a 110 mil pontos; Vale (VALE3) e Banco do Brasil (BBSA3) são destaques de alta. Foto: Pixabay

Ibovespa hoje encerrou a sexta-feira (5) em alta de 0,55% aos 106.471,92 pontos, após oscilar entre 105.517,82 e 107.176,06 pontos. Na semana, avançou 3,21%. No ano, o índice oscilou do negativo para o positivo desde a quinta-feira, acumulando ganho de 1,57%. O giro ficou em R$ 26,3 bilhões na sessão.

A forte leitura sobre a geração de vagas de trabalho, bem como a evolução da renda salarial nos Estados Unidos em julho, pela manhã, manteve os mercados globais na defensiva nesta última sessão da semana, enquanto, na B3, o Ibovespa voltou a mostrar descolamento, encadeando o quarto ganho diário.

Hoje, o apelo da renda variável se manteve conectado, na B3, ao sinal do Copom de que o ciclo de aperto monetário no Brasil está concluído ou bem perto disso, com a possibilidade de um ajuste residual na próxima reunião do comitê, em setembro – o que, além da recuperação da Bolsa, tem apreciado o câmbio, mesmo nesta sexta, na contramão da cautela externa.

Lá fora, a inflação resiliente e o mercado de trabalho ainda aquecido nos Estados Unidos embaralham um pouco o que pode vir a ocorrer no próximo encontro do Fomc, o comitê de política monetária do BC americano, no mesmo mês de setembro.

Assim, após recente animação dos mercados globais com sinais mais amenos que chegaram a ser emitidos pelo Federal Reserve na reunião da semana passada, os dados econômicos desta sexta-feira, que também guiam o Fed em suas deliberações, contribuem para deixar o desfecho de setembro menos claro.

“Os 528 mil empregos criados em julho nos Estados Unidos surpreenderam bastante o mercado, e o dólar no mundo se fortaleceu após a divulgação. A expectativa era por 250 mil vagas no mês. O mercado de trabalho americano continua forte, e coloca na mesa de discussão, na próxima reunião do Federal Reserve, em 21 de setembro, a chance de subir os juros de lá mais uma vez em 0,75 ponto porcentual”, diz Gustavo Cruz, estrategista da RB Investimentos.

“Mas desta vez, diferentemente de outras ocasiões, a taxa de desemprego não caiu de forma uniforme para todos os grupos. Houve aumento de desemprego entre os menos escolarizados, embora leve, de 5,8% para 5,9%”, acrescenta. “De forma geral, os números ainda mostram que quem busca emprego nos Estados Unidos, consegue”, observa o estrategista, destacando também a evolução do ganho salarial, com o mercado de trabalho mostrando força.

Após os dados do payroll, ainda pela manhã, a probabilidade de um novo aumento de 75 pontos-base dos Fed funds em setembro voltou a ultrapassar com folga a chance de alta de meio ponto porcentual, segundo dados da CME: 69,5% ante 30,5%, comparando o primeiro ao segundo cenário, invertendo o que se via na quinta.

Em meio a dúvidas sobre o grau a que o Fed precisará elevar os juros nos Estados Unidos, o otimismo sobre o desempenho das ações no curtíssimo prazo ficou um pouco menor no Termômetro Broadcast Bolsa desta sexta-feira. Entre os participantes, a expectativa de alta para o Ibovespa na próxima semana caiu de 84,62% na última sondagem para 70%, ainda amplamente majoritária.

Os que esperam queda representam 20% do universo e os que preveem estabilidade, 10%. No Termômetro anterior, as estimativas de variação neutra e de queda tinham, ambas, fatia de 7,69%.

“Ontem, vários papéis subiram mais de 10%, com forte desempenho de ‘small caps’ e de ações ligadas ao varejo, num rali de Bolsa brasileira com os mercados do exterior meio de lado. E a explicação para esse ‘fenômeno Brasil’ é o fim do ciclo de alta de juros no País – a rigor, não muda nada mesmo que ainda ocorra um aumento residual”, diz Paulo Gala, economista-chefe do Banco Master, em referência ao “otimismo pós-Copom”.

Em meio a expectativas de que o comportamento recente da inflação contribui para que o BC ponha fim ao ciclo de elevação de juros, tal otimismo foi de alguma forma amparado nesta sexta pela leitura do IGP-DI de julho, em queda de 0,38% no mês, após alta de 0,62% em junho – a retração foi superior à mediana do Projeções Broadcast, que apontava queda de 0,18% para julho.

Segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), o resultado do mês foi condicionado pelo desempenho das commodities no atacado, bem como por recuos, já esperados, nos preços médios dos combustíveis e da energia elétrica ao consumidor.

Bolsas de Nova York

Os mercados acionários de Nova York fecharam sem sinal único, nesta sexta-feira. O apetite por risco foi contido e o quadro era negativo em boa parte do dia nas ações, após o relatório mensal de empregos (payroll) dos Estados Unidos trazer geração de vagas em nível forte, o que elevou apostas de mais altas de juros nos Estados Unidos. Houve, porém, melhora no quadro no fim do pregão.

Na comparação semanal, o Dow Jones caiu 0,13%, o S&P 500 subiu 0,36% e o Nasdaq avançou 2,15%, com balanços também em foco.

  • Dow Jones: +0,23%, aos 32.803,47 pontos;
  • S&P 500: -0,16%, aos 4.145,19 pontos;
  • Nasdaq: -0,50%, aos 12.657,55 pontos.

dólar à vista fechou em baixa de 1,03%, a R$ 5,1668, após oscilar entre R$ 5,1653 e R$ 5,2767, na semana, moeda recua 0,15%.

O petróleo fechou em leve alta nesta sexta, mesmo diante da valorização do dólar após um payroll forte. De acordo com analistas, os dados confirmaram que o Federal Reserve deve continuar com sua trajetória hawkish e que a economia dos EUA não está em recessão.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril do petróleo WTI para setembro fechou em alta de 0,53% (US$ 0,47), a US$ 89,01, por barril. Na semana, houve queda de 9,74%. Enquanto o do Brent subiu 0,85% (US$ 0,80) na ICE, a US$ 94,92 por barril, com queda semanal de 8,70%.

O ouro fechou em queda nesta sexta-feira, devolvendo parte dos ganhos que acumulou ao longo da semana. A demanda pelo metal precioso diminuiu à medida que os juros dos Treasuries e o dólar – ante moedas rivais – se fortaleceram, após os Estados Unidos informarem a criação de 528 mil vagas de emprego em julho, bem acima do esperado. O dado reforça o temor por mais altas de juros pelo Federal Reserve, o que apoia a perspectiva de que o dólar e os retornos da renda fixa americana seguirão fortalecidos no restante de 2022, sinais negativos para o metal.

Na Comex, divisão para metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro com entrega prevista para dezembro recuou 0,87% nesta sexta, mas subiu 0,53% na semana, a US$ 1.791,20 por onça-troy.

No Ibovespa hoje, os papéis de empresas atreladas ao petróleo foram destaque no ranking das maiores altas do índice. Quem liderou foi Braskem (BRKM5), com +3,56%, acompanhada de PetroRio (PRIO3), que subiu 3,08% e 3R Petroleum (RRRP3), que ganhou 2,82%.

Petrobras (PETR3, PETR4) avançou 1,74% e 1,93%, respectivamente. Também entrou no ranking positivo Minerva (BEEF3), com ganhos de 3,16%.

Grandes bancos também avançaram, ainda com a expectativa do fim do ciclo de alta da Selic. Após mostrar lucro acima do esperado, Bradesco (BBDC3, BBDC4) subiu 0,92% e 1,20%, nesta ordem. Banco do Brasil (BBAS3) subiu 1,86%, Itaú (ITUB4), +1,88% e Santander (SANB11), +1,92%.

Vale (VALE3) seguiu a alta do minério de ferro e subiu 1,30%.

Quem liderou no campo negativo foi Alpargata (ALPA4), que despencou 13,54%, impactada pelo balanço fraco no 2T22. Outras varejistas figuraram no campo negativo: Americanas (AMER3), com -7,82%, Magazine Luiza (MGLU3), com queda de 5,39%, Natura (NTCO3), com -3,67%, Petz (PETZ3) desvalorizou 3,46% e Via (VIIA3) recuou 3,05%.

Maiores altas do Ibovespa:

Maiores baixas do Ibovespa:

Outras notícias que movimentaram o Ibovespa

  • Locaweb (LWSA3) fecha contrato para a aquisição da Síntese por R$ 35,2 milhões
  • Tesla (TSLA34) é o BDR mais negociado em março; veja o top 10

Locaweb (LWSA3) fecha contrato para a aquisição da Síntese por R$ 35,2 milhões

Locaweb (LWSA3) informou nesta sexta-feira (5) que assinou contrato de aquisição da empresa de soluções para varejo Síntese, por meio da subsidiária integral Tray Tecnologia em E-commerce.

De acordo com fato relevante enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o valor da compra foi de aproximadamente R$ 35,2 milhões, sujeito a ajustes de dívida líquida e capital de giro.

Síntese terá a opção de receber eventual earnout, a depender do atingimento de determinadas metas financeiras apuradas com base na Receita Líquida da Síntese, conforme definido no contrato assinado.

“Com essa aquisição, a Locaweb reforça o seu portfólio de e-commerce e dá um passo importante na digitalização do varejo físico por meio de uma plataforma robusta de integração do comércio online e as lojas”, diz o comunicado, reforçando que a companhia segue continua se consolidar como a melhor opção para digitalizar as empresas do Brasil, também com a ampliação de possibilidades de cross-sell com sua base de lojistas online.

A Síntese é uma plataforma omnicanal para o varejo, com atuação fortalecida no segmento de moda, com clientes como Grupo Soma (SOMA3) e Track&Field (TFCO4). Além disso, a companhia vem apresentando importante aceleração desde 2018 com crescimento anual composto entre 2018 e 2021 de cerca de 45%, além de operar com rentabilidade positiva, conforme nota da Locaweb.

A Locaweb informa ainda que, com a compra, os sócios da Síntese, Flávio Santos, Everton Geronimo, Leandro Rocha e Tiago Carvalho, permanecerão na operação da empresa.

Tesla (TSLA34) é o BDR mais negociado em março; veja o top 10

BDR da Tesla (TSLA34) foi o mais negociado em julho da classe de ativos, de acordo com dados recentes da B3 (B3SA3) divulgados nesta sexta-feira (5).

No Boletim Mensal de julho, as BDRs da Tesla aparecem em primeiro lugar na lista dos 10 BDRs mais negociados no mês, com Volume Médio de Negociações Diárias (ADTV, na sigla em inglês) de R$ 48,8 milhões, com participação total de 16,8%.

No segundo lugar, fica o Mercado Livre (MELI34), com ADTV de R$ 44,3 milhões e 15,3% de participação.

No acumulado de 12 meses, o Top 2 do ranking de BDRs segue idêntico ao de julho, com volumes de negociação de R$ 74 milhões e R$ e 60 milhões.

O mês de julho entoou a tendência de queda no volume de emissão de BDRs ante uma alta de cancelamentos. Desde dezembro de 2021 foram R$ 2 bilhões em cancelamentos e R$ 0,5 bilhões de emissões.

O número de investidores, contudo, subiu. São 399 mil investidores em julho ante 306 mil vistos em dezembro. As posições em custódia tiveram retração, saindo de R$ 26,6 bilhões para R$ 15,2 bilhões.

Confira os 10 BDRs mais negociados de março de 2022:

  • Tesla (TSLA34), com 16,8%
  • Mercado Livre (MELI34), com 15,3%
  • Meta (FBOK34), com 7,2%
  • Alphabet (GOGL34), com 5,5%
  • Microsoft (MSFT34), com 5,4%
  • Apple (AAPL34), com 5,2%
  • Amazon (AMZO34), com 4,5%
  • Alibaba (BABA34), com 4,1%
  • Netflix (NFLX34), com 3%
  • Nvidia (NVDC34), com 2,5%

Desempenho dos principais índices

Além do Ibovespa, confira o fechamento dos principais índices da bolsa hoje:

  • Ibovespa hoje: +0,55%
  • IFIX hoje: +0,22%
  • IBRX hoje: +0,56%
  • SMLL hoje: +0,03%
  • IDIV hoje: +0,67%

Cotação do Ibovespa nesta quinta (4)

Ibovespa fechou o pregão da última quinta-feira (4) em forte alta de 2,04% aos 105.892,22 pontos.

(Com informações do Estadão Conteúdo)

Victória Anhesini

Compartilhe sua opinião

Receba as notícias em seu e-mail

EU QUERO